segunda-feira, 15 de maio de 2017

ANGELOLATRIA, A HERESIA DA ADORAÇÃO A ANJOS

Eu, João, sou o que ouvi e vi estas coisas. E quando as ouvi e vi, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava, para o adorar. Mas ele me disse: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.  Ap.22:8-9

Introdução: precisamos dar um pequeno intervalo em nosso estudo da “Angelologia” para abordarmos um tema diretamente ligado a ele. Atualmente, (não tão atualmente, pois nos parece que isso vem de longa data), temos percebido que algumas práticas em nossos nossos cultos (não nos nossos, isto é força de expressão) estão exaltando mais as figuras dos “anjos” do que a Pessoa de Deus propriamente dita”. De uma forma nada discreta, introduzem uma espécie de música na igreja que de forma pervertida vem levando os participantes do culto a tirem seu o foco da verdadeira adoração a Pessoa do Senhor Jesus, que na maioria das vezes nem é citado, e direcionarem todo o foco para seres angelicais. quando os anjos passeiam a Igreja se alegra, ela pula, ela grita, ela chora e congrega, enfrenta o inferno e expulsa o mal”. 

Hinos como "Jacó Segurou o Anjo", "Anjos de Deus" que tem o refrão tipo: "Tem anjos voando neste lugar...", são cantados repetidas vezes em alguns destes cultos, de forma quase hipnótica, contribuindo para uma espécie de "febre angelical". Eles fazem uma espécie de troca, a ação do Espírito Santo que passa a ser ignorada e dão lugar a uma crença ineficaz onde os anjos são vistos como os responsáveis por toda ação no culto. Em nenhum lugar das Escrituras, seja no AT ou NT, vamos encontrar homens adorando ou sendo exortados a pedir ajuda a anjos. Toda petição, segundo o Texto Sagrado, deve ser feita ao Senhor Jesus, mesmo que isto resulte em intervenção angélica. Os anjos só executam as ordens de Deus. O Senhor estabeleceu o seu trono nos céus, e como rei domina sobre tudo o que existe. Bendigam o Senhor, vocês, seus anjos poderosos, que obedecem à sua palavra. Bendigam o Senhor todos os seus exércitos, vocês, seus servos, que cumprem a sua vontade.Bendigam o Senhor todas as suas obras em todos os lugares do seu domínio. Bendiga o Senhor a minha alma!  Sl 103.19-21.

Em cultos como estes (não são poucos), os crentes são exortados a esperar pela cura do anjo, a sentir a presença do anjo, a receber a bênção da mão do anjo e até mesmo chegar ao ridículo ponto de falar em “brincar de roda com anjos, arcanjos e querubins”. É muita heresia para um culto só, MISERICÓRDIA! Uma parte dos anjos saiu pra guerrear Outra parte dos anjos saiu para curar E o Senhor da igreja Veio pra restaurar...Uma parte dos Anjos saiu pra guerrear outra parte dos anjos saiu pra libertar. E se não fosse pouco, em tais igrejas os crentes acreditam que podem comandar a ação dos anjos, lhes dando ordens para eles, achando que podem tomar o lugar do único Senhor dos Exércitos. Mas a Bíblia nos apresenta uma situação completamente diferente, ao invés de encontrarmos homens dando ordens em anjos, vemos anjos mandando em homens. Gn.19.15-17 E ao amanhecer os anjos apertaram com Ló, dizendo: Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que aqui estão, para que não pereças na injustiça desta cidade. Ele, porém, demorava-se, e aqueles homens lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher e de suas duas filhas, sendo-lhe o SENHOR misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade. E aconteceu que, tirando-os fora, disse: Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda esta campina; escapa lá para o monte, para que não pereças. Em todos estes casos, os anjos estão mandando por que estão sob ordem do Deus Altíssimo, Todo Poderoso. At. 12.8 E disse-lhe o anjo: Cinge-te, e ata as tuas alparcas. E ele assim o fez. Disse-lhe mais: Lança às costas a tua capa, e segue-me.

I. ASSIM COMEÇAM AS HERESIAS.
Ap 12.7 Houve então uma guerra nos céus. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram. Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar nos céus.
Um certo pregador conhecido (e este não é o único), após fazer uma excelente apresentação de sua pessoa fez uma oração fervorosa e deu início á sua pregação. Vinte minutos depois, ele solta um grito numa voz estridente: “Deus vai enviar nesta noite o anjo do consolo, que estará ao seu lado 24 horas por dia. A partir de hoje, sua vida não será mais a mesma”. O povo vibrante se perde num tremendo barulho de glórias e “aleluias”, seguido de um desfile que mais parece cenas de lutas marciais com crentes rodopiando com suas mão esticadas e dando pulos e socos nos bancos. Há, parece acontecer também uma espécie de algo tipo uma competição de quem fala em línguas estranhas mais alto. A esta explosão chamam de “pentecostalismo” ou “ré-té-té. O problema é que não tem uma viva alma que atente para o cúmulo do absurdo teológico: Um anjo, tomar o papel do Espírito Santo, e passar a ser o canal de segurança para eles nos momentos difíceis de suas jornadas cristãs.

Isto é o que a Teologia chama de “Angelolatria” ou o culto de adoração a anjos. Não precisamos dizer que tal culto acontece por pura falta de conhecimento da Palavra de Deus. Deixa o anjo trabalhar,esse anjo está trazendo fogo. Deixa o anjo trabalhar,estendendo a mão sobre o povo. Esse anjo que desceu foi prá nos abençoar só deixa ele partir. Quando a sua benção entregar. Tem anjo na igreja e prá quem se importa. Tem anjo na porta e aqui no altar Tem anjo aqui com a mão estendida. Com uma brasa viva querendo tocar Os lábios do crente que é igual manteiga Que quando vê fogo tem que derreter Esse tipo de crente não volta pra casa vazio Porque o Senhor vai encher...  Tal desconhecimento faz com que muitos crentes não saibam discernir os anjo de suas verdadeiras funções (talvez nem saibam o que é Angelologia). Anjos que SEGUNDO A bíblia nunca foram convocados para derramar qualquer tipo de fogo em reuniões pentecostais, muito menos promover revelações ou batizarem alguém no Espírito Santo.

Portanto, nós crentes, precisamos saber com todas as letras que os anjos, mesmo em nossos dias atuais, são seres criados por Deus em um tempo que não conhecemos, e que, no momento em que precisarmos de ajuda, o Senhor sempre os envia para guerrear a nosso favor.

II. A ANGELOMANIA.
"Não deixem que ninguém os condene, afirmando que é superior porque tem visões especiais e insistindo na falsa humildade e na adoração de anjos. Essa pessoa, sem motivo algum, está cheia de orgulho por causa do seu modo humano de pensar". Cl 2.18 NTLH.
Visto tudo isso que vimos até o momento, a questão a ser discutida (no bom sentido e sem brigas, por favor), neste estudo, resume-se no fato de que muitos que se dizem evangélicos se animam tanto diante de um culto onde os anjos são o centro da adoração. Cultos cuja ministração acontece por líderes (homens ou mulheres) que mais se parecem “animadores de auditório” que obreiros da igreja. É bem verdade, que nem sempre tais líderes chegam a ser maus caráter (embora exista um número enorme dos que são). São pessoas se comprometem com um evangelho banal e estranho ao ensinamento da Bíblia e sua correta interpretação. Aqui tem anjos, Aqui tem anjos, Anjos de Deus, Sinta eles agora, Com a espada de fogo. Aqui tem glória, Aqui tem fogo, Carruagens de fogo (fogo), Muralhas de fogo, E há um homem de branco, Assinando vitória (Alice Maciel).

Isto é conhecido teologicamente como “Angelomania”, e pode ser entendida como uma distorção da adoração devida a Deus. Muitas igrejas evangélicas em nossos dias, vivem tais distorções e podem ser vistas basicamente no culto onde Costumam colocar cadeiras reservadas para anjos, falam de supostas visitas constantes do arcanjo Miguel. Falam ainda em anjos trazendo recados com supostas revelações. Nas músicas entoadas, as letras falam de anjos como agentes do Batismo no Espírito Santo e até promovendo a cura. O apóstolo Paulo já alertava: “Ninguém vos domine a seu bel-prazer, com pretexto de humildade e culto dos anjos, metendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão”(Cl 2.18).

Sem nenhuma dúvida tais cultos assumem características de angelocêntrismo, onde os anjos são vistos como os primeiros objetos de louvor. O escritor aos Hebreus nos lembra que os anjos são espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação” 1.14.

Prestem atenção: Anjos não foram convocados para “derramar brasas de fogo nos crentes,  nem promover curas, revelações ou batismos no Espírito Santo. Quem derrama do Seu poder na igreja continua sendo a Pessoa de Deus, o Espírito Santo ainda é quem batiza, é o Senhor Jesus Cristo continua sendo quem distribui revelações que são frutos do “dons espirituais”, que nunca contradizem ou acrescentam algo as Escrituras.

a. LETRAS EQUIVOCADAS QUE SÃO CANTADAS.
Ainda que venha um anjo do céu e pregue outro evangelho diferente do que vos tenho pregado, seja anátema.” Gl 1.1-8
A adoração aos anjos se instalou sorrateiramente no meio evangélico,  assumindo, uma super valorização das nossas canções, em sua grande maioria aquelas denominadas de “louvores de fogo”.

“Desceu Miguel, e lá vem Gabriel, para tua bênção entregar...”
 “Olha o anjo ai, tocando em tua cabeça e curando a enfermidade...”
 “Desceu um anjo de fogo com a espada na mão, ele veio te dizer que não precisa temer...”
 “O nome do anjo que vejo na Igreja é  LABASSU-DE-ONDERÁR...”
 “Vixe, começou o mistério do anjo que macha no tempo, em suas mãos a bandeja com o rolo para te entregar...”
 I plá, plá, plá, Iplá, Ipa labassu-de-onderrar...

Os pastores ou líderes iniciam suas reuniões com louvores e afirmam em suas congregações que o anjo do Senhor está presente, o povo grita, saltam e sapateia interminavelmente ao ouvir alguém dizer:

“Eu estou vendo um anjo andando em nosso meio!”
 “Sinto um anjo de fogo espalhando brasas no meio da igreja!”
 “Desceu o anjo do mistério...”
 “Acabou de chegar o anjo da cura!”
 “Desceu Miguel e lá vem Gabriel...”

Embora começamos nosso estudo falando basicamente dos nossos dias, não foi difícil descobrirmos que os cultos a anjos sempre fizeram parte dos desvios doutrinários da igreja. É bom sabermos que os anjos de Deus de maneira alguma fazem parte deste tipo de irregularidade cultual, mas Satanás e seus anjos (que são assunto para a aula do Pr Edson), estão sempre buscando meios de enganar o homem. Por isso vimos tantas heresias que surgiram baseadas neste tema tanto no no passado quanto no presente.

III. E TUDO PARECE QUE COMEÇOU A MUITO TEMPO ATRÁS...
Vamos dar pelo menos dois exemplos da influência demoníaca destes supostos anjos na criação de heresias que perduram ainda hoje.

a. O MAOMETISMO E O ALCORÃO. 
Segundo o “Alcorão”, numa época em que o mundo enfrentava grades problemas religiosos, políticos, sociais e até econômicos, (parecia o Brasil de hoje),lá pelo ano 610 a.D., surge um suposto profeta chamado Maomé. Segundo dizem, ele recebeu um chamado feito pelo anjo Gabriel, em Islã. Em razão deste chamado, Maomé recebeu, transmitido por tal anjo, o Alcorão. Oficialmente, a religião de Maomé, o Islamismo foi criádo no ano 622 a.D. Na religião Islâmica existia uma crença nos anjos, que seriam liderados por quatro arcanjos: Jibril, Kakhail, Israfil e Izrail. Segundo criam, Gabriel é o anjo Jibril, que juntamente com Izrail Israfil, guardavam o trono de Alá. Miguel é Mikal no Islã. Um dos anjos, Iblis, por ter recusado a adorar o homem recém-criado, foi expulso do paraíso e provocou o exílio de Adão e Eva. O Islãmismo, não reconhece o pecado original.

b. O MORMONISMO.
Por volta do ano de 1827, em uma suposta visão, Joseph Smith diz ter recebido uma mensagem divina que havia sido escrita em placas de ouro, em hieróglifos. Segundo Smith, apareceu-lhe um “anjo” chamado Moroni, que disse ter vivido naquele região há uns 1.400 anos. Seguindo o relato, o pai de Moroni, um profeta, havia gravado a história do seu povo nestas placas. Quando estavam a ponto de serem exterminados por seus inimigos, Moroni teria enterrado tais placas ao pé dum monte próximo do local onde hoje é a cidade de Palmyra. Nesta visão, segundo Smith, Moroni teria indicado a ele o lugar onde tais placas teriam sido escondidas e lhe deu umas pedras especiais, um certo tipo de lentes, chamadas de “Urim” e “Tumim”, com as quais Smith poderia decifrar e traduzir os dizeres dessas placas. Smith traduziu e publicou (1830) o texto, recebendo o título de “O Livro de Mórmom” Esta é a origem do evangelho pregado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias, ou Igreja Mómon, como é conhecida. É um “outro evangelho” entregue por um suposto anjo, que não passa de uma maldição com roupagem cristã. Deus confiou a homens a missão do Evangelho, e nenhum anjo tem permissão para pregá-lo, muito menos anunciar outro Evangelho. 1Pe 1.12 A eles foi revelado que estavam ministrando, não para si próprios, mas para vocês, quando falaram das coisas que agora lhes foram anunciadas por meio daqueles que lhes pregaram o evangelho pelo Espírito Santo enviado dos céus; coisas que até os anjos anseiam observar.


A NOIVA DE CRISTO

Texto Básico: Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o se...