sábado, 16 de agosto de 2014

UM CORRETO ENTENDIMENTO

Mt 24:15 E Jesus continuou: — Vocês verão no Lugar Santo “o grande terror”, de que falou o profeta Daniel. (Que o leitor entenda o que isso quer dizer!)

Se ficamos apenas no verso 15 de Mateus 24, não preciso dizer que jamais cumpriremos o que foi proposto pelo autor, "entendimento". (Que o leitor entenda o que isso quer dizer!). Algumas verdades bíblicas  jamais serão plenamente  compreendidas a não ser através de um sistemático estudo por parte do leitor  interessado. At 8:30-31 nos mostra que maneira mais fácil de alcançar entendimento é recebendo instrução de pessoas capacitadas e de confiança que saibam  expor a verdade em forma de ensinamento. Nada substitui um bom professor. Filipe correu para perto da carruagem e ouviu o funcionário lendo o livro do profeta Isaías. Aí perguntou: O senhor entende o que está lendo?  Como posso entender se ninguém me explica? respondeu o funcionário. Então convidou Filipe para subir e sentar-se com ele na carruagem. Como vou "entender"? Pergunta o entusiasta leitor em sua carruagem. Isto indica que a simples leitura nem sempre é suficiente para trazer "entendimento" Se porém dizemos que simplesmente ler, nem sempre é suficiente, como procurar, ou onde procurar conhecimento?

I. ONDE PROCURAR ENTENDIMENTO.
Um texto como este de Mateus 24, por exemplo, sempre foi e sempre será motivo de muitas dúvidas. Se quisermos realmente entendê-lo, não será de braços cruzados, é preciso sair em busca de respostas. A verdade que nos tranquiliza em casos como este, é que a resposta está ao nosso alcance, bem pertinho de nós. Onde?

1. NA PRÓPRIA BÍBLIA
2Tm 3.16. Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça.
A Bíblia é o primeiro lugar onde devemos procurar respostas. Mais é preciso gastarmos um tempinho extra com Ela. Paulo usa vários termos enfáticos sobre a importância de buscar adquirir entendimento com a leitura. 1Tm 4.13,15 até que eu vá, aplica-te à leitura, à exortação, e ao ensino... Ocupa-te destas coisas, dedica-te inteiramente a elas, para que o teu progresso seja manifesto a todos. Ocupar-se, significa literalmente gastar tempo lendo, estudando, meditando, investigando... Quando o assunto é adquirir entendimento, não dá para fazer economia. Tempo nunca temos sobrando. O corre corre do dia nos força a não dispormos tempo para um estudo aplicado da Palavra. Ec 3.1 Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu. É preciso "Dedicação" e dedicação tem a ver com interesse. Diz-se que uma pessoa é "dedicada" quando percebe-se nesta pessoa um auto grau de "interesse". Tem muita gente boa que até deseja conhecimento mais, fica só nisso, é preciso mais do que simplesmente "querer". É preciso agir. Dedicação é sacrificar coisas e vontades para realização do objetivo. Abrir mão de coisas como passeios,  descanso, afazeres podem ser sinal que está havendo "interesse" em aprender. Rm 7. 18,19 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico.

2. EM FONTES CONFIÁVEIS.
Sl 119. 5,6. Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos! Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.
Em matéria de aprendizagem é assim mesmo, se soubermos o caminho correto não haverá dificuldades, chegaremos a um entendimento. Mas, se procurarmos em local errado, corremos o risco de sermos enganado. Por isso, a pergunta do atento leitor de Candece parece que ilustra de forma a nos fazer compreender a necessidade da ilustre figura do professor."Como posso entender se ninguém me explica?" A função do escritor bíblico, em algumas ocasiões era apenas o de registrar fatos ocorridos, estes registros podem apresentar algumas dificuldades ao entendimento. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo. 2Pe 1:21. Se tivermos um professor confiável, que tenha domínio da matéria, ótimo, meio caminho andado. Porém, como nem sempre teremos a nossa disposição a figura de um bom professor, é aconselhável adquirirmos alguns materiais necessários ao estudo da Bíblia.

·         Bíblias de estudo, NTLH)
·         Enciclopédias bíblicas.
·         Dicionários bíblicos.
·         Dicionários da Língua Portuguesa.
·         Um caderno (ou tablet) para anotações é indispensável.

Muita persistência e sede pela palavra também são extremamente necessários
Sl 42.1 Como a corça anseia pelas correntes das águas, assim a minha alma anseia por ti, ó Deus!

II. CAMINHOS NECESSÁRIOS AO CONHECIMENTO.
2Co 8.11. agora, pois, levai a termo a obra, para que, assim como houve a prontidão no querer, haja também o cumprir segundo o que tendes.
Vejamos por quais caminhos poderemos trilhar na busca do entendimento sem correr o perigo de sermos surpreendidos no meio da nossa caminhada.

1. TEM QUE SER UM CAMINHO SEGURO.
1Tm 4. 16. Tem cuidado de ti mesmo e do teu ensino; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.
Quando o assunto é a Palavra de Deus, todo cuidado é pouco. Se não percorrermos por caminhos seguros corremos o risco de receber ensinos "distorcidos". É preciso muito cuidado com as pessoas e com as instituições que vão nos ensinar. Obviamente, todas as instituições de ensino são tendenciosas. O Seivab, por exemplo, que tem a proposta de ser "interdenominacional" é tendenciosamente um seminário batista. Pois pertence a nossa igreja, que é batista, todos professores são batistas, logo todo ensino seguirá a um roteiro tendencialmente batista. É preciso, portanto conhecer a "denominação" que está por trás da a instituição de ensino que escolhemos para estudar. Se pertence a uma igreja "ortodoxa", correta doutrinariamente ou a uma seita ou igreja contraditória. Todo cuidado é pouco. Alguns ensinos que são ministrados por supostas "instituições de ensino" podem ser verdadeiras armadilhas. Existe muita "porcaria" sendo servida como se fosse boa comida. Muita mentira como se fosse verdade. Rm 1:25 NTLH Eles trocam a verdade sobre Deus pela mentira e adoram e servem as coisas que Deus criou, em vez de adorarem e servirem o próprio Criador, que deve ser louvado para sempre. Amém!
Por isso...

2. TEM QUE SER UM CAMINHO CONFIÁVEL.
2Tm 3. 14. Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido.
As pessoas responsáveis pelo ensino na igreja, precisam ser pessoas ilibadas, dignas de confiança e que possuam conhecimento sistemático das Escrituras. Se não for assim, também corremos sérios riscos com as heresias e os ensinos distorcidos da Palavra. "...sabendo de quem o tens aprendido" É bom "conhecermos" quem sobe no nosso púlpito para pregar e ensinar a igreja. Não é porque alguém fala bonito, sabe fazer uso das palavras, se se veste de maneira impecável, que tem o direito de ocupar este lugar. O púlpito da igreja é o lugar de onde deve fluir a Palavra da verdade. Não podemos e nem devemos tolerar que "mentirosos" e enganadores assumam esta tribuna. Tt 1:1 Eu, Paulo, servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo, escrevo esta carta. Eu fui escolhido e mandado para ajudar a tornar mais forte a fé que o povo de Deus tem e para fazer com que eles conheçam a verdade ensinada pela nossa religião. Precisamos conhecer um pouco da história, do testemunho de vida com Deus, vida em família. Conhecer a bandeira denominacional e se possível a sua confissão de fé. Assim evitamos termos prejuízos no ensino. Tt 1:7-9 NTLH Pois aquele que tem a responsabilidade do trabalho de Deus... deve ser um homem que não possa ser culpado de nada. Não deve ser orgulhoso, nem ter mau gênio, não deve ser chegado ao vinho, nem violento, nem ganancioso... deve amar o bem. Deve ser prudente, justo, dedicado a Deus e disciplinado. Deve se manter firme na mensagem que merece confiança e que está de acordo com a doutrina. Assim ele poderá animar os outros com o verdadeiro ensinamento e também mostrar o erro dos que são contra esse ensinamento.

3. CONCLUSÃO.-
Tt 1:11 NTLH É preciso fazer com que eles parem de falar, pois estão atrapalhando famílias inteiras por ensinarem o que não devem, com a intenção vergonhosa de ganhar dinheiro
Desde que nossa proposta seja sair em busca de uma correta interpretação, então que seja uma busca feita de forma cuidadosa. Sabendo exatamente o que estamos buscando pois infelizmente encontraremos muitos interessados em desviar-nos do nosso caminho. Tt 1.10. Porque há muitos insubordinados, faladores vãos,e enganadores, especialmente os da circuncisão. Existe sim um grupo de "interessados" em que não encontremos as respostas corretas. Para eles é bem mais "vantajoso" que fiquemos continuemos desconhecendo as verdades da Bíblia. A Bíblia chama tais pessoas de "hereges" ou "faccioso". Tt 3.10,11 Ao homem faccioso, depois da primeira e segunda admoestação, evita-o, sabendo que esse tal está pervertido, e vive pecando, e já por si mesmo está condenado. Conhecimento não é um "monstro de sete cabeças", é simplesmente entendimento que pode ser adquirido. "sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. 2Pe 1:20. Bíblia inteira é a Palavra de Deus. "homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo". Se seguirmos estes caminhos, dificilmente nos perderemos ou seremos surpreendidos por algum ensinamento ruim.

APÊNDICE.
III. O TEXTO E SUAS RESPOSTAS.
No texto de Mateus, temos algumas perguntas já respondidas, visto que no contexto, logo no primeiro verso, o escritor nos faz a revelação. "Ora, Jesus, tendo saído do templo, ia-se retirando..." Mt 24:1. Jesus é, sem dúvida é o autor deste discurso, pois no verso 25, isto nos é confirmado. "E Jesus continuou: — Vocês verão no Lugar Santo..."

1. DE "QUE" JESUS ESTA FALANDO.
 "...Vocês verão no Lugar Santo “o grande terror”, de que falou o profeta Daniel..."
Desde que sabemos que é Jesus quem está falando. E como é suave para nós ouvir a voz do nosso Mestre. (Mesmo que escrita). Precisamos descobrir, e este será o nosso segundo passo, de "quem" ou de "que"  Jesus está falando. Esta não parece uma missão tão fácil. Talvez precisemos orar como o salmista: Sl 119. 18. Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei. Para este caso, temos algumas pistas que pode ser relevantes:

a) Ele cita uma passagem bíblica profética.
b) Ele destaca um "lugar" importante.
c) Ele nos dá o nome do profeta: "Daniel"
d) Ele faz menção ao aparecimento de uma figura politicamente importante.

Se localizarmos nos escritos do profeta Daniel o texto que Jesus está fazendo menção poderemos encontrar as primeiras respostas que buscamos.Em Dn 9 encontramos o que parece ser o texto mencionado por Jesus. No verso 24, destacamos: Setenta semanas estão decretadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade... O que conseguimos verificar é que o texto do verso 24 destaca, um período de tempo que necessita de maiores investigações. Precisamos identificar o seu "tempo". "Setenta Semanas"

Destaca ainda uma  "povo" e uma "cidade" que precisaremos descobrir suas verdadeiras identificações. Por fim, o profeta menciona fatos que devem ser   de grande envergadura no desenrolar dos acontecimentos. ... para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o santíssimo.

2. DE "QUEM" ELE ESTÁ  FALANDO.
O profeta menciona tanto a cidade quanto o santuário, e ambos podem ser entendidos como "lugar santo" "...destruirá a cidade e o santuário..."  Se o "lugar santo" e "santa cidade" se referem ao mesmo lugar, então o Senhor Jesus está falando de algo que deveria acontecer para a cidade de Jerusalém. Resta saber a quem Jesus se refere chamando de "grande terror". Aqui temos, no verso 26: "...o povo do príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário..." Os termos "abominação" e "assolador" são vistos ambos no verso 27. "...e sobre a asa das abominações virá o assolador; e até a destruição determinada, a qual será derramada sobre o assolador"  falam de um estado em que  alguém ou alguma coisa é causa destruição de um lugar. Paulo fala sobre este mesmo acontecimento e sobre a mesma suposta pessoa causadora de todo o mal  em 2Ts 2.3 Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição. Paulo identifica como "homem do pecado e mais a frente apresenta características e origem.  "esse iníquo cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás com todo o poder e sinais e prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para serem salvos" 2Ts 2.9,10

3. DE "QUANDO" ELE ESTÁ FALANDO.
"Setenta semanas estão decretadas sobre o   teu povo, e sobre a tua santa cidade... destruirá a cidade e o santuário... sobre a asa das abominações virá o assolador; e até a destruição determinada..."
As resposta vão ficando cada vez mais complexas cada vez que nos aprofundamos buscando um correto entendimento. O Senhor Jesus fala de um tempo em que alguma coisa muito ruim, pelas mãos de alguém, também ruim, estaria assolando a cidade de Jerusalém. Identificamos a pessoa e o  "lugar" sobre as quais e através de quem tais coisa deveriam acontecer ou teria acontecido. Precisamos agora saber  Senhor Jesus falou de algo que aconteceu (passado). Estava acontecendo (presente). Ou algo que ainda iria acontecer (futuro). 

A primeira pista que temos são às próprias palavras do mensageiro: "...Setenta semanas estão decretadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade...".  A resposta deve estar no significado da expressão "setenta semanas". Neste caso precisaremos fazer uso de alguma ajuda extrabíblica que pode ser consultar um dicionário bíblico. O que descobri até aqui foi o seguinte: As Semanas da profecia em foco (Dn.9:24-27) não são Semanas de de dias, são semanas de anos. Eis o porque disso:

  • No original o profeta  não diz " SEMANA Ele diz: "SETES " (Setenta Setes).
  • A palavra hebraica traduzida por semana é "SHABUA". Quando se trata de semana de dias, como em  Dn 10.2 "Naqueles dias eu, Daniel, estava pranteando por três semanas inteiras", a palavra para dias é "YAMIN "
  • Para nós pode soar estranho mais na Bíblica a expressão "Semana de anos" era alguma coisa bem natural. Também contarás sete sábados de anos, sete vezes sete anos; de maneira que os dias dos sete sábados de anos serão quarenta e nove anos. Lv 25.8
  • Aplicação prática de uma "Semana de anos" pode ser vista no caso Em que Jacó negócio com seu tio Labão o casamento com Raquel. Assim serviu Jacó sete anos por causa de Raquel; e estes lhe pareciam como poucos dias, pelo muito que a amava. Gn 29:20


Seis eventos preditos, a respeito de Israel, em (Dn.9:24), ainda não se cumpriram. No verso 27, por ocasião da última das Setenta Semanas, a Bíblia diz: "E ele fará firme aliança com muitos por uma Semana". Se esta aliança fala de um pacto entre nações, seria fora da realidade pensar em um pacto entre nações por uma Semana de dias, quando somente o protocolo e as celebrações muitas vezes tomam mais de uma Semana. Jesus mostra que a última das Setenta Semanas é ainda futura, uma vez que o fato ali citado ainda não ocorreu depois que Ele proferiu aquelas palavras.

CONCLUSÃO:
Nosso objetivo hoje não é o de dar um estudo de escatologia bíblica. Nosso objetivo é simplesmente incentivar os irmãos a não se contentarem com o inexplicável. A Bíblia é um livro para ser lido, ouvido e entendido. "Bem-aventurado aquele que lê e bem-aventurados os que ouvem as palavras desta profecia e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.' Ap 1:3


Mensagem pregada na Missão Vale das Bençãos em Saquarema, Bacaxá.
em 27/07/2014

A TRADIÇÃO QUE RECEBEMOS.

Mandamo s -vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segu...