sábado, 20 de dezembro de 2014

UM CONVITE NADA CONVENCIONAL

2Tm 2.3-6 Sofre comigo como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E também se um atleta lutar nos jogos públicos, não será coroado se não lutar legitimamente. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos.

Int. O texto de Paulo a Timóteo é um convite. Não um convite do tipo que gostaríamos de receber, como aqueles que recebemos constantemente..., mas, em todo o caso, é um convite! Sempre que um convite é feito, deverá haver uma disposição ou uma indisposição no sentido de atendê-lo ou não. Quando o convite é agradável, certamente, haverá a tendência natural em que ele seja aceito com prazer, podendo mesmo haver um grau de ansiedade no sentido que o dia marcado chegue rapidamente. O contrário disto é que, quando o convite não nos agrada, procuramos logo uma "desculpa" por meio da qual consigamos um jeito de evitar o pior... Porém no caso do texto em questão, o convite não é uma questão de gosto, pois a forma e as palavras utilizadas pelo Apóstolo são no mínimo desanimadoras. Ninguém em sã consciência desejará ou gostará de se unir ou experimentar o sofrimento. E neste caso, as palavras de Paulo são muito claras, elas não deixa dúvidas. Sofre comigo como...

Embora o convite não idealize uma questão de gosto, todavia ele também não deve ser enxergado como um coisa detestável a ponto de nos causar ojeriza e provocar desconforto. Não, o convite de Paulo pode em todos os sentidos causar a mudança mais radical que possamos imaginar. Nossas vidas, uma vez aceitado o convite, nunca mais serão as mesmas. Uma vez aceito o desafio, somos encorajados a mudar conceitos, atitudes, entendimentos, e repaginar com isso toda a história da nossa vida cristã. O convite nos conclama a assumirmos uma identidade real e verdadeira ao lado do nosso Senhor e Mestre. Embora até não pareça ser um convite aceitável a qualquer pessoa,  todos somos convidados basta apresentarmos-nos com um mínimo de disposição e disponibilidade, e pronto, o resto fica por conta do nosso Senhor.

I. O CONVITE.
Como podemos então entender o convite de Paulo? A resposta encontramos no próprio texto. O segredo que cada figura esconde, insere uma verdade relativa, que uma vez observada culminam com um final próspero e vitorioso por parte daqueles que decidem aceitar o desafio. E quais são estas figuras?
  • UM SOLDADO QUE NÃO DEVE SE EMBARAÇAR COM NEGÓCIOS DESTA VIDA,
  • UM ATLETA QUE DEVE LUTAR LEGITIMAMENTE NOS JOGOS PÚBLICOS,
  • UM LAVRADOR QUE DEVE TRABALHAR E SER O PRIMEIRO A GOZAR DO RESULTADO DO SEU TRABALHO.


II. O SOLDADO.
2Tm 2:3-4 Como fiel soldado de Cristo Jesus, tome parte no meu sofrimento. Pois o soldado, quando está servindo, quer agradar o seu comandante e por isso não se envolve em negócios da vida civil.

No sentido genérico da palavra, o soldado é uma pessoa que trabalha, voluntariamente ou em consequência de serviço militar obrigatório, nas forças armadas ou forças militarizadas de um país soberano, recebendo treino e equipamento necessário para defender o referido país e os seus interesses. O termo "soldado" deriva do italiano: "soldado" (particípio do verbo soldare) – alguém a quem se pagou o "soldo" para servir. "Soldo" deriva do latim "solidum nummum" e designava uma moeda de ouro da Roma imperial. Pois bem, na figura de Paulo o "soldado" possui um caracteristica muito especial, que o desvincula da grande maioria da tropa em que ele serve: "ELE NÃO SE EMBARAÇA COM NEGÓCIOS DESTA VIDA". Isso o faz ser diferente. Este é o primeiro segredo para os que querem viver esta vida vitoriosa ao lado do Senhor Jesus é:

1. CONSEGUIR SE MANTER DIFERENTE MESMO VIVENDO NO MEIO DE UMA SOCIEDADE ONDE NO CONCEITO ENTRE O CERTO E O ERRADO, NÃO EXISTE DIFERENÇA. 2Tm 2:19 Mas o firme alicerce que Deus colocou não pode ser abalado, e sobre esse alicerce estão escritas estas palavras: “O Senhor conhece as pessoas que são dele.” E também: “Toda pessoa que diz que pertence ao Senhor precisa abandonar o pecado.”

Já vi alguns técnicos de futebol dizerem que não é difícil alcançar o primeiro lugar em um torneio, o difícil é se manter em primeiro. A manutenção é sempre mais complicada. Por isso, não dá para negociar com o pecado, ou  nos desvincilhamos dele de uma vez, ou corremos o risco de mais cedo ou mais tarde sermos vencidos por ele. Se não temos maturidade suficiente para lidar com o pecado, o melhor a fazer, é fugir dele. Hb 5:13-14 E quem precisa de leite ainda é criança e não tem nenhuma experiência para saber o que está certo ou errado. Porém a comida dos adultos é sólida, pois eles pela prática sabem a diferença entre o que é bom e o que é mau. 
É em razão disso que o convite do Apóstolo Paulo não é para os que gostam, é para os que querem, e estão dispostos a prosseguirem. Atentem para 2Tm 4:3-5 Pois vai chegar o tempo em que as pessoas não vão dar atenção ao verdadeiro ensinamento, mas seguirão os seus próprios desejos. 
São as coisas que gostamos que se tornam fruto dos nossos desejos, e francamente, nunca desejamos o que não gostamos. Desejamos é quereremos as coisas que nos dão prazer, por isso que as vezes, desejamos coisas más. E para satisfação carnal, "inventamos" meios de "pecar" sem "ferir" a nossa fé. Quanta ilusão. E arranjarão para si mesmas uma porção de mestres, que vão dizer a elas o que elas querem ouvir. Essas pessoas deixarão de ouvir a verdade para dar atenção às lendas. 
É isso que Paulo está dizendo em Gl 6:7-8: Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. Se plantar no terreno da sua natureza humana, desse terreno colherá a morte. Porém, se plantar no terreno do Espírito de Deus, desse terreno colherá a vida eterna
Não dá para vincular fé e pecado, eles são aversos um do outro. Não conseguem caminhar juntos pois um apaga o brilho do outro. Ou a fé apaga o pecado ou somos, de uma vez tragados por ele. Não se embaraçar, na visão do Reino de Deus é viver uma vida de santidade, é um estilo de vida, não é religiosidade. Mas você, seja moderado em todas as situações. Suporte o sofrimento, faça o trabalho de um pregador do evangelho e cumpra bem o seu dever de servo de Deus. 
O soldado que Paulo menciona tem um objetivo: agradar àquele que o alistou para a guerra. Exatamente por isso, é que não se embaraça com os "negócios" desta vida. O soldado não pode se embaraçar. Ele foi "morto" Gl 2:19-20 ...Eu fui morto com Cristo na cruz. Assim já não sou eu quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim.

REFORÇO DO ARGUMENTO: Fp 2:15 para que vocês não tenham nenhuma falha ou mancha. Sejam filhos de Deus, vivendo sem nenhuma culpa no meio de pessoas más, que não querem saber de Deus. No meio delas vocês devem brilhar como as estrelas no céu,

III. O ATLETA.
também se um atleta lutar nos jogos públicos, não será coroado se não lutar legitimamente.

Atleta é o profissional dos desportos e das atividades físicas. O termo iniciou-se com os que praticavam atletismo. Depois estendeu-se aos praticantes de luta (em jogos solenes) na Grécia e na Roma Antiga. Segundo Krieger, (2007) o atleta, é qualquer pessoa que pratique qualquer manifestação de desporto, seja educacional, de participação ou rendimento, podendo ser classificado quanto à forma de sua prática, em amador, não-profissional e profissional. Mesmo os que apenas correm pelas ruas da cidade a fim de melhorar a forma física e a saúde não o deixam de ser, no sentido mais amplo da palavra, um atleta.
  • O amador é o praticante eventual, que o faz apenas por prazer, saúde ou vaidade, é o corredor ou o ciclista de fim-de-semana ou fim de tarde aquele que corre para manter a forma, ou até o que participa de maratonas ou outros torneios, sem o intuito de lucrar, mas pode ter o espírito desportivo de pura competição. Amador é aquele que leva a sério o ideal de Pierre de Coubertin, onde o “importante não é vencer, é participar”.
  • O não-profissional é o que pratica algum desporto sem receber remuneração, podendo, porém, receber incentivos materiais ou patrocínios.
  • O profissional é aquele que faz do esporte seu meio de sustento, auferindo além dos louros da glória esportiva lucro financeiro através de sua atividade. Nas modalidades mais populares perfazem grandes cifras em dinheiro e acabam por tornarem-se personalidades públicas.

Nas palavras de Paulo, o atleta tem todas estas especificações, mais é o profissional que mais se aproxima da descrição pois é este que se preparar, treina duro, tem no sangue o desjo de competir, competir e buscar a vitória. Este atleta procura se manter puro, pois qualquer substância duvidosa pode comprometer sua participação e um eventual desligamento. atleta lutar nos jogos públicos, não será coroado se não lutar legitimamente. O atleta deve ser um conhecedor das regras competitivas que norteiam sua modalidade esportiva e deve evitar a qualquer custo quebrar qualquer uma destas regras, com perigo de ser desclassificado e perder todo esforço do seu trabalho. Vendo assim o perfil do atleta, concluimos que o segundo segredo para uma vida vitoriosa ao lado do Senhor Jesus, segue-se de que nos façamos:

2. UM FIEL OBSERVADOR DA PALAVRA DE DEUS, CUMPRIDOR DE TODA A VERDADE QUE NELA SE PODE ATESTAR COMO REGRA DE FÉ E PRÁTICA. Tg 1:25 O evangelho é a lei perfeita que dá liberdade às pessoas. Se alguém examina bem essa lei e não a esquece, mas a põe em prática, Deus vai abençoar tudo o que essa pessoa fizer.

Foi por isso que Deus deixou registrado na Bíblia, tudo o que diz respeito a nossa fé e a nossa crença. Tiágo chama estas regras de "lei perfeita da liberdade". Por isso, viver em paz com Deus é viver em paz com a Bíblia. O Senhor Jesus consegue descrever este conceito de forma concisa em Mt 7:24-25 Quem ouve esses meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rochaPercebemos? Não existe quedas, não existe tombos, não há surpresas que o interfiram seguir o objetivo. É exatamente como na figura do atleta que se prepara. A Bíblia é o suprimento que mantêm este "atleta" sempre disposto. Sua dieta é nunca fazer as coisas que a Bíblia condena: Tg 1. 21. Pelo que, despojando-vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas. O segredo é não ser um simples leitor da Palavra. Estou falando de algo como tornar-se "completamente" dependente dela. Algo como não suportar viver longe das Escrituras. É respirar a Bíblia como o ar que respiramos. Não conhecer a Bíblia, é algo muito maior do que isto. Estamos falando em viver a Bíblia e seus ensinos de forma diária. vv 22,23 E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Pois se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante a um homem que contempla no espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo e vai-se, e logo se esquece de como era.

  • A conclusão do argumento de Tiágo: v 25. Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer.

IV. O AGRICULTOR.
O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos.
Agricultura é o conjunto de técnicas utilizadas para cultivar plantas com o objetivo de obter alimentos, fibras, energia, matéria-prima para roupas, construções, medicações, ferramentas, ou apenas para contemplação estética. A pessoa trabalha na agricultura chamamos de agricultor. O termo fazendeiro (português brasileiro) ou lavrador (português europeu) se aplica ao proprietário de terras rurais onde, normalmente, é praticada a agricultura, a pecuária ou ambos. A ciência que estuda as características das plantas e dos solos para melhorar as técnicas agrícolas é a agronomia. 

Paulo utiliza a figura do agricultor para ilustrar a importância de um trabalho realizado pela divulgação do Evangelho. Percebemos que o agricultor, não é o dono das terras, ele é o trabalhador braçal, aquele que deve colocar literalmente as mãos na massa. No Evangelho, para ser mais exato em Mt 13. 38, o Senhor Jesus apresenta uma explicação sobre a parábola do joio e do trigo, onde o campo representa o mundo, e a boa semente representa os filhos do reino. Na figura do agricultor, ele é o responsável por semear, porém, nas palavras do Senhor Jesus ele é também identificado como sendo a própria semente que foi semeada no campo pelo Senhor Jesus. A boa semente é a semente que caiu em boa terra, e porque caiu em boa terra, esta semente germinou. Lc 8.5-8 Saiu o semeador a semear a sua semente. E quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho; e foi pisada, e as aves do céu a comeram. Outra caiu sobre pedra; e, nascida, secou-se porque não havia umidade. E outra caiu no meio dos espinhos; e crescendo com ela os espinhos, sufocaram-na. Mas outra caiu em boa terra; e, nascida, produziu fruto, cem por um... A terceira e última verdade que extraímos do texto base-a-se neste conceito.

3. UM SEMEADOR EFICIENTE QUE SEMEIA A VERDADE QUE VIVE E QUE VIVE EM TODA INTENSIDADE A VERDADE POR ELE SEMEADA. Fp 1. 20,21 segundo a minha ardente expectativa e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a ousadia, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro. 



sábado, 6 de dezembro de 2014

NÃO DEIXE MINAR A SUA CASA

Mt 24:43 - Mas considerai isto: se o pai de FAMÍLIA soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.

introdução:  Minar: Abrir mina, cavar, escavar, corroer aos poucos, consumir
O ladrão, Aquele que rouba, que furta.
·    Não entra pela porta. Jo 10:1 - NA verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é LADRÃO e salteador.
·    Não avisa quando vem. 1Ts 5:4 - Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um LADRÃO;
·  Possui objetivos escusos: Jo 10:10 - O LADRÃO não vem senão a roubar, a matar, e a destruir...
Existem coisas que podemos e devemos fazer para que nossa casa não seja minada pelo inimigo. Dentre estas coisas podemos destacar alguns sentimentos que devem ser priorizados em família: A harmonia, a interdepêndencia e a indissolubilidade.
2Co 13:11 - Quanto ao mais, irmãos...vivei em PAZ; e o Deus de amor e de PAZ será convosco.

I. HARMONIA.
Paz coletiva entre as pessoas

COISAS QUE AJUDAM A TRAZER A HARMONIA.
Rm 12:18 - Se for possível, quanto estiver em vós, tende PAZ com todos...

1° ALEGRIA EM VIVER EM FAMÍLIA.
...Regozijai-vos,  (satisfação intensa). 1Ts 5:16; Fp 4.4 - REGOZIJAI-vos sempre.
Satisfação: Sentimento de quem está satisfeito, feliz, alegre, prazer
·    Em qualquer situação -  Fp 4.11,12,13 "porque já aprendi a contentar-me com o que tenho."
·    Por sua casa. Pv 25:24 - Melhor é morar só num canto de telhado do que com a mulher  (marido) briguenta numa casa ampla. Pv 21:9 - É melhor morar num canto de telhado do que ter como companheira em casa ampla uma mulher (marido) briguenta.
·    Por seu cônjuge - Ef 5:22,25 - Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos MARIDOs...Vós, MARIDOs, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, 

2° A MANUTENÇÃO DE UM CARÁTER PERFEITO
...Sede perfeitos,  (correto em tudo)
Cl 3:19 - Vós, MARIDOs, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas.
·    Respeito - Pv 31:11 - O coração do seu MARIDO está nela confiado...
·    Fidelidade - 1Co 7:2 - Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio MARIDO.
·    Reconhecimento - Pv 31:28 - Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu MARIDO também, e ele a louva.

II. INTERDEPÊNDECIA
Dependência recíproca
Dependência: Sujeição, subordinação.

COISA QUE AUXILIAM A INTERDEPÊNDENCIA
1° O SENTIMENTO DE SEGURANÇA E CONFORTO
..sede consolados, consolar: Dar sensação agrádavel, alívio, conforto
Pv 5:18 - Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade.
·    Honestidade e justiça - Fp 4:8 - Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é AMÁVEL, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.
·    União e amor  - Cl 2:2 - Para que os seus corações sejam CONSOLADOs, e estejam unidos em amor, e enriquecidos da plenitude da inteligência...
·    Compreensão e honra - Pv 14:1 - TODA mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos; 


II. INDISSOLUBILIDADE
Qualidade do que não pode ser dissolvido
1Co 7:10,11 - Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do MARIDO...e que o marido não deixe a mulher.

DIVÓRCIO: É a dissolução do casamento, ou seja, a separação do marido e da mulher conferindo às partes o direito de novo casamento civil, religioso e/ou outras cláusulas de acordo com a legislação de cada país. A emenda Constitucional número 9, de 28 de junho de 1977, permitiu a instauração do divórcio no Brasil e a lei nº 6.515/77 o regulamentou. Em média, nos dias de hoje, um casamento dura dez anos, sendo que em 70% dos casos quem pede o divórcio é a mulher. Em dados de 2008, o divórcio no Brasil cresceu 200% em 23 anos, ou um divórcio a cada quatro casamentos. Em 2007, foram realizados no Brasil 916.006 casamentos, representando um aumento de 2,9% em relação ao ano anterior, com a idade média das mulheres casando de 26 anos e para os homens, foi de 29 anos. Entretanto, o número de término de casamentos foi de 231.329 o que representa para cada quatro casamentos realizados no ano passado, houve a dissolução de um casamento pelas mais diversas formas e razões. Somente divórcios propriamente ditos foram 179.342. Aliás, desde a legalização do divórcio no Brasil, que ocorreu há 30 anos, a prática só vem aumentando. Em 1984, o número de divórcios representava 0,46% com relação do grupo de pessoas casadas, em 2007 esse percentual passou para 1,49%.

COMO EVITAR O DISSOLVIMENTO DA FAMÍLIA:
1° COMUNICAÇÃO E ENTENDIMENTO
1Pe 3:7 - Igualmente vós, MARIDOs, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações.
...Sede de um mesmo parecer,  (mesmo modo de pensar)
1Co 1:10 - Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que ...
·   ...Digais todos uma mesma coisa...
Rm 14:19 - Sigamos, pois, as coisas que servem para a PAZ e para a edificação de uns para com os outros.
·   ...Não haja entre vós dissensões...
Dissensão: Divergência de opniões, interesses ou sentimentos
Pv 27:15 - O gotejar contínuo em dia de grande chuva, e a mulher (ou o homem) contenciosa, uma e outra são semelhantes;  
Pv 19:13 - O filho insensato é uma desgraça para o pai, e um gotejar contínuo as contendas da mulher.
·    Sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo PARECER.
Pv 21:19 - É melhor morar numa terra deserta do que com a mulher (marido) rixosa e irritadiça.
Tt 2:4,5 - Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus MARIDOs, a amarem seus filhos, A serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus MARIDOs, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada.


RESULTADO: Viver em paz.
2Ts 3:16 - Ora, o mesmo SENHOR da PAZ vos dê sempre PAZ de toda a maneira. O Senhor seja com todos vós.

Rm 1:12 - Isto é, para que juntamente convosco eu seja CONSOLADO pela fé mútua, assim vossa como minha.

sábado, 18 de outubro de 2014

UM GRANDE DEUS, QUE É DIGNO DE ADORAÇÃO.


Sl 135:5 Eu sei que o Senhor é Grande; o nosso Deus está acima de todos os deuses.

"Eu sei que o Senhor é grande..."  Talvez esta expressão utilizada pelo salmista, seja pequena para exprimir com clareza toda a realidade em torno daquilo que ele desejava expressar de Pessoa de Deus em relação ao que se refere o Seu poder e seu relacionamento com o homem. A verdade é que a Bíblia em nenhum momento de todos os seus 1.189 capítulos se preocupa em poupar argumentos ou economizar adjetivos quando o assunto ou matéria se relaciona a grandiosidade da Pessoa de Deus, especialmente se estes adjetivos tiverem alguma relação com as suas atitudes em relação as criaturas. 

Na continuação do texto, o salmista exalta a Deus e reconhece a sua grandeza quando exclama: Sl 135:6 O Senhor faz o que quer, tanto no céu como na terra, tanto nos mares como nos oceanos profundos...
Deus é tão grande que qualquer lugar imaginável, é pequeno demais para suportar a grandeza da Sua presença augusta e majestosa. Sl 24:9-10 Abram bem os portões, abram os portões antigos, e entrará o Rei da glória.  Quem é esse Rei da glória? É Deus, o Senhor Todo-Poderoso; ele é o Rei da glória. 
Qualquer expressão que utilizarmos para descrever a grandeza de Deus, se constituirá apenas em mais uma tentativa inútil de descrição daquele que, pela palavra humana, é impossível de descrever..Sl 57:5 Ó Deus, mostra a tua grandeza nos céus, e que a tua glória brilhe no mundo inteiro! 
Qualquer palavra que nos dispusermos será apenas uma falha descrição da mente humana, desta forma sempre seremos vencido pelas palavras, e como o salmista mais uma vez, sem conseguir esconder toda sua admiração apenas exclamaremos: Sl 89:13 Como és poderoso! Como é grande a tua força!

O termo "grande" como adjetivo que na verdade serve apenas para indicar "grandezas" tais como tamanho, volume, intensidade ou valor de alguém ou alguma coisa. O termo serve para indicar, por exemplo algo que seja comprido como a extensão de um fio condutor de energia elétrica, e aí dizemos, " como é comprida esta fiação!". Ou ainda alguma coisa extensa e volumosa como a fluência de um rio como o São Francisco. Ficamos admirados pele sua beleza e dizemos: "Que rio magnifico, como ele é extenso e longo!" Não importa seja qual for a "grandeza", de que estivermos falando, quando chegamos na Pessoa de Deus, o termo sempre se enfraquecerá e acabará indicando uma proporção que ultrapasse todo nosso limite de entendimento humano, ou, até mesmo todo nosso conceito de normalidade. Sl 145:3 O Senhor Deus é grande e merece receber altos louvores. Quem pode compreender a sua grandeza?

O conceito do Deus que é Grande é tão "grande", que mesmo que desfolhemos cada página do Livro Sagrado, absorvendo cada uma das verdades ali contidas ou expressas, ainda assim acabaremos nos esbarrando na nossa ignorância humana e na nossa incapacidade de entender o divino. Jó 5:9 Nós não podemos entender as coisas maravilhosas que ele faz, e os seus milagres não têm fim. E por mais que busquemos entender as Escrituras, parece que vamos sempre  Deus cercado de adjetivos que para nós podem parecer extremos, mais ainda assim, pouco acrescentará tendo em vista a sua relação a sua magnitude e grandeza, e ao mesmo tempo apresenta Deus se relacionando com homens tão pequenos e tão carentes deste relacionamento divino?

PORQUE ELE É UM DEUS ACIMA DE TODO ENTENDIMENTO E DE TODAS AS GRANDEZAS DE MEDIDAS TERRENAS. Sl 135:5 Eu sei que o Senhor é grande; o nosso Deus está acima de todos os deuses.

O salmista começa o Salmo 135 fazendo um convite: Aleluia! Louvem a Deus, o Senhor , vocês que são seus servos. Em seguida nos versos 2 e 3 o salmista parece querer justificar seu convite definindo um entendimento de quem são as pessoas e em qual lugar o "louvor" deverá acontecer. O salmista menciona o templo como um "lugar" de adoração, v2 vocês que estão na casa dele, no Templo do nosso Deus!  Ele parece gostar da ideia de que a adoração exija um local apropriado para sua execução, pois, ele mostra, que neste local de adoração, sempre haverá pessoas dispostas a apresentar a Deus suas vidas em forma de adoração. Louvem o Senhor porque ele é bom; cantem louvores a ele porque é bondoso. Me parece no entanto, meio que complexo este convite. Pois o que sempre ouvimos é que não existe "um" lugar que seja adequado ou apropriado para que Deus seja adorado. Nossa premissa sempre tem sido a de Jo 4.23 Mas virá o tempo, e, de fato, já chegou, em que os verdadeiros adoradores vão adorar o Pai em espírito e em verdade. Pois são esses que o Pai quer que o adorem.

Pouco nos importamos com o lugar, até que...
Descobrimos que a "casa de Deus" somos nós mesmos, e que o louvamos com o nosso coração e com nosso serviço... Nosso coração é o lugar onde Deus habita, mesmo que o texto pareça indicar um espaço físico, como no Sl 5:7 Mas, por causa do teu grande amor, eu posso entrar nos pátios da tua casa e ajoelhar com todo o respeito, voltado para o teu santo Templo. Não importa em qualquer lugar onde estiver um coração adorador, mesmo sem entender direito, sempre haverá razão de sobra para adorar ao Senhor. Deus não espera que o entendamos, Ele é Grande demais para isso.

Porem....
1. SUA GRANDEZA NÃO É FÍSICA.
Se "grandezas" se referem a tudo aquilo que pode ser medido ou contado, podemos declarar com toda a certeza que nenhuma destas grandezas humanas podem suportar a grandeza divina.Uma particularidade é que as grandezas terrenas, podem ter suas medidas aumentadas ou diminuídas. Por exemplo, o volume do som pode ser aumentado ou diminuído, a massa corporal pode ser modelada, a superfície, ou o comprimento, podem ser extendidos, a capacidade, a velocidade, e até mesmo o tempo, tudo pode mudar. Mas com Deus... Tudo isso é extremamente diferente. Sl 147:5 Deus, o Senhor nosso, é grande e poderoso; a sua sabedoria não pode ser medida. A grandeza de Deus não se relaciona nenhuma dessas coisas, pois Deus é imutável em todos os sentidos e de todas as maneiras. Rm 11:33 Como são grandes as riquezas de Deus! Como são profundos o seu conhecimento e a sua sabedoria! Quem pode explicar as suas decisões? Quem pode entender os seus planos? A Bíblia não está falando de medidas físicas ou em conotação humana de volume, comprimento ou capacidade. A Bíblia simplesmente apresenta um Deus Grande que é Grande...

2. PORQUE SEU DOMÍNIO NÃO TEM LIMITES.
Sl 47:2 Pois o Senhor , o Altíssimo, deve ser temido; ele é o grande Rei que governa o mundo inteiro.
Um Deus que em toda manifestação da história humana, sempre foi o socorro para queles que depositaram Nele a sua confiança. A decepção ou a derrota nunca foi o resultado final para aqueles que confiaram. Sl 74:12,13 Mas tu, ó Deus, tens sido o nosso Rei desde o princípio e nos salvaste muitas vezes. Com o teu grande poder... 
Um Rei Soberano e Poderoso, detentor de toda autoridade e Grandeza. Seu domínio, um domínio que se estende-se muito além das medidas de perspectivas humanas ou terrenas. Uma Grandeza que ultrapassa todas as dimensões imagináveis ou  inimagináveis chegando o topo de sua estrura até os céus dos céus. Sl 148:1-4 Aleluia! Todos os que estão nos céus, louvem o Senhor Deus nas alturas!  Louvem o Senhor , todos os seus anjos, todos os seus exércitos celestiais!  Sol e lua, louvem o Senhor ! Todas as estrelas brilhantes, louvem a Deus!  Que os mais altos céus o louvem e também as águas que estão acima do céu! 
Um Deus que tem domínio sobre todas as coisas ou pessoas, mas que está sempre disposto a atender o mais humilde e contrito corações humano que a Ele recorrer. Is 57. 15. Porque assim diz o Alto e o Excelso, que habita na eternidade e cujo nome é santo: Num alto e santo lugar habito, e também com o contrito e humilde de espírito, para vivificar o espírito dos humildes, e para vivificar o coração dos contritos 
Seu domínio não pode ser medido por quilômetros, metros ou qualquer outra medida de distância . Ele não está preso ao tempo nem ao espaço. Ele é um Deus que vive de eternidade a eternidade, sua presença enche o mundo inteiro por isso, o mundo com toda sua extensão não pode "suportar" a Presença do Senhor Todo-Poderoso. Sl 8:9 Ó Senhor , nosso Deus, a tua grandeza é vista no mundo inteiro. 
Sua idade não se pode calcular pelos números terrenos. Jó 36:26 Ele é grande demais para que o possamos conhecer; nós não podemos calcular quantos anos já viveu. 
O tempo, a contagem do tempo e tudo mais que se relaciona a grandezas de medidas, por Ele foram criados e para Ele foram estabelecidos. Sl 74:16-17 Criaste o dia e a noite, puseste o sol, a lua e as estrelas nos seus lugares.  Marcaste os limites da terra e fizeste o verão e o inverno. Ele tem um domínio que não tem limites. Sl 147:4 Foi ele quem resolveu quantas estrelas deviam existir e chama cada uma pelo nome. Diante de tamanha Grandeza e expresso domínio, é bastante plausivo, que fiquemos exatamente como aqueles meros pescadores, admirados com o poder sobrenatural do Senhor Jesus, a ponto de que até as forças da natureza tenham que se render a Ele,só lhes resta um argumento, ou indagação de Mt 8. 27. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?

3. PORQUE SEU AMOR É ADMIRÁVEL, E INCOMPARAVELMENTE SUPERIOR A TODA IMAGINAÇÃO HUMANA. Jo 3.16. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

O amor de Deus é imaginavelmente grande. Um amor imaginavelmente inacabável. Um amor que não se pode explicar com palavras. Sl 136:3 Deem graças ao mais poderoso de todos os senhores; o seu amor dura para sempre.

Sl 99.3. Louvem o teu nome, grande e tremendo; pois é santo.

Um amor que não pode ser medido, pois não existe grandeza que possa indicar como é o amor de Deus. O salmista até tenta exprimir algumas qualidades deste amor no Sl 103.8. Compassivo e misericordioso é o Senhor; tardio em irar-se e grande em benignidade O que o salmista está dizendo, é que o Senhor é bondoso, Sua bondade e misericórdia não tem fim. Passarão os tempos dos tempos e Sua bondade e Sua misericórdia continua infinita. Exatamente por ser bom, o salmista também diz que Deus não fica irado facilmente. Sua ira nunca ultrapassa o Seu amor. A expressão: "muito amoroso" ainda é muito pequena para descrever o Seu Grande amor. É por causa deste grande amor, que Ele não passa o tempo todo nos repreendendo, e a não fica irado para sempre. Assim como é grande a distância entre o céu e a terra, assim é grande o seu amor por aqueles que o temem. 1Jo 1.6

Assim é este Deus extremamente Grande. Seu amor ultrapassa todo entendimento humano e seu dominio não tem fim. Servir a este Deus é uma honra muito maior que nossa emoção consegue imaginar. Rm 5.8 Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.

Portanto, se dizemos que estamos unidos com Deus e ao mesmo tempo vivemos na escuridão, então estamos mentindo com palavras e ações. Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade.








quarta-feira, 17 de setembro de 2014

PORQUE OS NÃO, NÃO SE DÃO


Jo 4:9 A mulher respondeu: — O senhor é judeu, e eu sou samaritana. Então como é que o senhor me pede água? (Ela disse isso porque os judeus não se dão com os samaritanos.)

"Os judeus não se dão com os Samaritanos
A cidade de Samaria foi a capital do Reino de Israel entre os anos 870 e o ano 721 a.C. Depois de reinar por seis anos em Tirza, Onri, rei de Israel, resolveu construir uma nova capital para o Reino do Norte em uma colina a 11 km a noroeste de Siquém. 1Rs 16. 23,24  "No trigésimo primeiro ano de Asa, rei de Judá, Onri começou a reinar sobre Israel, e reinou doze anos. Reinou seis anos em Tirza. E de Semer comprou o outeiro de Samária por dois talentos de prata, e edificou nele; e chamou a cidade que edificou Samária, do nome de Semer, dono do outeiro".
 
Onri, fez de Samaria a capital de Israel e assim permaneceu até que a Assíria, sob comando do rei Salmanasar cercou a cidade por três anos, tomando-a finalmente  no nono ano de rei Oséias. 2Rs 17.3 Contra ele subiu Salmanasar, rei da Assiria; e Oséias ficou sendo servo dele e lhe pagava tributos.
Salmanasar aprisionou Oséias, destruiu inteiramente o reino de Israel e levou todo o povo como escravo para a Média e para a Pérsia. v.6 No ano nono de Oséias, o rei da Assíria tomou Samária, e levou Israel cativo para a Assíria...
 
Salmanasar, para evitar que Israel virasse um deserto, enviou para Samaria e para outros lugares do reino de Israel alguns povos de uma província da Pérsia conhecidos por "chuteenses". Eram conhecidos assim por habitarem ao longo de um rio chamado Chute. Esses novos habitantes de Samaria, eram pelo menos, de cinco nações diferentes, cada uma com seu deus e seu culto particular. 2Rs 17. 24 Depois o rei da Assíria trouxe gente de Babilônia, de Cuta, de Ava, de Hamate e de Sefarvaim, e a fez habitar nas cidades de Samária em lugar dos filhos de Israel; e eles tomaram Samária em herança, e habitaram nas suas cidades.
 
Como não conheciam o Senhor Deus, e muito menos as Suas leis, estes novos habitantes foram atacados por terríveis feras, e não sabiam o que fazer para escapar desta praga que invadira o país.  2Rs 17.25 E sucedeu que, no princípio da sua habitação ali, não temeram ao Senhor; e o Senhor mandou entre eles leões, que mataram alguns deles.
 
Aconselhados, pediram ao rei da Assíria que lhes enviasse alguns dos sacerdotes hebreus, prisioneiros, para os instruírem na lei de Deus e ensinarem a prestarem-lhe as honras devidas. 2RS 17.28. Veio, pois, um dos sacerdotes que eles tinham transportado de Samária, e habitou em Betel, e lhes ensinou como deviam temer ao Senhor. Logo que aprenderam as leis de Deus, a peste cessou.
 
Um problemas no entanto permanecia, os chutenses tinham seus próprio deuses e tinham cada qual a sua própria religião. 2Rs 17.33 Assim temiam ao Senhor, mas também serviam a seus próprios deuses, segundo o costume das nações do meio das quais tinham sido transportados. Passaram a conhecer a respeito do Deus da terra, mas tinham com eles os seus próprios deuses ao quais serviam. v.41. Assim estas nações temiam ao Senhor, mas serviam também as suas imagens esculpidas...

Os chutenses eram espertos e com muita frequência mudavam suas atitudes em relação aos judeus com os quais dividiam a terra. A situação real era a seguinte: Quando os judeus estavam vivendo em paz, as coisas iam bem, não haviam problemas com o governo, os chutenses se diziam irmãos dos judeus, afirmando terem origem num mesmo ramo e eram descendentes de José. Quando porém a sorte dos judeus era contrária e se envolviam em lutas, eles mudavam o discurso, diziam que não conheciam os judeus, e que não eram obrigados a amá-los, pois, os judeus é que tinham vindo de um país afastado para se estabelecer na terra em que eles habitavam. Esta história de desentendimento entre estes dois povos estava apenas no começo.  O historiador Flávio Josefo, no livro História dos Hebreus, descreve vários momentos de desavença entre eles.

Deixa-me então citar rapidamente um outro momento dos relatos de Josefo. Aconteceu durante o exílio assírio, na reconstrução ou restauração do templo por Esdras e Zorobabel. Apenas para nos localizarmos na história, a Bíblia cita primeiro um templo que fora construído pelo Rei Salomão e que foi completamente destruído pelo rei Nabucodonozor, da Babilônia quando este invadiu o Reino do Sul (Judá/Benjamim) Isto, segundo Josefo aconteceu 470 anos, 6 meses e 10 dias desde a construção do Templo, 1602 anos, 6 meses e 10 dias desde a saída do Egito e 1950 anos, 6 meses e 10 dias desde o dilúvio. Pois bem, logo no primeiro ano, reinando sobre os persas, Ciro leu nas profecias de Isaías, escritas 210 anos antes de seu nascimento e 140 anos antes da destruição do Templo, que Deus o havia escolhido como rei sobre várias nações e que ele seria instrumento para fazer o povo judeu voltar a Jerusalém para reconstruir o Templo. Assim diz o Senhor ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater nações diante de sua face... Is 45:1. Ciro, deu ordem imediatamente para que fosse feito tudo o que o profeta falara a seu respeito. Que digo de Ciro: Ele é meu pastor, e cumprira tudo o que me apraz; de modo que ele também diga de Jerusalém: Ela será edificada, e o fundamento do templo será lançado. Is 44:28

Sob o comando de Esdras, foram lançados os alicerces do Templo e os judeus trabalharam com ardor para finalmente reconstruí-lo. Ed 1.2 Ciro, rei da Pérsia, por meio desta, anuncia que o Senhor, o Deus do céu, que me deu este vasto império, agora me encarregou de construir para ele um templo em Jerusalém, na terra de Judá.  O rei Ciro permitiu aos judeus retornem a sua terra para ajudarem na reconstrução deste templo. v.3 Todos os judeus residentes neste reino podem agora voltar a Jerusalém para reconstruir este templo do Senhor...

Ai, aparecem os chutenses mais uma vez... A Bíblia narra que as nações vizinhas de Jerusalém, particularmente, quem? Os chuteenses, pediram aos responsáveis pelas obras que deixassem que eles participassem da reconstrução. Ed 4.2 eles se aproximaram de Zorobabel e dos outros chefes e sugeriram: "Deixe a gente trabalhar com vocês, pois estamos tão interessados em seu Deus como vocês; temos oferecido sacrifícios a Ele desde que o rei Esar-Hadom da Assíria nos trouxe para cá. A resposta não os agradou em nada. v.3. Mas Zorobabel, Jesua e os outros chefes judeus responderam: "Não, vocês não podem ter parte nesta obra. Os israelitas é que devem construir o templo do Deus de Israel, exatamente como ordenou o rei Ciro. A partir daí, começa uma conspiração por parte dos chuteenses no sentido de fazer a obra parar. Ed 4.4. Então os residentes locais tentaram desanimar e amedrontar os israelitas. Para isso enviaram agentes pagos ao rei Ciro, os quais contaram mentiras sobre o que se passava...
 
E não pensem que eles desistiram logo, diz a Bíblia que continuaram suas conspirações contra os judeus no reino Assuero, e fizeram a mesma coisa durante o reinado de Artaxerxes. ...Isto continuou assim durante todo o seu reinado, até que o rei Dario, o persa, subiu ao trono. Chegaram mesmo a conseguir a paralisação temporária das obras durante o reino do rei Artexerxes. Ed 4.21 "Portanto, ordeno que esses homens parem a construção do templo até que eu tenha investigado o assunto mais completamente".

v. 24. Assim o trabalho ficou parado até ao segundo ano de Dario, rei da Pérsia. Quando Finalmente os judeus conseguiram terminar as obras, adinvinhem que povo se juntou a eles nas comemorações?  Isto mesmo, os chuteenses! Ed 6.21 E alguns dos pagãos que se estabeleceram em Judá abandonaram seus costumes imorais e se juntaram aos israelitas na adoração ao Senhor Deus. Eles, com a nação inteira, comeram a páscoa e celebraram a festa dos pães sem fermento pelo espaço de sete dias. Houve grande alegria em toda a terra porque o Senhor fez com que o rei da Assíria fosse generoso para com Israel e prestasse auxílio na construção do templo de Deus.

Agora estamos muitos anos a frente destes acontecimentos. Não temos mais uma multidão, mas apenas um homem e uma mulher. Um judeu, uma Samaritana. Jesus havia deixado a Judéia e ao voltar à província da Galiléia, no caminho, teve de passar por Samaria. Era meio-dia, cansado da viagem Jesus chega a uma aldeia chamada Sicar, e vai em direção a um Poço situado em uma propriedade que Jacó havia dado ao seu filho José. Jesus cansado da longa caminhada e do sol quente, senta-se exausto ao lado do poço. João diz que uma mulher veio ao poço para retirar água, e Jesus simplesmente lhe pediu um pouco de água. Jo 4.7 Logo uma mulher samaritana veio tirar água, e Jesus pediu um pouco. Nada de mais, não fosse o fato de que Jesus era judeu, e a mulher, uma chuteense, ou seja, uma Samaritana. E, para surpresa da mulher, o  judeu lhe dirigia a palavra e lhe pedia água! Esse povo nem falam com a gente!  Pensou a mulher, e não só pensou como comentou isso com Jesus. Chegando mesmo a confrontar o Mestre... v. 12. Além do mais, o Senhor é mais importante do que o nosso antepassado Jacó? Insatisfeita ela ainda tem mais uma pergunta... v.20. Mas me diga uma coisa: por que é que vocês, os judeus, insistem em que Jerusalém é o único lugar de adoração, enquanto nós, os samaritanos, dizemos que é aqui (no Monte Gerizim), onde os nossos antepassados adoraram?
 
O tratamento, apesar do peso de todos os anos passados não havia mudado, era o mesmo de tantos anos atrás. Judeus e Samaritanos continuavam a não manterem  aproximação amistosa. O Senhor Jesus veio para de uma vez por todas quebrar este paradígma. Ef 2.14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade. O sentimento que afastou os judeus dos samaritanos por tanto tempo, povos que apesar de vizinhos, viviam tão perto e se mantinham tão longe uns dos outros, parece ser um mesmo sentimento que vem atuando em nossos dias e nos separando uns dos outros. As razões que nos levam a esta atitude de distanciamento são razões que poderiam ser resolvidas, os motivos as vezes são os mais banais, e o pior é que as vezes nem mesmo existe um motivo. O distânciamento sempre parece mais fácil que o dialogo. Afinal, não somos nós que estamos sempre certos e sempre tão cheio de razão? Achamos que uma simples amizade perdida não nos vale o sacrifício de um difícil pedido de perdão. Um amigo a menos, pensamos nós, não fará nenhuma falta! Como estamos enganados... A inimizade nunca é o melhor caminho. A paz sempre deve ser preferida a guerra. E a nossa luta sempre deve ser altruísta. Se tivermos que lutar, que a nossa luta seja sempre pela paz. 2Ts 3.16 Ora, o próprio Senhor da paz vos dê paz sempre e de toda maneira. O Senhor seja com todos vós.

Grandes homens escreveram seus nomes na história, simplesmente lutando em favor da paz. Muito falaram e muito fizeram numa luta as vezes desigual e covarde. Alguns perderam a suas vida nesta luta, mais nunca desistiram de lutar em nome deste ideal chamado paz! Nomes como os de Mahatman Ghandi, Martin Luther King Jr, Nelson Mandela, foram apenas alguns dentre tantos que não abriram mão de seus sonhos por um mundo de paz. Jesus nunca poupou argumentos para falar sobre ela. Jo 14.27. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; eu não vo-la dou como o mundo a dá... Nosso problema é que sonhamos com a paz, mas quando estamos acordados não abrimos mãos de fazer uma boa guerra!
 
A Bíblia quer nos ensinar a viver bem e melhor nesta vida. Ela nos apresenta princípios que uma vez seguidos, podem evitar as decepções que este mundo mal decidiu infrigir sobre nossas nossas famílias. Não precisamos viver como judeus e samaritanos a vida inteira lutando uma luta tola que na verdade nenhum deles sabem porque qual causa estão lutando. Quero apresentar dois princípios, não mais que isso. Depois me retirarei deste púlpito de forma tranquila e consciente de que o que Deus tinha para dizer, Ele falou...
 
1. O PRINCÍPIO DAS POSSIBILIDADES. Rm 12. 18. Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens. É possível viver em paz com todas as pessoas? Talvez nossa resposta seja não, afinal somos tão diferentes um dos outros. Gostamos de coisas diferentes e nossos sentimentos quase sempre são conflitantes com os sentimento das outras pessoas. Concluímos ser impossível viver a paz quando dos gêneros são incompatíveis. Mas, existe um ditado: Quando um não quer... Por esta razão Paulo nos faz um convite a vivermos acima das nossas "possibilidades". Possibilidade é a capacidade de fazer o possível. Viver acima das possibilidades é viver de tal forma que sejamos capazes de gerenciar nossos sentimentos e nossas reações a fim de nos tornarmos capazes de formatar o que consideramos impossível de maneira a torná-lo possível. Por isso o texto diz: "...quanto depender de vós". Será com certeza um exercício diário de utilização de toda nossa capacidade de não gerir sentimentos capazes de nos fazer desejar revidar o mal com o mal. 1Pe 3. 11 aparte-se do mal, e faça o bem; busque a paz, e siga-a. Podemos até estar nos perguntando, será que eu consigo? É um princípio Bíblico, e como todos os princípios bíblicos, a própria Bíblia se encarrega de nos mostrar o caminho. Rm 14.19 Assim, pois, sigamos as coisas que servem para a paz e as que contribuem para a edificação mútua. Este princípio tem a ver com um estilo de vida. Uma "contribuição" própria no sentido de vivermos um mundo um pouco melhor. 2Co 13.11 Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco.

2. O PRINCÍPIO DO IMPOSSIBILIDADE. Hb 12.14. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. Se por um lado existe a possibilidade de vermos nosso mundo em paz, por outro existe a impossibilidade de vermos nosso Senhor sem ela. É preciso entender nossa posição no mundo para viver este segundo princípio. Nós, os salvos em Jesus Cristo, não temos nenhuma razão para vivermos em guerra. O Senhor Jesus "desfez" toda divisão e toda separação que poderia promover a sensação da discórdia. Cl 3.15. E a paz de Cristo, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações... Nossa parte, é viver neste mundo e na Igreja,  de maneira que consigamos conservar de forma permanente todo trabalho que o Espírito Santo operou em nós. Ef  4.3 procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz.  O princípio da impossibilidade foi descrito pelo Senhor Jesus, e todo processo pode ser visto amplamente em  Mt 5. 38. Ouvistes que foi dito: ...Eu, porém, vos digo que não resistais ao homem mau... É o princípio de resiliência. v.39 "...qualquer que te bater na face direita, oferece-lhe também a outra..." Em casos assim oramos a Deus e pedimos: Senhor me dá graça...  Pois se Deus nos der força queremos quebrar a cara de quem nos afronta.

Neste princípio na maioria das vezes temos que aprender a viver com o difícil sentimento da perda. É mesmo na certeza de estarmos com razão, para evitar o "bate-boca" ficamos calados. v.40 e ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; A questão não é servir de "capacho" é evitar o enfrentamento. v.41. e, se qualquer te obrigar a caminhar mil passos, vai com ele dois mil. Quando um não quer... O escritor de Provérbios nos diz que são nas horas das maiores aflições que os amigos se revelam verdadeiros irmãos. O irmão é solidário, é cortês, sabe tratar aos outros com respeito, é incapaz de ver seu próximo passando nescessidade, e fechar-lhe as mãos, pelo contrário, o irmão está sempre pronto para se movimentar a favor do nescessitado. 42. Dá a quem te pedir, e não voltes as costas ao que quiser que lhe emprestes.
 
Por fim, o Senhor Jesus dá o "xeque mate", a palavra final. vv 43,44,45 Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; . para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. Na igreja não tem lugar mais para guerrinhas tipo" judeus x samaritanos" Aqui não existem "melhores" nem "piores". Ninguém é mais filho de Deus do que os outros, ninguém é filho predileto. 2Ts 3.16 Ora, o próprio Senhor da paz vos dê paz sempre e de toda maneira. O Senhor seja com todos vós. Quando tivermos que tomar uma iniciativa diante de uma afronta que seja sempre no sentido de terminar a briga ou, melhor ainda, nem permitir que a briga aconteça. 2Pe 3. 14. Pelo que, amados, como estais aguardando estas coisas, procurai diligentemente que por ele sejais achados imaculados e irrepreensível em paz. Este deve ser o nosso modo de viver e o modo de viver da igreja. Como bem disse Martinho Lutero: QUE DEUS NOS AJUDE...
 

At 9.31. Assim, pois, a igreja em toda a Judéia, Galiléia e Samaria, tinha paz, sendo edificada, e andando no temor do Senhor; e, pelo auxílio do Espírito Santo, se multiplicava.
 
 

A NOIVA DE CRISTO

Texto Básico: Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o se...