domingo, 25 de setembro de 2011

OPERAÇÃO, SANTIDADE AO SENHOR

Josué disse ao povo: Purifiquem-se porque amanhã o SENHOR fará grandes coisas entre vocês.” (Js 3:5)

Introdução: o que vem a ser santidade? E o que isto tem a ver com “purificação”? Estamos com um grande problema! Como vamos conseguir explicar para, juniores, alguma coisa que nem mesmo nós os adultos conseguimos entender direito? Precisamos desenvolver uma definição que seja a mais próxima possível, e a nossa próxima tarefa, será exatamente a de tentar desenvolver uma.

·         Em relação a Deus, santidade é um atributo ou propriedade, isto é aquilo que é próprio do ser Deus e pela qual Ele é moralmente puro e perfeito, separado acima de tudo o que é mau e imperfeito Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu nome, adorai o SENHOR na beleza da santidade.  (Sl 29:2 RA)

·         Em relação a nós, o povo de Deus, santidade é uma qualidade ou condição que nos leva a se separar do mundo, a não seguir os seus maus costumes, e a pertencer somente a Deus, sendo completamente fiel a ele. Desse modo Deus dará força ao coração de vocês, e vocês serão completamente dedicados a ele e estarão sem culpa na presença do nosso Deus e Pai, quando o nosso Senhor Jesus vier com todos os que são dele. Amém! (1 Ts 3:13)

Na Bíblia, santidade vai sempre falar de separação de coisas ou pessoas para Deus e para o culto a Ele.

E “operação”? Como podemos entender este termo?

·         É a realização de algo como resultado de um trabalho ou esforço próprio.

·         É produção de algum efeito

·         É fazer funcionar, atuando, agindo.

·         É entrar em função ou atividade.

O que estou dizendo quando digo que “apoio” a “operação santidade”?
Apoiar significa aprovar. Assim, quando digo que “apoio” a operação, estou querendo dizer que eu “aprovo” e reconheço a boa validade do resultado desta operação. O apoio, é o entendimento e a aprovação do resultado que esta operação pode trazer para minha vida. Resultados que são para mim, benefícios. Não só para mim, mais para todos aqueles que me são próximos.

I. AS “ENGRENAGENS”
Sendo SANTIDADE uma condição que eu aprovo, então eu preciso fazer “funcionar” em mim esta “condição”. Em outras palavras, preciso “condicionar” minha vida a um estado de santidade. Como eu posso fazer isso? Para que isso aconteça, preciso fazer funcionar em mim, algumas “engrenagens” que produzirão este efeito. A santidade precisa entrar em “atividade” na minha vida. Eu preciso me “tornar” uma pessoa “santa”. E isto não acontece de uma hora para outra ou num abrir e fechar de olhos. Santidade além de uma “condição”, também é um processo. Isto é, uma sucessão de estados e de mudanças. E isto requer de nós algum esforço. Dediquem-se completamente a mim e sejam santos, pois eu sou o SENHOR, o Deus de vocês. (Lv 20:7) ...sejam santos em tudo o que fizerem, assim como Deus, que os chamou, é santo. (1Pe 1:15). Podemos resumir estas “engrenagens” em quatro palavras: Separação, mudança, entrega e fidelidade. Estas são as engrenagens que farão funcionar em nós a operação santidade.

 1. SEPARAÇÃO DO MUNDO.
Falo com palavras bem simples porque vocês ainda são fracos. No passado vocês se entregaram inteiramente como escravos da imoralidade e da maldade para servir o mal. Entreguem-se agora inteiramente como escravos daquilo que é direito para viver uma vida dedicada a Deus. (Rm 6:19)
Separar significa, afastar-se. Isto não significa dizer que vamos ter que “sair” do mundo, pois isto nos seria impossível. Eu não quis dizer que neste mundo vocês devem ficar separados dos pagãos que são imorais, avarentos, ladrões ou que adoram ídolos. Pois, para evitar essas pessoas, vocês teriam de sair deste mundo. (1Co 5:10). Mas tem a ver com um rompimento com ele e com um estabelecimento de discórdia com aquilo que ele sinaliza como modo e prática de vida comum. Porque vivem como se fossem pessoas deste mundo. Quando existem ciumeiras e brigas entre vocês, será que isso não prova que vocês são pessoas deste mundo e fazem o que todos fazem? (1Co 3:3) . Separar-se do mundo é praticar uma nova maneira de viver. É experimentar uma mudança em nossas atitudes em relação a tudo o que diz respeito a este mundo. É disto que temos orgulho: a nossa consciência nos afirma que a nossa maneira de viver no mundo, e especialmente em relação a vocês, tem sido dirigida pela franqueza e sinceridade que Deus nos dá e também pelo poder da sua graça e não pela sabedoria humana. (2Co 1:12). É o entendimento daquilo que foi feito por nós na cruz de Cristo, e daquilo que temos que fazer em relação a esta mesma cruz. Em obediência à vontade do nosso Deus e Pai, Cristo se entregou para ser morto a fim de tirar os nossos pecados e assim nos livrar deste mundo mau. (Gl 1:4). É orgulhar-se em ser salvo e viver a vida neste mundo como se para ele, verdadeiramente, nós estivéssemos mortos. Mas eu me orgulharei somente da cruz do nosso Senhor Jesus Cristo. Pois, por meio da cruz, o mundo está morto para mim, e eu estou morto para o mundo. (Gl 6:14)

 2. MUDANÇA DE COSTUMES.
Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12:2)
Mudar os costumes tem a ver com alterar ou modificar os hábitos ou as práticas. É a confirmação de que abandonamos o mundo, pois quando mudamos os nossos costumes e as nossas práticas ou os nossos hábitos, estamos mostrando a todos o nosso rompimento com ele. Naquele tempo vocês estavam separados de Cristo; eram estrangeiros e não pertenciam ao povo escolhido de Deus. Não tinham parte nas suas alianças, que eram baseadas nas promessas de Deus para o seu povo. E neste mundo viviam sem esperança e sem Deus. (Ef 2:12). Mais uma vez somo levados a usar todo o nosso desejo de agradar a Deus para vencer os impulsos que tendem nos impedir de experimentar toda e qualquer mudança interior. Portanto, matem os desejos deste mundo que agem em vocês, isto é, a imoralidade sexual, a indecência, as paixões más, os maus desejos e a cobiça, porque a cobiça é um tipo de idolatria.” (Cl 3:5). Somos conduzidos por Deus a uma mudança de vida, mudança esta que está baseada no abandono das práticas de tudo aquilo que desagrada a Deus e na escolha de viver uma vida de fé e dedicação a Ele. Essa graça nos ensina a abandonarmos a descrença e as paixões mundanas e a vivermos neste mundo uma vida prudente, correta e dedicada a Deus, (Tt 2:12)

3. ENTREGA TOTAL E IRRESTRITA A DEUS.
E também não entreguem nenhuma parte do corpo de vocês ao pecado, para que ele a use a fim de fazer o que é mau. Pelo contrário, como pessoas que foram trazidas da morte para a vida, entreguem-se completamente a Deus, para que ele use vocês a fim de fazerem o que é direito.  (Rm 6:13
Entregar-se a Deus fala em passar as suas mãos a posse da nossa vida. É deixar que ele cuide de nós confiando em seus cuidados. E ser fiel a Ele em qualquer condição. Nós éramos inimigos de Deus, mas ele nos tornou seus amigos por meio da morte do seu Filho. E, agora que somos amigos de Deus, é mais certo ainda que seremos salvos pela vida de Cristo. (Rm 5:10). Entregar-se a Deus é o climax de tudo aquilo que escolhemos como opção de vida. É viver um cristianismo não só de palavras mas de atitudes  e de mudanças. Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova. (Rm 6:4). É a definitiva escolha de dominar aquele que por toda a nossa existência lutou e continuará lutando contra nós e contra tudo o que agrada a Deus, o pecado, E isso aconteceu a fim de que, assim como o pecado dominou e trouxe a morte, assim também a graça de Deus, que o leva a aceitar as pessoas, dominasse e trouxesse a vida eterna. Essa vida é nossa por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. (Rm 5:21). É o grito de liberdade que estava preso em nós e a libertação definitiva do pecado que por muito tempo nos impedia de uma aproximação de Deus. Mas agora vocês foram libertados do pecado e são escravos de Deus. Com isso vocês ganham uma vida completamente dedicada a ele, e o resultado é que vocês terão a vida eterna.” (Rm 6:22)

CONCLUSÃO:
Apoiar a santidade e viver a vida de Deus com a certeza de que por causa desta nossa escolha nós fomos aceitos por Ele e que passamos a pertencer somente a ele não só para esta vida mas para toda a eternidade. Mas, se Cristo vive em vocês, então, embora o corpo de vocês vá morrer por causa do pecado, o Espírito de Deus é vida para vocês porque vocês foram aceitos por Deus.” (Rm 8:10)


Mensagem pregada  no Congresso de Juniores
24/09/2011 - Tema: "Operação Santidade, eu apoio"
Batista Nacional Vale das Bençãos

domingo, 11 de setembro de 2011

PROTEGENDO A NOSSA MENTE CONTRA AS INVESTIDAS DO INIMIGO

Passagem Bíblica:
(Filipenses 4:4-8 NTLH)
Tenham sempre alegria, unidos com o Senhor! Repito: tenham alegria!  Sejam amáveis com todos. O Senhor virá logo.  Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido.  E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.  Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente. 

Introdução:  A mente humana, sem dúvida alguma, é a parte mais importante da alma. Pois trata-se da sede onde se formam todos os pensamentos e funciona como uma espécie de “arquivo” onde ficam armazenados pensamentos, raciocínios, juízos e lembranças. É na mente que funciona o comando central do ser humano, pois ela possui a faculdade da memória, da inteligência, da consciência, da razão e dos raciocínios. Todas as decisões são formadas e decididas na mente, por esta razão, é a mente o alvo favorito do nosso inimigo. A batalha espiritual que ocorre na mente humana gera confusão, perturbação, questionamentos e preocupações exageradas com uma carga pesada de muito medo, depressão e ansiedade. “Porque o que a nossa natureza humana quer é contra o que o Espírito quer, e o que o Espírito quer é contra o que a natureza humana quer. Os dois são inimigos, e por isso vocês não podem fazer o que vocês querem.” (Gl5:17). A busca frenética e enlouquecedora pelo dinheiro, o desemprego, a insegurança, a doença. a violência, as greves e a competição implacável para se conseguir algo são alguns fatores que atingem em cheio a mente humana. Como se não bastasse tudo isto, a mente humana sofre o bombardeio do diabo, querendo contaminar o crente com pensamentos negativos. Por este motivo, a mente deve ser cuidada, protegida e sempre limpa, firmada em Deus. Ela permanecer calma, serena, descansada. aberta e sensível à voz e ao toque do Senhor. Vocês foram ressuscitados com Cristo. Portanto, ponham o seu interesse nas coisas que são do céu, onde Cristo está sentado ao lado direito de Deus.  Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra.” (Cl 3:1-2 NTLH)

A BATALHA ESPÍRITUAL E O CONTROLE DA MENTE
A nossa mente é a parte mais importante da alma, pois nela são formados os pensamentos. As nossas emoções e as nossas vontades, obedecem ao seu comando. Na batalha deflagrada no campo da mente, é imperativo buscarmos  o poder de Deus e os recursos espirituais na Palavra, bem como na oração, a fim de que não se percamos o controle, ou o domínio da mesma. Se a nossa mente está desgovernada ou sem controle, todo o nosso corpo também ficará sem rumo e descontrolado. Assim, precisamos buscar ter um maior controle de nossa mente para não sermos enganados por satanás, o nosso adversário. “Estejam alertas e fiquem vigiando porque o inimigo de vocês, o Diabo, anda por aí como um leão que ruge, procurando alguém para devorar.” (1Pe 5:8). Podemos colocar em prática um exercício simples mais que pode trazer um bom resultado:

1. SELECIONAR UM POUCO MELHOR O QUE IREMOS VER.
Dizem que os olhos são as janelas da alma, pois são eles que captam imagens que em seguida são enviadas à mente. A condição da mente determinará que tipo de pensamento será formado, de acordo com as imagens captadas. Se a nossa mente já for negativa, viciada, cativa das paixões carnais, prisioneira de hábitos prejudiciais à vida espiritual, física e mental, pouco adiantará os olhos contemplarem imagens positivas. Qualquer imagem virtuosa, edificante e frutífera poderá sofrer alguma distorção proveniente de uma mente derrotada. “Os olhos são como uma luz para o corpo: quando os olhos de vocês são bons, todo o seu corpo fica cheio de luz.  Porém, se os seus olhos forem maus, o seu corpo ficará cheio de escuridão. Assim, se a luz que está em você virar escuridão, como será terrível essa escuridão!”. Porém,  se a nossa mente está renovada ou transformada pelo Espírito Santo teremos plena capacidade de renunciar todas as ofertas mundanas e elevaremos o nosso pensamento  para as coisas celestiais. Por este motivo, deverá ser a nossa decisão diária, evitar colocar coisas más diante de nossos olhos. Nosso desafio diário, será libertar a nossa mente do domínio da carne. Vocês foram ressuscitados com Cristo. Portanto, ponham o seu interesse nas coisas que são do céu, onde Cristo está sentado ao lado direito de Deus.  Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra.” (Cl 3:1-2).

2. PROCURAR MANTER A  MENTE EM TOTAL HARMONIA COM A PALAVRA DE DEUS
Fale sempre do que está escrito no Livro da Lei. Estude esse livro dia e noite e se esforce para viver de acordo com tudo o que está escrito nele. Se fizer isso, tudo lhe correrá bem, e você terá sucesso.” (Js 1:8 )
A nossa mente precisa ser renovada diariamente através do estudo sistemático das Escrituras. Essa é uma batalha que precisa ser constante e não pode parar. Um único dia sem a meditação da Palavra de Deus poderá deixar a mente vulnerável aos ataques do inimigo. A ação da Palavra do Senhor será como um escudo, uma blindagem espiritual nos pensamentos. A mente renovada está preparada para rechaçar todas as insinuações contrárias à boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Pelo fato da mente ser ameaçada e da facilidade de se contaminar e entrar em conformidade com o mundo, somos advertidos a buscar uma completa mudança da mente. “Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele.” (Rm 12:2 ). Se tivermos a mente renovada pelo Espírito seremos capazes de renunciar as ofertas do mundo e seremos conduzidos a pensar nas coisas celestiais para nossa própria edificação. Desta forma permitimos ao Espírito Santo que Ele flua naturalmente como rio de águas vivas. Por isso o Senhor Jesus disse à mulher samaritana que a mesma necessitava conhecer da água que somente ele dá, em João 4.14. “mas a pessoa que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Porque a água que eu lhe der se tornará nela uma fonte de água que dará vida eterna.”  Nossa luta, também, tanto no campo coletivo, quando no campo individual, é buscar levar cativo todo pensamento à obediência de Cristo e, para tanto, devemos nos lembrar da orientação paulina constante em 2Co 10.3-5. “É claro que somos humanos, mas não lutamos por motivos humanos.  As armas que usamos na nossa luta não são do mundo; são armas poderosas de Deus, capazes de destruir fortalezas. E assim destruímos idéias falsas  e também todo orgulho humano que não deixa que as pessoas conheçam a Deus. Dominamos todo pensamento humano e fazemos com que ele obedeça a Cristo.” 

3. PROCURAR DISSIPAR A MENTIRA BUSCANDO UM MELHOR FORTALECIMENTO A MENTE
Se desejamos fortalecer nossos pensamentos devemos possuir pelo menos duas atitudes, bíblicas, de fundamental importância, que são: o Louvor e a Adoração. Quando louvamos abrimos as portas para que nossos pensamentos estejam relacionados com o céu com as coisas celestiais. Quando louvamos a ansiedade, as dúvidas e as incertezas desaparecem, deixando a mente tranqüila, os pensamentos ordenados no lugar que agrada ao Senhor,e , para tanto, devemos ter o louvor, continuamente, na nossa boca, conforme Sl 34.1. “Eu sempre darei graças a Deus, o SENHOR; o seu louvor estará nos meus lábios o dia inteiro.” Quando estamos com a mente concentrada na Adoração, ao Senhor, recebemos força espiritual, controle e equilíbrio mental. Adorar ao Senhor com a mente significa vitória. Devemos Adorar ao Senhor na Beleza da sua Santidade. “Curvem-se diante do Santo Deus quando ele aparecer; trema diante dele toda a terra.” Sl 96.9  A imaginação é um atributo maravilhoso da mente humana. A imaginação é livre para dar lugar a pensamentos bons ou maus. Contudo, é preciso frear a imaginação quando percebemos que os limites e padrões estabelecidos pelo Senhor Deus estão sendo ultrapassados. A mente é dotada de razão e, por meio da mesma, julgamos e analisamos tudo o que pensamos. Por isso, é mister a oração do salmista em Sl 139.23,24. “Ó Deus, examina-me e conhece o meu coração! Prova-me e conhece os meus pensamentos.  Vê se há em mim algum pecado e guia-me pelo caminho eterno.” O Senhor Deus nos deu uma mente que nos concede o poder de raciocinar, pensar, imaginar, deduzir, criar e, até, fazer escolhas. Como salvos em Cristo, então, devemos procurar ocupar a nossa mente com aquilo que agrada ao Senhor buscando tirar de nossa mente toda mentira e todo pensamento nocivo. Esta atitude vitoriosa significa estar ligado com Deus, procurando pensar, sentir e fazer a vontade divina. “Como dizem as Escrituras Sagradas: “Quem pode conhecer a mente do Senhor? Quem é capaz de lhe dar conselhos?” Mas nós pensamos como Cristo pensa.” (1Co 2:16). Para tanto, é mister resguardemos a nossa mente com o “capacete da Salvação”  de Efésios 6 para que o inimigo não encontre ocasião de usá-la. Devemos nos lembrar, sempre, que Deus reprova a mentira uma vez que o ato de mentir é próprio daquele que não conhece ao Senhor Jesus. Quem vive mentindo ou alimentando a mentira, vive o contexto de João 8.44, pois a mentira é a linguagem do nosso inimigo. 

CONCLUSÃO:
Existem atualmente milhares de falsos ensinadores procurando nos enganar com palavras bonitas para convencer-nos com suas falsas doutrinas. Mas se buscarmos a unção divina para a nossa mente, com certeza não nos contaminaremos. Será através da unção que conseguiremos ter a nossa mente purificada e, dessa forma, compreenderemos o que é verdadeiro e o que é falso “Mas sobre vocês Cristo tem derramado o seu Espírito. Enquanto o seu Espírito estiver em vocês, não é preciso que ninguém os ensine. Pois o Espírito ensina a respeito de tudo, e os seus ensinamentos não são falsos, mas verdadeiros. Portanto, obedeçam aos ensinamentos do Espírito e continuem unidos com Cristo.” (1Jo 2:27). A unção começa pela cabeça, e o óleo derramado unge todo o corpo. Quando recebemos a unção do Espírito Santo que, da mesma forma, unge todo o ser. “Porém sobre vocês Cristo tem derramado o Espírito Santo, e por isso todos vocês conhecem a verdade.” (1Jo 2:20)

Estudo Ministrado na EBD
Ig Batista Nacional Vale das Bençãos
11/09/2011

terça-feira, 6 de setembro de 2011

CRUCIFICA O MEU “EU”


Pois sabemos que a nossa velha natureza pecadora já foi morta com Cristo na cruz a fim de que o nosso eu pecador fosse morto, e assim não sejamos mais escravos do pecado.” (Rm 6:6)
Vivemos numa época em que as paixões pelas verdades eternas parecem estar perdendo as suas forças. As pessoas, na igreja e fora dela, vivem cada vez mais entediadas com o Evangelho. O cristianismo tem assumido uma identidade perigosa, e vê-se confrontado diante de três problemas grandes sérios
  • Cristãos inquietos, (aflitos, perturbados) A tristeza acabou com as minhas forças; as lágrimas encurtam a minha vida. Estou fraco por causa das minhas aflições; até os meus ossos estão se gastando. Sl 31:10
  • Igrejas mundanas, que oferecem os gozos e prazeres materiais em oposição a uma vida de renuncias e entregas. Vocês têm tido uma vida de luxo e prazeres aqui na terra e estão gordos como gado pronto para o matadouro. Tg 5:5
  • Líderes materialistas com um conjunto de regras de conduta ou hábitos julgados por eles válidos, mais sem nenhum respaldo da Bíblia. porque os que fazem essas coisas não estão servindo a Cristo, o nosso Senhor, mas a si mesmos. Por meio de conversa macia e com bajulação, eles enganam o coração das pessoas simples. Rm 16:18
Com vista a estes problemas, a igreja tem transformado esta época numa época de ansiedades e culmina por colocar a nós os “crentes” num estado emocional angustiante acompanhado de alterações somáticas (cardíacas, respiratórias, etc.), e em que se prevêem situações desagradáveis, reais ou não. Ficamos “doentes” diante do medo e das incertezas.
  • O medo das doenças e da morte que geram ansiedade física (ôntica). “Aquilo que eu temia foi o que aconteceu, e o que mais me dava medo me atingiu.” (Jó 3:25)
  • O medo da culpa e da condenação com respostas inadequadas da igreja que produzem ansiedade moral. O meu coração está cheio de medo, e o pavor da morte cai sobre mim. (Sl 55:4) “ Eu tremo diante de ti e tenho medo dos teus julgamentos.” (Sl 119:120)
  • O medo de que a vida não tenha sentido nem propósito que faz nascer uma ansiedade existencial. “então me espantas com sonhos e com pesadelos me enches de medo.” (Jó 7:14)
Temos dúvidas a respeito de nós mesmo e do nosso futuro. Vivemos o hoje sem muitas expectativas para o amanhã. A resposta da teologia popular para estes males é simples: “esforce-se o máximo e espere o melhor”. Assim, a libertação das ansiedades não dependerão primariamente de Cristo, mas acontecerão pelo esforço da própria pessoa.  Sem demonstrar conhecimento do texto de Pedro e do convite a “lançar sobre Deus toda a ansiedade” Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês. 1Pe 5:7. Vagamos em busca de uma resposta instantânea, mas que independam de qualquer envolvimento mais profundo com a religião e a fé. Neste apelo frenético por esta resposta e pela cura, aparece um brado de alguém que consegue entender, ou pelo menos, não se conformar com o apelo da secularizão e da modernidade, partindo em busca de uma resposta segura e plausível para esta geração, quase que num grito de desabafo salta o brado, ou simplesmente sussurra!

I. CRUCIFICA O MEU “EU”
O sentido de “crucificar” é o de aplicar uma dura punição corporal, imposta, ou não, por sentença, através do suplício da cruz. Crucificação fala de tortura, fala de condenação a alguém de forma implacável e, pela gravidade da sentença, uma condenação injusta. Então Pilatos disse: Você não quer falar comigo? Lembre que eu tenho autoridade tanto para soltá-lo como para mandar crucificá-lo. Jo 19:10.
O tom dessa condenação pode ser melhor resumida pela palavra “excruciar”, (a raiz da palavra “cruciante”) a qual se refere a algo que causa grande agonia ou tormento. As raízes em Latim da palavra são: ”ex”, que significa por causa de ou sobre, e “cruciar”, que significa crucificar. A palavra “excruciar” vem do Latim para “por causa de, ou sobre, a cruz”. Pois eu lhes mandarei profetas, homens sábios e mestres. Vocês vão matar alguns, crucificar outros, chicotear ainda outros nas sinagogas e persegui-los de cidade em cidade. Mt 23:34.
Em suma, crucificar é “Matar, pregando numa cruz”. Nós somos testemunhas de tudo o que ele fez na terra de Israel, inclusive em Jerusalém. E depois o mataram, pregando-o numa cruz. At 10:39.
A cruz era um antigo instrumento romano de tortura e morte, reservado para escravos e criminosos. Formada por duas vigas, uma atravessada na outra, em que eram pregados ou amarrados os condenados. As cruzes eram de três feitios: em forma de xis, ou de tê maiúsculo, ou de sinal de somar, sendo mais longa a viga que ficava enterrada. Com Jesus, crucificaram também dois ladrões... Mc 15:27.
Era a pena mais dura e absurda que se podia impor a alguém, ao ponto de ser considerado “maldita” todas as pessoas que fossem submetidas a tal pena. Porém Cristo, tornando-se maldição por nós, nos livrou da maldição imposta pela lei. Como dizem as Escrituras: “Maldito todo aquele que for pendurado numa cruz! Gl 3:13.
Mas, depois que Jesus foi supliciado na cruz, a cruz se tornou o símbolo religioso do seguimento humilde e abnegado de Cristo. Seguir a Jesus e tomar a própria cruz passaram a ser elementos inseparáveis da vida cristã.
·         “e quem não toma a sua cruz e vem após mim não é digno de mim.” (Mt 10:38 RA).
II. O QUE É
Crucificar o “eu” pode ser um exercício prático elevando na efetiva realização das virtudes do cristianismo. E Jesus disse aos discípulos: Se alguém quer ser meu seguidor, esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. Mt 16:24.
É o entendimento de que a cruz é uma teologia capaz de moldar nossa vida como crentes, e capaz de nos tornar pessoas “melhores” Às pessoas que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a natureza humana delas, junto com todas as paixões e desejos dessa natureza. Gl 5:24 .
É ver a cruz como o resumo de todo o Evangelho, pois foi por meio da cruz de Cristo que a redenção foi possível, e será, segundo a Bíblia, carregando a cruz, que o homem se torna participante desta mesma redenção em Cristo Jesus. Pois, quanto à lei, estou morto, morto pela própria lei, a fim de viver para Deus. Eu fui morto com Cristo na cruz.” Gl 2:19
Assim, o grito é pela crucificação de uma constituição moral velha e pecadora, uma natureza humana contida no ser que está sempre pronta a nos conduzir em direção ao pecado. Esta crucificação é causa morte do pecado no homem interior, a morte da qualidade interior determinante da vida, e da força do pecado, e por fim, a libertação definitiva da escravidão. “Mas eu me orgulharei somente da cruz do nosso Senhor Jesus Cristo. Pois, por meio da cruz, o mundo está morto para mim, e eu estou morto para o mundo.” Gl 6:14

III. COMO É
“Pois, pela morte de Cristo na cruz, nós somos libertados, isto é, os nossos pecados são perdoados. Como é maravilhosa a graça de Deus,” Ef 1:7
Crucificar o “eu” é como dar um passo decisivo e determinante em direção a Deus, pois é na cruz que encontramos a formula bíblica de aproximação Dele, e é pela cruz que recebemos o direito de estarmos unidos com Cristo. “Mas agora, unidos com Cristo Jesus, vocês, que estavam longe de Deus, foram trazidos para perto dele pela morte de Cristo na cruz.” Ef 2:13
Crucificar o “eu” é como um gesto sublime de alguém que entendeu a urgente necessidade de voltar para Cristo e para Sua Palavra, e de viver sua vida de forma a agradar aquele a quem ele deve a sua vida inteira. Mas agora, por meio da morte do seu Filho na cruz, Deus fez com que vocês ficassem seus amigos a fim de trazê-los à sua presença para serem somente dele, não tendo mancha nem culpa. Cl 1:22
Crucificar o “eu” é como alguém endividado descobrir que já não existe agora nenhum motivo para preocupações, pois toda sua dívida foi paga na cruz e a sua vida, a partir de então, está inteiramente nas mãos daquele que o comprou.
“e anulou a conta da nossa dívida, com os seus regulamentos que nós éramos obrigados a obedecer. Ele acabou com essa conta, pregando-a na cruz.” Cl 2:14
Crucificar o “eu” é simplesmente morrer e assim receber a cura de todos os males que assolam a nossa natureza pecaminosa sem Deus. E reviver numa nova vida, diferente de tudo aquilo que na nossa ignorância espiritual nunca tínhamos experimentado. “O próprio Cristo levou os nossos pecados no seu corpo sobre a cruz a fim de que morrêssemos para o pecado e vivêssemos uma vida correta. Por meio dos ferimentos dele vocês foram curados.” 1Pe 2:24
Conclusão:
Portanto, por meio do Filho, Deus resolveu trazer o Universo de volta para si mesmo. Ele trouxe a paz por meio da morte do seu Filho na cruz e assim trouxe de volta para si mesmo todas as coisas, tanto na terra como no céu.  Antes, vocês estavam longe de Deus e eram inimigos dele por causa das coisas más que vocês faziam e pensavam.  Mas agora, por meio da morte do seu Filho na cruz, Deus fez com que vocês ficassem seus amigos a fim de trazê-los à sua presença para serem somente dele, não tendo mancha nem culpa.  Mas é preciso que vocês continuem fiéis, firmados sobre um alicerce seguro, sem se afastar da esperança que receberam quando ouviram a boa notícia do evangelho. Foi desse evangelho que eu, Paulo, me tornei servo, e é esse evangelho que tem sido anunciado no mundo inteiro. Cl 1:20-23

PREPARANDO-SE PARA O SERMÃO

SALA DE ESTUDO Antes de começarmos a desvendar todos os mistérios concernente o preparo do sermão propriamente dito, será de ...