segunda-feira, 22 de outubro de 2012

O SEGREDO DA VIDA


Sl 118. 17. Não morrerei, mas viverei e contarei as obras do Senhor.

Int. A vida, do latim "vita"  o que é a vida? O conceito é muito amplo e admite diversas definições podendo referir-se:
  • Ao processo em curso do qual os seres vivos são uma parte.
  • Espaço de tempo entre a concepção e a morte de um organismo.
  • A condição de uma entidade que nasceu e ainda não morreu.
  • Aquilo que faz com que um ser vivo, esteja vivo.
  •  Metafisicamente, a vida é um processo contínuo de relacionamento.

Por mais simples que possa parecer, ainda é muito difícil para a ciência definir a vida com clareza. Muitos biólogos tentam defini-la como um fenômeno que anima a matéria.
 Confúcio falou da vida,  dizendo que os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois gastam o dinheiro para recuperar a saúde. Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro. Vivem como se nunca fossem morrer, e morrem como se não tivesse vivido...
 Gonzaguinha , ainda em vida, expressou-se numa canção que indagava: "E a vida,  a vida o que é?  diga lá meu irmão. Ela é a batida de um coração, ela é uma doce ilusão..."
 Em meio a tantas indagações e dúvidas, surge a pergunta: E a Bíblia, o que ela ensina a respeito da vida?

I. A VIDA É UM PRESENTE DE DEUS, QUE ME FOI DADA, OU SOPRADA PELO PRÓPRIO DEUS.
A primeira grande informação bíblica a respeito da vida, em relação ao homem, é que ela é um presente de Deus, pois foi soprada diretamente por Deus, e o pelo sopro divino, homem passou a viver. 
  • Gn 2.7. E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego de vida; e o homem tornou-se alma vivente.

Jó consegue expressar esta verdade com bastante clareza. Ele de maneira bastante enfática, afirma a grande verdade concernente a vida: Ele é dádiva de Deus. 
  •  Jó 33.4. O Espírito de Deus me fez, e o sopro do Todo Poderoso me dá a vida. 
Portanto a nossa vida está nas mãos de Deus, e a nossa existência está no sopro divino. 
  • Jó 12.10. Em suas mãos está a vida de todo ser vivente, e o espírito de todo gênero humano


Deus é detentor de todo poder sobre a vida humana
Uma vez que foi Deus quem soprou em nós o dom da vida, isto quer dizer que Ele é aquele que detém em si, todo o poder sobre ela. 
  • 1Sm 2.6. O Senhor  é o que tira a vida e a dá, faz descer ao seol, e faz subir dali. 
Deus, somente Ele tem o poder sobre a vida e a morte. Nascemos, vivemos e morremos, tudo de forma a “obedecer” a uma regra da vida que foi estabelecida pelo próprio Deus, e de cuja regra nenhum dos homens conseguem escapar. Cada um de nós, que estamos vivos, um dia vamos morrer, e a morte, é a cessação da vida, ela é o oposto a toda e qualquer definição que tenhamos tentado dar a vida. 
  • 2Sm 14.14. Porque certamente morreremos, e seremos como água derramada na terra, que não se pode juntar mais...

II. A VIDA É UM PRESENTE DE DEUS, POR ISSO DEVEMOS VIVER A VIDA
INTENSAMENTE.
Não sabemos quanto tempo iremos viver. O salmista fala em 70 anos: 
  • Sl 90.10. A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns pela sua robustez chega a oitenta, a medida deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos.

Setenta anos, não é o máximo que eu posso viver, setenta anos é apenas o mínimo. Eu não preciso me contentar em viver setenta anos, eu posso viver bem mais que isso! Jó fala da vida como um sopro. 
  • Jó 7.7. Lembra-te que a minha vida é um sopro... 

Este sopro, no entanto, pode durar bem mais que setenta anos, pois para mim, estou convencido de que setenta anos é muito pouco.
  • Abraão, viveu 175 anos. Gn 25.7
  • Sara, mulher de Abraão, viveu  127 anos.  Gn 23.1
  • Ismael, filho de Abraão, viveu 137 anos. Gn 25.17

Porque só eu tenho que viver 70 anos? Eu posso e quero viver bem mais que isso. O título de pessoa mais velha do mundo, é atribuído a francesa  Jeanne Calment (122 anos).  A pessoa viva mais velha do mundo é atualmente a americana Besser Cooper, com atualmente 116 anos. Em Cuba vivem atualmente  1.551 pessoas com mais de 100 anos. A mais velha, é uma mulher com 126 anos. Segundo estimativas, um quarto de todas as crianças nascidas hoje na Grã Bretanha, deverá ultrapassar os 100 anos de idade. Segundo projeções, o número de pessoas com mais de 100 anos de idade aumentará 15 vezes  até 2050 passando de 145 mil em 1999 para 2,2 bilhões em 2050.   No Brasil os centenários eram de 13,8 mil em 1991. Segundo dados do último censo de 2010, hoje são cerca de 30 mil pessoas.

Porque me contentar com 70, se as estimativas me dizem que posso até passar dos 100? Jacó, com  130 anos, considerava ter vivido pouco. Gn 47.9. No total, ele viveu 147 anos. Gn 47.28.

III. COMO VIVER A VIDA.
A vida é para ser vivida. Não podemos passar toda a nossa existência reclamando de tudo e brigando contra tudo. A vida ela passa, como disso Jó, ela é um sopro, e não importa se este sopro vai durar 70 ou 100 anos, o que importa é que durante o tempo da minha vida, eu preciso “viver”

1. A VIDA PODE SER DURA
Não esperamos que a vida seja sempre fácil. Deveras, devemos mesmo estar preparados para enfrentar uma vida difícil em certos momentos de nossa existência. 
  • Ex 1.14.  Assim lhes amarguravam a vida com pesados serviços em barro e em tijolos e com toda a sorte de trabalho no campo, em fim com todo serviço, em que os faziam servir com dureza.

O fato de termos de enfrentar etapas difíceis, não quer dizer que nossa vida será sempre difícil. Vai chegar um momento em que todas as dificuldades serão vencidas, e poderemos desfrutar de momentos deliciosos. Não precisaremos ficar durante todo o tempo de nossa existência, nos lamentando e deixando de viver. 
  • Sl 31.10. Pois a minha vida está gasta de tristezas, e os meus anos de suspiro...

 2. MUITAS VEZES ELA É DESPREZADA POR NÓS.
Devido as dificuldades que temos de enfrentar durante a nossa existência, temos uma tendência natural em desprezarmos a nossa vida. Olhamos somente para os momentos maus, e nos esquecemos que já tivemos, em algum tempo, momentos bons, e estes momentos bons, novamente chegarão para nós. 
  • Jó 10.1. Tendo tédio a minha vida, darei livre curso a minha queixa, falarei na amargura da minha alma.

3. FICAMOS ABORRECIDOS COM ELA.
Precisamos trabalhar, precisamos nos manter, precisamos cuidar de coisas que as vezes nos causam aborrecimento. Nos cansamos, desanimamos, ficamos exaustos, e como resultado deste esgotamento, ficamos as vezes aborrecidos com a vida. Achamos que a vida está sendo por demais trabalhosa e não temos coragem de encarar a vida, preferindo que ela passe depressa e assim sejamos livres de tão grandes problemas. 
  • Ec 2.17. Porque aborreci a vida, porque a  obra que se faz debaixo do sol me era penosa...

4. QUANDO FAZEMOS ALGUMA BESTEIRA, CHEGAMOS A DESEJAR A MORTE.
Depois de algum descuido, após algum deslize, ou por causas de uma grande perda, muitas vezes desejamos morrer! Achamos que a morte pode ser a saída para o problema que estamos enfrentando. 
  • Jn 4.3. Agora Senhor me tira a vida, pois melhor me é morrer do que viver.. 

MAIS NA MAIORIA DAS VEZES O QUE DESEJAMOS MESMO É VIVER 
  • Sl 21.4. Vida te pediu, e lhe deste longura de dias para sempre eternamente...

Pedimos a morte, mais desejamos a vida. Pensamos em morrer, mais o que queremos mesmo é viver, livres de todos os problemas.

IV.  ACIMA DE QUALQUER COISA, AVIDA É SEMPRE UMA DÁDIVA DIVINA E  DEVE SER VIVIDA INTENSAMENTE
Deus nos deu a vida, Deus nos deu o poder de viver e existir, então porque devemos passar todo o nosso tempo nos queixando e deixando de viver? Temos mesmo é que aproveitar a vida: 
  • Ec  8.15. Exalto pois a alegria, porquanto o homem nenhuma coisa tem debaixo do sol, que comer,  beber e alegrar-se, porque isso o acompanhará no seu trabalho nos dias da sua vida que Deus lhe dá debaixo do sol.

Não precisamos de álcool ou drogas para viver ou nos alegrarmos, temos vida, este presente de Deus, o que temos que fazer, é simplesmente viver. Amar e ser amado. Compartilhar bons momentos com as pessoas que amamos e com pessoas com as quais nos relacionamos. 
  • Ec 9.9. Goza a vida com a mulher que amas todos os dias da tua vida...


EPÍLOGO.
PORÉM O MAIOR BEM QUE SE PODEMOS TER NA VIDA?
  • Mc  8.35. Pois quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas quem perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, salvá-la-á.

Não terá nenhum proveito viver 100 anos ou mais, se no final da minha vida, eu nunca tiver tido um encontro com aquele que é o maior bem que o ser humano pode alcançar enquanto viver:

O MAIOR BEM DA VIDA ESTÁ NA PESSOA DO SENHOR JESUS.
  •  Jo 6.48. Ele é o Pão da vida
  •   Jo 5.40. Ele é o doador da vida

A vida só tem sentido nesta vida, se vivida de tal forma que vivamos a vida com a certeza de ainda após a morte, em Jesus, nos teremos vida.
  • 1Jo 2.25.  E esta é a promessa que  Ele nos fez, a vida eterna.
  • Gl 2.20. Já estou crucificado com Cristo...
  • 1Tm 4.8. Pois o exercício corporal para  pouco se aproveita...visto que tem promessa da vida presente e da que há de vir
  • Ap 3.5. Ao que vencer...


sábado, 6 de outubro de 2012

O CAMINHO DE DEUS PARA O SUCESSO


Seja forte e muito corajoso. Tome cuidado e viva de acordo com toda a Lei que o meu servo Moisés lhe deu. Não se desvie dela em nada e você terá sucesso em qualquer lugar para onde for.” (Js 1:7)

O segredo do sucesso com Deus está revelado em sua Palavra. Não existe uma fórmula mágica, nem palavras mágicas. Não são “encantamentos” nem supostas “revelações” que nos farão atingir este sucesso. Não existem pessoas que podem dar um “empurrãozinho” ou apadrinhar este sucesso. Não, isto depende unicamente de nós e de nossa atitude para com a palavra de Deus. Não são as nossas expectativas que deverão estar em foco, mas as expectativas de Deus a nosso respeito. Não é aquilo que nós pensamos de nós mesmo, mais aquilo que Deus espera de nós. A verdade é que podemos fazer mais pelo reino, e é exatamente esta atitude que Deus está esperando que tomemos. Deus quer que façamos mais! O caminho não é difícil, o segredo é andar com Deus em sintonia com a Sua Palavra.

1.    “SEJA FORTE”
FORÇA. Aquilo em que alguém é excelente.
“O egoísta sempre causa problemas. Quem confia no SENHOR terá sucesso.” (Pv 28:25)
Ser forte aqui significa estar pronto para ser confrontado com as dificuldades que se apresentarão ao longo da caminhada. Podemos confiar em Deus de tal maneira que nos ternemos alguém com “excelência” NELE. “Ainda que as figueiras não produzam frutas, e as parreiras não dêem uvas; ainda que não haja azeitonas para apanhar nem trigo para colher; ainda que não haja mais ovelhas nos campos nem gado nos currais, mesmo assim eu darei graças ao SENHOR e louvarei a Deus, o meu Salvador.” (Hc 3:17,18). Não é ser forte na força humana, mais ser forte na força de Deus. É a força que se alcança através de comunhão e intimidade com Deus e Seu Filho Jesus Cristo. “E você, meu filho, seja forte por meio da graça que é nossa por estarmos unidos com Cristo Jesus.” (2Tm 2:1)

2.     “E MUITO CORAJOSO”
CORAGEM. Energia moral ante situações aflitivas ou difíceis.
Se por um lado precisamos ser fortes, por outro, não podemos desprezar a coragem. A “força” é a capacitação para enfrentarmos a adversidade. A coragem é a energia moral que nos dá condições de olharmos para as situações aflitivas e difíceis e não correr delas. Não nos ajuda muito ter muita força, mais não ter coragem para colocar essa força em prática. Em quase todas as ocasiões em que Jesus curou alguém, Ele sempre dizia “coragem”
·         Mt 9.2 – Ao paralitico. “Coragem, meu filho! Os seus pecados estão perdoados.”
·         Mt 9.22 – A mulher. “Coragem, minha filha! Você sarou porque teve fé.”
·         Mt 14.27 - Aos discípulos - Coragem! Sou eu! Não tenham medo!
·         Mc 10.49 – Ao cego - Coragem! Levante-se porque ele está chamando você!
Coragem é a força motriz que nos faz ultrapassar nossos próprios limites e acreditarmos que em Deus a vitória é garantida. “Eu digo isso para que, por estarem unidos comigo, vocês tenham paz. No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo.” (Jo 16:33).

3.    . “TOME CUIDADO”
VIGILÂNCIA. Zelo, diligência, Cuidado, atenção.
“E, se tivermos o cuidado de obedecer a todas estas leis que o SENHOR, nosso Deus, nos deu, a nossa vida agradará a ele.” (Dt 6:25)
Um homem que deseja alcançar o sucesso com Deus deve ser alguém no mínimo cuidadoso com a sua vida espiritual. Andar com Deus e agradar a Deus é sinônimo de obediência a sua Palavra. “Eu disse: Vou ter cuidado com a minha maneira de viver e não vou deixar que a minha língua me faça pecar. Enquanto os maus estiverem em volta de mim, não falarei nada.” (Sl 39:1). O zelo de alguém que aprendeu a confiar na Palavra de Deus e tem a preocupação em levar outros a ter esta mesma confiança. “Cuide de você mesmo e tenha cuidado com o que ensina. Continue fazendo isso, pois assim você salvará tanto você mesmo como os que o escutam.” (1Tm 4:16). O cuidado em estar próximo, cada vez mais próximo daquilo que Deus projetou para a sua vida aqui na terra não abrindo mão de seu compromisso em viver uma vida de integridade, honrando ao seu Senhor na igreja e no mundo. “Meus irmãos, cuidado para que nenhum de vocês tenha um coração tão mau e descrente, que o leve a se afastar do Deus vivo.” (Hb 3:12)

4.    “E VIVA DE ACORDO COM TODA A LEI”
ACORDO. Concordância de sentimentos ou idéias. Harmonia, conformidade.
“Se obedecemos aos mandamentos de Deus, então temos certeza de que o conhecemos.” (1Jo 2:3).
O homem de sucesso com Deus é o homem que conheceu Deus e aprendeu a andar em conformidade a com a sua Palavra. É aquele que entendeu que a Bíblia continua sendo o Livro de Deus, o Livro onde ele pode encontrar toda orientação necessária para o seu bem estar. “Ensina-me a viver de acordo com a tua verdade, pois tu és o meu Deus, o meu Salvador. Eu sempre confio em ti.” (Sl 25:5). Ele aprendeu a abandonar as velhas práticas e passou a viver uma vida de novidade ao lado daquele a quem ele fez Salvador e Senhor da sua vida. “Tu aceitas os que fazem com prazer o que é direito, os que lembram de viver de acordo com a tua vontade. Tu estavas irado conosco, mas nós continuamos a pecar; só seremos salvos se andarmos nos caminhos antigos.” (Is 64:5)

CONCLUSÃO:
COMO CONSEGUIR ISTO.
“Fale sempre do que está escrito no Livro da Lei. Estude esse livro dia e noite e se esforce para viver de acordo com tudo o que está escrito nele. Se fizer isso, tudo lhe correrá bem, e você terá sucesso.” (Js 1:8)
·         FALANDO A BÍBLIA. “Fale sempre do que está escrito no Livro da Lei...”
·         ESTUDANDO A BÍBLIA. “... Estude esse livro dia e noite...”
“ Os meus ensinamentos lhe darão uma vida longa e cheia de sucesso.” (Pv 3:2)
·         ESFORÇAR-SE PARA VIVER DE ACORDO COM A BÍBLIA. “... e se esforce para viver de acordo com tudo o que está escrito nele.
“Quem tenta esconder os seus pecados não terá sucesso na vida, mas Deus tem misericórdia de quem confessa os seus pecados e os abandona.” (Pv 28:13)

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

ORIGEM DO PECADO NA RAÇA HUMANA


“Portanto, assim como por um só homem entrou no pecado o mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”. (Rm 5:12)

O ensino da Bíblia em relação à origem do pecado, é que seu início se deu com a transgressão de Adão no Éden, sendo, portanto, com um ato perfeitamente voluntário da parte do homem. O tentador sugestionou o homem, a fim de coloca-lo em oposição a Deus, e Adão rende-se à tentação cometendo o primeiro pecado, comendo do fruto que Deus havia proibido. O mal não para aí, com esse primeiro pecado o homem tornou-se escravo do pecado. Esse pecado trouxe consigo corrupção permanente, tendo efeito, não somente sobre Adão, mas sobre todos os seus descendentes. Como resultado da Queda, o pai da raça transmitiu uma natureza depravada aos que viriam depois dele. Dessa fonte não santa o pecado flui numa corrente impura passando para todas as gerações de homens, corrompendo tudo e todos com que entra em contato. É exatamente esse estado de coisas que torna tão pertinente a pergunta de Jó:
·         “Quem da imundícia poderá tirar cousa pura? Ninguém”, Jó 14.4.
Adão pecou não somente como o pai da raça humana, mas também como representante de todos os seus descendentes, portanto, a culpa do seu pecado é posta na conta deles, pelo que todos são passíveis de punição e morte. É primariamente nesse sentido que o pecado de Adão é o pecado de todos.
·         Rm 5.12: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”.
As últimas palavras só podem significar que pecaram em Adão, e isso de modo que se tornaram sujeitos ao castigo e à morte. Não se trata do pecado considerado meramente como corrupção, mas como culpa que leva consigo o castigo. Deus declara e estabelece todos os homens na condição de pecadores culpados em Adão, exatamente como todos os crentes a condição de justos em Jesus Cristo.
·         “pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio à graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque, como pela desobediência de um só homem muitos se tornaram pecadores, assim também por meio da obediência de um só muitos se tornarão justos”, Rm 5.18, 19.

NATUREZA DO PECADO.
Podemos afirmar, numa perspectiva puramente formal, que o primeiro pecado do homem consistiu em comer da árvore do conhecimento do bem e do mal. Não sabemos exatamente que espécie de árvore era, e nada havia de ofensivo no fruto. Comê-lo não era pecaminoso, pois não era uma transgressão da lei moral. Quer dizer que não seria pecaminoso, se Deus não tivesse dito: “da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás”. Não há unanimidade quanto ao motivo pelo qual a árvore foi denominada “do conhecimento do bem e do mal”. A opinião mais comum é que a árvore foi chamada assim pelo fato de que comer do seu fruto infundiria conhecimento prático do bem e do mal; mas é difícil sustentar isso face à exposição bíblica segundo a qual, comendo-o, o homem passaria a ser como Deus, no conhecimento do bem e do mal, pois Deus não comete pecado e, portanto, não tem conhecimento prático dele. É muito mais provável que a árvore foi denominada desse modo porque fora destinada a revelar:
·         Se o estado futuro do homem seria bom ou mal.
·         Se o homem deixaria que Deus lhe determinasse o que era bom ou mau.
·         Se o homem se encarregaria de determina-lo por si e para si.
Mas, seja qual for à explicação que se dê do nome, a ordem de Deus para não comer do fruto da árvore serviu simplesmente ao propósito de pôr à prova a obediência do homem. Foi um teste de pura obediência, desde que Deus de modo nenhum procurou justificar ou explicar a proibição. Adão tinha que mostrar sua disposição para submeter a sua vontade a vontade do seu Deus com obediência implícita.

CONSEQUÊNCIAS DO PECADO.
A primeira transgressão do homem teve os seguintes resultados:
A depravação total da natureza humana. O contágio do pecado de Adão espalhou-se imediatamente por todos os homens, não ficando sem ser tocada nenhuma parte da sua natureza, mas contaminando todos os poderes e faculdades do corpo e da alma. Esta completa corrupção do homem é ensinada claramente na Escritura, Gn 6.5; Sl 14.3; Rm 7.18. A depravação total de que se trata aqui não significa que a natureza humana ficou logo tão completamente depravada como teria a possibilidade de vir a ser. Na vontade essa depravação manifestou-se como incapacidade espiritual.
A perda da comunhão com Deus mediante o Espírito Santo. Esta é simplesmente o reverso da completa corrupção mencionada anteriormente. Ambos podem ser combinados numa única declaração, de que o homem perdeu a imagem de Deus no sentido de retidão original. Ele rompeu com a verdadeira fonte de vida e bem-aventurança, e o resultado foi uma condição de morte espiritual, Ef 2.1, 5, 12; 4.18.
Mudança da condição real do homem. O pecado refletiu-se também na consciência. Houve, primeiramente, uma consciência da corrupção, revelando-se no sentido de vergonha, e no esforço que os nossos primeiros pais fizeram para cobrir a sua nudez. E depois houve uma consciência de culpa, que achou expressão numa consciência acusadora e no temor de Deus que isso inspirou.
Morte espiritual, e morte física. A morte resultou do primeiro pecado do homem. Havendo pecado, ele foi condenado a retornar ao pó do qual fora tomado, Gn 3.19; Rm 5.12; Rm 6.23.
Mudança de residência. O homem foi expulso do paraíso, porque este representava o lugar da comunhão com Deus, e era símbolo da vida mais completa e de uma bem-aventurança maior reservadas para ele, se continuasse firme. Foi-lhe vedada à árvore da vida, porque esta era o símbolo da vida prometida na aliança das obras.

ARMINIANISMO VESUS CALVINISMO.



Para os Arminianos, Deus, em seu infinito amor e misericórdia, pré destinou todos os homens que crerem em Cristo Jesus à salvação. Ao homem, cabe apenas aceitar mediante a fé o ato de sacrifício de Jesus na Cruz. Segundo esta visão, o homem tem participação direta na salvação através da sua escolha, podendo também da mesma forma escolher, mediante seus atos, decair da fé, e assim perder a salvação. Segundo o Arminianismo, todas as pessoas foram escolhidas para serem salvas, mas somente os que aceitam o chamado e perseveram até o final serão de fato salvos. Jacó Armínio enquadra-se como mentor do sinergismo Arminiano, significando que, por sua doutrina, o homem não é capaz de escolher aceitar o sacrifício de Jesus sem a intervenção Divina, intervenção essa que gera no homem a capacidade de escolha (livre arbítrio).

Jacó (português Brasil) ou Jacob (português Europa) Armínio (latim: Jacobus Arminius, nome latinizado de Jakob Hermanszoon; 10/10/1560 – 19/10/1609) foi um teólogo neerlandês da época da reforma protestante. Trabalhou em 1603 como professor de teologia na Universidade de Leiden, e escreveu muitos livros e tratados sobre teologia; sua visão tornou-se a base do arminianismo e do movimento neerlandês Remonstrante. Após a sua morte, a sua objeção ao padrão reformado, a Confissão de Fé Belga, provocou uma ampla discussão no Sínodo de Dort, resultando nos cinco pontos do calvinismo na refutação dos ensinamentos de Armínio.

Seguindo uma linha inversa de pensamento, estão os Calvinistas. Para estes Deus não destinou todos os homens à salvação, visto que é fato que nem todos se salvam. Neste caso Cristo, segundo esta teoria, teria morrido apenas pelos seus eleitos. Estes por sua vez, ouvirão o chamado irresistível do Espírito Santo e se renderão a Cristo, sendo então justificados pela graça de Deus. Ensinam também que em virtude do pecado de Adão a condição de pecador se estendeu a toda raça humana (depravação total). Portanto, o Homem peca porque é pecador, isto é, tem a natureza do pecado, e não é pecador porque peca (ato do pecado). Sendo assim, o homem necessitava de um plano de salvação para que pudesse ser restaurado à imagem e semelhança de Deus. o Plano da Salvação, consistiu em Cristo morrer pelos eleitos, para que por sua graça, houvesse remissão dos pecados. Não cabe ao Homem qualquer parte no plano de salvação, toda a iniciativa e realização parte da Pessoa de Deus. É Ele quem muda a disposição de um coração morto e obstinado pelo pecado, transformando-o em um coração sensível à Sua voz. Nesta condição o Homem só pode dizer “sim” a chamada à salvação. Uma vez "verdadeiramente salvo" o homem não perde essa condição visto ser o próprio Deus o sustentador do pecador regenerado. O Calvinismo, contudo não "afrouxa" a necessidade de uma vida santificada, um salvo deve viver como tal. Princípio que enfatiza apenas o aspecto último da salvação, o momento final da vida de um homem, pois não são obras da vida do homem que salvam o homem, mas o perdão de Deus.Uma pessoa que Deus perdoou têm uma vida digna de piedade aos olhos de Deus, não cabendo aos homens julgarem quem é salvo ou não, mas antes realizarem a vontade de Deus, que é viver de maneira misericordiosa, ou seja Deus encarnou na pessoa de Jesus para salvar os pecadores não os pecados. João Calvino pregava que Deus salva aqueles que elegeu desde antes da fundação do mundo, concedendo-lhes irresistivelmente a fé em Cristo e em sua obra redentora, o que não exclui nem mesmo fariseus, hipócritas, prostitutas, pobres, ladrões, efeminados, assassinos, vaidosos, segundo o conselho da Sua própria vontade santa e soberana. Ao conceder, pela Sua graça, a fé salvadora, Deus livra os seus eleitos da hipocrisia, da prostituição, da luxuria, do assassínio, e da miséria de espírito, por vezes disciplinando-os como filhos amados que são, através de tribulações e sofrimentos, que são permitidos por Deus na exata medida em que gerem crescimento e maturidade espiritual. At 14.22: "Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.". Todavia, o maior ou menor grau de sofrimento dos homens não decorrem do maior ou menor mérito destes, pois os justos aos olhos de Deus também passam por adversidades e angústias, assim como os ímpios. Corrobora este entendimento, Sl 34.19: "Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR o livra de todas."

João Calvino (Noyon, 10/07/1509, Genebra, 27/05/1564) foi um teólogo cristão francês. Calvino teve uma influência muito grande durante a Reforma Protestante, uma influência que continua até hoje. Portanto, a forma de Protestantismo que ele ensinou e viveu é conhecida por alguns pelo nome Calvinismo, embora o próprio Calvino tivesse repudiado contundentemente este apelido. Esta variante do Protestantismo viria a ser bem sucedida em países como a Suíça (país de origem), Países Baixos, África do Sul (entre os africânderes), Inglaterra, Escócia e Estados Unidos. Nascido na Picardia, ao norte da França, foi batizado com o nome de Jean Cauvin. A tradução do apelido de família "Cauvin" para o latim Calvinus deu a origem ao nome "Calvin", pelo qual se tornou conhecido

A TRADIÇÃO QUE RECEBEMOS.

Mandamo s -vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segu...