sexta-feira, 5 de maio de 2017

A MULHER, OBRA PRIMA DE DEUS

Gn 1.26-28 Deus disse: “Façamos os seres humanos à nossa imagem, de forma que reflitam a nossa natureza Para que sejam responsáveis pelos peixes no mar, pelos pássaros no ar, pelo gado E, claro, por toda a terra, por todo animal que se move na terra”. E Deus criou os seres humanos; criou-os à semelhança de Deus, Refletindo a natureza de Deus. Ele os criou macho e fêmea, e, então, os abençoou: "Cresçam! Reproduzam-se! Encham a terra! Assumam o comando! Sejam responsáveis pelos peixes no mar e pelos pássaros no ar, por todo ser vivo que se move sobre a terra”. 
(Biblia Mensagem)

Introdução. Fernandes, é uma farmacêutica cearense que por vinte longos anos lutou para ver seu agressor preso, o professor universitário Marco António Herredia Viveros, seu marido. Em 1983 Maria da Penha Maia Fernandes sofreu uma primeira tentativa de assassinato. Seu marido de forma covarde lhe dá um tiro nas costas enquanto ela dormia, e em Seguida, após a agressão, corre para a cozinha e gritando por socorro e alegando ter sido atacados por assaltantes. O resultado é que desta primeira tentativa, Maria da Penha fica paraplégica e, meses depois, vem uma segunda tentativa... Viveros tenta eletrocutá-la e simplesmente a empurra de sua cadeira de rodas durante o momento em que ela distraída se banhava. A investigação começou no mês de junho do mesmo ano, mas a denúncia só foi apresentada ao Ministério Público Estadual em setembro do ano seguinte, isto mesmo 15 meses depois. O pior, o primeiro julgamento só aconteceu, pasmem! 8 anos após os crimes. E pasmem de novo pois em 1991, os advogados de Viveros conseguiram anular o julgamento. Em 1996, Viveros foi finalmente considerado culpado e condenado há dez anos de reclusão mas novamente conseguiu recorrer. Mesmo após 15 anos de luta e pressões internacionais, a justiça brasileira ainda não havia dado decisão alguma ao caso, nem justificativa pela demora...

Dia 28 de março o mundo comemorou o dia da mulher, uma data que foi criada na tentativa de impedir que caia no esquecimento a luta feminina em busca de melhores condições de vida. Uma luta que parece estar longe de alcançar os objetivos a que se propõe.

Este tipo de celebrações já vinham sendo realizadas nos EUA desde 1909 em diferentes datas nos meses de fevereiro e março. Porem, em 26 de agosto de 1910, durante a Segunda Conferência Internacional das Mulheres Socialistas em Copenhaga, nos EUA a líder socialista alemã Clara Zetkin, propôs uma celebração anual e a data escolhida foi 28 de março.

Em 25 de março de março de 1911, acontece uma fatalidade que dá força ao movimento. Um incêndio de proporções desastrosas põe fim a uma fábrica da Triangle Shirtwaist,  levando a óbito não menos que 146 trabalhadores, 123 mulheres e 23 homens,  para ser bem exato. O número elevado de mortes foi atribuído as precárias condições de segurança do edifício. Este foi considerado como o pior incêndio da história de Nova Iorque, até 11 de setembro de 2001.

Com a música "Mulher Sexo frágil"  o cantor Erasmo Carlos, conseguiu resumir a grandeza do sexo chamado frágil: "Dizem que a mulher é o sexo frágil, mas que mentira absurda, eu que faço parte da rotina de uma delas, sei que a força está com ela. Vejam como é forte a que eu conheço, sua sapiência não tem preço, satisfaz meu ego se fingindo submissa, mas no fundo me enfeitiça...
Com aproximados 35 anos, esta música ao mesmo tempo em que materializa a realidade do tema,  comprova como essa teoria do sexo frágil e absurdamente mentirosa. 
Mas pra quem deu luz não tem mas jeito, pois um filho quer seu peito, o outro já reclama sua mão e o outro o amor que ela tiver, quatro homens dependentes e carentes DA FORÇA DA MULHER...

I. POSIÇÃO BÍBLICA.
Pv 30.18,19 - Três coisas me maravilham; ou melhor, há quatro coisas que eu nunca entenderei: Como a águia voa tão alto no céu, como a cobra desliza sobre a rocha, como o navio navega pelo oceano, e como os adolescentes namoram. (O caminho do homem com uma virgem).
A Bíblia Sagrada, mesmo em um tempo em que as mulheres eram tratadas com extremo desrespeito, como objeto aos prazeres desvairados de homens sem nenhum escrúpulo, (talvez não muito diferente de hoje) nos surpreende, apresentando Deus mantendo um relacionamento de valorização a força feminina. Aliás, a Bíblia não poupou argumentos neste sentido em Gn 1.26 Deus disse: “Façamos os seres humanos à nossa imagem, de forma que reflitam a nossa natureza... 
Podemos ver a natureza divina sendo soprada sobre ambos, homem e mulher, é tudo o que precisamos para entender como somos iguais!

1. O ANTIGO TESTAMENTO.
Gn 22.22 O Eterno fez que o homem caísse num sono profundo. enquanto ele dormia, tirou uma das costelas dele e preencheu o lugar com carne. O Eterno usou a costela que havia retirado do homem para formar a mulher. Então, apresentou-a ao homem. E o homem disse: "Até que enfim! Osso dos meus ossos, carne da minha carne! seu nome será MULHER, pois foi feita do homem"...
Além de toda a beleza na descrição da formação da mulher, Encontramos no AT mulheres como Débora, Hulda, Miriã, Ester e tantas outras que se apresentaram como instrumentos extremamente valoroso nas mãos de Deus, mulheres que tiveram Participação direta nos privilégios da religião cristã, assumindo cargos importantes como de profetisa, rainhas  intercessoras e muito mais. 
2Cr 34:22 Então Hilquias, e os enviados do rei, foram ter com a profetiza Hulda, mulher de Salum, filho de Tocate, filho de Harás, guarda das vestimentas (e habitava ela em Jerusalém na segunda parte)...

Demonstrando um relacionamento de cuidado especial com as mulheres hebraicas, Deus concedeu a elas liberdade e respeito. Elas não eram encerradas dentro de haréns, como nas nações pagãs, nem eram obrigadas aparecer de face coberta. Podiam até se misturarem com os homens e os  jovens nos trabalhos e nas amenidades da vida simples. Abraão correu para dentro da tenda e disse a Sara: “Depressa! Pegue três xícaras da nossa melhor farinha e faça alguns pães”. Gn 18:6 .

2. O NOVO TESTAMENTO.
Tt 2.3 Que as mulheres... saibam amar o marido e os filhos, sejam virtuosas e puras, cuidem bem da casa e sejam boas esposas...
Mais não fica só por ai, encontramos no N.T. orientações de que as igrejas cristãs respeitavam as mulheres no sentido de fortalecê-las ainda mais.  As mulheres fiéis valorizadas com suas famílias conseguiam demonstrar, em atitudes e força que não existe qualquer distinção entre homens e mulheres. Na família de Cristo não pode haver divisões entre judeus e não judeus, escravos e livres, homens e mulheres. Entre vocês todos são iguais. Isto é, nós todos estamos em um relacionamento comum com Jesus CristoGl 3:28

Os textos sagrados, como dissemos, não economizam palavras quando se trata de apresentar as mulheres servindo ao Senhor Jesus e recebendo dele bênçãos como os dons do Espírito Santo no Pentecostes exatamente como os homens receberam.
At 1.14 Eles concordaram em permanecer ali, unidos em oração, incluindo as mulheres. Também estavam ali a mãe de Jesus, Maria, e os irmãos dele.

Atos dos Apóstolos apresenta as Mulheres em plena atividade e proeminência nos trabalhos das igrejas.  No sábado, deixamos a cidade e fomos ao rio, informados de que havia uma reunião de oração nesse lugar. Conversamos com as mulheres que se reuniam ali. Uma delas, chamada Lídia, de Tiatira, era negociante de tecidos caros e conhecida por ser mulher consagrada a Deus. Enquanto ouvia com atenção o que era dito, o Senhor lhe abriu o coração e ela creu!  At 16:13-14

3. O VALOR DA MULHER.
Pv 31.10-31 Uma boa mulher é difícil de encontrar, ela vale muito mais que diamantes. 
A Bíblia "A Mensagem" em sua linguagem contemporânea mostra toda a beleza e todo o real valor das mulheres. Em textos como o de Provérbios Salomão estas mulheres são apresentadas com valor superior ao valor dos diamantes. Em seguida o escritor completa: O marido confia nela sem reservas, e disso nunca se arrependerá

Como eram exatamente estas mulheres que são apresentadas texto nos  textos bíblicos? 

1.  Mulheres que viviam suas vidas de forma saudável e dentro de casa conseguia manter respeito mútuo. Ela não é irritada e o trata muito bem por toda a vida.Uma vida que pode ser simples, mas sem brigas, sem discussões sem contendas que não levam a nada. Uma vida pautada em compreensão e entendimento.
2. Mulheres dedicadas que buscam o compartilhar o melhor com todos em casa . Ela compara os preços, em busca dos melhores fios de lã e de algodão, e se alegra em tricotar e costurar. Ela é como um navio mercante, que navega até os lugares mais longínquos e traz surpresas exóticas. Hoje vivemos dias muito difíceis, uma crise sem precedentes atinge nosso país por de um governo corrupto e sem limites. Derrepente encontramos mulheres comparando preços, buscando mercadorias, viajando em busca dos melhores perfumes. Tudo isto ela faz buscando condições de ajudar na manutenção de sua família sempre suprindo das coisas importantes para subsistência.

3. Mulheres que fazendo coisas simples preenchia o dia de sua família com comodidade e alegria. Ela se levanta antes do amanhecer, prepara o café da manhã para a família e organiza seu dia. Ex 35.26 Acordarmos de manhã bem cedinho e encontrarmos aquele cafezinho quentinho sobre a mesa, é apenas o início de um dia em que para ambos será maravilhoso.

4. Mulheres que querem sempre o melhor para o bem da família. Examina um campo e o compra e depois, com o dinheiro que poupou, planta uma horta. Mulheres negociando, mulheres vendendo, comprando e com o dinheiro que consegue, ela aplica no bem de sua família.

Há uma descrição interessante de Salomão apresentando a mulher exatamente como ela é vista na comemoração do seu dia. A primeira coisa que faz de manhã é vestir-se para o trabalho: ela arregaça as mangas, ansiosa por começar. Compreende o valor de seu trabalho e não tem pressa de dar o dia por encerrado.

5. Mulheres dedicadas a sua casa e que ainda conseguem tempo para acudir as pessoas menos favorecidas. Ela é habilidosa nos serviços do lar e da família, proativa nas tarefas da casa. Ela não demora para acudir os que estão com necessidade; estende a mão para socorrer o pobre.

7. Mulheres que sabe cuidar do esposo e dos filhos a ponto de manter em grande alegria em sua casa.  Ela não se preocupa com a família quando Neva; suas roupas de inverno estão todas consertadas e prontas para uso... Ela desenha vestidos e os vende, leva blusas que tricotou para as lojas de roupas. Suas roupas são bem feitas e elegantes, e ela sempre encara o dia de amanhã com um sorriso.

8. Mulheres cujas palavras são sempre de ânimo conseguindo fazer com que todos que estão em sua volta se sintam seguros e confiantes. Quando abre sua boca, sempre tem algo importante a dizer e sempre o diz com toda gentileza . Ela é atenta a todos de sua casa e mantém todos eles ocupados e produtivos.

4. QUEM É ESTA MULHER?
Dê a ela tudo que merece! adorne sua vida com elogios!
Quem é esta é a mulher que a sociedade machista teima em chamar de sexo frágil? São as mesmas que os escritores sagrados  apresentam como pessoas capazes de dar o melhor de si no seu trabalho, sem relaxar na sua vida em família? Os filhos a respeitam e dela falam bem; o marido não economiza elogios: “Muitas mulheres têm feito coisas maravilhosas, mas você superou todas!” O real retrato dessas mulheres, segundo o texto Sagrado é o de Mulheres dedicadas, fiéis que conheciam muito bem a maneira correta de agradar a Deus e a seus familiares e amigos. O encanto pode enganar, e a beleza logo desvanece. a mulher que merece admiração é a que vive no amor do Eterno. 

Se temos uma conclusão, nossa conclusão é que se Deus manteve e mantém um cuidado tão especial com as mulheres tratado-as como verdadeiras joias valiosas. Porque será que homens inescrupulosos e sem caráter conseguem levantar suas mãos sujas e contaminadas para agredi-las?

A mulher é, sem dúvida alguma, o melhor presente que Deus deu ao homem. Gn 2.21,22 O Eterno fez que o Homem caísse num sono profundo. Enquanto ele dormia, tirou uma das costelas dele e preencheu o lugar com carne. O Eterno usou a costela que havia retirado do Homem para formar a Mulher. Então, apresentou-a ao Homem.

Posso falar a verdade? Não conseguimos mais viver sem elas, eu, particularmente me tornei completamente dependente da minhaSl 127,3 Tua mulher será em teu lar como uma vinha fecunda...

II. A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER HOJE.
"A cada 15 segundos uma mulher cai da escada, escorrega no banheiro ou tropeça no tapete. E a cada uma hora e meia uma mulher não sobrevive para contar a próxima desculpa".

O problema é o quadro atual extremamente que descreve a violência contra estas mulheres. Segundo o Mapa da Violência somente no anos de 2013 o Brasil contou não menos que 13 mulheres assassinadas por dia. Isto mesmo, 13 mulheres por dia...

Os programas de rádio e TV apresentam diariamente cenas de violência, mulheres agredidas e violentadas por assassinos cruéis que via de regra, obtêm atenuantes, e cumprem pequenas penas ou na maioria das vezes, nem são condenados. A justificativa é que eles agiram movidos por "forte descontrole" "estreasse emocional" com a alegação absurda de que “mataram por amar demais”.

1. A LEI MARIA DA PENHA.
Apesar de toda esta crueldade, existe em vigor uma lei que foi criada, segundo a relatora a Deputada JANDIRA FEGHALI, com objetivo de impedir que homens assassinem ou agridam suas esposas, e protejam os direitos da mulher, É a Lei 11.340/06, conhecida como Lei Maria da Penha. 

2. TIPOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER.
O que mudou de lá para cá? Será que de alguma forma a violência contra a mulher diminuiu? Será que programas como Cidade Alerta, Brasil Urgente e outros similares ainda apresentam tantas violências como antes? Com tristeza dizemos que parece que não mudou muita coisa. E o pior é que vemos um aumento exagerado de assassinatos e agressões sendo apresentados pelos programas de TV. Eu não sei se realmente houve um aumento nas agressões ou se estas violências estão agora sendo mais mostradas do que eram a um tempo atrás.

TIPOS DE VIOLÊNCIAS PRATICADAS.
a. Violência doméstica. É o tipo de Violência em que a violência acontece dentro de casa. Esta tipo de violência infelizmente é o que mais se repete atingindo com frequência, segundo os principais jornais, muitas mulheres em nossos dias.

b. Violência física. Quantas vítimas, geralmente mulheres são feridas violentamente quando não perdem suas vidas. Este é um quadro que vemos e ouvimos falar todos os dias

c. Violência psicológica. Quantas mulheres que só sonhavam com um pouco de felicidade, de uma vida comum, mas se tornam vítimas de enormes danos emocionais. Elas são ameaçadas humilhadas passando por todo tipo constrangimentos São perseguidas, insultadas e até ridicularizadas. O resultado são prejuízos à saúde psicológica e até mesmo físicas.

d. Violência patrimonial. Está violência coloca suas vítimas nas mãos de bandidos. Homens que de forma cruel retém, subtraem ou destroem parcial ou total os bens que que não possuem. Geralmente é o engano e a maldade de pessoas em quem até mesmo se colocava algum grande grau de confiança tipo maridos, namorados ou coisa do gênero.

e. Violência moral. Parecida coma violência psicológica, a moral se configura na calúnia, difamação ou injúria. Mentira, mentira e mais mentiras! Quantas mulheres enfrentam tem suas vidas destruídas este tipo de constrangimento.

f. Violência Sexual. Aqui está o tipo de violência que talvez seja um dos mais praticados atualmente. Mulheres são forçadas a atos sexuais com marginais através da intimidação psicológica ou emocional. De acordo com a Lei, considera-se uma violência sexual contra uma mulher qualquer conduta que:
➡ A constranja a presenciar, manter ou participar de relação sexual não desejada;
➡  A induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade;
➡ A impeça de usar qualquer método contraceptivo ou que a force ao matrimônio, à gravidez, ao aborto ou à prostituição, mediante coação, chantagem, suborno ou manipulação;
➡ Limite ou anule o exercício de seus direitos sexuais e direitos reprodutivos.

3. NÚMEROS DA VIOLÊNCIA.
Entre 1980 e 2013 foram assassinadas não menos que 106.093 mulheres, 4.762 só em 2013. O Brasil possui taxa de 4,8% homicídios para cada 100 mil mulheres tornando-se o quinto país mais violento do mundo, conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) que avaliaram um grupo de 83 países.

Entre 2003 e 2013, o número de homicídios de mulheres passou de 3.937 para 4.762, aumento de 21% no período. As 4.762 mortes em 2013, último ano do estudo, representam uma média de 13 mulheres assassinadas por dia.

Levando em consideração o crescimento da população feminina entre 2003 e 2013 (passou de 89,8 milhões para 99,8 milhões), a taxa de homicídio de mulheres saltou de 4,4% e em 2003 para 4,8% em 2013, aumento de 8,8% no período.
Na análise por estados, Roraima viu sua taxa mais que quadruplicar (343,9%). Na Paraíba, subiu 229,2%. Entre 2006, ano da promulgação da lei Maria da Penha.

▶ Mulheres negras. O número de homicídio de mulheres brancas teve uma queda de 9,8% entre 2003 e 2013 (de 1.747 para 1.576). No entanto neste mesmo período os casos envolvendo mulheres negras cresceram 54,2%, passando de 1.864 para 2.875.

▶Pequenos municípios. Os maiores índices de homicídios de mulheres não são registrados nas capitais, mais em pequenos municípios. A cidade de Barcelos (AM), por exemplo, com uma população feminina de 11.958, registrou, não menos que 45,2 homicídios por dez mil mulheres, tornando-se o primeiro na lista.
Depois, vem Alexânia (GO), com uma população feminina de 11.947, teve 25,1% de mortes de mulheres por dez mil mulheres. Sooretama (ES), com população feminina média de 11.920, teve taxa de 21,8% e aparece em terceiro na lista.
Nenhuma capital aparece no ranking das 100 cidades com maiores taxas. 

A primeira capital na lista é Maceió (Alagoas), em 126º lugar, e registrou uma taxa de 9,8% homicídios de mulheres por 100 mil. Entre 2003 e 2013, as taxas de homicídios de mulheres nos estados e no Distrito Federal cresceram 8,8%, enquanto nas capitais caíram 5,8%, evidenciado, segundo o estudo, a interiorização da violência, fenômeno observado em mapas anteriores.

▶ Local do crime. Eis outro dado importante: Local do homicídio: 27,1% acontecem no próprio domicílio da vítima, indicando a alta domesticidade dos assassinatos de mulheres. Outros 31,2% acontecem em via pública, e 25,2%, em estabelecimento de saúde.

III. O CRIME: DEFINIÇÃO E EXEMPLOS.

O feminicídio. Considerado crime de ódio, pois é sempre realizado com requintes de crueldade, incluindo várias formas de violência. Crimes que aconteciam nos silêncios das madrugadas, agora acontecem em espaços públicos, como shopings, ruas, estabelecimentos comerciais, e até na mídia.

1. EXEMPLOS.
▶ Ângela Diniz. Assassinada em dezembro de 1976, por seu namorado Doca Street. O criminoso foi absolvido em primeira instância, sob alegação de que o crime foi uma reação pela defesa da "honra". Decisão que revoltou a sociedade que fez pressão a justiça levando-o a um novo julgamento em 1979, para alívio da população, Street foi condenado.

▶ Eliane de Grammont. Assassinada pelo seu ex-marido, o cantor Lindomar Castilho em março de 1981. Crimes que motivou a campanha "quem ama não mata".

▶ Eloá. Adolescente de 15 anos que foi assassinada por seu ex-namorado inconformado com o fim do relacionamento. 100 horas, mantidas em cárcere privado Eloá sofreu todo tipo de agressões registrados ao vivo por várias emissoras de televisão, sendo exposta, coagida e martirizada com um tiro na virilha e outro na cabeça.

▶ Bruno, ex goleiro do Flamengo.  Por não querer assumir a paternidade do filho com a modelo Elisa Samúdio, deu ordem a seu empregado Macarrão para dar fim a situação. O assassinato de Elisa aconteceu em um sítio do jogador, mas seu corpo nunca foi encontrado.

2. O QUÊ TEM SIDO FEITO EM REAÇÃO A TUDO ISSO.
O comandante da ação policial do resgate de Eloá declarou que não atirou no agressor por se tratar de "um jovem em crise amorosa", num reconhecimento ao seu sofrer. E o sofrimento de Eloá? Não mereceu nenhum reconhecimento?

O que avançou no Brasil em direção a garantia dos direitos humanos das mulheres?  
A criação das Delegacias de Apoio às Mulheres (DEAMs), que hoje somam 339 no país. O surgimento de casas abrigo, que já somam 71. Os núcleos e centros de apoio que visam prestar atendimento e orientação às mulheres vítimas, realizando trabalho de denúncia e conscientização social para o combate e prevenção dessa violência, além de um trabalho de apoio psicológico e resgate pessoal das vítimas. As mudanças no Código Penal como a retirada do termo "mulher honesta" e a adoção da pena de prisão para agressores de mulheres, em substituição às cestas básicas. 

A criação da Lei 11.340, a Lei Maria da Penha, para o enfrentamento da violência doméstica contra as mulheres foi um grande passo, mas precisamos fazer nossa parte.
As mulheres estão num caminho de construção de direitos e de autonomia, mas a será preciso que a sociedade se mobilize para desmontar os valores e as práticas que sustentam essa dominação masculina machistas criminosa.

SALA DE ESTUDOS - HERMENÊUTICA

Sala de Estudos Introdução:  Hoje é nosso primeiro dia Sala de Estudo. Iniciamos agora uma nova reunião onde teremos o privilégio de ...