quarta-feira, 23 de abril de 2014

O ANO DE DEUS


1Co 15.1,2. Ora, eu vos lembro irmãos, o evangelho que já vos anunciei; o qual também recebestes, e no qual perseverais, pelo qual também sois salvos, se é que o conservais tal como vo-lo anunciei; se não é que crestes em vão.

 
2014 O ANO DAS GRANDES LIBERAÇÕES DE DEUS. Confesso que algumas vezes me perguntei em off: Qual será os critérios para que os pastores cheguem a um tema a ser aplicado à igreja pelo período de um ano? Prática que ultimamente vem sendo utilizada por grande maioria das igrejas modernas Particularmente, acredito sim que existam critérios, caso contrário os líderes estariam "brincando" com a nossa fé. E ninguém tem o direito de brincar com a fé de ninguém. E, também, falando por nós, não é este o caso dos nossos pastores.

Para nós, membros da IBNVB foi escolhido o tema: VIVENDO AS LIBERAÇÕES DE DEUS PELA FÉ. O que podemos dizer, é que o tema é muito sugestivo. Quais são então foram os critérios para que nossa liderança chegasse a este tema? Oração, Leitura e meditação na Palavra? O que mais? Haverá alguma razão para ficarmos repetindo a mesma coisa praticamente todos os dias? Será que o enunciado pelo tema faz algum sentido na vida da Igreja? Se não houver uma razão clara, seremos meros repetidores dia após dia de uma espécie de "frase de efeito", até que chegue 2015, este perca a validade, dê lugar a outro, e tudo se repita como num ciclo vicioso.

Definitivamente, é fato conclusivo que precisamos saber mais sobre o tema, não podemos e não devemos ficar gritando o tema como se ele fosse um enunciado de palavras mágicas com poderes sobrenaturais que ao ser falado várias vezes seja capaz de mudar a vida ou o destino das pessoas. Isto não pode acontecer, pois não é este o objetivo do tema! Se assim crermos, sinto dizer, perderá o sentido tudo o que estudamos e aprendemos da Bíblia ao longo de toda a nossa caminhada cristã... Todas as aulas que tivemos nas manhãs de domingo, na EBD, se perderão... A simples, mais tão importante leitura regular da Bíblia de nada terá adiantado... Tempo perdido, que mais posso dizer... Não podemos aceitar uma crença que vá contra os princípios básicos da nossa fé cristã. 2Co 2.17. Porque nós não somos falsificadores da palavra de Deus, como tantos outros; mas é com sinceridade, é da parte de Deus e na presença do próprio Deus que, em Cristo, falamos.

Dito isto, Perguntamos: Para que serve o tema anual, e qual a utilidade de ficar repetindo em todos os cultos à mesma coisa? Será que alguma vez paramos para pensar neste assunto? Não será esta uma pergunta que queremos fazer, mais às vezes temos "medo" de fazer? Não queremos e nem vamos nos posicionar contra o tema. Não prego contra a "visão" da igreja. Minha proposta é simplesmente refletir sobre o uso do tema em nossos cultos e incentivar os irmãos a praticá-los. Quem sabe aqui cabem as palavras do Apóstolo Paulo a Timóteo: 1Tm4. 6. Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus, nutrido pelas palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.

I. O QUE É O TEMA
Ora, eu vos lembro, irmãos, o evangelho que já vos anunciei...

Paulo nunca escondeu seu medo em relação à capacidade de Satanás em fazer uso da sagacidade e do engano. 2Co11.3. Mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza que há em Cristo. Paulo devia ter suas razões para alimentar tal medo, ele viveu num tempo onde havia muitas formas de enganos. Ele enfrentou grande oposição entre aqueles que deviam estar ensinando a verdade mais, ao invés disso, procuravam tirar vantagens com ensinos dos mais absurdos. V.4. Porque, se alguém vem e vos prega outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, de boa mente o suportais!

 V.20. Pois se alguém vos escraviza, se alguém vos devora, se alguém vos defrauda, se alguém se ensoberbece, se alguém vos fere no rosto, vós o suportais.

 Paulo via claramente uma ação enganadora do inimigo e a inércia do povo de Deus, por isso ao falar em defesa do Evangelho, ele diz: "se é que o conservais tal como vo-lo anunciei"

 Minha definição para o tema é este: “O tema anual é um enunciado cuja ideia foi por inferência, retirado de algum texto bíblico e tem como objetivo trazer a lembrança ao povo de Deus uma verdade bíblica em matéria de fé”. Ele deve funcionar como uma espécie de engrenagem que faça "impulsionar", durante seu ano de vigência, uma promessa, uma verdade bíblica, ou uma ideia por ele declarada, e que por "osmose" acaba sendo aplicado ao coração e a mente da igreja. Is 55.11. assim será a palavra que sair da minha boca: ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.  Em outras palavras, o objetivo do tema é: "ESTIMULAR A NOSSA FÉ" Hb 4.2. Porque também a nós foram pregadas as boas novas, assim como a eles; mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não chegou a ser unida com a fé, naqueles que a ouviram. Cada vez que repetimos o tema, de forma quase que automática, enviamos para o nosso subconsciente a mensagem que o tema deseja transmitir. Como resultado, vamos criando dentro de nós, uma expectativa de confiança cada vez maior na operação sobrenatural de Deus que o tema anuncia. 2Co 8.7. Ora, assim como abundais em tudo: em fé, em palavra, em ciência, em todo o zelo, no vosso amor para conosco, vede que também nesta graça abundeis.

1. COMO FUNCIONA O TEMA.
Ora, eu vos lembro, irmãos, o evangelho que já vos anunciei; o qual também recebestes, e no qual perseverais...

A preocupação de Paulo era a mesma que temos hoje, ver os crentes sendo enganados por estratégias muito bem montada por pessoas inescrupulosas e sem compromisso com a verdade. Rm 16.18. Porque os tais não servem a Cristo nosso Senhor, mas ao seu ventre; e com palavras suaves e lisonjas enganam os corações dos inocentes.

 Fp 3.18,19. porque muitos há, dos quais repetidas vezes vos disse, e agora vos digo até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo; cujo fim é a perdição; cujo deus é o ventre; e cuja glória assenta no que é vergonhoso; os quais só cuidam das coisas terrenas.

Como temos dito, o tema funciona unicamente como "estímulo" a fé, como casos na Bíblia em que encontramos Deus ordenando a seu povo escrever parte do texto sagrado e colocá-lo de forma que pudesse ser visto e lembrado. Dt 6.8,9. Também as atarás por sinal na tua mão e te serão por frontais entre os teus olhos; e as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas.  Será que Deus tinha alguma razão especial para exigir isto? Obviamente, o texto escrito sendo colocado de forma que pudesse ser visualizado, não permitia que a Palavra de Deus caísse no esquecimento do povo. Porém, mesmo sendo, para eles uma ordem divina, isto não carregava em si mesmo nenhum poder sobrenatural que pudesse mudar o destino das pessoas que simplesmente o fizesse. Assim é o tema, ele esta aí para nos fazer lembrar que em Deus, e na Pessoa Bendita do Senhor Jesus Cristo, neste ano, poderemos viver grandes liberações do Senhor para nossa vida. Isto é bíblico e verdadeiro! Ef 1.3. Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo.

2. PERIGOS A SEREM EVITADOS
"...conservais tal como vo-lo anunciei..."
A melhor maneira de chegarmos à verdade, é descartando de vez a mentira. Assim, para que possamos entender a verdadeira motivação no uso do tema precisaremos nos livrar primeiro de algumas heresias que foram vendidos por religiões pagãs e que foram implantados em nossa liturgia. (Não especificamente na IBNVB)

a) Achar que o tema, ao ser repetido várias vezes, é capaz de mudar nosso destino:
Eis uma grande mentira de Satanás. O tema não possui nenhum poder sobrenatural capaz de influenciar ou até mesmo mudar o destino de ninguém. O único com poder de mudar o destino das pessoas é Deus. Ef 1.5. e nos predestinou (isto é, nos deu um destino) para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade.

b) Achar que pelo fato de repetir o tema em todos os cultos, estaremos salvos:
único meio de salvação apresentado pela Bíblia se chama Jesus Cristo, nosso Senhor. Nada que seja feito na igreja ou fora dela, substitui o sacrifício de Cristo na cruz do Calvário. At 4.12. E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos.  A única forma de salvação é confessar a Jesus como Salvador Senhor. Rm 10.9,10 Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.

c) Achar que vai ficar rico, ou se livrará das dívidas unicamente por repetir o tema com fé:
Esta é outra grande mentira de satanás e que vem sendo explorada por muitos líderes de caráter duvidoso. Eles pregam uma teologia preparada para levar-nos a crer que podemos mudar nossa situação financeira através da simples citação de textos isolados da Bíblia. 1Tm 6.9. Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição. O que pode mudar a situação financeira de uma pessoa chama-se educação e trabalho. Hb 13.5. Seja a vossa vida isenta de ganância, contentando-vos com o que tendes; porque ele mesmo disse: Não te deixarei, nem te desampararei.  Não podemos nos iludir, carteiras não “tremem” e se enchem de dinheiro de forma sobrenatural. Claro, todos nós conhecemos alguns dos vilões responsáveis pela desestabilização ou decadência financeira, se não observados adequadamente: Cartão de crédito, Shopping Center, etc.

CONCLUSÃO:
Muitos falsos profetas se introduziram em nosso meio, precisamos ficar atentos com os seus falsos ensinos. Aos tais cabem muito bem as palavras do Mestre em Jo 8.44. Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira. Nosso tema nos convida a "VIVERMOS AS GRANDES LIBERAÇÕES DE DEUS" Que tal estimularmos a nossa fé buscando em Deus, viver essas grandes liberações. Deus pode e quer nos libertar de tudo que esteja impedindo o seu mover sobrenatural sobre a nossa vida. Da nossa parte, cabe o crer, da parte de Deus o agir, então... O SOL DA JUSTIÇA... Brilhará em nossas vidas!

2014 O SERÁ PARA NÓS, ANO DAS GRANDES LIBERAÇÕES DE DEUS!

A NOIVA DE CRISTO

Texto Básico: Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o se...