sábado, 21 de dezembro de 2013

O ARREBATAMENTO, TRÊS PERGUNTAS QUE MERECEM RESPOSTAS


Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada à trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. 1Ts 4:16,17

A escatologia, segundo definição dos estudiosos da Bíblia, é a ciência que trata a respeito de coisas que ainda deverão acontecer, ou que estão acontecendo. Ela é uma ciência bíblica, porque trata de acontecimentos futuros a luz das escrituras sagradas, e nada tem a ver com adivinhação, especulação ou coisa semelhante. A escatologia simplesmente reúne os textos Bíblicos que fazem referência ao assunto e, de posse destes textos, busca uma interpretação coerente com a visão geral do livro. A escatologia não cria os eventos, ela estuda os eventos a luz dos textos Bíblicos, e de forma coerente coloca em ordem, a medida em que eles vão se desenrolando na história.  Todos os acontecimentos que envolvem, e que são estudados pela escatologia bíblica se desenrolam a partir de uma promessa: At 1:9-11 - desvenda o foco escatológico: Depois de ter dito isso, Jesus foi levado para o céu diante deles. Então uma nuvem o cobriu, e eles não puderam vê-lo mais. Eles ainda estavam olhando firme para o céu enquanto Jesus subia, quando dois homens vestidos de branco apareceram perto deles e disseram: — Homens da Galileia, por que vocês estão aí olhando para o céu? Esse Jesus que estava com vocês e que foi levado para o céu voltará do mesmo modo que vocês o viram subir. Isto implica dizer que a Escatologia Bíblica está fundamentada em Uma promessa: Jo 13:36 Simão Pedro perguntou a Jesus: — Senhor, para onde é que o senhor vai? Jesus respondeu: — Você não pode ir agora para onde eu vou. Um dia você poderá me seguir!

·         Uma promessa de "um dia..."

·         Uma promessa de "um lugar..."

Jo 14:3 E, depois que eu for e preparar um lugar para vocês, voltarei e os levarei comigo para que onde eu estiver vocês estejam também.

Uma promessa de estar com Ele, onde Ele está “...assim, nós estaremos para sempre com o Senhor..

O arrebatamento da igreja pela visão da escatologia bíblica será o maior e mais impactante acontecimento de toda história humana. Mt 24:3-3 Jesus estava sentado no monte das Oliveiras. Então os discípulos chegaram perto dele e lhe perguntaram em particular: — Conte para nós quando é que isso vai acontecer. Que sinal haverá para mostrar que chegou o tempo de o senhor voltar e de tudo acabar? Será um impacto muito maior que o ocorrido em 11de Setembro de 2001, quando dois camicases islâmicos lançaram violentamente seus aviões contra as torres do WTC, em Nova York, um terceiro contra o Pentágono em Washington e ainda um quarto aparelho onde passageiros se atracaram com terroristas caindo numa área deserta da Pensilvânia. Ao todo 2.973 pessoas mortas.

Ou quem sabe, muito maior se comparado  ao Tsunami ocorrido em 26 de Dezembro de 2004. Provocado por um violento terremoto submarino ao largo da Indonésia, no Oceano Índico com ondas de até 30 mt. Uma tragédia que deixou não menos que 220.000 mortos, a grande maioria na Indonésia, Sri Lanka, Índia e Tailândia.

Ou talvez o ocorrido em 12 de Maio de 2008 quando a província de Sichuan, no sudoeste da China é abalada por um terremoto 7,9 graus na escala Richert, com mais de 87.000 mortos e desaparecidos, sem contar com os desabrigados.

Poderiamos ainda citar tragédias como a ocorrida entre 1948 a 1952 quando a China enfrentou uma crise imensa de falta de comida. 45 milhões de chineses mortos.

Ou a Gripe Espanhola, consequência da Primeira Grande Guerra Mundial de 1918 onde militares e civis sofrem com sintomas do vírus influenza. A Gripe Espanhoa ficou assim conhecida pela enorme quantidade de vítimas naquele país e que ocorreu em dois momentos: primeiro no mês de fevereiro, apresentando-se como uma doença branda responsável por febre e mal estar passageiro. Em segunda fase a gripe tomou conta de outras partes do mundo, tornando-se mortal. Neste período estima-se que entre 20 a 40 milhões de pessoas tenham morrido ao redor do mundo.

E por falar em Primeira Guerra Mundial, não podemos nos esquecer de como uma disputa entre dois impérios (Austro-húngara e Sérvia), se estenderam até as potências europeias, alcançando finalmente o mundo inteiro. (A Segunda Grande Guerra Mundial). O saldo do conflito: A morte de oito milhões de soldados e 6,5 milhões de civis.

Existe uma palavra ucraniana correspondente a morte causada por fome: HOLODOMOR. E foi o que ocorreu naquele país entre 1932/1933. Lá o genocídio, por falta de comida, foi forçado por Joseph Stalin quando a Ucrânia não era um país independente, e fazia parte da Rússia. O número estimado de mortos chega a 12 milhões. A fome é considerada um dos piores meio de morte, e durante o Holodomor, vítimas chegaram a comer seus próprios pés.

Existe também um nome que infelizmente jamais será esquecido: Adolf Hitler. De prisioneiro a líder nacional este homem conseguiu corromper a mente de um país inteiro de modo que todos declarassem seu ódio pelos judeus. Uma guerra que teve inicio em 1939, terminando apenas em 1945 com a derrota da Alemanha e da Itália e com a queda das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki, no Japão. Batalha que custou a vida de 60 milhões de pessoas.

Apesar de tantas tragédias e tantos conflitos, nunca na história do mundo houve um acontecimento com tamanho peso mundial e de tão grande importância como será o Arrebatamento da Igreja. Neste evento, todas as pessoas, no mundo, direta ou indiretamente, serão afetadas... Mt 24.4-8 Jesus respondeu: — Tomem cuidado para que ninguém engane vocês. Porque muitos vão aparecer fingindo ser eu e dizendo: “Eu sou o Messias!” E enganarão muitas pessoas. Não tenham medo quando ouvirem o barulho de batalhas ou notícias de guerras. Tudo isso vai acontecer, mas ainda não será o fim. Uma nação vai guerrear contra outra, e um país atacará outro. Em vários lugares haverá falta de alimentos e tremores de terra. Essas coisas serão como as primeiras dores de parto. Tudo o que teria que acontecer  e que se relaciona diretamente ao Arrebatamento da Igreja, como sinal da aproximação deste dia, aconteceu, não faltando absolutamente nada!

Digo-vos que, naquela noite, dois estarão numa cama; um será tomado, e deixado o outro; Lc 17:34

Diante dos fatos apresentados pela escatologia bíblica e dos acontecimentos históricos, temos três perguntas que não podem ficar sem resposta:

O ARREBATAMENTO DA IGREJA...

I. O QUE SERÁ?

Biblicamente falando, o Arrebatamento da Igreja será um evento inicial de uma série de eventos que estão para acontecer e que simplesmente aguardam uma voz de comando. 1Ts 4:16 Porque haverá o grito de comando, e a voz do arcanjo, e o som da trombeta de Deus... O arrebatamento marca o inicio do chamado "Dia de Cristo"  dia e está diretamente ligado com a Igreja. 1Co 1:8 Cristo vai conservá-los firmes até o fim para que no dia da volta do nosso Senhor Jesus Cristo vocês não tenham culpa de nada. Dada a voz de comando, dar-se-á inicio, segundo o texto de Paulo, no céu o desenrolar da mais importante profecia relacionada a Igreja e que afetará diretamente os moradores da terra. ...Aqueles que morreram crendo em Cristo ressuscitarão primeiro. Então nós, os que estivermos vivos, seremos levados nas nuvens, junto com eles. No arrebatamento Jesus virá até as nuvens, seus pés não tocarão a terra. Somente os salvos tomarão conhecimento deste fato, pois serão exatamente estes que estarão diretamente ligados a ele. 1Co 15:51-53 Escutem bem este segredo: nem todos vamos morrer, mas todos nós vamos ser transformados, num instante, num abrir e fechar de olhos, quando tocar a última trombeta. Ela tocará, os mortos serão ressuscitados como seres imortais, e todos nós seremos transformados. Pois este corpo mortal precisa se vestir com o que é imortal; este corpo que vai morrer precisa se vestir com o que não pode morrer. O arrebatamento diz respeito a nós que estamos vivos, e que recebemos o Senhor Jesus como Senhor da nossa vida.  Ef 1:4-5 Antes da criação do mundo, Deus já nos havia escolhido para sermos dele por meio da nossa união com Cristo, a fim de pertencermos somente a Deus e nos apresentarmos diante dele sem culpa. Por causa do seu amor por nós, Deus já havia resolvido que nos tornaria seus filhos, por meio de Jesus Cristo, pois este era o seu prazer e a sua vontade. O arrebatamento também diz respeito aqueles que morreram em Cristo, ou mesmo aqueles que morreram na esperança de Cristo. Eles não ficarão de fora, não serão esquecidos, pelo contrário, eles serão os primeiros participantes desta promessa maravilhosa.

Jo 5:28-29 Não fiquem admirados por causa disso, pois está chegando a hora em que todos os mortos ouvirão a voz do Filho do Homem e sairão das suas sepulturas. Aqueles que fizeram o bem vão ressuscitar e viver, e aqueles que fizeram o mal vão ressuscitar e ser condenados.

II.PARA QUEM SERÁ?

1Ts 4.16,17 ...Aqueles que morreram crendo em Cristo ressuscitarão primeiro. Então nós, os que estivermos vivos, seremos levados nas nuvens, junto com eles, para nos encontrarmos com o Senhor no ar...

Sendo o Arrebatamento da Igreja um evento sobrenatural que alcançará dois grupos especiais de pessoas, um de vivos e outro daqueles que já morreram quem serão as pessoas que farão parte efetivamente deste evento? Paulo destaca estes dois grupos distintos de pessoas que serão diretamente relacionados ao arrebatamento.

1.    Aqueles que morreram crendo em Cristo...

Rm 6:5 Pois, se fomos unidos com ele por uma morte igual à dele, assim também seremos unidos com ele por uma ressurreição igual à dele. Todos, absolutamente todos aqueles que morreram, desde Adão até os nossos dias terão os seus corpos ressuscitados. Dn12.2 Muitos dos que já tiverem morrido viverão de novo: uns terão a vida eterna, e outros sofrerão o castigo eterno e a desgraça eterna. A posição usual bíblica teológica é que as almas dos crentes, imediatamente após a morte, ingressam no céu e entra presença de Cristo. 2Co 5:8 Estamos muito animados e gostaríamos de deixar de viver neste corpo para irmos viver com o Senhor. Estar com Cristo, significa estar nos céus. 2Co 5:1 De fato, nós sabemos que, quando for destruída esta barraca em que vivemos, que é o nosso corpo aqui na terra, Deus nos dará, para morarmos nela, uma casa no céu. Essa casa não foi feita por mãos humanas; foi Deus quem a fez, e ela durará para sempre.

2. Nós, os que estivermos vivos...

Fp 3.20-21 Mas nós somos cidadãos do céu e estamos esperando ansiosamente o nosso Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que virá de lá. Ele transformará o nosso corpo fraco e mortal e fará com que fique igual ao seu próprio corpo glorioso, usando para isso o mesmo poder que ele tem para dominar todas as coisas. Em seguida a ressurreição dos mortos, nós, os vivos fiéis, seremos transformados, glorificados e arrebatados. Juntos, mortos ressuscitados, e vivos transformados se encontrarão com Jesus nas nuvens e seguiremos com Ele para o céu. Somente os fiéis, vivos ou mortos ouvirão os sonidos divinos da chamada vinda dos céus tomarão parte no arrebatamento. 1Ts 3.13 Desse modo Deus dará força ao coração de vocês, e vocês serão completamente dedicados a ele e estarão sem culpa na presença do nosso Deus e Pai, quando o nosso Senhor Jesus vier com todos os que são dele. Amém!

III. QUANDO SERÁ?

2Pe 3:10 Porém o Dia do Senhor chegará como um ladrão...

Ttemos diante de nós um acontecimento de tamanha envergadura, e a terceira pergunta que fazemos é talvez a única para a qual ainda não tenhamos uma resposta objetiva: QUANDO ACONTECERÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA? MT 24:36-39 Jesus continuou, dizendo: — Mas ninguém sabe nem o dia nem a hora em que tudo isso vai acontecer, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas somente o Pai. A vinda do Filho do Homem será como aquilo que aconteceu no tempo de Noé. Pois, antes do dilúvio, o povo comia e bebia, e os homens e as mulheres casavam, até o dia em que Noé entrou na barca. Porém não sabiam o que estava acontecendo, até que veio o dilúvio e levou todos. Assim também será a vinda do Filho do Homem. A Bíblia não nos faz saber exatamente quando o arrebatamento vai acontecer. É um mistério guardado para Deus que só se revelará no momento do acontecimento. Porém uma coisa sabemos: Vai acontecer! Mt 24:44 Por isso vocês também fiquem vigiando, pois o Filho do Homem chegará na hora em que vocês não estiverem esperando. Todas as tentativas que ao longo da história foram feitas com o objetivo de descobrir ou até mesmo marcar uma data para este acontecimento terminaram do mesmo jeito: frustração. Assim, devemos ficar com as informações que nos são cedidas pela Bíblia:

·         O dia: hoje. Hb 3:15 É isso o que as Escrituras Sagradas dizem: Se hoje vocês ouvirem a voz de Deus, não sejam teimosos como foram os seus antepassados quando se revoltaram contra ele.

·         A hora: Agora. Mt 25:6 À meia-noite se ouviu este grito: “O noivo está chegando! Venham se encontrar com ele!”

·         O tempo: já. Rm 13:11 Vocês precisam fazer todas essas coisas porque sabem em que tempo nós estamos vivendo; chegou a hora de vocês acordarem, pois o momento de sermos salvos está mais perto agora do que quando começamos a crer.

CONCLUSÃO: 1Ts 5:1-11 Irmãos, vocês não precisam que eu lhes escreva a respeito de quando e como essas coisas vão acontecer. Pois vocês sabem muito bem que o Dia do Senhor virá como um ladrão, na calada da noite. Quando as pessoas começarem a dizer: “Tudo está calmo e seguro”, então é que, de repente, a destruição cairá sobre elas. As pessoas não poderão escapar, pois será como uma mulher que está sentindo as dores de parto.  Mas vocês, irmãos, não estão na escuridão, e o Dia do Senhor não deverá pegá-los como um ladrão, que ataca de surpresa. Todos vocês são da luz e do dia. Nós não somos da noite nem da escuridão. Por isso não vamos ficar dormindo, como os outros, mas vamos estar acordados e em nosso perfeito juízo. Os que dormem, dormem de noite, e os que bebem é de noite que ficam bêbados. Mas nós, que somos do dia, devemos estar em nosso perfeito juízo. Nós devemos usar a fé e o amor como couraça e a nossa esperança de salvação como capacete. Deus não nos escolheu para sofrermos o castigo da sua ira, mas para nos dar a salvação por meio do nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós para podermos viver com ele, tanto se estivermos vivos como se estivermos mortos quando ele vier. Portanto, animem e ajudem uns aos outros, como vocês têm feito até agora.

Mt 25:13 E Jesus terminou, dizendo: — Portanto, fiquem vigiando porque vocês não sabem qual será o dia e a hora.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

ODIA DA BÍBLIA

Ap 1:3 Feliz quem lê este livro, e felizes aqueles que ouvem as palavras desta mensagem profética e obedecem ao que está escrito neste livro! Pois está perto o tempo em que todas essas coisas acontecerão.

 
Hoje, 08/12/2013 é um dia muito especial. Dias especiais acontecem a todo tempo e sempre teremos dias especiais em nossa vida. Porém o que torna este domingo mais especial que os outros é o fato de que reverenciamos neste domingo o “DIA DA BÍBLIA”

 O DIA DA BÍBLIA
Na verdade,  é um fato indisputável que todas as complexas e horrendas questões que nos confrontam, tanto no nosso lar quanto ao redor de todo o mundo, tem suas respostas naquele LIVRO SINGULAR (Ronald Reagam)
Um dia que surgiu historicamente no ano de 1549, na Grã-Bretanha, uma ilha da Europa que abriga a Inglaterra, a Escócia e o País de Gales, quando um Bispo de nome Tomás Cranmer, resolveu incluir num livro de orações que pertencia ao Rei da Inglaterra Eduardo VI um dia especial para que a população intercedesse em favor da leitura do Livro Sagrado.  A data escolhida foi o segundo domingo do Advento, que era celebrado nos quatro domingos que antecediam o Natal. Foi assim que o segundo domingo de dezembro começou-se a celebrar o Dia da Bíblia. No Brasil, segundo informações encontradas na internet, o Dia da Bíblia passou a ser celebrado lá pelo ano de 1850, com a chegada, da Europa e dos Estados Unidos, dos primeiros missionários evangélicos que aqui vieram semear a Palavra de Deus. Durante o período do Império, a liberdade religiosa aos cultos protestantes era muito restrita, o que impedia que os crentes se manifestassem publicamente. Por volta de 1880, esta situação foi se modificando e o movimento evangélico, juntamente com o Dia da Bíblia, se popularizando.Pouco a pouco, as diversas denominações evangélicas institucionalizaram a tradição do Dia da Bíblia, que ganhou ainda mais força com a fundação da Sociedade Bíblica do Brasil, em junho de 1948. Em dezembro de 1948, houve uma das primeiras manifestações públicas do Dia da Bíblia, em São Paulo, no Monumento do Ipiranga. Hoje, o dia dedicado às Escrituras Sagradas é comemorado em cerca de 60 países, com diferença em alguns, em que a data é celebrada no segundo Domingo de setembro, numa referência ao trabalho do tradutor Jerônimo, na tradução da Vulgata Latina, conhecida tradução da Bíblia para o latim. As comemorações do segundo domingo de dezembro mobilizam, todos os anos, milhões de cristãos em todo o País.

 
UM LIVRO EXEPCIONAL.
Mas, que livro é este? Tão antigo e ao mesmo tão atual. Livro que de longe, é o mais traduzido, e o mais lido em todo o mundo. Partes deste livro podem ser lido em mais de 2.212 línguas diferentes, e todo ano a lista é acrescida de 40 novas traduções. Napoleão Bonaparte em referência a este livro falou nestes termos: ...ele (A Bíblia) não é um mero livro, mas é, sim, uma criatura vivente, que conquista todos que lhe fica face a face. Apesar dos vários ataques, a Bíblia continua sendo o mais importante livro de todos os tempos. Soberanos de todas as épocas, políticos, ditadores e até líderes religiosos e seus cúmplices tentaram privar o povo de sua leitura. Combateram contra a Bíblia, tentaram despojá-la de seu conteúdo tentaram de todas as formas destruí-la. E apesar de todos os pesares, jamais, em todo tempo nenhum outro livro foi tão amado e ao mesmo tempo tão odiado quanto a Bíblia. A Bíblia é o único livro em que milhares de profecias nela registrada cumpriram-se fielmente e no mínimo detalhe durante a história humana. Locais e datas mencionados em seus relatos foram todos confirmados pela ciência. Nenhum outro livro transformou a vida de tanta gente para melhor quanto a Bíblia. Ela é um livro honesto e mostra o ser humano exatamente como ele é.  A Bíblia não esconde os erros humanos, ela expõe o pecado e aponta o caminho para o perdão. A Bíblia exorta, consola, e nos faz ser humildes nos edificando.
  • A Bíblia nos mostra a razão de viver, coloca-nos diante de um alvo que faz sentido, e com ela entendemos a origem e o futuro da criação e da humanidade.
  • A Bíblia lança luz sobre nossas dúvidas, coloca esperança diante dos nossos olhos e fala de Deus e da eternidade como nenhum outro livro jamais poderia fazer.
Até Frederich Nietzsche, inimigo do cristianismo, disse sobre a Bíblia: Ela é o livro da justiça de Deus. Ela escreveu coisas e pessoas em um estilo tão perfeito, que os escritos gregos e hindus não podem ser comparados a ela. O estilo do Antigo Testamento é um parâmetro de avaliação tanto de escritores famosos como de iniciantes.

 O escritor Ernest Wiechert também escreveu: Tudo me encantava, muitas coisas me comoviam, outras me abalavam. Mas nada formou tanto minha alma naqueles anos como o Livro dos Livros. Não me envergonho das lágrimas que derramei sobre as páginas da Bíblia.

Para encerrar a sessão de testemunhos, precisamos citar o incomparável Coelho Neto, poeta e apreciador profundo das Escrituras, escreveu: Homem de fé, o livro da minha alma aqui o tenho: é a Bíblia. Não o encerro na biblioteca, entre os de estudo, conservo-o sempre na minha cabeceira à mão. É dele que tiro água para a minha sede de verdades; é dele que tiro o pão para a minha fome de consolo; é dele que tiro a luz nas trevas das minhas dúvidas; é dele que tiro o bálsamo para as dores das minhas agonias. É vaso em que semeando a caridade, vejo sempre verde a esperança, abrindo-se na flor celestial, que é a fé. Eis o livro que é a valisa com que ando em peregrinação pelo mundo. Tenho nele tudo. O Deus que trago no coração, é Cristo. Tenho-o diante de mim, como trago no meu coração, no meu gabinete de trabalho, cercado de flores, turíbulos perenes, que embalsamam com seu aroma e, mais do que imagem, tenho-o em culto no oratório do meu coração. Os pontos cardeais da minha religião são os quatro evangelhos. Lendo-os, conforto-me e quanto mais os medito, mais me sinto aproximar de Deus.

 UM LIVRO DE DEUS.
Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. Hb 4:12
O fato é que a Bíblia não é apenas um livro, a Bíblia é uma verdadeira biblioteca, uma coleção de livros pequenos formada por 66 volumes e foi escrita por aproximadamente 40 autores diferentes num período de aproximadamente 1600 anos. Um livro maravilhoso escrito por nenhuma iniciativa coletiva, ou mesmo planejado por qualquer figura humana. Autores que não se conheciam uns aos outros, viveram em terras diferentes, e às vezes muito distantes entre si. Alguns escreveram na Arábia, outros na Síria, outros em Israel e tantos outros na Itália ou na Grécia. No entanto os seus escritos se harmonizaram perfeitamente. Suas ocupações e maneiras em que escreveram também foram muito adversas. Um dos autores atuou como historiador ou repórter, outro escreveu como biógrafo, outro escreveu tratados teológicos, e ainda outro compôs poemas e escreveu provérbios, enquanto outros registravam profecias. Eles escreveram sobre família, reinos e impérios do mundo. Os escritores iniciais jamais teriam como saber o que outros escreveriam 1400/1500 anos mais tarde. Assim como também os escritores dos séculos futuros jamais teriam como saberem, por si mesmo o sentido profético de um texto escrito centena de anos antes. Assim é a Bíblia, um livro de uma unidade impressionante, com coerência do princípio ao fim tendo um tema em comum em cada um dos seus 66 livros e falando de uma pessoa central: O Senhor Jesus Cristo.

 Um filósofo francês expressou da seguinte maneira sobre a maravilha que é a Bíblia: Quão miseráveis e desprezíveis são as palavras dos filósofos quando comparadas com as da Bíblia! É possível um livro tão simples e ao mesmo tempo tão perfeito ser palavra humana!

 Um ateu enviou a um jovem cristão grande número de artigos selecionados para convencê-lo de que a Bíblia era atrasada em muitas de suas afirmações e ultrapassada pelos conhecimentos dos tempos atuais. O jovem respondeu: Se o senhor tiver algo melhor que o Sermão do Monte, alguma coisa mais bela que a história do filho pródigo ou do bom  samaritano, alguma norma ou lei de nível superior aos Dez Mandamentos, se puderes apresentar algo mais consolador que o Salmo 23, ou algum texto que me revele o amor de Deus e esclareça mais o meu futuro do que a Bíblia, então, por favor, envie-o para mim com urgência!

 
UM LIVRO EXEPCIONALMENTE DIVINO.
Seu nome vem de uma palavra grega “biblos” que se dava a folhas de uma antiga planta utilizada para escrita, o papiro. Um rolo deste papiro pequeno era chamado “biblion” e vários destes rolos era uma “Bíblia”
  • O Autor da Bíblia é o próprio Deus, o Real Intérprete o Espírito Santo e o assunto central da Bíblia é a Pessoa do Senhor Jesus Cristo.
  • Sua divisão em partes principais são duas: AT e NT (O AT é três vezes mais volumoso que o NT)
  • Os livros são ao todo 66, sendo 39 no AtT e 27 no NT. O maior livro é o Salmos e o menor 3João.
  • Os capítulos são ao todo 1.189, sendo 929 no AT e 260 no NT. O maior capítulo é o Salmo 119 com 176 versículos e o menor o Salmo 117 com apenas 2
  • Os versículos são ao todo 31.173, sendo 23.214 no AT e 7.959 no NT. O menor versículo varia conforme a versão. Na ARC, é Lc 20.30: "e o segundo". Na ARA, Jó 3.2 que tem apenas 7 letras: “Disse Jó:”. O maior versículo Et 8.9
  • Possui cerca de 3.566.480 letras que constituem 773.692 palavras
  • O AT termina com a palavra maldição, e o NT termina com benção.
  • O último livro da Bíblia a ser escrito foi 3João.
  • Há 3573 promessas na Bíblia.
  • Dos quatro evangelistas, só dois andaram com Jesus; Marcos e Lucas não foram seus discípulos.
  • Todos os versos do Salmo 136 terminam com o mesmo estribilho: "Porque a Sua misericórdia dura para sempre."
  • Judas foi o único dos doze apóstolos que não era Galileu.
  • João era o discípulo mais jovem dos doze.
NÚMERO DE VEZES QUE APARECE A PALAVRA:
  • Deus: 4.336 - Revisada
  • Senhor: 7.607 - Rev.
  • Lúcifer: 0 (nenhuma)
  • Satanás: 54 – Revisada
  • Fé: no AT da versão revisada - 5, na revisada (de AMTGH) – 2
  • Há 8.000 vezes a palavra "Senhor".
  • Igreja (Mt. 16.18). Esta palavra ocorre 109 vezes na Bíblia, mas não aparece nenhuma vez no AT. É a tradução da palavra grega "eklesia" e significa, "chamados para fora". O conceito exato é que igreja é um povo que Jesus comprou com Seu sangue. A igreja não tem nome, nem endereço, nem cor, nem tribo, nem nação. Ela não é uma instituição com templos, organizações etc. A igreja são as pessoas, o povo de Deus.
DIVISÃO EM CAPÍTULOS E VERSÍCULOS
A Bíblia Sagrada foi dividida em capítulos no século XIII (entre 1234 e 1242), pelo teólogo Stephen Langhton, então Bispo de Canterbury, na Inglaterra, e professor da Universidade de Paris, na França. A divisão do AT em versículos foi estabelecida por estudiosos judeus das Escrituras Sagradas, chamados de massoretas. Com hábitos monásticos e ascéticos, os massoretas dedicavam suas vidas à recitação e cópia das Escrituras, bem como à formulação da gramática hebraica e técnicas didáticas de ensino do texto bíblico. Foram eles que, entre os séculos IX e X, primeiro dividiram o texto hebraico (AT) em versículos. Influenciado pelo trabalho dos massoretas no Antigo Testamento, um impressor francês chamado Robert d´Etiénne, dividiu o NT em versículos no ano de 1551. D´Etiénne morava então em Gênova, na Itália.

 Conclusão: Um jovem pediu a um pastor que lhe escrevesse uma dedicatória em sua Bíblia. Um bom versículo já constava na página em branco: "Eu sou o pão da vida". O pastor apenas acrescentou: "não o deixe mofar". O jovem jamais esqueceu este conselho. Ele pôs em prática, lendo a diariamente, fazendo dela o seu alimento diário...

 Mensagem pregada na Igreja Batista da Vitória pelo dia da Bíblia
(Várzea da Alegria - Belford-Roxo)

terça-feira, 26 de novembro de 2013

MINHA FAMÍLIA NECESSITA DE SEU AUXÍLIO


 Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. Lc 10:38

O texto do tema coloca o Senhor Jesus dentro da casa de Lázaro, e apesar do texto não ser rico em detalhes, Lucas consegue descrever um raro momento em que o Senhor Jesus se assenta para compartilhar alguns bons momentos em família, nesta casa. O que sabemos é que Lázaro era um amigo amado do Senhor Jesus, bem como suas irmãs Marta e Maria também o era. Estava enfermo Lázaro, de Betânia, da aldeia de Maria e de sua irmã Marta...Ora, amava Jesus a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro. Jo 11:1,5. Parece que entre outras coisas, Lucas quer nos chamar a atenção para uma prática que foi bastante difundida entre os povos bíblicos, principalmente entre os judeus, que foi a hospitalidade. O termo significa Bom acolhimento dispensado a alguém, e consiste em abrirmos as portas de casa para acolher pessoas que passem em viajem e não tenham onde pernoitar. Hb 13:2 - Não negligencieis a hospitalidade, pois alguns, praticando-a, sem o saber acolheram anjos. A hospitalidade se tornou uma prática tão comum entre os judeus que os apóstolos aconselhavam a igreja a práticar este costume. Rm 12:13 Compartilhai as necessidades dos santos; praticai a hospitalidade. A hospitalidade contribuía para que as pessoas estreitassem suas amizades, e em muitos casos os hóspedes, se tornavam tão íntimos dos hospedeiros, que sempre que voltavam a cidade, procuravam exatamente a mesma casa, onde geralmente eram sempre muito bem recebidos, eram quase que um parente.  A narrativa de Lucas inicia-se exatamente com Jesus entrando para hospedar-se em casa de Marta. Lc 10:38 Jesus e os seus discípulos continuaram a sua viagem e chegaram a um povoado. Ali uma mulher chamada Marta o recebeu na casa dela. Marta morava com seu irmão Lázaro e sua irmã Maria num pequeno povoado chamado Betânia. Betânia era uma aldeia ou vila que ficava localizada no lado do Jordão oposto a Jerusalém. Estas coisas se passaram em Betânia, do outro lado do Jordão... Jo 1:28. Ficava bem próximo ao Monte das Oliveiras. Quando se aproximavam de Jerusalém, de Betfagé e Betânia, junto ao monte das Oliveiras... Mc 11:1. Cerca de 15 estádios, ou 3Km de Jerusalém na estrada para Jericó. Ora, Betânia estava cerca de quinze estádios perto de Jerusalém. Jo 11:18. Betânia era uma cidade pequenina, e ao que parece, Jesus a conhecia muito bem, afinal, Ele gostava de visitá-la, e inclusive, gostava de passar a noite por ali.E, deixando-os, saiu da cidade para Betânia, onde pernoitou. Mt 21:17. Afinal, diante deste texto somos levados a perguntar: quem era Marta, quem era Maria, quem foi Lázaro? O que podemos aprender com o episódio descrito por Lucas em relação a esta casa? Pouco sabemos desta família, a não ser a relação que eles mantinham com o Mestre, nada mais é dito a respeito deles... Talvez este tema de hoje nos ajude a ver com um pouco mais de atenção este fato bíblico e possamos reunir lições que uma vez aprendidas podem ser aplicadas em nossa casa e nossa família...
O texto Lucano, dá um salto na sua narrativa, e deixa de mencionar alguns fatos preliminares antecedentes ao ponto crucial do texto, que é o momento em que Marta é suavemente repreendida pelo Senhor Jesus...

I. MARTA, UMA AUTÊNTICA DONA DE CASA.
Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Lc 10:41. O nome "Marta" se origina de uma forma aramaica não encontrada em hebraico e tem o sentido de "Senhora" ou "Dona". Ocorre somente no NT e é aplicado apenas a uma pessoa, a irmã de Lázaro.
·         Lc 10.38 - ...E certa mulher, chamada Marta...
·         Jo 11.1 - ...Betânia, da aldeia de Maria e de sua irmã Marta. 
·         Jo 11.5 - Ora, amava Jesus a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.
É perceptível por sua liderança, que Marta era a irmã mais velha de Maria, pois ela não consegue esconder sua insatisfação com a atitude da irmã e recorre ao Mestre. Talvez as excessivas preocupações com a refeição e com a casa moveram marta nessa direção. Marta estava tão ocupada com o trabalho da casa, que não conseguiu ver nenhum ponto positivo na atitude de sua irmã. Mas Marta era assim mesmo, uma mulher extremamente devotada ao Senhor Jesus, porém uma dona de casa extremamente zelosa com os seus afazeres domésticos ...Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Não existe absolutamente nada no texto de Lucas possa indicar uma Marta descrente ou infiel, pelo contrário, é mais fácil acreditar que ela era uma seguidora exemplar do Senhor Jesus, pois o texto diz que Jesus amava a Marta. Ora, amava Jesus a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro. Jo 11:5. Mais mesmo o amor incomparável ao Mestre Jesus, não tirava de Marta o zelo que possuia em manter sua casa sempre em ordem. Ora, quem é que vos há de maltratar, se fordes zelosos do que é bom? IPe 3:13

II. MARIA UMA CRISTÃ DEVOTADA
Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. Lc 10:39. O nome Maria era a forma helenizada do nome hebraico Miriã que na Tradução dos LXX aparece como Mariã (irmã de Moisés), e mui possivelmente o nome se deriva do vocábulo egípcio Marye que significa "amada". Assim era Maria, uma mulher amada por todos, extremamente dedicada as coisas espirituais, sempre procurando uma maneira de ficar próxima do Mestre para ouvi-lo e aprender com Ele. Isto não quer dizer que Maria fosse desleixada ou coisa parecida. Maria não seria tão amada não fosse uma mulher atenciosa, cuidadosa e fiel ao Senhor Jesus. Lucas dá a entender que Maria dava mais atenção para as riquezas espirituais do que para as coisas terrenas, talvez nisso ela fosse um pouquinho diferente de sua irmã Marta.

III. LÁZARO, UM HOMEM RESERVADO.
Quanto a Lázaro, os estudiosos do NT parece conhecerem bem Marta e Maria as duas irmãs da casa de Betânia, mas quase nada parecem saber em relação ao caráter deste amigo de Jesus. Alguns chegam a arriscar que Lázaro era o jovem rico de Lc 18, mais é pura fantasia. Lázaro não aparece na história da Bíblia por nenhuma qualidade excelente de sua personalidade, ou muito menos por qualquer grande feito ou realização. Somente uma coisa coloca Lázaro na história: o maravilhoso milagre que Jesus operou restituindo-lhe a vida após quatro dias morto. Lázaro, talvez fosse o mais comum tipo de homem mencionado na Bíblia, dificilmente conhecido a 1km de distância de sua casa, no entanto foi com ele que aconteceu tamanha demonstração do poder de Deus.

A CASA QUE RECEBEU O SENHOR JESUS
Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. Lc 10:38. J
esus ao chegar a Betânia, é para a casa de Lázaro que ele vai, e é recepcionado por uma de suas irmãs, talvez a mais velha chamada Marta. Afinal parece que sempre era assim que acontecia! Quando Marta soube que Jesus estava chegando, foi encontrar-se com ele. Porém Maria ficou sentada em casa. Jo 11.20. A cena que se segue não é difícil de imaginar. Marta, certamente recebe Jesus ainda do lado de fora da casa, quem sabe, no portão. Ela o abraça calorosamente, e fica assim por alguns instantes. Não temos nenhuma informação a respeito de como era esta casa, mas podemos imaginar...  Imaginemos uma casa bem grande... com muitos cômodos... bastante espaçosa... onde podiam se acomodar muitas pessoas... Jo 11:19 e muitas pessoas tinham vindo visitar Marta e Maria para as consolarem por causa da morte do irmão.
Ou uma casa bem pequena, simples... Sinceramente, isto não faz a menor diferença. Quando chegamos para ser "hospedes" em uma casa, não é com a disposição dos móveis ou das mobílias que nos preocupamos, A coisa mais importante para um hóspede, é ser bem recebidos.

I. O QUE JESUS ENCONTRAR PELA FRENTE.
Quando chegamos a uma casa para ser hóspede, ou mesmo para apenas uma visita a uma casa, algumas situações podem ser o diferencial entre a nossa permanência ou a nossa retirada prematura daquela residência. Precisamos então imaginar uma cena para a chegada do Mestre: A hora, talvez por volta das 09 ou 10 horas da manhã. O sol já escaldante queimando lhe a fronte é um convite a procurar um local para o descanso, e Jesus escolhe esta casa, e vem sem avisar... O que acontece quando alguém vem sem avisar? Duas situações bastante diferente podem acontecer, Vamos imaginar duas cenas:

1. Uma casa para nunca mais voltar
Como são apenas entre 09 ou 10 horas da manhã, as meninas, certamente acabaram d acordar... os seus cabelos ainda estão despenteados, e as suas roupas meio que desengonçadas, pois são as mesma roupa que usaram para dormir naquela noite, elas ainda não tiveram tempo de se trocar... Como acabaram de acordar, também não tiveram tempo para arrumar a casa, nem fazer o café afinal, são apenas as primeiras horas da manhã, e Jesus, nem avisou que vinha... A sala, quase sempre é o primeiro lugar onde somos recepcionados como hóspedes, e, na maioria das vezes na sala que ficamos por um bom tempo alimentando nossa conversa e colocando o papo em dia. Mas ao chegar a porta da sala, Jesus encontra uma a primeira dificuldade, e quase não consegue entrar... fica por um tempo parado... o chão está coberto de brinquedos espalhados por todos os lados. (Talvez de algum sobrinho ou filho de algum amigo da família). Além disso, nos sofás, algumas roupas foram entulhadas de qualquer maneira desde a noite passada, e ainda aguardam uma mão abençoada que possam dobrá-las e colocá-las em seus devidos lugares. Isto impede qualquer acomodação por parte de qualquer visitante, e Jesus tem de ficar em pé, até que alguém "ajeite" esta bagunça! Pela sala, mesmo sem querer, pode-se notar uma certa confusão de fios dependurados pelas paredes. São fios de TV a cabo disputando espaço com fios de tomadas, e até enfeites de natal que foram esquecidos desde a festa de natal do ano passado. No carpete, papel espalhado, talvez por alguma brincadeira das crianças que foram dormir muito tarde na noite passada, ou talvez, seja resíduos de algum "trabalho" realizado por Marta ou Maria que ainda não foi desfeito, ficando a limpeza deixada para o dia seguinte. Jesus, meio sem jeito, consegue passar em meio a esta bagunça, e, convida também os discípulos a entrarem. Só não sabem como entrarão! A convite de Marta, sempre muito atenciosa (meio sem graça) talvez, alguns dos discípulos sejam convidados a ir a cozinha para ajudá-la no preparo do café... Na cozinha, os discípulos se deparam com uma enorme pia repleta de pratos empilhados, com o resto do jantar da noite passada. Algumas folhas de verduras que não foram aproveitadas na salada se misturam com dejetos e sementes que entopem o ralo da pia mantendo nela uma água acinzentada que esconde um pouco mais da sujeira nela contida. Talvez alguém se apresente para lavar estas louças... Na mesa, ainda existem copos espalhados, talheres que ainda não foram retirados. Isto forma um verdadeiro exército junto a pedaços de pão e resto de manteiga. (Talvez Lázaro tenha acordado primeiro e já tenha tomado o seu café) Marta procura o coador por entre a bagunça e, ainda meio sem graça, tentando disfarçar a bagunça deve dizer: Tenho certeza que deixei por aqui, em algum lugar! Como não encontra, ela pensa em reaproveitar o que ainda está na cafeteira, é só retirar o pó envilecido da noite passada colocar um novo... Convidado a assentar-se, o Mestre encontra outra dificuldade pois as cadeiras, que deveriam compor a mesa que está na sala, estão todas espalhadas pela casa... Finalmente, Jesus consegue entrar e, mesmo que meio apertado entre alguns objetos que foram "entulhados" num cantinho, por falta de espaço, Jesus consegue assentar-se Lázaro, chega neste momento e abraça o amigo, em seguida aperta a mão dos que acompanham o Mestre. Marta aproveita que seu irmão está distraindo o Mestre, e corre ao banheiro para ver como estão as coisas... O que ela encontra não é nada bom, aliás, é desanimador. O vaso sanitário está cheio, até a boca... Marta ia puxar a cordinha da descarga, mais, a cordinha não estava lá. No mês passado a cordinha arrebentou e Lázaro ainda não teve tempo de consertar... Ele deve ser um homem muito ocupado! Ela ia fechar o vaso para, pelo menos disfarçar o mau cheiro, mais a tampa estava solta, os parafusos de fixação estavam frouxos e se perderam... No box, resto de sabonete misturado aquelas sujeirinhas que saem do corpo, no banho e outras coisas não identificadas como cabelos, pelos, etc. A melhor solução talvez seja interditar o banheiro até que alguém consiga dar um jeito nisto! A demais é só orar fervorosamente para que nenhum dos visitantes tenha uma dor de barriga inesperada... Der repente Marta se lembra: E se Jesus resolver dormir por aqui? Ela corre até o quarto de hospedes e encontra as roupas de cama esparramadas, desarrumadas. Crianças... Por todos os lados do quarto as roupas entulhadas juntam-se a toalhas molhadas jogadas pelos cantos. As gavetas do guarda roupa quebradas impedem o fechamento das portas, deixando a vista um bolo de roupas sujas que esperam pacientemente a hora de irem para a máquina de lavar... A porta do quarto emperrada, suas dobradiças, fazem um barulho parecido com o de uma garça mal humorada... Tudo simplesmente porque eles esqueceram de passar um pouquinho de graxa ou dar um jatinho com algum spray desingripante destes que se vende por aí. De volta a sala, Marta percebe a TV ligada num som acima do necessário, o que impede qualquer tipo de conversa civilizada, ao mesmo tempo em que Lázaro fala sem parar. As crianças, brincando, correm dentro da casa, e algumas brincadeiras acabam em brigas resultando em choros e gritos estridentes... Maria, por sua vez estava tão atenta a novela (o Felix estava sendo desmascarado) que nem percebeu a chegada do Mestre Jesus, por certo não ficaria nem uma hora para ser hospede numa casa assim...

2. CONVIDADOS A FICAR
Com certeza esta descrição, com não condiz com a Marta da Bíblia... Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. Lc 10:40. A casa de Marta, pelo expressão de Lucas em seu texto era uma casa que dava gosto visitar. O fato de Lucas enfatizar sua agitação em andar de um lado para outro nos faz ver sua preocupação em manter as coisas em ordem. Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. A limpeza, a cordialidade, eram um convite para qualquer hóspede ou visitante ficar... Além disso, os dotes culinário de Marta também deviam ser um diferencial. A mesa repleta de deliciosas guloseimas preparadas por ela, com certeza, "prendiam" qualquer hospedes pelo estômago. Os cômodos sempre bem arrumadinhos, arejados pelas janelas bem expostas eram outro convite para "relaxar..." Jesus, em vista da constante preocupação de Marta com a casa, apenas balançava a cabeça e dizia: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Lc 10:41 Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada. Lc 10.42 Lázaro tinha duas irmã, uma extremamente dedicada no cuidado com a casa, e outra irmã preocupada em ouvir os ensinos do Mestre. Elas eram um pouco diferentes. Marta, era o tipo de mulher que não abria mão de uma casa bem arrumada. Maria não perdia uma oportunidade de assentar-se aos pés do Senhor Jesus, e aprender com ele. Não resta dúvida que existe uma grande diferença entre os gênios destas duas irmãs. Mais era exatamente esta diferença entre elas que levava o Mestre Jesus ir sempre a Betânia, e hospedar-se ali em casa de Marta e Maria A história da Bíblia nos serve de modelo para que hoje, possamos olhar para ambas e ver o que de bom podemos aproveitar delas para moldarmos nossa vida, nossa casa de forma a agradar o nosso Mestre e ao mesmo tempo tornar nossa casa um lugar agradável para ficar...

Em Maria encontramos toda expectativa de uma mulher desejosa de sempre estar ao lado do Senhor Jesus para aprender com Ele Enquanto em Marta encontramos a beleza de uma mulher zelosa e extremamente cuidadosa com a casa e com a família. Se pudermos unir estes dois atributos, talvez possamos fazer de nossa casa um lugar tão agradável que se torne um refúgio para pessoas que ainda hoje gritam: Senhor, minha família precisa de teu auxílio...

Mensagem pregada na ADECEN (Assembleia de Deus no Centenário), Congregação Monte das Oliveiras dia 22/11/2013

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

APARÊNCIAS DE UM REI

Como pasmaram muitos à vista dele (pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua aparência, mais do que a dos outros filhos dos homens), assim causará admiração às nações, e os reis fecharão a sua boca por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que não ouviram entenderão. Is 52:14,15

Int. A aparência é a forma exterior como uma coisa ou pessoa se apresenta. Ela pode ser bem diferente daquilo que representa, podendo portanto ser considerada como uma ilusão ou um disfarce.  Por se tratar do aspecto exterior, a aparência é como um retrato que pode revelar os bons ou os maus momento que uma pessoa esteja vivendo. O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos. Pv 17:22

Se temos saúde, e estamos felizes, nossa aparência demostrará isto facilmente, e provavelmente, em algum momento ouviremos declarações tipo: "Nossa, você está muito bem hoje!". O coração alegre aformoseia o rosto...

Porém se nossa saúde encontra-se debilitada, ou por alguma razão estamos tristes, logo invariavelmente, as pessoas perceberão ...com a tristeza do coração o espírito se abate. Pv 15:13

Nossa aparência quase sempre revelará nosso estado, Sinto-me encurvado e sobremodo abatido, ando de luto o dia todo. Sl 38.6. Uma pessoa, que esteja vivendo da maneira que descreve o salmista, ouvirá expressões do tipo: "você está péssimo hoje!" Estou aflito e mui quebrantado; dou gemidos por efeito do desassossego do meu coração. Sl 38:8

A Bíblia nos apresenta dois momentos bem distintos da pessoa do nosso Salvador.  Em um momento, Isaias vê o Senhor Jesus simplesmente como um homem. Um homem com todas as suas aparências e características humanas. Paulo nos dá detalhes deste momento descrito por Isaias em Fp 2.6,7 pois Ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,

Veja as expressões de Paulo:
* Se esvaziou...
* Assumiu a "forma" de servo...
* Tornou-se em semelhança de homens...
* Reconhecido em figura humana

É exatamente assim que Isaias vê o Senhor Jesus, um homem em direção ao Calvário, um homem completamente desfigurado em vista do sofrimento a Ele imposto no episódio da crucificação. ...o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua aparência, mais do que a dos outros filhos dos homens...

Passado o episódio da cruz, Jesus se apresenta novamente, desta vez a João, o evangelista, porém não mais na figura de um homem de dores, desta vez o Senhor Jesus assume a aparência de Deus. Deus vencedor, e digno de toda honra e adoração. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai. Fp 2:9-11

Se podemos fazer uma comparação entre as duas apresentações da aparência do Senhor Jesus, então temos a visão de Isaias e a visão de João Evangelista. Cada um na sua descrição apontará para dois momentos distintos, mais ao mesmo tempo que se complementam no cumprimento do plano estabelecido por Deus para salvação do homem.

...não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse. Is 53:2

A descrição do profeta Isaias é a mais perfeita descrição dos momentos de angustias e de sofrimentos pelos quais passaram o nosso Salvador.

Isaias em nenhum momento, em seu texto, faz alguma tentativa de dar uma descrição da aparência física do homem Jesus. O que Isaias descreve, é exatamente aquilo que ele vê. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si...Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades... Is 53:4,5

O que Isaias vê é um homem sendo esmagado pela maldade humana. Um homem sofrendo todo tipo de escárnios e maldades que a carne humana poderia suportar. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. Is 53:7

I. O TRAJETO DE SOFRIMENTO.

Na sua descrição, o profeta Isaias, fala de um homem com um longo e pesado tronco de madeira sobre os seus ombros se arrastando por uma apertada rua dividida em duas partes dentro da velha cidade de Jerusalém. Via Dolorosa, do latim, "O Caminho da dor" ou simplesmente "Caminho Doloroso" assim ficou conhecido este caminho, um percurso sinuoso que percorria uma distância, para ser bem exato, 595 metros. Mc 15:20 Depois de terem caçoado dele, tiraram a capa vermelha e o vestiram com as suas próprias roupas. Em seguida o levaram para fora a fim de o crucificarem.

Antes de fazer este caminho, Ele havia sido forçado a andar 4Km, isto depois de uma noite inteira sem dormir, durante a qual Ele sofreu a angústia de pelo menos seis julgamentos. Ele foi oprimido e humilhado,

Pela manhã, ai invés de torradas ou biscoitos, Ele tem de enfrentar um violento espancamento físico. Jo 19.1 Aí Pilatos mandou chicotear Jesus.  

Amarrado a um poste, rasgaram parte de suas vestes deixando suas costas inteiramente exposta. Nestes casos, os romanos usavam uma espécie de chicote que chamavam "flagelum" que consistia em pequenas partes de osso e metal unidos a vários cordões de couro.  

O número de açoites não é registrado, por nenhum dos evangelistas porém o costume era de que fosse 40, reduzido para 39, para prevenir golpes excessivos por um erro de contagem. Dt 25.3 Quarenta açoites lhe fará dar, não mais; para que, porventura, se lhe fizer dar mais do que estes, teu irmão não fique aviltado aos teus olhos.

Durante as chicotadas, Isaias podia ver a pele do Senhor Jesus sendo arrancada de suas costas, e ficando em seu lugar exposta, uma massa ensanguentada de músculo e osso. Sl 22:16-18 Um bando de marginais está me cercando; eles avançam contra mim como cachorros e rasgam as minhas mãos e os meus pés.  Todos os meus ossos podem ser contados. Os meus inimigos me olham e gostam do que veem.  Eles repartem entre si as minhas roupas e fazem sorteio da minha túnica.  

Isaias vê Jesus sofrer uma extrema perda de sangue, ficando enfraquecido ao ponto de quase lhe causar inconsciência.  A cada golpe Ele reage em um sobressalto de dor ficando clara a afirmação do profeta que disse:  Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades...

Um suor frio desce por sobre a sua a fronte, a cabeça gira em vertigens e náuseas. As forças se esvaem. Calafrios lhe correm ao longo das costas. Jesus é escarnecido. Mt 27:28-30 Tiraram a roupa de Jesus e o vestiram com uma capa vermelha. Fizeram uma coroa de ramos cheios de espinhos, e a puseram na sua cabeça, e colocaram um bastão na sua mão direita.

Soldados Romanos em estado de zombaria se ajoelham um após outro diante do Mestre e caçoam, dizendo: Viva o Rei dos Judeus!  Eles cospem nele... Com um bastão e batiam na sua cabeça...

O salmista descreve a severidade do espancamento: Is 50.6. Ofereci as minhas costas aos que me batiam e o rosto aos que arrancavam a minha barba. Não tentei me esconder quando me xingavam e cuspiam no meu rosto.  

Com longos espinhos mais duros do que acácia, os soldados entrelaçam uma espécie de capacete, ao que chamaram de coroa, e o aplicam sobre a cabeça do Mestre. Os espinhos penetram no couro cabeludo, fazendo-o sangrar. Nesta hora, o profeta parece não conseguir mais segurar toda sua indignação e declara: Is 52.14. Muitos ficaram horrorizados quando o viram, pois ele estava tão desfigurado, que nem parecia um ser humano.  

Is 53. "Ele foi oprimido e afligido"

No Calvário os carrascos despojam nosso Mestre mais sua túnica está colada nas chagas cada fio do tecido está aderido à carne viva pelo sangue coagulado. Os carrascos dão um puxão violento, e o sangue começa a escorrer. A dor é intensa

Jesus é deitado de costas, suas chagas, agora a exposto, se incrustam misturando-se no pó e nas pedras.  

Deitado sobre o braço horizontal da cruz, os algozes tomam a medida e com longos pregos pontudos e quadrado aproximadamente 18 cm de comprimento por 1 cm de diâmetro.

Apoiam-no sobre o pulso de Jesus, e com um martelo, o plantam e rebatem sobre a madeira.   Jesus contrai o rosto assustadoramente.

O nervo mediano foi lesado, uma dor agudíssima que se fundiu pelos dedos e espalhou por todo o ombro, atingindo o cérebro.  

O nervo é destruído em parte. A lesão do tronco nervoso permanece em contato com o prego, quando o corpo é suspenso pela cruz, o nervo se estica fortemente.

A cada solavanco, a cada movimento, dores dilacerantes causa um suplício que dura horas.   O carrasco e seu ajudante empunham a extremidade da trava, elevam a Jesus, colocando-o primeiro sentado, depois em pé, consequentemente fazendo-o tombar para trás encostam na estaca vertical.

Foi uma cena assim que foi visto pelo profeta Isaias...

Isaias viu o Senhor Jesus e o descreveu como alguém que” Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso". Is 53:3

Não era um Jesus vencido, era um Jesus que...

"...derramou a sua alma na morte..."

"...foi contado com os transgressores..."

Mais que acima de tudo isto, Isaias via um Jesus que "...levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu. Is 53:12

Ap 1:7 Olhem! Ele vem com as nuvens! Todos o verão, até mesmo os que o atravessaram com a lança. Todos os povos do mundo chorarão por causa dele. Certamente será assim.

Agora, a cena muda, João, o Evangelista que estava exilado em Pátmos por causa do Evangelho do Senhor Jesus, descreve sua visão. Ap 1:10 No dia do Senhor fui dominado pelo Espírito de Deus e ouvi atrás de mim uma voz forte como o som de uma trombeta,

A visão não mais de um simples homem. Na visão de João, Jesus é visto em toda plenitude de sua divindade, diferença perceptível logo no início da descrição. ...e ouvi atrás de mim uma voz forte como o som de uma trombeta...

João diz que Jesus tinha alguma semelhança com um homem... Ap 1:12-16 Eu virei para ver quem falava comigo e vi sete candelabros de ouro. No meio deles estava um ser parecido com um homem...

Mais o que João vai descrever a partir daí, vai nos aproximar, em cada detalhe, não mais de um Jesus homem, mais um Jesus Deus em toda plenitude da sua divindade.

...vestindo uma roupa que chegava até os pés e com uma faixa de ouro em volta do peito. Suas vestimentas já não apontam mais para um homem comum. Ele não usa mais aquela roupa que lhe tiraram na hora da crucificação. Tiraram a roupa de Jesus e o vestiram com uma capa vermelha. Ele agora se veste em toda a dignidade de um Rei.

...Os seus cabelos eram brancos como a lã ou como a neve...  A brancura de seus cabelos contrapõe todo aquele estado de sofrimento pelo qual passara o nosso Mestre. Nele já não se via sangue, nem suor, nem resquício algum que lembrasse a rigidez daquela horrenda coroa de espinhos "Fizeram uma coroa de ramos cheios de espinhos, e a puseram na sua cabeça..."

...e os seus olhos eram brilhantes como o fogo. Nada, absolutamente nada está agora oculto aos olhos do Mestre. Com os olhos que brilham como labaredas de fogo Ele a tudo pode ver. A luz do sol já não lhe causa nenhum incômodo, pois Ele, até do sol é Senhor. Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas; saireis e saltareis como bezerros soltos da estrebaria. Ml 4:2

...Os seus pés brilhavam como o bronze refinado na fornalha e depois polido, Jesus na visão de João, em nenhum momento lembra aquele Jesus que se arrastava pelas ruas conhecida como Via Dolorosa. Os seus pés já não estão encrustado de sangue misturado com poeira. Não, até os pés de Jesus agora conseguem refletir sua divindade como bronze refinado na fornalha e depois polido.

...E a sua voz parecia o barulho de uma grande cachoeira. Sua voz já não era aquela voz de alguém que havia experimentado todo tipo de sofrimentos. Na cruz, Jesus apenas pode sussurrar algumas poucas palavras, pois lhe faltava força e respiração adequada. Agora, sua voz, diz João, parecia o barulho de uma grande cachoeira

...Na mão direita ele segurava sete estrelas, Nas suas mãos já não haviam cravos ou pregos pontiagudos. Ele agora não estava mais seguro ou suspenso aquele rude madeiro. João o vê agora na maior demonstração de todo o seu poder e todo o domínio.  Ele mantêm sobre Sua mão direita, sete estrelas.

...E da sua boca saía uma espada afiada dos dois lados. Na cruz, tentaram lhe enfiar vinagre pela sua boca ferida e ressecada pela sede. Agora da Sua boca, diz João, saía uma espada afiada dos dois lados. Talvez fazendo menção a extrema autoridade que Ele agora mantêm sobre todos os moradores da terra.

...O seu rosto brilhava como o sol do meio-dia. Nada, absolutamente nada na visão de João há que possa nos fazer lembrar daquele Jesus descrito por Isaias. ...ele estava tão desfigurado, que nem parecia um ser humano.

Na visão de João, Jesus se apresenta na maior expressão da sua divindade: O seu rosto brilhava como o sol do meio-dia.

Na visão de Isaias, Jesus é visto na menor expressão da sua humanidade: ...não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse

A cruz não conseguiu apagar a aparência divina do Senhor Jesus. O máximo que ela fez foi criar uma ilusão momentânea de um Cristo aparentemente vencido pela dor e pela morte. Sendo este (Jesus) entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse ele retido por ela. Atos 2:23,24

Pura ilusão, pois Ele mesmo testifica de si dizendo: Eu sou aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para todo o sempre. Tenho autoridade sobre a morte e sobre o mundo dos mortos. Ap 1.18

Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos, sabedores de que, havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte já não tem domínio sobre ele. Rm 6:8,9

Já morremos com Cristo...

A morte, por mais assustadora que ela seja, foi vencida na cruz. Nossa morte agora consiste unicamente em vivermos a vida do Senhor Jesus. Assim, como disse o Apostolo Paulo aos Romanos, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos.

Jesus, foi o Rei que foi visto por muitos, porém talvez não entendido pela maioria daqueles que o viram. Porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que não ouviram entenderão.

Sua aparência na cruz, podia até ser bastante diferente de sua aparência vista depois por João no Apocalipse. Mais a cruz demostrou para nós, mesmo que de forma bem cruel, que na Pessoa do Senhor Jesus, sempre teremos a certeza da nossa vitória. Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Rm 8:1

 

PREPARANDO-SE PARA O SERMÃO

SALA DE ESTUDO Antes de começarmos a desvendar todos os mistérios concernente o preparo do sermão propriamente dito, será de ...