segunda-feira, 14 de maio de 2018

Mamãe, hoje é o seu dia

1Rs 2.19 Então Bate-Seba foi falar com o rei em favor de Adonias. Salomão se levantou para recebê-la e se inclinou diante dela. Depois sentou-se no seu trono e mandou que trouxessem um trono para Bate-Seba, e ela se sentou do lado direito do rei. (NTLH)

Introdução: 13/05/2018. Hoje foi um dia prá lá de especial, afinal, comemoramos hoje, nada menos que o dia das mães. E não venham tentar me convencer dizendo que o dias são das mães são todos os dias, porque não são. Porque? Talvez alguém esteja perguntando. É junto com a pergunta vem também a defesa: Para mim, dia das mães é sim todos os dias! O que posso dizer é que eu gostaria muito que isso fosse possível para todos nós. Mas,vamos ver...

Talvez se pudermos estar sempre pertinho de nossa mãe, sempre pronto a ajudá-la no que ela precisar. Se pudermos almoçar com ela, passear, e não abrir mãos de sua companhia, em casa ou onde quer que ela esteja, seja por qual motivo, então, estamos de Parabéns!
Mas, se nossa mãe está longe de nós, como a minha está, e mesmo querendo não conseguimos atendê-la em todas as suas necessidades. Então, precisamos rever nossos conceitos.

Por isso comecei dizendo que o dia 13/05 é um domingo muito especial, afinal, foi um domingo em que a maioria de nós passou o seu dia juntinho da mãezinha, conseguiu reunir irmãos e demais familiares e, com muita alegria, homenagearam aquela que nunca se esqueceu de nós! Neste dia especial, almoçaram, conversaram e até arrisco dizer que cantaram alguma músicas na companhia dela. Por esta razão, não tenho dúvida alguma em dizer que este foi um domingo muito especial e muito lindo, e é uma pena que está chegando ao fim...

Pois bem, o texto que lemos nos apresenta uma situação bastante curiosa. Encontramos uma mãe, que em atenção a um pedido de seu "enteado" vai a presença de seu filho, para lhe fazer um pedido. O filho dela, era ninguém menos que o rei de Israel. Salomão era o seu nome. Entre Adonias e Salomão, as coisas não andavam muito bem. Adonias achava que ele é quem deveria ser rei, e até tentou, de alguma forma assumir o reinado. Mas Salomão foi escolhido por seu pai Davi, e isso gerou um desentendimento entre eles.

Mas agora vamos nos concentrar na figura de Bate Seba, mãe de Salomão. Adonias a procura e lhe faz um pedido. 1Rs 2.16,17 Agora vou lhe fazer só um pedido e peço que a senhora me atenda. — O que você quer? — perguntou Bate-Seba.  E ele disse: — Peça ao rei Salomão que me dê Abisague, a moça de Suném, para ser minha mulher. Eu sei que Salomão não deixará de atender um pedido seu. 

Todo o desenrolar desta história não nos interessa para o momento pois o que queremos agora é observar a chegada de Bate Seba e a maneira respeitável como Salomão recebeu sua mãe. O contexto nos dará uma verdadeira aula de dignidade, e não é só isso, Salomão, mesmo estando em uma posição de tamanha honra, não demonstrou nenhuma dificuldade em prestar a devida homenagem  para a pessoa que sempre esteve ao seu lado, a pessoa que era a razão da sua existência e que carinhosamente ele, como nos, aprendeu a chamar de mamãe! Então Bate-Seba foi falar com o rei em favor de Adonias... 

O que nos interessa agora sao:

AS TRÊS ATITUDES DE SALOMÃO DIANTE A VISITA DE SUA MÃE.
MT 15.4 Porque Deus ordenou, dizendo: Honra... a tua mãe... 

I. SALOMÃO LEVANTOU-SE E FOI A SEU ENCONTRO.
"...Salomão se levantou para recebê-la..."

A primeira coisa que quero destacar nas atitudes do Rei Salomão foi o reconhecimento e a submissão a autoridade de sua mãe. Salomão era rei, e em via de regra, tinha em si  toda condição de superioridade que lhe era devida por seu título de nobreza, inclusive, mesmo sobre sua mãe. Mais era o respeito a Bate Seba, sua mãe que lhe concedia maior autoridade devido a nobreza de sua posição. Salomão reconhece isto e age de maneira digna diante daquela mulher que tinha em si toda condição de ser recebida com tamanha dignidade.

A atitude de Salomão para com sua mãe, demonstra uma total devoção a vontade dela, exatamente da maneira que Bíblia nos ensina na carta de Paulo aos Colosensses: Filhos, o dever cristão de vocês é obedecer sempre ao seu pai e à sua mãe porque Deus gosta disso. Cl 3:20 NTLH. O texto fala em "recebê-la" em estrita obediência. O tratamento precisa ser o melhor possível. "Obedecer sempre...porque Deus gosta disso" 

As vezes ficamos procurando coisas para agradar a Deus, e deixamos de fazer o mais simples, que se bem fizermos, Deus ficará profundamente feliz. Pensamos em jejuar por várias horas, subir a montes e passar vários dias e noites em oração, acordamos varias vezes durante a noite entre outras coisas, que posso te dizer, podem ser atitudes extremamente desnecessárias se deixamos de praticar atos como o do filho Salomão.
O melhor é mais recompensável será fazer exatamente o que nos ensina a Bíblia. Filho, faça o que o seu pai diz e nunca esqueça o que a sua mãe ensinou. Guarde sempre as suas palavras bem-gravadas no coração. Os seus ensinamentos o guiarão quando você viajar, protegerão você de noite e aconselharão de dia. As suas instruções são uma luz brilhante, e a sua correção ensina a viver. Pv 6:20-23 (NTLH)

A atitude de se levantar para receber sua mãe, demonstra da parte do rei Salomão o profundo respeito e o grande reconhecimento a autoridade da pessoa que sem nenhuma dúvida, era a pessoa mais importante da sua vida. Atitude demonstrada pelo Senhor Jesus ainda em sua tenra idade. Então Jesus voltou com os seus pais para Nazaré e continuava a ser obediente a eles. E a sua mãe guardava tudo isso no coração. Lc 2:51 NTLH

II. SALOMÃO INCLINOU DIANTE DE SUA MÃE.
"...e se inclinou diante dela..."

Apenas levantar-se e ir em direção a sua mãe, talvez representasse Muito pouco para Salomão. Ele estava acostumado com atitudes bem superiores a estas, afinal, qualquer pessoa sendo conduzida a sua presença, seja quem quer que fosse, tinha que prostrar-se diante dele. Agora, ninguém menos que a sua mãe adentrava a sala do trono, e Salomão, em uma atitude digna de ser imitada, fez exatamente o que talvez, a grande maioria dos que ali estavam presentes, não imaginavam, nem de longe, que ele fizesse. Salomão, ao invés de exigir que ela se prostrasse, foi ele quem se inclinou e prostrou-se diante dela. Pv 15. 20. O filho sábio alegra a seu pai; mas o homem insensato despreza a sua mãe.

Toda a sabedoria que Salomão havia adquirido de Deus, agora, finalmente era colocada a prova. Salomão, em sua atitude de amor e respeito, dá um exemplo de profundo reconhecimento, e sabedoria divina.
Bate Seba, aquela mulher que adentrara a sala do trono, era ninguém menos que a mulher que o ensinou viver a vida da melhor maneira. Foi ela, que nas horas em que ele demonstrava qualquer aparência de tristeza, lhe enchia de carinho (Aliás, está é uma especialidade delas...). Quantas  histórias ela contou para ele, quando ele era ainda bem pequenino e tinha alguma dificuldade para dormir. Foi ela que lhe mostrou o caminho certo, mesmo que para isso, não lhe negasse algumas boas palmadinhas. O escritor aos hebreus descreve isto de forma peculiar (Ele também não devia ser nenhuma flor que se cheira). Hb 12.9 Além disto, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e os olhávamos com respeito...

Foi ela, sua mãe quem moldou a vida sua sua vida, com respeito e sujeição! Sentimentos que o fez recebê-la e se prostrar diante dela. Sentimentos que moldaram um homem de verdade, um homem capaz de se prostrar diante de uma mulher, mas que não era qualquer mulher, era sua mãe, a mulher mais digna desta honra e respeito. Hb 12.10 Pois aqueles por pouco tempo nos corrigiam como bem lhes parecia... Para proveito nosso.

III. SALOMÃO ASSENTOU SUA MÃE  A SEU LADO.

Depois sentou-se no seu trono e mandou que trouxessem um trono para Bate-Seba, e ela se sentou do lado direito do Rei. Amor não se demonstra apenas por palavras, podemos dizer “Eu te amo” e isto é bom demais, não só de falar, mas também de ouvir. Porém, precisamos um pouco mais do que isto, precisamos externar este sentimento, não só com palavras, mas com atitudes que consiga demonstrar sinceridade naquilo que estamos dizendo.

Aqui, o texto nos apresenta a maneira como isto pode acontecer. Salomão, poderia ter dito: “Eu amo a minha mãe” e ficar simplesmente nestas palavras porque ninguém ousaria duvidar dele. Mas Salomão fez muito mais do que isto. Salomão depois de levantar-se e prostrar-se diante de sua mãe, ele ordenou que fosse colocado um trono para ela ao lado direito do seu próprio trono.
Isto se chama “HONRA”. Êx 20:12 Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá.

O Conceito ou significado da palavra “honra” vai bem mais longe do que possamos imaginar, muito mais ainda quando se trata de alguém de tamanha dignidade e estima como é o caso da nossa mãe.
O termo aqui dá uma idéia de amor e respeito resultados de uma vida inteira ao lado de tal pessoa. Esta honra classifica tal pessoa em um nome exaltado e estimado publicamente. Em razão deste respeito demonstrado, sua mãe é vista e recebida onde quer que for como uma mulher digna, mãe do rei de Israel. Pv 3:35 Os sábios herdarão honra...

Na verdade sempre honramos alguém fazemos isto a medida que desejamos prestar homenagens a qualidade desta pessoa, fazemos isto com objetivo de estimá-la acima de nossa própria pessoa. Rm 12:10 Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. 

Esta foi uma atitude que fez de Salomão um rei extremamente respeitado por todas as pessoas de seu reino e dos reinos ao redor. Salomão colocou sua mãe no lugar em que ela sempre o havia colocado, ao seu lado.  Mt 15:4 Porque Deus ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à mãe, certamente morrerá.

CONCLUSÃO. Durante os acontecimento narrado neste texto de 1 Reis, o autor apresenta duas atitudes estremamente importantes no relacionamento pais e filhos. Atitudes de cuidado e de empatia.
O termo cuidado implica em evitar fazer qualquer coisas que possa prejudicar ou entristecer a pessoa que amamos. O termo nos conduz a tratar com desvelo e simpatia nos conduzindo a atitudes de vigilância, precaução em todos os sentidos. Isto é cuidado.

A empatia fala da identificação entre as pessoas. Fala da capacidade de compreender os sentimentos ou reações e nos imaginarmos nas mesmas circunstâncias que ela. Em resumo podemos dizer que empatia é a faculdade de compreender emocionalmente.

Estes talvez sejam apenas partes dos sentimentos que nossa mãe sempre demonstrou a nosso favor. Quantas vezes elas deixaram de fazer muitas coisas que desejavam fazer com medo de que tais coisas pudesse de alguma forma nos trazer algum prejuízo. A maneira que elas sempre nos trataram, a bondade sempre expressa em suas atitudes e ensinamentos. Os momentos em que elas nos vigiou com medo de que alguma coisa ruim pudesse sobrevir sobre nós.

Nossa mãe é e foi a pessoa que conseguiu nos compreender, conseguiu compreender nossas emoções, cada um dos nossos sentimentos. Isto porque foi ela que sempre se colocou exatamente em nosso lugar para que assim pudesse nos compreender um pouquinho que fosse.

Salomão como ninguém sabia disso. E com a ausência do pai, sempre ocupado com os problemas da nação que governava, encontrou no colo de sua mãe todo carinho e toda atenção que precisou para desenvolver sua vida. Agora, Rei de Israel em lugar de seu pai, Salomão sabia que em breve estaria cercado pelas mesmas circunstâncias que fizeram seu pai uma pessoa tão ausente, sem tempo para sua família. Ele traz para junto dele, ninguém melhor e mais indicada para tão dura tarefa que teria pela frente. Salomão trouxe a sua mãe.

A todos os que sofrem e estão sós, dai sempre um sorriso de alegria. Não lhes proporciones apenas os vossos cuidados, mas também o vosso coração. Madre Teresa de Calcutá

terça-feira, 10 de abril de 2018

ATITUDES QUE ANTECEDEM UMA VIDA COM DEUS

Texto: 35.1-7  Deus disse a Jacó: “Apronte-se, suba para Betel e estabeleça-se ali. Chegando lá, construa um altar ao Deus que lhe apareceu quando você estava fugindo do seu irmão Esaú”. Então Jacó disse à sua família e a todos que estavam com ele: “Joguem fora todas as imagens dos deuses estrangeiros que estão com vocês. Purifiquem-se e vistam roupas limpas. Aprontem-se e subamos para Betel. Lá eu vou construir um altar ao Deus que me ouviu no dia da minha angústia e tem me acompanhado por onde tenho andado”. Então deram a Jacó todas as imagens dos deuses estrangeiros e os brincos que usavam nas orelhas. E Jacó os enterrou debaixo do carvalho próximo de Siquém. Quando partiram, o terror de Deus dominou de tal forma as cidades próximas que ninguém perseguiu os filhos de Jacó. Jacó e todos que estavam com ele chegaram a Luz, cidade também conhecida por Betel, na terra de Canaã. Jacó construiu ali um altar e chamou o lugar de El-Betel. Porque foi em Betel que Deus apareceu a Jacó, quando estava fugindo de seu irmão Esaú.

Introdução. O que eu acho bem interessante neste texto, é a maneira como o autor descreve o diálogo de Jacó com a Pessoa bendita de Deus. Primeiro há uma identificação bastante curiosa de Deus para com Jacó. Deus se identifica como "o Deus que lhe havia aparecido quando este estava fugindo do seu irmão Esaú" .

Penso que tal descrição não deixava qualquer dúvidas a Jacó em relação a quem estava falando com ele naquele momento. Isso foi tão absoluto para Jacó, que ele imediatamente declarou a sua família o teor da conversa e ao mesmo tempo lhes comunicou a razão da partida repentina para uma terra distante e desconhecida. "... vou construir um altar ao Deus que me ouviu no dia da minha angústia e tem me acompanhado por onde tenho andado”.

Jacó, munido de tamanha convicção determina aos familiares e acompanhantes a tal jornada, alguns requisitos básicos, mas extremamente importantes  para sucesso nessa jornada. Estes requisitos, se observados a luz do contexto da Bíblia, pode bem nos ensinar algumas atitudes que podem garantir uma vida vitoriosa ao lado de Deus. São atitudes que se entendidas como regra de vivência cristã, poderão produzir em nós, os efeitos produzidos na vida e na familia de Jacó. São atitudes que fizeram dele uma pessoa diferentes a ponto ter seu nome mudado, de suplantador para AQUELE QUE LUTOU COM DEUS E VENCEU.

Dentre os requisitos citados por Jacó, podemos destacar pelo menos três conforme sua importância:

I. LANÇAR FORA OS DEUSES ESTRANHOS.
Então Jacó disse à sua família e a todos que estavam com ele: “Joguem fora todas as imagens dos deuses estrangeiros que estão com vocês...
Podemos entender como "deuses estrangeiros" toda e qualquer coisa que conspire para nos separar ou dividir a nossa comunhão com Deus. São coisas que prendem nossa atenção ou que nos aprisionam em um mundo distanciado das verdades eternas. Podem até ser coisas que talvez não possuam nenhuma expressão com fatores de adoração, mas que por suas influências, tendem enfraquecer substancialmente nossa vida diária de adorador. 1Sm 7.3-3. Então Samuel disse ao povo: “Se, de fato, vocês desejam voltar ao SENHOR de todo o coração, joguem fora os seus deuses estrangeiros e as suas imagens de Asterote e consagrem-se ao SENHOR. Tomem a decisão de servir somente ao SENHOR; então ele livrará vocês das mãos dos filisteus”.

É fácil observar na expressão de Samuel um convite para uma aproximação verdadeira. Então Samuel disse ao povo: “Se, de fato, vocês desejam voltar ao SENHOR de todo o coração..." É um chamado para uma atitude sincera e expressiva, por isso a expressão "de todo o coração" Assim, jogar fora os deuses estranhos podem significar para nós atitudes como:

1. NOS LIVRARMOS DE COISAS, OBJETOS OU ATITUDES QUE PODEM APRISIONAR NOSSA VISÃO EM RELAÇÃO AO TEMPO QUE DEVERÍAMOS OFERECER A DEUS. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porquanto os dias são maus. Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. Ef 5:15-17

A questão "tempo" é algo para ser pensado. Geralmente não fazemos conta de quanto tempo temos em nossa vida diária que podemos oferecer ao nosso Deus. E, é bem pouco desse tempo que realmente oferecemos. Talvez não sejamos capazes de avaliar questões como estas, pois a verdade é que o tempo passa muito rápido. E com o tempo que temos, comemos, dormimos e trabalhamos, e nem sempre conseguimos tempo para fazermos tudo que tínhamos para fazer.

Separamos do site MUNDO BÍBLICO alguns dados que revelam coisas básicas em que  dedicamos em média o nosso tempo. São resultados médios, que segundo é dito no site, podem variar muito de pessoa pra pessoa. No entanto, não é demais avaliarmos mesmo que substancialmente a maneira como estamos realmente usando o nosso tempo. Segundo uma estimativa do site, passamos:

➡ 25 anos da nossa vida dormindo. Isto se levamos em consideração um período de 8 horas por dia. Dormir realmente é muito bom, mas dormir demais pode não ter resultados tão bons assim.

➡ Cerca de 10 anos da nossa vida trabalhando. Trabalhando 40 horas por semana entre os 20 e 65 anos. A vida é sim bem mais interesante quando trabalhamos, porém temos que ter o cuidado de não gastarmos todo o tempo da nossa vida apenas trabalhando.

➡ Cerca de 14 anos assistindo televisão. E o pior é que grande parte desse tempo passamos assistindo coisas que não nos edificam absolutamente em nada.

➡ 3,66 anos da nossa vida comendo. Essa é boa, porque sabe de uma coisa? Comer o que gostamos, é uma coisa boa demais.

➡ Alguns de nós passam em média 4,3 anos da vida dirigindo. Isso é tempo suficiente para dirigir até a Lua e voltar três vezes. Já ouvirá falar em Av. Brasil ou Presidente Dutra, afff.

➡ 1,5 anos fazendo limpeza. E posso dizer mais uma coisa? Eu acho que 1,5 é muito pouco, afinal, eu pessoalmente adoro limpeza, e não consigo trabalhar em meio a coisas bagunçadas, muito menos viver na sujeira...

➡ As mulheres gastam pelo menos 2,5 anos cuidando do cabelo. Isso inclui escovar, lavar, secar, alisar, ondulação e corte. É para falar a verdade, eu acho que 2,5 anos é uma estimativa bem generosa...

➡ Tomamos banho 6 meses e 15 dias. Mas, acho que se contarmos com último verão, essa estimativa bem que podia aumentar um pouquinho.

➡ Da pré-escola à faculdade, gastamos, pelo menos 16 anos estudando. E estudar faz um bem! Como dizem: Saber não ocupa espaço.

➡ É com a Internet? Face, What Zap, Skype, E-mail, Sites  etc…  Consumimos não menos que 22 anos da nossa vida. A Internet não é algo tão antigo assim, foi lá pelos meados de 1998 a 2000 que ela passou a ocupar seu espaço. E até eu, que vivi boa parte da minha vida sem ela, acho que hoje passo a maior parte da minha vida acessando.

➡ 4 meses da nossa vida, passamos rindo. Isto também é muito pouco, pois como dizem, rir ainda é o melhor remédio.

➡ 14 dias passamos beijando. Só isso? Será que não seria 14 años? Afinal para alguém como eu, que já viveu os seus 40 ou 50 anos, e só beijou 14 dias, desculpe dizer, mas nem começou a viver ainda. Por isso, bota dias nisso...

Concluindo, se fizermos uma média de 2 horas por semana em um culto, em um ano teremos dedicado a Deus uma média de 104 horas. Em uma perspectiva de vida de 75 anos, dedicaremos a Deus 325 dias. Lembrando que 75 anos equivalem a 27.375 dias.

Diante desses fatos vamos refletir em pelo menos três perguntas importantes:

▶ Primeiro: Que tipo de crentes podemos ser, se dedicarmos a Deus uma porção de tempo tão insignificante?

▶ Segundo: Quanto tempo ainda temos de vida para oferecer a Deus o nosso tempo? A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos. Sl 90:10

▶ É por fim: Que tipo de "Deus estranho" vem tomado grande parte do nosso tempo que deveria ser dedicado prioritariamente ao nosso Deus?

Estamos dormindo muito? Ou estamos muito tempo assistindo televisão? Ou talvez estejamos muito presos a Internet? Todas estas coisas podem roubar o nosso tempo sim, mas no final elas podem não ser boas e nem más. Seremos nós quem determinaremos isto.

II. PROCURAR MELHORAR AS ATITUDES QUE INFLUENCIAM DE FATO A NOSSA MANEIRA CORRETA DE RELACIONARMOS COM A PESSOA DE DEUS.
Purifiquem-se e vistam roupas limpas.

Se existem atitudes que podem influenciar benéficamente o nosso relacionamento com a Pessoa Bendita de Deus, então são estas coisas que vamos precisar viver integralmente e da melhor MANEIRA possivel. Por isso, precisamos evitar de uma vez por todas as atitudes erradas que podem causar o enfraquecimento do nosso relacionamento. Algumas dentre essas coisas podemos aprender com Jacó, e dentre elas podemos citar:

1. ADORAÇÃO DIVIDIDA.
Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai  em espírito  e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Jó 4:23

Se a adoração é a forma de apresentar o nosso melhor culto a Deus, então significa que a nossa adoração precisa ser auténtica e verdadeira pois será ela a melhor expressão do nosso culto. Deus não divide a sua glória, por isso é de se esperar que não aceite uma adoração dividida. Por isso que  o texto de Lv 17.7 é tão expressivo. E nunca mais sacrificarão os seus sacrifícios aos demônios, após os quais eles se prostituem: isto ser-lhes-á por estatuto perpétuo nas suas gerações.

"Nunca mais" é o tempo que Deus espera que voltemos a dividir a adoração. O fator determinante será nossa escolha em obedecer a orientação divina ou NÃO. Não seguireis outros deuses, os deuses dos povos que houver à roda de vós;  Dt 6:14

Nada, absolutamente nada que possa roubar de nós a exclusividade da adoração devida a Deus deve ser imitado. Não importa o quanto outras pessoas valorizem o que estão fazendo. Se existe algo que tire de nós a adoração, não nos diz respeito.

2. O Abandono da FÉ.
Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas. Jr 2:13

A fé talvez seja a melhor expressão do nosso relacionamento com Deus, pois quanto mais cremos na Pessoa Bendita do nosso Senhor, melhor será a  nossa relação com Ele. Imagine só ser amigo de alguém que vc não acredita nele. É não estou nem falando de acreditar no sentido de existir, mas acreditar no sentido de poder confiar. Assim é com Deus! Se cremos nele, esperamos inteiramente nele. Mas, se a nossa fé é pequena, corremos o risco de em algum momento nos afastarmos. Se como o escritor de Hebreus, comparamos a nossa fé a um alicerce bem fundamentado. Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem.  Hb 11:1
Então nossa fé é firme, mas se não temos uma fé tão firme assim, precisamos então buscar maior afinidade com a pessoa de Deus. Talvez não haja um termômetro capaz de medir, a vista de outros, a nossa intimidade com a pessoa de Deus, afinal, somos indivíduos, e isto nos faz completamente diferentes uns dos outros.

Alguém, por sua intimidade pode ser um crente que não falte aos cultos, mas isto não faz de uma pessoa menos frequente alguém sem intimidade com Deus. Todavia, o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade. 2Tm 2:19

Será que é difícil entender isso? Abandonar a fé fala de dar vasão a coisas que como foi dito no início, nós afastam da pessoa bendita de Deus.

3. Quebra de ALIANÇA.
E disse o Senhor a Moisés: Eis que dormirás com teus pais; e este povo se levantará, e se prostituirá, indo após os deuses dos estranhos da terra para o meio dos quais vai, e me deixará, e anulará o meu concerto que tenho feito com ele. Dt 31:16

Por fim, o afastamento do processo da purificação é um sinal de aliança quebrada. Não seremos capazes de nos manter "santos" uma vez que não nos santificarmos diariamente. Foi assim com os judeus, e conosco não é diferente. Os "deuses estranhos" que uma vez foram abandonados, de forma sutil, vão retornando ao nosso convívio. Se não estivermos em estado de vigilancia, eles vão ganhando terreno e quando menos percebermos, eles nos tornam prisioneiros de novo. Por isso o alerta do Apóstolo Pedro: Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de VIVER, Pe 1:13-15

O segredo, é ser santo em toda nossa maneira de viver. E isto fala de:

Conversão COMPLETA. Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei e observá-la-ei de todo o coração.  Sl 119:34

PERFEIÇÃO. Perfeito serás, como o Senhor , teu Deus.  Dt 18:13.

SINCERIDADE E OBEDIÊNCIA . Agora, pois, temei ao Senhor , e servi-o com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do rio e no Egito, e servi ao Senhor .  Js 24:14

Coração inclinado para DEUS. Agora, pois, deitai fora os deuses estranhos que há no meio de vós: e inclinai o vosso coração ao Senhor , Deus de Israel. Js 24:23

III. PROCURAR ESTAR SEMPRE NOS LUGARES ONDE DEUS ESTÁ, E APROVEITAR AO MÁXIMO A ESTADIA COM ELE. 
Aprontem-se e subamos para Betel. Lá eu vou construir um altar ao Deus que me ouviu no dia da minha angústia e tem me acompanhado por onde tenho andado”.

Em resumo, tudo o que vimos até aqui tem a ver com um estado de sujeição a Deus a ponto de abnegarmos de tudo ou de qualquer coisa que possa ferir nossa sujeição. Se queremos viver nossa vida de acordo com a vontade de Deus, não tem outro meio, precisaremos abrir mão de tudo o que diz respeito a situações ou conceitos que contradigam a Sua PALAVRA. Como pode o jovem manter a sua vida limpa e pura? Vigiando os seus passos de acordo com a sua palavra.  Sl 119:9 NBVPB

Estar no lugar onde Deus está, fala em viver de tal modo que a nossa vontade seja fazer a vontade de Deus. Limpe-me com hissopo, e ficarei puro. Lave-me e ficarei mais branco do que a neve.  Dê-me de novo a alegria da sua salvação e conserve em mim um espírito desejoso de obedecer.  Sl 51:7, 12 NBVPB

A Palavra de Deus é o instrumento divino que nos condiciona e capacita a viver a vida que Deus deseja que vivamos. Então, jogarei água pura sobre vocês para limpar todos os seus pecados. Vocês ficarão purificados de todas as coisas erradas que fizeram e do terrível pecado da adoração de imagens. Darei a vocês um coração novo. Darei a vocês um espírito novo. Em vez de terem corações duros como pedra, vocês receberão corações de carne. Colocarei dentro de vocês o meu Espírito; assim vocês serão capazes de viver conforme as minhas leis, e obedecer aos meus mandamentos. Ez 36:25-27 NBVPB

terça-feira, 3 de abril de 2018

DINHEIRO NA IGREJA, PARA QUEM, E PARA O QUE?

"Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade."
At 4:34-35

Este é um tema que na minha opinião, se tornou um dos mais controversos e perigosos de se tratar na igreja. Dinheiro! Entro neste tema pela infeliz percepção de que, em nossos dias, o dinheiro, ou melhor, o ato de pedir dinheiro, vem ocupando grande espaço do tempo no culto que deveria ser oferecido exclusivamente ao Senhor Deus. A percepção é que o ato de pedir dinheiro tornou-se, por assim dizer, uma espécie de "carro chefe" em muitas pregações nos púlpitos que conhecemos, isto porque grande parte da liderança considerada evangélica, adotaram este ato como ponto central do que costumam  chamar de "ato de confiança ou fé" .

Não posso, e não vou negar a importância dos dízimos e das ofertas alçadas para a manutenção da igreja, porém também não posso negar o infeliz rumo que este tema, apoiado por uma teologia enganosa, tomou.  Colocaram o antigo espaço que conhecemos como "ofertório" em um lugar que deveria ser ocupado exclusivamente pela explanação da Palavra Deus. É, para piorar, usam textos desconexos para confundir os menos avisados. Chego mesmo a ter dúvidas diante de tamanha exposição que fazem da obrigatoriedade da entrega do dinheiro, pois de forma enganosa colocam tal ato como sendo a própria evidência da adoração. Minha dúvida e pergunta é: Adoração a quem? Ou adoração a o quê?

I. CONTRIBUIÇÕES VOLUNTÁRIAS. 
Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.
2Co 9:7

O Novo Testamento fala sim em contribuições em dinheiro, mas o que o escritor faz questão de enfatizar é que tal atitude deve ser sempre voluntária, e nunca feita por qualquer tipo de imposição, de quem quer que seja. Também não encontramos nenhum tipo de citação que envolva qualquer porcentagem a ser estipulada para essas contribuições, o valor, segundo o escritor Bíblico, deveria ser conforme a proposta do coração do ofertante. Assim, todo o dinheiro entregue a igreja era sempre baseada na prosperidade dos crentes e não a gosto dos líderes ou pedintes. Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam coletas quando eu for. 1Co 16:1-2. 

E tem mais, todo o dinheiro arrecadado tinha por finalidade ser utilizado prioritariamente para suprir as necessidades dos membros, e não para ostentar prazeres ou desejos da liderança. O ensino Paulino era patente: Os cristãos deveriam contribuir de forma voluntaria e com alegria, e não havia nenhum suposto demônio com poder de conduzir a extrema pobreza quem não quisesse contribuir. Afinal ser voluntário diz respeito à fazer por vontade própria e não por medo de demônios devoradores. Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade.
At 4.34-35

Em alguns casos excepcionais, tal como a severa fome que aconteceu na Judéia, as igrejas mais pobre, recebiam assistência financeira das igrejas mais prósperas de outros lugares. De onde provinha este dinheiro? Da ofertas voluntarias. Naqueles dias, desceram alguns profetas de Jerusalém para Antioquia, e, apresentando-se um deles, chamado Ágabo, dava a entender, pelo Espírito, que estava para vir grande fome por todo o mundo, a qual sobreveio nos dias de Cláudio. Os discípulos, cada um conforme as suas posses, resolveram enviar socorro aos irmãos que moravam na Judeia; o que eles, com efeito, fizeram, enviando-o aos presbíteros por intermédio de Barnabé e de Saulo. 
At 11:27-30

É bom observar que apesar de toda a necessidade que envolvia as circunstâncias, ninguém deu o que não tinha, nem entregou grandes somas com intuito de receber algum suposto milagre em troca. O texto é claro, eles ofertaram conforme suas posses e Paulo mesmo se encarregou de fazer com que a oferta levantada chegasse a seu destino. Mas, agora, estou de partida para Jerusalém, a serviço dos santos. Porque aprouve à Macedônia e à Acaia levantar uma coleta em benefício dos pobres dentre os santos que vivem em Jerusalém. Rm 15:25-26.

As igrejas em geral eram convidadas a participarem destes momentos de socorro aos irmãos. Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam coletas quando eu for. E, quando tiver chegado, enviarei, com cartas, para levarem as vossas dádivas a Jerusalém, aqueles que aprovardes. Se convier que eu também vá, eles irão comigo. 1Co 16. 1-4

Percebam que mesmo utilizando uma tonalidade forte "fazei vos também, como ordenei as igrejas da Galácia" o Apóstolo não faz exigências absurdas, muito menos utiliza de subterfúgios enganosos no sentido de amedrontar o contribuinte. Depois, de alcançado o objetivo, o Apóstolo ainda faz um relatório detalhado do resultado obtido pela oferta levantada. Isto fala de transparência. Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia; porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade. 2Co 8.1,2

Em nenhum momento encontramos o Apóstolo ou qualquer outro escritor biblico falando em coisas como DNA de sementes ou coisas do gênero. Ele fala em oferta voluntaria, e isso bastava. Paulo fazia questão de dizer que o ofertório deveria ser segundo a prosperidade de cada um. E volto a repetir, não encontramos nenhuma descrição de nenhum ser demoníaco que iria tragar as finanças de quem não contribuísse. Isto mesmo, nenhum tipo de maldição e nenhum tipo de promessa que alcançasse somente os contribuintes.

II. O USO DO DINHEIRO PELA IGREJA.
para que, se eu tardar, fiques ciente de como se deve proceder na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade. 1Tm 3:15

O que vimos até aqui parece ser muito simples e básico. Quando o cristãos pobre necessitava de assistência financeira, era o dinheiro arrecadado nas ofertas, que cumpriam tal objetivo. O dinheiro era utilizado para este fim, isto é: Acudir os pobres em suas necessidades. E, para que não houvesse qualquer tipo de engano ou erro,  pessoas certas eram escolhidas para tal administração. Ora, naqueles dias, multiplicando-se o número dos discípulos, houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária. Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas. Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; At 6. 1-3

Em razão da importante tarefa a ser realizada, e que envolvia o manejo de somas em dinheiro, a igreja deveria escolher com cuidado os responsáveis para tal função. Tais escolhidos, deveriam ser pessoas possuidoras de  carácteristicas fundamentais. Deveriam ser:
Pessoas de Boa reputação. Isto é, pessoas dignas de confiança. Mais vale o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro. Pv 22:1

Pessoas "cheias do Espírito Santo". Isto fala, entre outras coisas, de pessoas que realmente eram convertidas ao Senhor Jesus. Sem conversão não tem como alguém ser "cheio". Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo. At 13:52

Pessoas portadoras de Sabedoria. Sabedoria, aquí tem a ver com o caráter. Tem a ver com conhecimento, erudição. O equivalente em grego é "Sofía" que equivale ao saber. No sentido comum, a sabedoria é a qualidade que dá sensatez, prudência e moderação. Característica fundamentais para o desempenho de tal tarefa. Porque o Senhor dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento. Pv 2:6

Além do ofertório atender as necessidades dos membros, o dinheiro arrecadado também era usado para o ensino do evangelho. Por isso a necessidade da boa administração. Assim, a igreja cumpria a missão dupla que ela tinha para com ela mesma que era a de atender seus membros em suas necessidades e ensiná-los as doutrinas fundamentais da fé cristã. Por isso não é surpresa que as igrejas do Novo Testamento usassem seu dinheiro também para espalhar e pregar o evangelho. Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino. 1Tm 5:17

III. O DINHEIRO NOS NOSSOS DIAS. 
Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude, pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis coparticipantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo, 2Pe 1. 3,4

A igreja do Novo Testamento realmente tinha muito a ensinar para as igrejas dos nossos dias, e a Bíblia registra tudo o que precisamos saber no que diz respeito ao serviço a Deus. Não precisamos ficar inventando coisas ou doutrinas para tentar melhorar o plano de Deus no que diz respeito a nossa prosperidade. O que precisamos é de homens e mulheres que assumam com respeito o cargo que lhes foi designado. Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância; Tt 1:7

Tito fala em seu tempo, de coisas que continuam acontecendo hoje. Fala de obreiros que por interesses próprios estavam pervertendo as verdades do Evangelho. É preciso fazê-los calar, porque andam pervertendo casas inteiras, ensinando o que não devem, por torpe ganância. Tt 1:11

Desta forma o modelo do Novo Testamento pode parecer até muito simples, e bem pouco sofisticado pois em nenhum momento fala de demônios com autoridade para agir contra aqueles que supostamente ignoram o ato de contribuir. Também não faz nenhuma menção de que alguma contribuição financeira deveria ser associada a supostas bençãos almejadas pelo contribuinte. Pelo contrário, os escritores do Novo Testamento não pouparam palavras no sentido de condenar obreiros que fraudulosamente estavam manipulando o dinheiro para satisfação própria.

Para pessoas que estão rodeadas por imensos empreendimentos multinacionais, isto pode parecer infundado, mas infundado mesmo é dizer que a oferta é uma semente que deverá brotar e frutificar em uma suposta benção desejada, quando na verdade estão pensando mesmo é em seu própro enriquecimento. Todas as coisas são puras para os puros; todavia, para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas. Tt 1:15

O que nos ensina o Novo Testamento é que a igreja não temtpor missão juntar grandes somas de riquezas ou construir enormes organizaçõe. Nossa missão como igreja é simplesmente servir Jesus e mostrar ao mundo como fazer o mesmo. As igrejas cristãs não precisam competir com o mundo, mas precisam agradar a Deus. Por isso as igrejas que seguem o modelo do Novo Testamento poderão sim fazer arrecadação de contribuições voluntárias dos seus membros, mas não estão autorizadas a fazer disso um comércio. Em casos em que há irmãos pobres a igreja deverá ser capaz de ajudá-los e alimentá-los. Para isso serve o dinheiro que foi arrecadado e este dinheiro será dedicado à obra que Deus autorizou. Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo. Jd 3,4

É muito cansativo ficar horas sendo obrigado a ouvir um apelo baseado em um monte de besteiras e insinuações mentirosas em relação a entrega de dízimos e ofertas. Malaquias quando falou que as pessoas estavam "roubando" quando deixava de entregar os dízimos e as ofertas, ele não estava falando com o povo igreja, ele falava com o povo judeu. Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastada. Ml 3. 8

Mesmo que Malaquias estivesse falando a igreja, pois não estava, observe o destino que o Espírito Santo estava dando ao dinheiro arrecadado. "para que haja mantimento na minha casa". Por qual razão deveria haver mantimento na casa de Deus? Deus não se alimenta como nós! Então observemos a tradução da Bíblia a Mensagem do texto de Malaquias: “Comecem pela honestidade. Pessoas honestas roubam a Deus? Mas vocês me roubam dia após dia. “Vocês perguntam: ‘E como temos te roubado?’. “Nos dízimos e nas ofertas, é dessa forma. E vocês estão debaixo de maldição, todos vocês, porque estão me roubando. Tragam o dízimo completo para o tesouro do templo, para que haja ampla provisão na minha casa. Ponham-me à prova, e vejam se não vou abrir o próprio céu para vocês e derramar bênçãos além dos seus sonhos mais improváveis. No que depender de mim, vou defender vocês contra os saqueadores e proteger seus campos e hortas contra os ladrões”. É a Mensagem do Senhor dos Exércitos de Anjos. 
Ml 3:8-11 - Biblia A Mensagem.

Agora imaginem que este texto tenha sido escrito para a igreja, e não para os judeus. Tragam o dízimo completo para o tesouro do templo, para que haja ampla provisão na minha casa. Provisão. Mas que provisão é esta? Para quem está provisão? E neste ponto que vem toda nossa indignação. Pois tomam um texto do Antigo Testamento que não tem nenhum apoio no Novo Testamento. Aplicam para a igreja e o transformam em um verdadeiro compêndio de maldições.
O texto de Malaquias começa mexendo com a integridade de muitos líderes. A versão da Bíblia a Mensagem é enfática: Comecem pela honestidade. Honestidade talvez seja exatamente o que está faltando em muitas igrejas. Pessoas honestas administram com honestidade, mas pessoas desonestas administram com o erro. E que pena que existam tantos em nosso meio administrando assim. Porque tanta gente passando necessidade e até fome enquanto muitos líderes desfilam em carros luxuosos, e moram em verdadeiras mansões. O pior, fazem isso com o dinheiro que arrecadam na igreja.

Este é o tipo de mensagem que sei, nunca me deixarão pregar em nenhum púlpito na igreja, porque fere a intimidade de muita gente. Talvez o Mural da Bíblia seja um dos poucos lugares onde uma postagem nesse gênero ainda possa ser encontrada. Nos resta a parte final do texto de Malaquias 3.8 que nos enche de gozo e confiança no Deus que falou para os judeus, mais que de forma semelhante prometeu para nós a igreja. Ponham-me à prova, e vejam se não vou abrir o próprio céu para vocês e derramar bênçãos além dos seus sonhos mais improváveis. No que depender de mim, vou defender vocês contra os saqueadores e proteger seus campos e hortas contra os ladrões”. É a Mensagem do Senhor dos Exércitos de Anjos.

segunda-feira, 19 de março de 2018

CRESCENDO NA ESSÊNCIA DO EVANGELHO. PARTE III


A BÍBLIA DEVERÁ SER OBSERVADA COMO A MAIS IMPORTANTE DIRECIONADORA DE TODAS AS NOSSAS EMOÇÕES É CONHECIMENTOS E ACIMA DE TUDO, PELA NOSSA CONVERSÃO.
Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego. Rm 1:16

Crescimento tem sido o tema mais debatido e o mais falado ao longo destes meses em vista do tema que foi escolhido para reflexão de nossa igreja dutante todo o ano de 2018. No entanto, este tema não terá nenhum valor se não for analisado e entendido por nós. Simplesmente gritá-lo domingo após domingo não fará nenhuma diferença em nossa vida. No entanto, se procurarmos entender a mensagem anunciada pelo tema, é nos direcionarmos em direção ao cumprimento dos parâmetros por ele determinados, rapidamente perceberemos o valor circunstancial de mudança em nosso caráter e desenvolvimento actitudinais. É nesse sentido que o Apóstolo Paulo nos convida a não nos envergonharmos do Evangelho de Cristo. Se fizermos uma completa aplicação dos textos sagrados, consequentemente entenderemos o poder de Deus capaz de nos salvar e de aumentar gradativamente, dia após dia, o grau da nossa fé.

O que vimos até aqui, é a Bíblia sendo aplicada em áreas de nossas vidas que envolvem o nosso dia a dia e que muitas vezes, ou na maioria delas, nem sequer damos conta. A primeira coisa que temos que entender é que uma vez sendo aceitos por Deus, precisamos crescer Nele, e isto, através da Sua Palavra. Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. Hb 4:12


A segunda coisa é que podemos ter uma cosmovisão de Deus, desde que esta cosmovisão esteja baseada em uma visão cristã e bibliocêntrica, pois o conhecimento da doutrina de Deus é absolutamente essêncial para nossa vida. Por isso,  vos disse que morrereis em vossos pecados,  porque, se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados. Jo 8:24

Resumindo, podemos afirmar que a nossa salvação depende única e exclusivamente em termos a doutrina certa para nortear nosso desenvolvimento. E para isso não precisamos de sermões práticos e pertinentes, o que precisamos é de Bíblia, pois ela por si só já é absolutamente prática e pertinente.

I. O CORAÇÃO, A SEDE DAS EMOÇÕES.  
O meu coração está dorido dentro de mim, e terrores de morte sobre mim caíram. Sl 55:4
Seguindo nossa caminhada rumo ao crescimento na essência da Palavra, devemos fazer uma separação entre psicologia moderna e Bíblia. A psicologia moderna faz uma distinção entre a cabeça e o coração, e em virtude desta distinção, muitos cristãos liberais insistem que a fé é algo irracional. Eles erram quando colocam a fé em um ambiente localizado entre as nossas emoções, fazendo dela um sentimento abstrato e portanto de difícil interpretação. A Bíblia, no entanto, não faz tal distinção entre coração e cabeça. Na Bíblia, a fé é altamente Racional e por isso mesmo, não se alicerça em emoções. Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem. Hb 11:1

O que precisamos entender, é que o coração como sede das nossas emoções, é capaz de produzir em nós sentimentos que na grande maioria das vezes são inerentes a ocasiões ou situações que já vivemos ou que estamos vivendo agora. Entre este muitos sentimentos, podemos citar por exemplo:

ALEGRÍA. É um estado de satisfação, júbilo ou prazer e que, geralmente, acontece em seguida a algum acontecimento importante que traz grande contentamento, tipo o nascimento de um filho, recebimento de um presente. Mahatma Gandhi chegou dizer que a alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não somente na vitória propriamente dita. Johan Goethe falou que a alegria não está nas coisas, está em nós. A Bíblia, no entanto, relaciona este sentimento entre nove modalidades do fruto do Espírito. Más o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade. Gl 5.22

DOR. No sentido em estamos falando, dor tem a ver com a mágoa originada pelo desgosto oriundo do espírito ou do coração. Podemos dizer que é um sentimento causado por decepção, desgraça, sofrimento, como por exemplo a morte de um ente querido. É um sentimento que pode causar uma sensação de angústia extrema ou mesmo levar a doenças psicossomáticas como a depressão. Sl 38.18 Na verdade estou preste a tropeçar, a minha dor não me larga um momento.

TRANQUILIDADE. Sinônimo de calmaria. Diferente da dor, este é o estado de pessoas que se encontram isento de inquietações, perturbações e alvoroço. É algo que podemos chamar de paz interior. Cícero disse que a vida feliz consiste na tranquilidade da mente. Assim estar tranquilo e algo como estar isento de preocupações. Jó 3.26 Não tenho descanso, nem sossego, nem repouso, e já me vem grande perturbação.

RAIVA. É aquele acesso de fúria, de cólera, de ira, que as vezes nos faz perder o senso da razão e agir de forma meio que inesperada. A raiva nos faz agir mas pelo ímpeto do que pela lógica, pois ela nos priva do raciocínio e é capaz de causar distúrbios do equilíbrio emocional, a tal ponto que Tiago escreve o seguinte: ...mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Tg 1:19

Em resumo, o que podemos dizer que estes sentimentos nascem no nosso coração. Assim, precisamos ser cuidadosos para que nossa fé não seja fruto de nenhuma dessas emoções, pois o mesmo coração que produz em nós todos estes tipos de sentimentos também é capaz de produzir entendimento e conhecimento.

II. O CORAÇÃO, SEDE DOS ENTENDIMENTOS E CONHECIMENTOS. 
eis que fiz segundo as tuas palavras, eis que te dei um coração tão sábio e entendido, que antes de ti teu igual não houve, e depois de ti teu igual se não levantará. 1Rs 3:12
Se o nosso coração é capaz de produzir sentimentos abstratos oriundos de situações adversas que vivemos, ele também é capaz de produzir em nós a capacidade de entender e conhecer os sentimentos mais profundos do nosso ser. Do nosso coração provém todas as vontades e todas as intenções seja para o bem ou seja para o mau. Uma vez que tais sentimentos de inteligência e vontade são produzidos, imediatamente estão prontos para ser colocados em vigor. Também Davi, meu pai, propusera em seu coração o edificar casa ao nome do Senhor , o Deus de Israel. 1Rs 8.17

Podemos então dizer que o coração significa a pessoa na sua totalidade, pois é também do coração que provém a estultice os maus pensamentos e até mesmo as fantasias e visões mesmo que ilusionárias. E disse-me o Senhor: Os profetas profetizam falsamente em meu nome; nunca os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei; visão falsa, e adivinhação, e vaidade, e o engano do seu coração são o que eles vos profetizam. Jr 14:14

Em resumo, concluímos que em razão de sua capacidade, o coração deve ser entendido como a maior representação do nosso ego, pois ele é capaz de melhorar ou mesmo estragar não somente os aspectos físicos mas também o desejo, o pensamento e até mesmo nossos sentimentos. Porque  do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios,  os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura.  Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem. MC 7.21-23

III. O CORAÇÃO, A SEDE DA CONVERSÃO.
E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne. Ez 36:26
O coração é sede de nosso conhecimento e do nosso entendimento, então, é certo dizer que é no coração que se realiza a nossa conversão a Deus, pois será dele que sempre partirá todas as nossas concepções de reverência e de adoração. Assim, se pretendemos mesmo conhecer a graça salvadora de Deus, devemos ir além de simplesmente reduzir nossos comportamentos a leis estabelecidas por sentimentalismos ou emoções, pois isto trata tão somente de uma tentativa de manipular nosso comportamento sem mudar o nosso coração. É uma tentativa moralista e não dura muito tempo, pois se baseia simplesmente em abordagens superficiais.

Temos que é tender de uma vez por todas que o problema da fé não são emocionais e não se tratam com terapias. O problema da fé, se trata com instrução e orientação nas doutrinas biblicas. Terapia tem o seu ponto positivo, desde que basada por ensinamento da Palavra. Em razão disso, nós, os crentes na Pessoa do Senhor Jesus, não devemos nos contentar com um conhecimento superficial da Biblia. Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina como para convencer os contradizentes. Tt 1:9

Para vivermos a essência da Palavra, precisamos conhecer a Bíblia estudando-a de forma sistematizada. Assim é  importantíssimo que as igrejas assumam seu papel de educadoras religiosas e façam, para isso, o uso de todos os meios para que seus membros sejam alcançados pelo ensino correto das Escrituras Sagradas.
Quanto a nós, os membros, resta-nos abrir o nosso coração é aplicarmos o nosso entendimento aos estudos que forem ministrados pela igreja. Seminários, Escola Bíblicas, Workshop, e todos os tipos possíveis de estratégias, devem ser aproveitados para este fim. Mas nada disso vai adiantar se não estivermos dispostos a aprender a Bíblia com toda devoção e com o coração aberto.

domingo, 4 de março de 2018

HOMENS NA LINHA DE FRENTE

Vendo, pois, Joabe que estava preparada contra ele a batalha, tanto pela frente como pela retaguarda, escolheu dentre todos o que havia de melhor em Israel e os formou em linha contra os siros; 1Cr 19:10 ARA

Int. Todo o contexto histórico narrado pelo escritor sagrado tem início num momento em que Davi, na melhor das intenções, procurar se solidarizar com a dor de um filho que havia perdido o seu pai. Hanun, agora rei de Amon havia perdido seu pai Náas. E, segundo palavras do próprio Davi, Náas tinha sido, em vida, seu amigo. Então, disse Davi: Usarei de bondade para com Hanum, filho de Naás, porque seu pai usou de bondade para comigo. Pelo que Davi enviou mensageiros para o consolar acerca de seu pai; e vieram os servos de Davi à terra dos filhos de Amom, a Hanum, para o consolarem. 1Cr 19:2 ARA

Porém segundo Flávio Josefo, Naás teria sido morto em uma batalha pelas forças de Saul, e se essa informação de Josefo for correta, então o Naás que foi bondoso para com Davi, alguns anos mais tarde, provavelmente deveria ter sido um filho e sucessor do Naás derrotado por Saul. Bem, mas seja como for, Hanun e seus conselheiros não viram com bons olhos a atitude de Davi em enviar soldados para lhe consolarem. Disseram os príncipes dos filhos de Amom a Hanum: Pensas que, por te haver Davi mandado consoladores, está honrando a teu pai? Não vieram seus servos a ti para reconhecerem, destruírem e espiarem a terra? 1Cr 19:3 ARA

Então, Hanum toma uma atitude nada amigável, e que trouxera grande vergonha aos soldados de Davi. Hanun simplesmente apreende os soldados de Davi, e ordenou que lhes raspasem as barbas, e como se isto fosse pouco cortaram a metade da roupa dos soldados deixando-lhes com parte das nádegas expostas mandando-os de volta. Tomou então Hanum os servos de Davi, e rapou-os, e lhes cortou metade das vestes até às nádegas, e os despediu.  1Cr 19:4 ARA

Que loucura! Isto era vergonhoso demais para aqueles homens. Davi ao saber daquele ato malfasejo e cruel de Hanun, enfurecido, da ordens para que seus soldados fossem enviados para Jericó, até que suas barbas voltassem a crescer. Hanun e os filhos de Amon, por sua vez, percebem a besteira que haviam feito, e pior, agora não havia volta, o mal estava estabelecido. Hanun, desesperado toma mil talentos de prata, muito dinheiro, e aluga para si, carros e cavaleiros da Mesopotâmia, da Síria, de Maaca e de Zoba. Alugam trinta e dois mil carros de combate, tudo para se aprontarem para a guerra contra Davi. Definida a marcha para o combate por parte do rei de Amon, cabe agora a Davi preparar se estrategicamente para a batalha. O que ouvindo Davi, enviou contra eles a Joabe com todo o exército dos valentes. 1Cr 19:8 ARA

É neste ponto que começamos a entender o que Deus tem para nós neste tema: Homens na Linha de Frente. Sê forte, pois; pelejemos varonilmente pelo nosso povo e pelas cidades de nosso Deus; e faça o Senhor o que bem lhe parecer. 1Cr 19:13 ARA

O exército de Deus é formado por soldados extremamente corajosos, homens de verdade que se alistam cientes de que a luta será extremamente calorosa. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas; destruindo os conselhos e toda altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo entendimento à obediência de Cristo,  2Co 10.5 ARC95

Paulo conhecedor e participante deste exército, consegue nos mostrar como deve ser o nosso condicionamento para o bom desenvolvimento nesta batalha. Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas. 1Ts 6:12 ARC95

Homens que comporão a linha de frente na batalha, precisam ser homens que definitivamente entenderam seu chamado e que se dispuseram viver na prática a verdade da Bíblia como inspiradora e direcionadora de todas as suas atitudes,  escolhas e estratégias no campo de batalha. Para isso, segundo diz Paulo, precisam ser homens que escolheram:

I. MILITAR A BOA MILÍCIA DA FÉ. 
E tu, dentre todo o povo, procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborreçam a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinquenta e maiorais de dez; Êx 18:21

A boa milícia da fé se caracteriza por guerreiros, homens de verdade. Homens tementes a Deus e que são capazes de aborrecer as coisas que invariavelmente os possam ainda os condicionar a este mundo mal. E quanto a isso, Paulo deixou bem claro em sua carta a Timóteo. Ninguém que milita se embaraça com negócio desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente. 2Tm 2:4, 5 ARC95

Militar legitimamente, é a condição destacada por Paulo. Nisto, não há lugar para indecisos, meios crentes, ou coisa do gênero. O que Paulo deixa bem claro e que o combatente precisa agradar aquele que o alistou para a guerra. E o desapego as coisas deste mundo mal, é uma evidência notória. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 1Jo 2:15

II. TOMAR POSSE DA VIDA ETERNA.
Este mandamento te dou, meu filho Timóteo, que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia, conservando a fé e a boa consciência, rejeitando a qual alguns fizeram naufrágio na fé. 1Tm 1:18,19

A boa milícia também fala de certeza,certeza de convicção e convicção não dá lugar para dúvidas. Paulo declara que o bom combatente combate com a razão da sua fé. Ele não combate o nada, não combate o indeciso, mas sua luta te a ver com a certeza de que a posse da vida eterna ao lado daquele que o alistou é fato. Se apossar da vida eterna dá ao combatente disposição, coragem, e condicionamento para a batalha. Pois batalhamos certos de que no final da batalha, receberemos o que nos foi prometido pelo nosso Senhor. E Não é algo que perece, que acaba que desfanece, mas como o texto diz, é algo que dura para a eternidade. Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas.  Hb 2:1

III. FAZER BOA CONFISSÃO DIANTE DE MUITAS TESTEMUNHAS.
E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente.  2Tm 2:5

Militar legitimamente é o ápice de tudo aquilo que falamos até aqui. Isto tem a ver com o tipo de vida que levamos, com aquilo que somos e que transmitimos para aqueles que nos cercam. Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta,  Hb 12:1

Fazer boa confição tem a ver com nosso testemunho pessoal. Tem a ver com o abandono daquelas coisas em que outrora nos corrompiam e nos mantinham presos. É assumir definitivamente nossa posição de servos de Deus, vivendo como servos de Deus.

CONCLUSÃO. Sê forte, pois; pelejemos varonilmente pelo nosso povo e pelas cidades de nosso Deus; e faça o Senhor o que bem lhe parecer. 1Cr 19:13 ARA

Homens na linha de frente precisam ser fortes. Homens na linha de frente precisam estar dispostos a pelejar, mas pelejar de forma varonil. Homens na linha da frente são homens dispostos a pelejar pela cidade, pelo povo, pela família, pela igreja. Homens que Deus  contar com eles.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

CRESCENDO NA ESSÊNCIA DO EVANGELHO. PARTE II

A BIBLIA DEVE SER SEMPRE OBSERVADA COMO REGRA CENTRAL EM TODAS AS DECISÕES IMPORTANTES A SEREM TOMADAS E OBSERVADAS.
sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre. 1Pe 1:23

Se pensamos de forma séria em crescer na essência do Evangelho, então, não temos outro caminho senão o de fazer da Bíblia a nossa regra de fé e pratica. Precisamos confrontar a Bíblia mesmo nos momentos das decisões mais difíceis de serem tomadas. Isto quer dizer que deveremos receber a Bíblia como a Palavra de Deus em todos os sentidos, e entender que tudo o que o Senhor Deus queria nos dizer em relação a Sua Pessoa e ao nosso estado necessário de comunhão com Ele, estão registrados nas páginas deste maravilhoso livro. Mas, respondendo ele, disse-lhes: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam. Lc 8:21

Perceberemos que existe todo um contexto ritualístico no que diz respeito a essenciar a Palavra de Deus nas situações mais diárias. É algo como registrou Pedro em sua epístola. 1Pe 4.11 Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá, para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o poder para todo o sempre. Amém!

Se alguem falar... Se alguem administrar... Seja o que fizermos, devemos fazer em conformidade com o tudo o que nos concedeu Deus, pois no final, toda honra e toda Glória deverá sempre pertencer a Ele. Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus.
1Co 10:31

Decisões temos que tomar em todos os instantes de nossa existência. O que comer, como nos vestir, que curso fazer, como nos deslocarmos para determinado lugar, a que igreja pertencer, etc, etc e etc...

Estamos cercados por tantas questões que as vezes requerem decisões simples de serem tomadas, mas chega o tempo em que vamos nos deparar com decisões que se forem tomadas de forma errada, poderá nos acarretar um futuro de grandes e prolongadas frustrações. Josué confrontou Israel em relação a uma decisão importante a ser tomada. Já 24.15 Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor , escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor .

Funciona exatamente assim. Ao sermos confrontados por decisões que impreterivelmente devem ser tomadas, tomamos, não em conformidade com aquilo que achamos ser o mais certo, mas em conformidade com aquilo que a Bíblia diz ser ser o mais correto. Sendo assim, teremos que escolher colocar nossas escolhas segundo as escolhas que o Senhor Deus escolher para nós.

I. ESCOLHER SERVIR AO SENHOR.
Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor , escolhei hoje a quem sirvais...
Para começar, a primeira e mais importante decisão a ser tomada deve ser a decisão de fazer do Senhor Jesus, Senhor da nossa vida. Esta é a decisão mais acertada pois será a partir desta decisão, que nos aprontaremos para todas as demais decisões que tivermos de tomar.

Porém, em certas decisões, poderemos ser influenciados pela maneira como nós vemos o mundo. A isto chamamos de cosmovisão. A nossa cosmovisão tendenciosamente poderá nos conduzir a ponderar aquilo que devemos fazer da nossa realidade, e aí, podemos correr perigo, pois a cosmovisão, diferente da Bíblia, é sempre formada por um conjunto de pressuposicões que no final podem ser verdadeiras, podem ser verdadeiras em parte ou até mesmo serem totalmente falsa.
E, neste ponto divagaremos é poderemos achar mais conveniente, antes de qualquer decisão, colocar na balança algumas teorias da cosmovisão.

1. A TEORIA DO CONHECIMENTO.
e conhecereis a verdade, e  a verdade vos libertará. Jo 8:32
Neste ponto diante de decisões a serem tomadas nos perguntamos como podemos conhecer o verdadeiro e por quais caminhos possíveis precisaremos trilhar. Descobriremos então que neste ponto temos que ser racionais e usar a razão e a lógica pois aqui valem a ciência e a experiência. E se usamos o racional em busca da razão e da lógica sem nenhuma dúvida, nos voltaremos para a Bíblia, pois nada pode ser mais lógico mais razoável do que a Palavra de Deus. Por isso o Senhor Jesus orou: Santifica-os  na verdade;  a tua palavra é a verdade. Jo 17:17

Quanto mais conhecemos a Deus e nos relacionamos com Ele, melhor será nossas tomadas de decisões. E em tomadas de decisões, não podemos ser místicos e nem céticos. Não devemos decidir por intuição e não decidimos onde não há conhecimento. Decidimos sempre através de nosso conhecimento de Deus e conhecimento de Sua Palavra.  Quem é sábio, para que entenda estas coisas? Prudente, para que as saiba? Porque os caminhos do Senhor  são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão. Os 14:9

2. A TEORIA DA EXISTÊNCIA .
E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. Gn 2:7
Outro caminho que as vezes seguimos na nossas tomadas de decisões diz respeito a teoria da existência, ou como é chamada, a ontologia. É neste ponto que nos perguntamos qual é a natureza do universo? Como somos formados? Somos espirituais ou somos carnais? A teologia traz resposta a todas estas perguntas dizendo que em nossa constituição, nós somos tricótomos, isto é, somos constituídos de Espírito, alma e corpo. Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma. 3Jo 1:2
E, se somos tricótomos, podemos dizer que somos espirituais porque temos espírito e alma, mas somos também carnais, porque temos corpo. Neste contexto, nossa integridade deve valer tanto para a nossa vida carnal quanto para a nossa vida espiritual. O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 1Ts 5:23

A Bíblia vai nos dizer que quanto a nossa formação, somos dicótomos, isto é somos formados por espírito e corpo. E neste caso espírito e alma se confundem entre si pois juntos  completam a nossa natureza espiritual, e o nosso corpo diz respeito a nossa natureza carnal.  Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo e maiormente convosco. 2Co 1:12

3. A TEORIA DO VALOR.
 E, quanto ao vestuário, porque andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam.  E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.  Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pequena fé?  Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos?  (Porque todas essas coisas os gentios procuram.) Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas;  Mas buscai primeiro o Reino de Deus,  e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. Mt 6:28‭-‬33
Nesta teoria nossas decisões dependerão de como vemos as coisas e em que aspecto elas devem ou podem ser valorizadas. Isto pode fazer grande diferença e tem muito a ver com nossa natureza humana ou carnal pois vai falar tanto da ética quanto da estética. Mas o que uma coisa tem a ver com outra podemos estar nos perguntando. Pois bem, a ética diz respeito a nossa teoria da ação. Isto é, como agimos, e como somos. Já a estética diz respeito a teoria da beleza. Fala dos cuidados que precisamos ter em relação a nós mesmo, em relação ao nosso corpo.

A ética vai nos convencer a agirmos de acordo ou consonância com a Palavra. E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. CL 3:17

Somos éticos quando:
▶Investigamos os princípios que motivam, distorcem, disciplinam ou orientam o nosso comportamento.
▶Refletimos a respeito da essência das normas, valores, prescrições e exortações presentes em qualquer realidade social.

A palavra "ética" vem do grego ethos e significa aquilo que pertence ao "bom costume", "costume superior", ou "portador de caráter".

Os Princípios da ética, são universais e não mudam independentemente do lugar onde estamos.  Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.
Fp 4:8

Se a ética tem a ver com comportamentos, a estética tem a ver com a maneira com que nos vestimos ou cuidamos de nós mesmos. Isto tem a ver com coisas que podem parecer muito simples, mas que por vezes acabam sendo negligenciadas. Fala de cuidados íntimos, coisas como escovar os dentes ao acordar, após as refeições, tomar banho, usar perfume, desodorante ou coisa do gênero. Cuidar dos cabelos, fazer a barba, simples assim. Fala da roupa que nos caem bem, que nos faz sentir bem. Se uso a camisa por dentro das calças e gosto disso, não me importo se todos os outros preferem camisas fora das calças. O que importa mesmo e estar trajado de forma decente e confortável.

Mas a estética vai mais além, fala do cuidado que devemos ter com o nosso corpo, fala de consultas periódicas ao médico especialista. (Que não me ouçam os homens). Fala do cuidado com o que comemos, fala da quantidade e da qualidade. Fala do  que posso e do que não devo comer ou fazer uso. Fala ainda de medicamentos, quando usar, como usar porque usar. Isto tudo envolve decisões. Se queremos viver, cuidamos da nossa saúde, mas se já achamos que estamos fazendo hora extra, levamos então uma vida desleixada. Do fumo e do alcool, acho que nem preciso falar. Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência. Porque a terra é do Senhor e toda a sua plenitude. Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus. 1Co10:31

4. A TEORIA DO FIM OU ALVO.
Esta teoria é chamada teleologia que por sua vez indica qualquer doutrina que possa identificar a presença de metas, fins ou objetivos últimos que guiam a natureza e a humanidade. Se consideramos a teleologia como o princípio que possa explicar a organização e as transformações de todos os seres da realidade, podemos chamar então a teleologia de teleologismo ou finalismo.

Esta teoria nos conduz a pensamentos tais como: Qual o fim da vida ou qual será o fim da criação. Aristoteles fundamentou a ideia de que tanto os múltiplos seres existentes, quanto o universo como um todo se direcionam em última instância a uma finalidade que, por transcender a realidade material, é inalcançável de maneira plena ou permanente. A Bíblia, contudo, diferente da teleologia e do pensamento de Aristóteles, tem nas páginas de seus livros todo o desdobramento uma vez fundamentado por Deus e que em um tempo próprio aguarda o seu cumprimento.

Assim nossas decisões vistas pela teleologia só poderão alcançar toda uma ênfase verdadeira se embasar todos os seus conceitos nas verdades deslumbradas pela Bíblia Sagrada e pela teologia, que é a doutrina de Deus. Desta forma podemos escolher viver a vida da maneira que ela quer nos conduzir ou deixar que Deus nos conduza conforme a Sua Palavra. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo... Mt 6:34


CONCLUSÃO.
Se optamos por deixar que o Senhor Deus nos conduza, o fim, para nós não será o fim, mas o começo de uma nova existência ao lado Dele. Se permitirmos ser conduzidos e vivermos a essência de Sua Palavra, perguntas tais como: Porque estou aqui neste universo ou Para qual alvo eu estou direcionado, serão apenas, como registrou Paulo aos Romanos, uma espera paciente em conveniência com tudo aquilo que nos foi prometido em Cristo Jesus o nosso Senhor. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo. Porque, em esperança, somos salvos. Ora, a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê, como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos. 
Rm 8:22‭-‬25

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

PELEJAI PELAS VOSSAS FAMÍLIAS


E olhei, e levantei-me, e disse aos nobres, e aos magistrados, e ao resto do povo: Não os temais; lembrai-vos do Senhor, grande e terrível, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, vossas mulheres e vossas casas.
Ne 4:14

INTRODUÇÃO. Os fatos narrados no livro de Neemias reúnem traços de um momento histórico onde familias judías experimentam um expectativas de reencontro com pessoas amadas das quais haviam sido separadas em razão do cativeiro babilônico que sofreram, e das quais tinham notícias nada agradáveis. ...Os restantes, que não foram levados para o exílio e se acham lá na província, estão em grande miséria e desprezo; os muros de Jerusalém estão derribados, e as suas portas, queimadas. Ne 1.3

Famílias inteiras haviam sido desfaceladas e se viram inevitavelmente vencidas vítimas de um afastamento de Deus. Agora viviam em um país diferente com culturas diferentes, e estavam completamente desprovidos de qualquer esperança no sentido de um dia retornarem novamente a sua terra. O sentimento do povo é descrito em detalhes nas palavras de Neemias ao abrir seu coração diante do Rei da Síria. Ne 2.3 ...Como não me estaria triste o rosto se a cidade, onde estão os sepulcros de meus pais, está assolada e tem as portas consumidas pelo fogo?
Mas no desenrolar do texto, parece que as coisas começavam a mudar, pois Neemias, um alto funcionário de confiança do Rei da Pérsia, judeu e ex morador da cidade de Jerusalém, consegue, através de uma intervenção divina, o que estas famílias  por muito tempo mais desejaram, a reconstrução dos muros, a reedificacão da cidade, e finalmente o retorno a suas casas e o encontro com seus entes queridos.

Então avançamos para o momento em que encontramos famílias alegres, que a convite de Neemias, literalmente se envolveram nas obras de reconstrução das muralhas. Então, lhes disse: Estais vendo a miséria em que estamos, Jerusalém assolada, e as suas portas, queimadas; vinde, pois, reedifiquemos os muros de Jerusalém e deixemos de ser opróbrio. Ne 2:17 Ao chamado de Neemias a resposta é imediata. ...Então, disseram: Disponhamo-nos e edifiquemos. E fortaleceram as mãos para a boa obra. 2:18.

No entanto, se avançamos mais um pouco na leitura, descobrimos que a história ainda não havia terminado, pessoas descontentes com o projeto e com o bem estar destas famílias, se unem e deliberadamente buscam impedir o progresso do empreendimento. ...Que fazem estes fracos judeus? Permitir-se-lhes-á isso? Sacrificarão? Darão cabo da obra num só dia? Renascerão, acaso, dos montões de pó as pedras que foram queimadas?  Ne 4:2
Vamos descobrir que depois de começado o trabalho, ele agora não se limitava simplesmente a reconstrução, foi preciso mais do que isto, pois os inimigos não descansavam no objetivo de os fazer parar. Mas parar agora significava desistir do sonho tão esperado de ter novamente suas casas, irmãos, famílias juntas novamente, então, a palavra a partir de agora era PELEJAI. ...não os temais; lembrai-vos do Senhor, grande e temível, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, vossas filhas, vossa mulher e vossa casa. v.4

A partir de agora a estratégia teria de ser mudada, não bastava mais disposição para trabalhar, o momento exigia mais do que habilidade no uso de ferramentas, era preciso também habilidade e coragem no uso de armas. v.7 Coloquei, pois, como anteparo, por detrás das muralhas, nos pontos descobertos, o povo dividido em famílias, com as suas espadas, lanças e arcos.

O que aprendemos nesta história, é que em se tratando de família, não existe a palavra desistir. É preciso lutar, e lutar sempre pois a peleja é dura e o inimigo é incansável. Daquele dia em diante, metade dos meus moços trabalhava na obra, e a outra metade empunhava lanças, escudos, arcos e couraças; e os chefes estavam por detrás de toda a casa de Judá; os carregadores, que por si mesmos tomavam as cargas, cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a arma. vv. 16, 17

Temos muito o que aprender aqui, pois a luta não foi só deles, o inimigo ainda existe e de forma incansavel trabalha no sentido de também nos fazer parar, pois nossa família, ainda hoje, continua sendo alvo deste inimigo tão cruel.

Neste caso, Pelejai, ainda é a palavra de ordem, pois vivemos em um momento de grandes conflitos e por isso estamos sempre em reconstruções. Nossa família é a parte mais importante neste contexto, e existirão horas em que precisaremos fazer uso de ferramentas importantes que temos a nossa disposição, mas em outras horas usaremos, além das ferramentas, as armas de Deus para proteção de nossa família. pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, vossas mulheres e vossas casas. 

I. NOSSA POSIÇÃO. ESTRATÉGICA.
E sucedeu que, desde aquele dia, metade dos meus moços trabalhava na obra, e a outra metade deles tinha as lanças, os escudos, os arcos e as couraças; e os chefes estavam por detrás de toda a casa de Judá. Ne 4:16

Em uma guerra não podemos ficar destraidos. Nossa posição precisa ser sempre estratégica. Assim, podemos usar as ferramentas necessárias para a construção com ânimo disposto para o trabalho. Assim, edificamos o muro, e todo o muro se fechou até a metade de sua altura; porque o povo tinha ânimo para trabalhar. Ne 4:6
Uma família bem construída, com o uso de ferramentas adequadas, tende a ficar mais estabilizada. Coloquei, pois, como anteparo, por detrás das muralhas, nos pontos descobertos, o povo dividido em FAMÍLIAS...
Se mantermos disposição de ânimo para trabalhar pela família, logo fecharemos todas as brechas que eventualmente são usadas pelo inimigo com o objetivo de minar a nossa casa. Temos as ferramentas, mas precisamos fazer correto uso delas. Assim, edificamos o muro, e todo o muro se cerrou até sua metade; porque o coração do povo se inclinava a trabalhar. Ne 4:6

▶Quando achamos que alguma coisa está errada, Conversamos, evitando a discussão.
▶Quando falarmos algo, falamos em tom agradável e evitamos ficar gritando.
▶Amamos sempre é em qualquer situação nunca dando lugar ao ódio.
▶Procuramos sempre a união evitando qualquer tipo de afastamento.
▶Em situações adversas, ensinamos em vez de bater.
▶Palavras de elogio em lugar de ficar  reclamar de tudo.
▶Orar e vigíar sempre. Porém nós oramos ao nosso Deus e, como proteção, pusemos guarda contra eles, de dia e de noite. Ne 4:9

II. NOSSAS ARMAS. AS ARMAS DE DEUS. Coloquei, pois, como anteparo, por detrás das muralhas, nos pontos descobertos, o povo dividido em famílias, com as suas espadas, lanças e arcos. Ne 4:13
Se nós mantemos firmes atentos e com ânimo pronto, já conseguimos trilhar boa parte da nossa estratégia. Agora o que nós resta é ficarmos prontos para os embates que invariavelmente deverão acontecer. Mas, ouvindo Sambalate e Tobias, os arábios, os amonitas e os asdoditas que a reparação dos muros de Jerusalém ia avante e que já se começavam a fechar-lhe as brechas, ficaram sobremodo irados. Ajuntaram-se todos de comum acordo para virem atacar Jerusalém e suscitar confusão ali. Ne 4:7,8
Será neste ponto que precisaremos mais do que ferramentas, a partir deste momento vamos ter de utilizar as armas de Deus para nossa defesa, e literalmente, sair para a batalha. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo; Ef 6:11
Espada, lança, arco e flexa, foram as armas disponibilizadas para as famílias. Então, talvez possamos nos disponibilizar destas mesmas armas para defender a nossa casa.

1. ESPADA.
E os edificadores cada um trazia a sua espada cingida aos lombos, e edificavam; e o que tocava a trombeta estava junto COMIGO. 
Ne 4:18
Somo salvos, já nos vestimos do capacete da salvação.Temos uma espada e precisamos habilidade para manusear esta arma. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. Ef 6:17
A Palavra de Deus é a primeira arma que temos para o embate na nossa peleja. Será o correto manuseio e o correto entendimento desta arma que nos manterá atentos quanto as decorrências do nosso dia a dia. Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. Hb 4:12
Seremos confrontados por todo tipo de opressão e engano, e será o conhecimento da Bíblia que nos capacitará contra as investidas do nosso adversário. Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 2Tm 2:15
Nossa família precisa ter interação com a Biblia, e isto deve começar o mais breve possível.

▶Se nossos filhos forem ainda pequenos, melhor, pois crianças adoram ouvir histórias e a Bíblia está repleta delas. Então, aproveite ao máximo.

▶Se forem adolescentes, a estratégia terá que ser um pouco diferente, teremos de procurar interagir com eles com assuntos que lhes cause algum interesse, tipo redes sociais, programas de televisão, etc. Mas tudo isso sempre confrontado com textos da Bíblia.

▶Quanto aos adultos, a conversa deve ser franca e a verdade exposta de maneira correta surtirá um maior efeito. Portanto o conhecimento Bíblico aqui é fundamental

Seja como for, nos os pais somos os responsáveis diretos pela educação espiritual de nossos filhos, e não importa quantos anos eles têm agora. E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração; e as intimarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por testeiras entre os teus olhos. Dt 6:6

2. LANÇAS.
Assim trabalhávamos na obra; e metade deles tinha as lanças desde a subida da alva até ao sair das estrelas. Ne 4:21
A lança era uma arma de uso bem individual, diferente da espada que era uma arma de maior aproximação, a lança exigia um uso mais estratégico e de menor aproximação do inimigo. Um duelo em que se fazia o uso de lança, geralmente era letal. Uma ferida a lança levava inevitavelmente a morte.
Isto pode falar, entre outras coisas dos ataques direcionados a pessoas específicas dentro da nossa casa. Por isso é de extrema importância termos habilidade para lidarmos com situações que podem ser muito difíceis. Por isso o conselho Bíblico. Orai sem cessar. 1Ts 5:17

A oração será a segunda arma disponível para nós. Satanás é sujo e desleal e todo cuidado é pouco. Por isso, devemos ser minuciosamente extrategicos, colocando nas mãos de Deus cada membro da nossa casa, pois existem diversas áreas que são  alvos de ação do maligno. Podemos citar entre tantas áreas, a dependência química, o tráfico de drogas, o homossexualismo, as maus amizades e o envolvimento em coisas erradas. Sem nos esquecer da infidelidade conjugal, pois grandes homens, inclusive na Bíblia, foram vencidos nesta área. Olhai, vigiai  e orai, porque não sabeis quando chegará o tempo. Mc 13:33

Será nestas horas que precisaremos da lança, pois teremos de confrontar o inimigo de forma letal. Não podemos e nem devemos desistir de nossos filhos, nunca desistimos de nossa família, pois Satanás não resistirá a um crente que ora é que coloca o Senhor Deus como senhor inclusive de todos os seus problemas e fraquezas. Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças. Fp 4:6

A oração será a nossa arma de guerra, a lança que fatalmente aniquilará todas as artimanhas e todas as estratégias malignas contra nossa família. Por isso ela precisa estar sempre conosco, não podemos e nem devemos esperar palas investidas do maligno para então depois empunhar a lança. Mas tu, quando orares,  entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará. Mt 6:6

3. ARCOS.
Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra; Cl 3.1
Por fim, temos o arco, e se temos o arco, temos também as flexas. Habilidade aqui e vital. Não podemos brincar com coisa séria. Estamos vivendo em um dia mau, em meio a pessoas más, e inevitavelmente passaremos por tribulações pois o dia mau chega para qualquer um. Será aí que estrategicamente usaremos o arco e as flexas.

Para nós isto pode representar uma maior aproximação de Deus. Quanto mais próximo estivermos de Deus, melhor será nossa capacidade de vitória. E aí vai valer toda estratégia bíblica de comunhão com o Senhor.

Mantemos comunhão com Deus quando praticamos atos de aproximação como adoração, fidelidade, temor, obediencia e vida de oração. É isto precisa ser diário, e não apenas quando estamos na igreja. Cada um desses atos são como flexas atiradas contra o inimigo que certamente o enfraquecerá e desestruturará todas as suas ivestidas.
Para isso, nossa casa precisa ser mais que uma simples extensão da igreja. Nossa casa precisa ser, em todos os sentidos, a casa de Deus. O lugar onde o Senhor Deus será o hóspede sempre presente.
Vamos convidá-lo a assentar conosco ao redor da mesa para o nosso café da manhã, para o almoço, o café da tarde e o jantar. Vamos convidá-lo a assentar conosco em nossa sala para juntos assistirmos o programa de TV. Convidá-lo a estar em cada cômodo da nossa casa, nos quartos quando formos nos deitar para dormir. Se Deus for esta pessoa sempre presente na nossa casa, dificilmente o inimigo encontrará espaço para entrar e atingir a nossa família.

Mamãe, hoje é o seu dia

1Rs 2.19 Então Bate-Seba foi falar com o rei em favor de Adonias. Salomão se levantou para recebê-la e se inclinou diante dela. Depois sento...