quarta-feira, 17 de setembro de 2014

PORQUE OS NÃO, NÃO SE DÃO


Jo 4:9 A mulher respondeu: — O senhor é judeu, e eu sou samaritana. Então como é que o senhor me pede água? (Ela disse isso porque os judeus não se dão com os samaritanos.)

"Os judeus não se dão com os Samaritanos
A cidade de Samaria foi a capital do Reino de Israel entre os anos 870 e o ano 721 a.C. Depois de reinar por seis anos em Tirza, Onri, rei de Israel, resolveu construir uma nova capital para o Reino do Norte em uma colina a 11 km a noroeste de Siquém. 1Rs 16. 23,24  "No trigésimo primeiro ano de Asa, rei de Judá, Onri começou a reinar sobre Israel, e reinou doze anos. Reinou seis anos em Tirza. E de Semer comprou o outeiro de Samária por dois talentos de prata, e edificou nele; e chamou a cidade que edificou Samária, do nome de Semer, dono do outeiro".
 
Onri, fez de Samaria a capital de Israel e assim permaneceu até que a Assíria, sob comando do rei Salmanasar cercou a cidade por três anos, tomando-a finalmente  no nono ano de rei Oséias. 2Rs 17.3 Contra ele subiu Salmanasar, rei da Assiria; e Oséias ficou sendo servo dele e lhe pagava tributos.
Salmanasar aprisionou Oséias, destruiu inteiramente o reino de Israel e levou todo o povo como escravo para a Média e para a Pérsia. v.6 No ano nono de Oséias, o rei da Assíria tomou Samária, e levou Israel cativo para a Assíria...
 
Salmanasar, para evitar que Israel virasse um deserto, enviou para Samaria e para outros lugares do reino de Israel alguns povos de uma província da Pérsia conhecidos por "chuteenses". Eram conhecidos assim por habitarem ao longo de um rio chamado Chute. Esses novos habitantes de Samaria, eram pelo menos, de cinco nações diferentes, cada uma com seu deus e seu culto particular. 2Rs 17. 24 Depois o rei da Assíria trouxe gente de Babilônia, de Cuta, de Ava, de Hamate e de Sefarvaim, e a fez habitar nas cidades de Samária em lugar dos filhos de Israel; e eles tomaram Samária em herança, e habitaram nas suas cidades.
 
Como não conheciam o Senhor Deus, e muito menos as Suas leis, estes novos habitantes foram atacados por terríveis feras, e não sabiam o que fazer para escapar desta praga que invadira o país.  2Rs 17.25 E sucedeu que, no princípio da sua habitação ali, não temeram ao Senhor; e o Senhor mandou entre eles leões, que mataram alguns deles.
 
Aconselhados, pediram ao rei da Assíria que lhes enviasse alguns dos sacerdotes hebreus, prisioneiros, para os instruírem na lei de Deus e ensinarem a prestarem-lhe as honras devidas. 2RS 17.28. Veio, pois, um dos sacerdotes que eles tinham transportado de Samária, e habitou em Betel, e lhes ensinou como deviam temer ao Senhor. Logo que aprenderam as leis de Deus, a peste cessou.
 
Um problemas no entanto permanecia, os chutenses tinham seus próprio deuses e tinham cada qual a sua própria religião. 2Rs 17.33 Assim temiam ao Senhor, mas também serviam a seus próprios deuses, segundo o costume das nações do meio das quais tinham sido transportados. Passaram a conhecer a respeito do Deus da terra, mas tinham com eles os seus próprios deuses ao quais serviam. v.41. Assim estas nações temiam ao Senhor, mas serviam também as suas imagens esculpidas...

Os chutenses eram espertos e com muita frequência mudavam suas atitudes em relação aos judeus com os quais dividiam a terra. A situação real era a seguinte: Quando os judeus estavam vivendo em paz, as coisas iam bem, não haviam problemas com o governo, os chutenses se diziam irmãos dos judeus, afirmando terem origem num mesmo ramo e eram descendentes de José. Quando porém a sorte dos judeus era contrária e se envolviam em lutas, eles mudavam o discurso, diziam que não conheciam os judeus, e que não eram obrigados a amá-los, pois, os judeus é que tinham vindo de um país afastado para se estabelecer na terra em que eles habitavam. Esta história de desentendimento entre estes dois povos estava apenas no começo.  O historiador Flávio Josefo, no livro História dos Hebreus, descreve vários momentos de desavença entre eles.

Deixa-me então citar rapidamente um outro momento dos relatos de Josefo. Aconteceu durante o exílio assírio, na reconstrução ou restauração do templo por Esdras e Zorobabel. Apenas para nos localizarmos na história, a Bíblia cita primeiro um templo que fora construído pelo Rei Salomão e que foi completamente destruído pelo rei Nabucodonozor, da Babilônia quando este invadiu o Reino do Sul (Judá/Benjamim) Isto, segundo Josefo aconteceu 470 anos, 6 meses e 10 dias desde a construção do Templo, 1602 anos, 6 meses e 10 dias desde a saída do Egito e 1950 anos, 6 meses e 10 dias desde o dilúvio. Pois bem, logo no primeiro ano, reinando sobre os persas, Ciro leu nas profecias de Isaías, escritas 210 anos antes de seu nascimento e 140 anos antes da destruição do Templo, que Deus o havia escolhido como rei sobre várias nações e que ele seria instrumento para fazer o povo judeu voltar a Jerusalém para reconstruir o Templo. Assim diz o Senhor ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater nações diante de sua face... Is 45:1. Ciro, deu ordem imediatamente para que fosse feito tudo o que o profeta falara a seu respeito. Que digo de Ciro: Ele é meu pastor, e cumprira tudo o que me apraz; de modo que ele também diga de Jerusalém: Ela será edificada, e o fundamento do templo será lançado. Is 44:28

Sob o comando de Esdras, foram lançados os alicerces do Templo e os judeus trabalharam com ardor para finalmente reconstruí-lo. Ed 1.2 Ciro, rei da Pérsia, por meio desta, anuncia que o Senhor, o Deus do céu, que me deu este vasto império, agora me encarregou de construir para ele um templo em Jerusalém, na terra de Judá.  O rei Ciro permitiu aos judeus retornem a sua terra para ajudarem na reconstrução deste templo. v.3 Todos os judeus residentes neste reino podem agora voltar a Jerusalém para reconstruir este templo do Senhor...

Ai, aparecem os chutenses mais uma vez... A Bíblia narra que as nações vizinhas de Jerusalém, particularmente, quem? Os chuteenses, pediram aos responsáveis pelas obras que deixassem que eles participassem da reconstrução. Ed 4.2 eles se aproximaram de Zorobabel e dos outros chefes e sugeriram: "Deixe a gente trabalhar com vocês, pois estamos tão interessados em seu Deus como vocês; temos oferecido sacrifícios a Ele desde que o rei Esar-Hadom da Assíria nos trouxe para cá. A resposta não os agradou em nada. v.3. Mas Zorobabel, Jesua e os outros chefes judeus responderam: "Não, vocês não podem ter parte nesta obra. Os israelitas é que devem construir o templo do Deus de Israel, exatamente como ordenou o rei Ciro. A partir daí, começa uma conspiração por parte dos chuteenses no sentido de fazer a obra parar. Ed 4.4. Então os residentes locais tentaram desanimar e amedrontar os israelitas. Para isso enviaram agentes pagos ao rei Ciro, os quais contaram mentiras sobre o que se passava...
 
E não pensem que eles desistiram logo, diz a Bíblia que continuaram suas conspirações contra os judeus no reino Assuero, e fizeram a mesma coisa durante o reinado de Artaxerxes. ...Isto continuou assim durante todo o seu reinado, até que o rei Dario, o persa, subiu ao trono. Chegaram mesmo a conseguir a paralisação temporária das obras durante o reino do rei Artexerxes. Ed 4.21 "Portanto, ordeno que esses homens parem a construção do templo até que eu tenha investigado o assunto mais completamente".

v. 24. Assim o trabalho ficou parado até ao segundo ano de Dario, rei da Pérsia. Quando Finalmente os judeus conseguiram terminar as obras, adinvinhem que povo se juntou a eles nas comemorações?  Isto mesmo, os chuteenses! Ed 6.21 E alguns dos pagãos que se estabeleceram em Judá abandonaram seus costumes imorais e se juntaram aos israelitas na adoração ao Senhor Deus. Eles, com a nação inteira, comeram a páscoa e celebraram a festa dos pães sem fermento pelo espaço de sete dias. Houve grande alegria em toda a terra porque o Senhor fez com que o rei da Assíria fosse generoso para com Israel e prestasse auxílio na construção do templo de Deus.

Agora estamos muitos anos a frente destes acontecimentos. Não temos mais uma multidão, mas apenas um homem e uma mulher. Um judeu, uma Samaritana. Jesus havia deixado a Judéia e ao voltar à província da Galiléia, no caminho, teve de passar por Samaria. Era meio-dia, cansado da viagem Jesus chega a uma aldeia chamada Sicar, e vai em direção a um Poço situado em uma propriedade que Jacó havia dado ao seu filho José. Jesus cansado da longa caminhada e do sol quente, senta-se exausto ao lado do poço. João diz que uma mulher veio ao poço para retirar água, e Jesus simplesmente lhe pediu um pouco de água. Jo 4.7 Logo uma mulher samaritana veio tirar água, e Jesus pediu um pouco. Nada de mais, não fosse o fato de que Jesus era judeu, e a mulher, uma chuteense, ou seja, uma Samaritana. E, para surpresa da mulher, o  judeu lhe dirigia a palavra e lhe pedia água! Esse povo nem falam com a gente!  Pensou a mulher, e não só pensou como comentou isso com Jesus. Chegando mesmo a confrontar o Mestre... v. 12. Além do mais, o Senhor é mais importante do que o nosso antepassado Jacó? Insatisfeita ela ainda tem mais uma pergunta... v.20. Mas me diga uma coisa: por que é que vocês, os judeus, insistem em que Jerusalém é o único lugar de adoração, enquanto nós, os samaritanos, dizemos que é aqui (no Monte Gerizim), onde os nossos antepassados adoraram?
 
O tratamento, apesar do peso de todos os anos passados não havia mudado, era o mesmo de tantos anos atrás. Judeus e Samaritanos continuavam a não manterem  aproximação amistosa. O Senhor Jesus veio para de uma vez por todas quebrar este paradígma. Ef 2.14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade. O sentimento que afastou os judeus dos samaritanos por tanto tempo, povos que apesar de vizinhos, viviam tão perto e se mantinham tão longe uns dos outros, parece ser um mesmo sentimento que vem atuando em nossos dias e nos separando uns dos outros. As razões que nos levam a esta atitude de distanciamento são razões que poderiam ser resolvidas, os motivos as vezes são os mais banais, e o pior é que as vezes nem mesmo existe um motivo. O distânciamento sempre parece mais fácil que o dialogo. Afinal, não somos nós que estamos sempre certos e sempre tão cheio de razão? Achamos que uma simples amizade perdida não nos vale o sacrifício de um difícil pedido de perdão. Um amigo a menos, pensamos nós, não fará nenhuma falta! Como estamos enganados... A inimizade nunca é o melhor caminho. A paz sempre deve ser preferida a guerra. E a nossa luta sempre deve ser altruísta. Se tivermos que lutar, que a nossa luta seja sempre pela paz. 2Ts 3.16 Ora, o próprio Senhor da paz vos dê paz sempre e de toda maneira. O Senhor seja com todos vós.

Grandes homens escreveram seus nomes na história, simplesmente lutando em favor da paz. Muito falaram e muito fizeram numa luta as vezes desigual e covarde. Alguns perderam a suas vida nesta luta, mais nunca desistiram de lutar em nome deste ideal chamado paz! Nomes como os de Mahatman Ghandi, Martin Luther King Jr, Nelson Mandela, foram apenas alguns dentre tantos que não abriram mão de seus sonhos por um mundo de paz. Jesus nunca poupou argumentos para falar sobre ela. Jo 14.27. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; eu não vo-la dou como o mundo a dá... Nosso problema é que sonhamos com a paz, mas quando estamos acordados não abrimos mãos de fazer uma boa guerra!
 
A Bíblia quer nos ensinar a viver bem e melhor nesta vida. Ela nos apresenta princípios que uma vez seguidos, podem evitar as decepções que este mundo mal decidiu infrigir sobre nossas nossas famílias. Não precisamos viver como judeus e samaritanos a vida inteira lutando uma luta tola que na verdade nenhum deles sabem porque qual causa estão lutando. Quero apresentar dois princípios, não mais que isso. Depois me retirarei deste púlpito de forma tranquila e consciente de que o que Deus tinha para dizer, Ele falou...
 
1. O PRINCÍPIO DAS POSSIBILIDADES. Rm 12. 18. Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens. É possível viver em paz com todas as pessoas? Talvez nossa resposta seja não, afinal somos tão diferentes um dos outros. Gostamos de coisas diferentes e nossos sentimentos quase sempre são conflitantes com os sentimento das outras pessoas. Concluímos ser impossível viver a paz quando dos gêneros são incompatíveis. Mas, existe um ditado: Quando um não quer... Por esta razão Paulo nos faz um convite a vivermos acima das nossas "possibilidades". Possibilidade é a capacidade de fazer o possível. Viver acima das possibilidades é viver de tal forma que sejamos capazes de gerenciar nossos sentimentos e nossas reações a fim de nos tornarmos capazes de formatar o que consideramos impossível de maneira a torná-lo possível. Por isso o texto diz: "...quanto depender de vós". Será com certeza um exercício diário de utilização de toda nossa capacidade de não gerir sentimentos capazes de nos fazer desejar revidar o mal com o mal. 1Pe 3. 11 aparte-se do mal, e faça o bem; busque a paz, e siga-a. Podemos até estar nos perguntando, será que eu consigo? É um princípio Bíblico, e como todos os princípios bíblicos, a própria Bíblia se encarrega de nos mostrar o caminho. Rm 14.19 Assim, pois, sigamos as coisas que servem para a paz e as que contribuem para a edificação mútua. Este princípio tem a ver com um estilo de vida. Uma "contribuição" própria no sentido de vivermos um mundo um pouco melhor. 2Co 13.11 Quanto ao mais, irmãos, regozijai-vos, sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco.

2. O PRINCÍPIO DO IMPOSSIBILIDADE. Hb 12.14. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. Se por um lado existe a possibilidade de vermos nosso mundo em paz, por outro existe a impossibilidade de vermos nosso Senhor sem ela. É preciso entender nossa posição no mundo para viver este segundo princípio. Nós, os salvos em Jesus Cristo, não temos nenhuma razão para vivermos em guerra. O Senhor Jesus "desfez" toda divisão e toda separação que poderia promover a sensação da discórdia. Cl 3.15. E a paz de Cristo, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações... Nossa parte, é viver neste mundo e na Igreja,  de maneira que consigamos conservar de forma permanente todo trabalho que o Espírito Santo operou em nós. Ef  4.3 procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz.  O princípio da impossibilidade foi descrito pelo Senhor Jesus, e todo processo pode ser visto amplamente em  Mt 5. 38. Ouvistes que foi dito: ...Eu, porém, vos digo que não resistais ao homem mau... É o princípio de resiliência. v.39 "...qualquer que te bater na face direita, oferece-lhe também a outra..." Em casos assim oramos a Deus e pedimos: Senhor me dá graça...  Pois se Deus nos der força queremos quebrar a cara de quem nos afronta.

Neste princípio na maioria das vezes temos que aprender a viver com o difícil sentimento da perda. É mesmo na certeza de estarmos com razão, para evitar o "bate-boca" ficamos calados. v.40 e ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; A questão não é servir de "capacho" é evitar o enfrentamento. v.41. e, se qualquer te obrigar a caminhar mil passos, vai com ele dois mil. Quando um não quer... O escritor de Provérbios nos diz que são nas horas das maiores aflições que os amigos se revelam verdadeiros irmãos. O irmão é solidário, é cortês, sabe tratar aos outros com respeito, é incapaz de ver seu próximo passando nescessidade, e fechar-lhe as mãos, pelo contrário, o irmão está sempre pronto para se movimentar a favor do nescessitado. 42. Dá a quem te pedir, e não voltes as costas ao que quiser que lhe emprestes.
 
Por fim, o Senhor Jesus dá o "xeque mate", a palavra final. vv 43,44,45 Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; . para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. Na igreja não tem lugar mais para guerrinhas tipo" judeus x samaritanos" Aqui não existem "melhores" nem "piores". Ninguém é mais filho de Deus do que os outros, ninguém é filho predileto. 2Ts 3.16 Ora, o próprio Senhor da paz vos dê paz sempre e de toda maneira. O Senhor seja com todos vós. Quando tivermos que tomar uma iniciativa diante de uma afronta que seja sempre no sentido de terminar a briga ou, melhor ainda, nem permitir que a briga aconteça. 2Pe 3. 14. Pelo que, amados, como estais aguardando estas coisas, procurai diligentemente que por ele sejais achados imaculados e irrepreensível em paz. Este deve ser o nosso modo de viver e o modo de viver da igreja. Como bem disse Martinho Lutero: QUE DEUS NOS AJUDE...
 

At 9.31. Assim, pois, a igreja em toda a Judéia, Galiléia e Samaria, tinha paz, sendo edificada, e andando no temor do Senhor; e, pelo auxílio do Espírito Santo, se multiplicava.
 
 

A NOIVA DE CRISTO

Texto Básico: Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o se...