quarta-feira, 23 de novembro de 2011

POSSUINDO A NATUREZA DE DEUS


Sim, embora seja impossível conhecê-lo perfeitamente, peço que vocês venham a conhecê-lo, para que assim Deus encha completamente o ser de vocês com a sua natureza. (Ef 3:19)

Introdução: Natureza é o mesmo que temperamento, é o caráter íntimo de uma pessoa ou coisa. Falar da natureza humana é na verdade falar das qualidades, propriedades, atributos ou condições que distingue as pessoas umas das outras determinando-lhes a natureza. Para uma melhor compreensão do que estamos dizendo parafraseamos o texto bíblico de Colosensses 3.10 Essa natureza é a nova pessoa que Deus, o seu criador, está sempre renovando para que VOCÊ se torne parecido com ELE...” Assim, podemos afirmar que a natureza da pessoa são as qualidades que as tornam diferentes umas das outras. Quando dizemos que alguém tem a natureza idêntica a de outra pessoa, é porque por alguma razão, identificamos algumas características semelhantes em ambas. Isto é muito fácil de acontecer. Possuir a natureza de Deus é ter as qualidades que são próprias do Ser Deus. É ser “parecido” com Ele, e isto sim, parece não ser alguma coisa tão fácil. Acontece, que não estamos falando de forma física, mais nas qualidades essências do ser. Assim, se Deus é amor, quando demonstramos amor, estamos demonstrando uma qualidade que mesmo sendo essencialmente divina, pode muito bem ser vista no ser humano. Vistam-se com a nova natureza, criada por Deus, que é parecida com a sua própria natureza e que se mostra na vida verdadeira, a qual é correta e dedicada a ele. (Ef 4:24). Desta forma seremos capazes de distinguir o tipo de pessoa que somos pela observação da natureza que portamos. Pessoas boas, evidentemente, são pessoas portadoras de natureza boa, suas características são por excelência a da pratica das coisas boas. Pessoas más, por outro lado, são portadoras de natureza má. Sempre estão em busca de praticar maldades. Porém, pessoas más, podem se tornar pessoas boas e pessoas boas podem melhorar ainda mais a sua natureza humana. Vai fazer enorme diferença em nossa natureza se ela foi moldada em Deus ou simplesmente aprendida com o mundo. Somente entenderemos estas diferenças se conseguirmos entender o processo de Deus na salvação do homem e conseqüentemente a mudança interior que é fruto de uma operação sobrenatural do Espírito Santo em nossa natureza humana e pecaminosa.

POSSUIR  A NATUREZA DE DEUS É RECEBER OS MÉRITOS DE UMA MORTE FISICA DIVINA PARA VIVER UMA MORTE ESPIRITUAL HUMANA.
Pois sabemos que a nossa velha natureza pecadora já foi morta com Cristo na cruz a fim de que o nosso eu pecador fosse morto, e assim não sejamos mais escravos do pecado.(Rm 6:6 )
Para que a nossa velha natureza humana se tornasse uma com Deus, foi primeiro necessário que o Filho de Deus entregasse a Sua vida em favor da humanidade. O pecado original manchou a natureza humana, e o homem se tornou em essência, pecador. “O pecado entrou no mundo por meio de um só homem, e o seu pecado trouxe consigo a morte. Como resultado, a morte se espalhou por toda a raça humana porque todos pecaram.” (Rm 5:12). Como poderemos entender isto? Paulo esclarece em Filipenses 2.5-9, que Jesus, que é Deus, e que possui natureza divina, abriu mão de tudo que era seu e assumiu uma natureza humana de servo ficando parecido com nós os seres humanos e vivendo uma vida comum e humilde. Nessa condição de servo Jesus entregou a Sua vida na cruz a fim de que nós, os seres humanos, pudéssemos adquirir através dele, uma natureza parecida com a dele “É verdade que, por causa de um só homem e por meio do seu pecado, a morte começou a dominar a raça humana. Mas o resultado do que foi feito por um só homem, Jesus Cristo, é muito maior! E todos aqueles que Deus aceita e que recebem como presente a sua imensa graça reinarão na nova vida, por meio de Cristo.” (Rm 5:17). Em suma, o resultado é que morreu um justo sem merecimento algum para que nós os seres humanos injustos, também sem merecimento algum, pudéssemos, pelo mérito de Sua morte, viver uma novidade de vida. “Pois em Cristo, como ser humano, está presente toda a natureza de Deus,  e, por estarem unidos com Cristo, vocês também têm essa natureza. Ele domina todos os poderes e autoridades espirituais.” (Cl 2:9-10). Por causa disso, as qualidades da natureza divina de Cristo, e o mérito de sua morte na cruz fazem com que nós, mesmo carnais, sejamos transformados uma vez que por decisão própria, recebemos o Senhor Jesus como Salvador pessoal. “Desse modo ele nos tem dado os maravilhosos e preciosos dons que prometeu. Ele fez isso para que, por meio desses dons, nós escapássemos da imoralidade que os maus desejos trouxeram a este mundo e pudéssemos tomar parte na sua natureza divina.” (2Pe 1:4). Pertencer a Cristo é o fato determinante para esta mudança de natureza. Nada acontecerá se não houver por parte do ser humano, uma decisão em permitir que Cristo torne-se o Senhor da sua vida. “Pois, pela morte de Cristo na cruz, nós somos libertados, isto é, os nossos pecados são perdoados. Como é maravilhosa a graça de Deus,” (Ef 1:7).

POSSUIR A NATUREZA DE DEUS É VIVER DE MANEIRA TAL A NÃO PERMITIR UMA INVASÃO DA ANTIGA NATUREZA HUMANA.
“As pessoas que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a natureza humana delas, junto com todas as paixões e desejos dessa natureza.” (Gl 5:24)
Antes de recebermos a Cristo, tínhamos uma vida completamente indiferente para com as coisas de Deus. Vivíamos de acordo com a nossa própria vontade e não tínhamos nenhuma inclinação para as coisas espirituais. É no momento em que recebemos os méritos do sacrifício de Cristo na cruz do Calvário que passamos a experimentar uma mudança radical em nossa natureza humana e pecaminosa. De fato, todos nós éramos como eles e vivíamos de acordo com a nossa natureza humana, fazendo o que o nosso corpo e a nossa mente queriam. Assim, porque somos seres humanos como os outros...” (Ef 2:3). Estávamos destinados a sofrer o castigo de Deus por conta do salário pelo pecado que sempre será a morte (Rm 6.23). Uma vez que nosso estado era de pecado, logicamente, não havia esperança alguma para nós. “Porque, se vocês viverem de acordo com a natureza humana, vocês morrerão espiritualmente; mas, se pelo Espírito de Deus vocês matarem as suas ações pecaminosas, vocês viverão espiritualmente.” (Rm 8:13). No entanto, tendo recebido Jesus como Senhor e Salvador pessoal, tudo muda, agora já não existe condenação alguma sobre nossas vidas (Rm 8.1), todo o preço e toda a paga pelos nossos pecados foram acertados de fato na cruz por Cristo. “Antigamente vocês estavam espiritualmente mortos por causa dos seus pecados e porque eram não-judeus e não tinham a lei. Mas agora Deus os ressuscitou junto com Cristo. Deus perdoou todos os nossos pecados  e anulou a conta da nossa dívida, com os seus regulamentos que nós éramos obrigados a obedecer. Ele acabou com essa conta, pregando-a na cruz.” (Cl 2:13-14). Não é exatamente por algo que nós fizemos, mais é por aquilo que cristo fez por nós na cruz, e uma vez que agora somo salvos por Ele, temos que andar em novidade de vida. Andar unidos ao Senhor, ser como Ele é, ter a sua natureza. “Portanto, já que vocês aceitaram Cristo Jesus como Senhor, vivam unidos com ele.” (Cl 2:6). Permitir uma completa mudança de mente e de coração e ser transformados por Deus, é a parte que nos cabe como filhos. Deus o nosso Pai, fez tudo o que era preciso para que a nossa salvação estivesse garantida, agora a nossa parte neste trato é o de procurar viver o melhor de Deus, procurando sempre agradá-lo com nossas ações e atitudes. “Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele.” (Rm 12:2). A nossa velha natureza, foi morta e sepultada em Cristo, na cruz do Calvário. Somos novas criaturas e temos o dever de não permitir que a velha natureza se reflita novamente sobre nós. “Portanto, meus irmãos, nós temos uma obrigação, que é a de não vivermos de acordo com a nossa natureza humana.” (Rm 8:12). Como bem disse Paulo em 2 Corítios 5.17, as coisas velhas, isto é, tudo aquilo que fazia parte de nossa antiga natureza pecaminosa, se passaram, agora, chegou o novo!

POSSUIR A NATUREZA DE DEUS SIGNIFICA SER UM COM ELE.
A natureza divina que tu me deste eu reparti com eles a fim de que possam ser um, assim como tu e eu somos um. (Jo 17:22)
Novas atitudes, novos comportamentos e novo modo de ser, são algumas das características que uma vez moldadas em Cristo, farão enorme diferença para com o mundo. Ser discípulo de Cristo, é aprender com Ele. Possuir a natureza de Cristo, é viver como Ele. “E a natureza gloriosa do meu Pai se revela quando vocês produzem muitos frutos e assim mostram que são meus discípulos.” (Jo 15:8). Isto quer dizer que ao recebermos as virtudes da natureza de Cristo, recebemos dele “Qualidades”. Estas qualidades de Cristo em nós, sempre moldarão a nossa vida para o melhor. “Mas tenham as qualidades que o Senhor Jesus Cristo tem e não procurem satisfazer os maus desejos da natureza humana de vocês.” (Rm 13:14). O diferencial na vida daquele recebe Jesus como Senhor, são exatamente estas qualidades. Manter estas qualidades é a tarefa que nos cabe como crentes. Algumas práticas precisam ser abandonadas e nem sempre é fácil abandoná-las. Parecer com Cristo exige mudanças e esforços principalmente em relação a comportamentos. Práticas sexuais que são contrárias a moral, impurezas. (Aquilo que, misturado a uma substância, a polui ou adultera), ações contrárias a decência, são apenas alguns exemplos de práticas que o salvo deve abandonar por amor ao Senhor. “As coisas que a natureza humana produz são bem conhecidas. Elas são: a imoralidade sexual, a impureza, as ações indecentes,” (Gl 5:19). Abandonar a velha natureza, está será a máxima que de forma alguma e em momento algum pode ou deve ser negligenciada pelo salvo. O salvo deve ser sempre alguém que entendeu o seu chamado e que aprendeu que viver em novidade de vida é tudo o que ele precisa para ser parecido com o Mestre. “Portanto, abandonem a velha natureza de vocês, que fazia com que vocês vivessem uma vida de pecados e que estava sendo destruída pelos seus desejos enganosos.” (Ef 4:22). Quanto mais conhecemos o Senhor Jesus, mais desejamos nos tornar parecidos com Ele. Quanto mais nos parecermos com o Senhor Jesus mais a nossa velha natureza vai sendo sacrificada e morta. “Não mintam uns para os outros, pois vocês já deixaram de lado a natureza velha com os seus costumes  e se vestiram com uma nova natureza. Essa natureza é a nova pessoa que Deus, o seu criador, está sempre renovando para que ela se torne parecida com ele, a fim de fazer com que vocês o conheçam completamente.” (Cl 3:9-10)

CONCLUSÃO:
Como receber a natureza de Deus? Recebendo os méritos da morte de Cristo na cruz, nossa natureza humana é sacrificada juntamente com Ele, passamos a viver uma nova natureza em Deus. Vivendo neste mundo de maneira a não permitir que nossa velha natureza humana pecaminosa assuma novamente as o controle de nosso atos, e conseqüentemente deixemos de viver em novidade de vida ao lado de nosso Senhor Jesus Cristo. Possuir a natureza de Deus significa acima de qualquer coisa, realmente ser um com Ele, de forma tal a que todos os nossos atos e todas as nossas atitudes sejam moldadas na vida dele, e que como o Apostolo Paulo, possamos dizer: Assim já não sou eu quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim. (Gl 2:20)






quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O PERFIL DE UM LOUCO

“Então, na frente de todos eles, fez de conta que estava louco. Quando tentaram segurá-lo, ele começou a agir como doido: rabiscava os portões da cidade e deixava escorrer saliva pela barba.  Então Aquis disse aos seus oficiais: —Este homem está louco! Por que o trouxeram para cá?  Será que já não tenho bastantes loucos em volta de mim? Por que trazem outro doido para a minha própria casa, a fim de me aborrecer com as suas loucuras?” (1Sm 21:13-15).

Introdução: Na presença do rei Abimeleque, Davi fingiu que estava louco, e por isso Abimeleque o mandou embora. Depois de sair, Davi escreveu o salmo 34. ...Eu sempre darei graças a Deus, o SENHOR; o seu louvor estará nos meus lábios o dia inteiro.”
Louco = Adjetivo, isto é, uma palavra que modifica o substantivo, indicando qualidade, caráter, modo de ser ou estado.
·         Que perdeu a razão; doido, maluco/ Contrário à razão; insensato.
·         Dominado por paixão intensa; apaixonado/ Extravagante
Davi foi capaz de descrever sua “loucura” nas letras do Salmo 34, e ao contrário daquilo que o rei Abimeleque pensou, a loucura de Davi, era a loucura de alguém que aprendera de maneira prática a engrandecer a Deus e viver sua vida de maneira tal a demonstrar em cada traços de seus gestos uma paixão extravagante intensa e determinada por seu Senhor. Ao escrever este salmo Davi mostra de forma clara como é a “loucura” de se render a Cristo, assim como Paulo escreveu, reconhecendo-o como Senhor e Salvador Pessoal. “De fato, a mensagem da morte de Cristo na cruz é loucura para os que estão se perdendo; mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus.” (1Co 1:18). Assim, perguntamos, Quem é o louco? Ou ainda, o que é a loucura ? Davi nas linhas do salmo responde: O louco é sempre...

I. ALGUÉM QUE POR ESTAR “DOMINADO POR UMA PAIXÃO INTENSA” DESCOBRIU MOTIVOS PARA ENGRANDECER AO SEU SENHOR E FAZER DESTE SEU LOUVOR UM INSTRUMENTO FAVORÁVEL DE AGRADECIMENTO A DEUS.“Eu o louvarei por causa das coisas que ele tem feito; os que são perseguidos ouvirão isso e se alegrarão.  Anunciem comigo a sua grandeza; louvemos juntos o SENHOR.” (Sl 34:2-3)

a)    “eu o louvarei...”
 O louvor é a expressão maior de gratidão a Deus. Davi entendeu isto e aprendeu a louvar ao Senhor de maneira que o seu louvor foi capaz de expressar toda a sua alegria e contentamento a Ele.
·         O SENHOR é a minha força e o meu escudo; com todo o coração eu confio nele. O SENHOR me ajuda; por isso, o meu coração está feliz, e eu canto hinos em seu louvor  (Sl 28:7)
Somente alguém que se deixasse “dominar” por Deus por uma paixão tão intensa como Davi, saberia expressar de forma tão enfática e alegre toda a sua gratidão a Ele. Davi fazia do louvor o alimento que o sustentava e o mantinha de pé. As tuas bênçãos são como alimentos gostosos; elas me satisfazem, e por isso canto alegremente canções de louvor a ti. (Sl 63:5). Esta certeza em Deus, fazia deste homem um verdadeiro adorador e era o que o impedia de fraquejar diante das maiores adversidades da vida. A loucura de um adorador apaixonado pelo seu Deus
·         O meu coração está firme, ó Deus, bem firme; eu cantarei hinos em teu louvor. Acorde, meu coração!” (Sl 108:1)

b)   por causa das coisas que Ele tem feito...
Davi quando olhava para trás e percebia o quanto ele era devedor de Deus, pois sem nenhum merecimento o Senhor o havia abençoado e os maravilhosos “feitos” do Senhor estavam sempre presentes na sua história. Ó SENHOR Deus, os teus feitos poderosos me tornam feliz! Eu canto de alegria pelas coisas que fazes. (Sl 92:4). Como não amar um Deus assim? Como não se deixar dominar por um sentimento como Este? Davi não podia jamais esquecer-se de todos os feitos de seu Deus, eram tantos e tão maravilhosos dignos de um Deus bondoso e cheio de misericórdias como o Senhor! O SENHOR não nos deixa esquecer dos seus feitos maravilhosos; ele é bom e tem muita misericórdia. (Sl 111:4)

II. ALGUÉM QUE “APAIXONADO POR DEUS” APRENDEU A ESPERAR  INTEIRAMENTE NELE SEM NUNCA SE DESAPONTAR E QUE DESCOBRIU QUE A FELICADE E SEGURANÇA SOMENTE EM DEUS PODEMOS EXPERIMENTAR.
“Eu pedi a ajuda do SENHOR, e ele me respondeu; ele me livrou de todos os meus medos.  Os que são perseguidos olham para ele e se alegram; eles nunca ficarão desapontados.  Eu, um pobre sofredor, gritei; o SENHOR me ouviu e me livrou das minhas aflições.  O Anjo do SENHOR fica em volta daqueles que o temem e os protege do perigo.  Procure descobrir, por você mesmo, como o SENHOR Deus é bom. Feliz aquele que encontra segurança nele!” (Sl 34:4-8)

a)    “...Ele me respondeu...”
Davi conhecia o Deus que tinha todas as respostas das quais ele precisava. Em nenhum momento da sua vida Deus o havia deixado sem respostas.
·         Na minha aflição, eu clamei ao SENHOR; ele me respondeu e me livrou da angústia.” (Sl 118:5)
Nas horas em que o perigo o espreitava, Davi sabia em quem ele depositava todos os seus medos ou temores. ele me livrou de todos os meus medos”. Davi sabia esperar pelo Senhor pois sabia que Ele não tardaria com a sua resposta “De manhã ouves a minha voz; quando o sol nasce, eu faço a minha oração e espero a tua resposta.” (Sl 5:3). A paixão de Davi foi a resposta sincera a todas as respostas verdadeiras de Deus para ele. Sua amizade com Deus foi tamanha que Salomão, seu filho acabou também discursando: “A resposta sincera é sinal de uma amizade verdadeira.” (Pv 24:26). Para Davi, o Senhor era mais que uma resposta, era a resposta verdadeira pela qual todos os homens deveriam também se apaixonar!

b)   “...O SENHOR me ouviu e me livrou das minhas aflições...”
Esperar em Deus foi o trunfo de Davi para alcançar todas as vitórias que alcançou em sua vida e reino. Em nenhum momento Deus o deixou desapontado. Em Deus Davi sempre encontrava um abrigo seguro onde se esconder.“O SENHOR é um abrigo para os que são perseguidos; ele os protege em tempos de aflição.” (Sl 9:9). Apaixonado por Deus, Davi aprendeu a cantar  e a gritar bem alto a respeito do poder do seu Deus. “Porém eu cantarei a respeito do teu poder; de manhã louvarei bem alto o teu amor, pois tu tens sido uma fortaleza para mim, um refúgio nos meus dias de aflição.” (Sl 59:16). A qualquer tempo e em qualquer hora, o louvor ao Senhor deveria sempre estar em seus lábios.

c)    “...Feliz aquele que encontra segurança nele!”
Apaixonado por Deus, Davi sempre encontrou segurança NELE! Na expressão “Procure descobrir, por você mesmo, como o SENHOR Deus é bom”  Davi conseguiu descrever toda a sua intenção em contagiar outras pessoas com amor de Deus, um amor que ele mesmo havia experimentado e que após ter provado mostrou prova de ter encontrado neste amor toda a bondade de Deus. “Provai e vede que o SENHOR é bom; bem-aventurado o homem que nele confia.” (Sl 34:8 RC).

III.   ALGUÉM QUE DECIDIU DEDICAR-SE EXTRAVAGANTEMENTE AO SENHOR E POR TEMOR EMPRENDEU TOTAL DEPENDÊNCIA  A ELE EM TODAS E QUAISQUER SITUAÇÕES.
“Que todos os que se dedicam a Deus o temam, pois aqueles que o temem não têm falta de nada!  Até os leões não têm comida e passam fome, porém não falta nada aos que procuram a ajuda do SENHOR.  Venham, meus jovens amigos, e escutem, que eu os ensinarei a temer a Deus, o SENHOR.” (Sl 34:9-11)

Davi acostumou em ver as suas orações respondidas. Ele se mostrou-se um grande sábio ao dedicar toda a sua “loucura” ao Senhor. Parece ter aprendido nas palavras de Paulo: “Que ninguém engane a si mesmo! Se algum de vocês pensa que é sábio conforme a sabedoria humana, então precisa se tornar louco para ser, de fato, sábio.” (1Co 3:18). Sua dependência a Deus era tanta que aqueles que conviviam com ele aprendiam, assim como ele a viver nesta dependência (Asafe) “Ainda que a minha mente e o meu corpo enfraqueçam, Deus é a minha força, ele é tudo o que sempre preciso.” (Sl 73:26). Procurar pela ajuda de Deus era a forma extravagante de Davi demonstrar toda a sua dependência ao Senhor. Diante de qualquer situação embaraçosa, Davi sempre corria para os pés de seu amado Deus.
·         “ É melhor confiar no SENHOR, do que depender de seres humanos.” (Sl 118:8)
·         “ É melhor confiar no SENHOR do que depender de pessoas importantes.” (Sl 118:9)
Davi sempre foi louco por seu Deus e esta loucura nunca indicou um homem sem juízo, maluco ou insensato. Pelo contrário esta loucura de Davi por Deus mostrou claramente o perfil de um homem coerente e apaixonado e que jamais trocaria a fidelidade a Deus por bem nenhum nesta terra.
·         “ Então, o que poderão dizer os sábios e os instruídos? O que vão dizer os grandes oradores deste mundo? Deus tem mostrado que a sabedoria deste mundo é loucura.” (1Co 1:20)

CONCLUSÃO:
 A loucura de Davi este extravagante apaixonado por Deus, pode muito bem se expressar claramente nas palavras do Apostolo Paulo. “Mas nós anunciamos o Cristo crucificado uma mensagem que para os judeus é ofensa e para os não-judeus é loucura... Pois aquilo que parece ser a loucura de Deus é mais sábio do que a sabedoria humana, e aquilo que parece ser a fraqueza de Deus é mais forte do que a força humana...  Para envergonhar os sábios, Deus escolheu aquilo que o mundo acha que é loucura; e, para envergonhar os poderosos, ele escolheu o que o mundo acha fraco.” (1Co 1:23,25,27)


A NOIVA DE CRISTO

Texto Básico: Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o se...