domingo, 20 de fevereiro de 2011

SENTIMENTOS QUE NÃO ME SÃO MELHORES


Texto: Pv 15.16,17

MELHOR: O que é superior a tudo o mais\ O que é acertado ou sensato
SENTIMENTOS: Qualidades morais\ Disposição afetiva em relação a coisas de ordem moral ou intelectual

I. INQUIETAÇÃO. 
(Falta de sossego, excitação)

Pv 15:16 - MELHOR é o pouco com o temor do SENHOR, do que um grande tesouro onde há inquietação.
(É melhor ser pobre e temer a Deus, o SENHOR, do que ser rico e infeliz.)

1. RESULTADOS DA INQUIETAÇÃO:
Jó 14:1 - O HOMEM, nascido da mulher, é de poucos dias e farto de inquietação. 


a) DESAVENÇAS. (quebra das boas relações\ inimizades\ discórdias)
Pv 17:1 - É MELHOR um bocado seco, e com ele a tranqüilidade, do que a casa cheia de iguarias e com desavença.

  • Pv 3:30 - Não contendas com alguém sem causa, se não te fez nenhum mal.
  • Pv 6:14 - Há no seu coração perversidade, todo o tempo maquina mal; anda semeando contendas.
  • Pv 18:19 - O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio. 
b) DEPRESSÃO. (abatimento moral ou físico) Estado mental caracterizado por tristeza, desespero e desestímulo quanto a qualquer atividade
Sl 38:8 - Estou fraco e mui quebrantado; tenho rugido pela inquietação do meu coração.

  • Sl 38:6 - Estou encurvado, estou muito abatido, ando lamentando todo o dia.
  • Pv 12:25 - A ansiedade no coração deixa o homem abatido, mas uma boa palavra o alegra.
  • Pv 17:22 - O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos.
  • Is 21:3 - Por isso os meus lombos estão cheios de angústia; dores se apoderam de mim ...fiquei abatido quando ouvi, e desanimado vendo isso. 
c) ESTRESSE. (conjunto de reações do organismo a agressões de origens diversas, capazes de perturbar o equilíbrio interno)
Sl 22:2 - Deus meu, eu clamo de dia, e tu não me ouves; de noite, e não tenho sossego.

  • AGITAÇÃO. (perturbação do espírito)
  • NERVOSISMO. (emotividade exagerada)
IRRITAÇÃO. (mau humor)

Sl 39.6,7 - Na verdade, todo homem anda numa vã aparência; na verdade, em vão se inquietam; amontoam riquezas, e não sabem quem as levará. Agora, pois, Senhor, que espero eu? A minha esperança está em ti.

 

II. ÓDIO.

(Paixão que impele a causar ou desejar o mal de alguém, raiva, ira. Sentimento de aversão a pessoa, atitude ou coisa)

Pv 15:17 - MELHOR é a comida de hortaliça, onde há amor, do que o boi cevado, e com ele o ódio.

É melhor comer verduras na companhia de quem a gente ama do que comer a melhor carne onde existe ódio.



1. CONSEQUÊNCIAS DO ÓDIO,



a) DISCUSSÕES

Pv 15:1 - A RESPOSTA branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a IRA.

Jó 36:13 - E os hipócritas de coração amontoam para si a IRA; e amarrando-os ele, não clamam por socorro.



b) IMPRUDÊNCIAS. (Qualidade de quem não age com comedimento, buscando não evitar tudo que julga fonte de erro ou de dano.)

Pv 19:11 - A prudência do homem faz reter a sua IRA, e é glória sua o passar por cima da transgressão.



c) TOLICES (Vaidade, presunção\ Ridículo (pessoa ou coisa\ Que não faz sentido; disparatado.)

Ec 7:9 - Não te apresses no teu espírito a irar-te, porque a IRA repousa no íntimo dos tolos.

(abobado, abobalhado, amalucado, aparvalhado, apatetado, babaquara, basbaque, bobo, boboca, bocó, débil, estulto, idiota, imbecil, lambão, leso, lorpa, maluco, pacóvio, palerma, parvo, paspalhão, pateta, tonto)


2. MALES CAUSADOS PELO ÓDIO

  • INIMIZADE - Pv 27:3 - A pedra é pesada, e a areia é espessa; porém a IRA do insensato é mais pesada que ambas. \ Pv 15:17 - Melhor é a comida de hortaliça, onde há amor, do que o boi cevado, e com ele o ódio.
  • CONTENDAS - Pv 30:33 - Porque o mexer do leite produz manteiga, o espremer do nariz produz sangue; assim o forçar da IRA produz contenda. \ Pv 10:12 - O ódio excita contendas, mas o amor cobre todos os pecados.
  • DESTRUIÇÃO. Jó 5:2 - Porque a IRA destrói o louco; e o zelo mata o tolo. 
CONCLUSÃO:

CONSELHOS DE DEUS PARA VIVERMOS UMA VIDA MELHOR



Sl 37:8 - Deixa a IRA, e abandona o furor; não te indignes de forma alguma para fazer o mal.

Ec 11:10 - Afasta, pois, a IRA do teu coração, e remove da tua carne o mal, porque a adolescência e a juventude são vaidade.


 

Mensagem pregada dia 20/02/2011

Igreja Batista nacional Vale das Bênçãos

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O INDIVÍDUO

Texto Básico: Cl 1.3-14

1.3 Graças damos a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, orando sempre por vós, 4 desde que ouvimos falar da vossa fé em Cristo Jesus, e do amor que tendes a todos os santos, 5 por causa da esperança que vos está reservada nos céus, da qual antes ouvistes pela palavra da verdade do evangelho, 6 que já chegou a vós, como também está em todo o mundo, frutificando e crescendo, assim como entre vós desde o dia em que ouvistes e conhecestes a graça de Deus em verdade, 7 segundo aprendestes de Epafras, nosso amado conservo, que por nós é fiel ministro de Cristo. 8 O qual também nos declarou o vosso amor no Espírito. 9 Por esta razão, nós também, desde o dia em que ouvimos, não cessamos de orar por vós, e de pedir que sejais cheios do pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual; 10 para que possais andar de maneira digna do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus, 11 corroborados com toda a fortaleza, segundo o poder da sua glória, para toda a perseverança e longanimidade com gozo; 12 dando graças ao Pai que vos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz, 13 e que nos tirou do poder das trevas, e nos transportou para o reino do seu Filho amado; 14 em quem temos a redenção, a saber, a remissão dos pecados;

Texto Devocional: Gl 5.13

Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Mas não useis da liberdade para dar ocasião à carne, antes pelo amor servi-vos uns aos outros.

Introdução: Indivíduo se define pelo dicionário da língua portuguesa aquilo que não se divide, isto é, que é indiviso. Temos ainda por definição como substantivo masculino, qualquer corpo ou ser que se constitui um todo distinto em relação à espécie a que pertence; um exemplar de uma espécie qualquer, orgânica ou inorgânica. Mais a definição que mais nos interessa é que o indivíduo é a pessoa humana, considerada em suas características particulares; criatura. (Gn 19.9 Eles, porém, disseram: Sai daí. Disseram mais: Esse indivíduo, como estrangeiro veio aqui habitar, e quer se arvorar em juiz! Agora te faremos mais mal a ti do que a eles. E arremessaram-se sobre o homem, isto é, sobre Ló, e aproximavam-se para arrombar a porta.)

I. O INDIVÍDUO E SEU VALOR.

A Bíblia revela que cada ser humano é criado a imagem de Deus (Gn 1.26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança...) é único, precioso e insubstituível. Criado ser racional, cada pessoa é moralmente responsável perante Deus e o próximo. O homem como indivíduo é distinto de todas as outras pessoas. Como pessoa, ele é unido aos outros no fluxo da vida, pois ninguém vive nem morre por si mesmo. A Bíblia revela que Cristo morreu por todos os homens (Rm 5.8 Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós). O fato de ser o homem criado a imagem de Deus, e de Cristo morrer para salvá-lo, é a fonte da dignidade e do valor humano. Ele tem direito outorgado por Deus, de ser reconhecido e aceito como indivíduo sem distinção de raça, cor, credo ou cultura; de ser parte digna e respeitada da comunidade; de ter oportunidade de alcançar o seu potencial. (Rm 10.12 Porquanto não há distinção entre judeu e grego; porque o mesmo Senhor o é de todos, rico para com todos os que o invocam.)

II. O INDIVÍDUO E SUA COMPETÊNCIA.

Pv 16.1 Ao homem pertencem os planos do coração; mas a resposta da língua é do Senhor.

O indivíduo, porque criado à imagem de Deus, torna-se responsável por suas ações e por suas decisões morais e religiosas. Ele é competente, sob a orientação do Espírito Santo, para formular a própria resposta a chamada divina ao evangelho de Cristo (Rm 2.7 a saber: a vida eterna aos que, com perseverança em favor o bem, procuram glória, e honra e incorrupção;), para comunhão com Deus, para crescer na graça e conhecimento de nosso Senhor. Estreitamente ligada a essa competência está a responsabilidade de procurar a verdade e, encontrando-a, agir conforme essa descoberta e de partilhar a verdade com os outros. Embora não se admita coação no terreno religioso, o cristão não tem a liberdade de ser neutro em questões de consciência e convicção.

III. O INDIVÍDUO E SUA LIBERDADE.

Pv 16.16 Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! e quanto mais excelente é escolher o entendimento do que a prata!

A liberdade da consciência e a plena liberdade de religião são inalienáveis. (Jó 34.4 O que é direito escolhamos para nós; e conheçamos entre nós o que é bom. ) O homem é livre para aceitar ou rejeitar a religião; escolher ou mudar sua crença; propagar e ensinar a verdade como entenda, sempre respeitando direitos e convicções alheios; cultuar a Deus tanto a sós quanto publicamente; convidar outras pessoas a participarem nos cultos e outras atividades de sua religião; possuir propriedade e quaisquer outros bens necessários a propagação de sua fé. Tal liberdade não é privilégio para ser concedido, rejeitado ou meramente tolerado – nem pelo Estado, nem por qualquer outro grupo religiosos – é um direito outorgado por Deus

Js 24.15 Mas, se vos parece mal o servirdes ao Senhor, escolhei hoje a quem haveis de servir; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do Rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor.

Bibliografia:

Manual Básico dos Batistas Nacionais

FUNDAMENTOS DA FÉ CRISTÃ

"NOSSA CREDENDA E NOSSA AGENDA"

Introdução: Credenda fala de nossa "Expressão de fé", enquanto que "Agenda", fala de nossa "Expressão prática de fé". Na primeira definimos a vivacidade de nosso pensamento com respeito a fé cristã, enquanto que na segunda definimos nossa manifestação prática concernente a estes mesmos pensamentos. Como igreja evangélica que somos, temos a Bíblia Sagrada como nossa única regra de fé e prática, portanto, é de se esperar que tanto nossa credenda quanto nossa agenda esteja baseada pura e unicamente nos conceitos bíblicos sagrados. Nestas condições procuraremos abordar os aspectos imprescindíveis quanto a natureza fundamental do que cremos, isto levando em conta as unidades, a estabilidade e o desenvolvimento harmônicos das demais igrejas evangélicas no Brasil, que assim como nós, tem a Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus como sua regra e expressão de fé e prática, cuja consciência e responsabilidade já há muitos justificam a oficialização e divulgação de seus fundamentos.


 

A AUTORIDA CRISTÃ

Texto Básico: Rm 13.1-7

Obedeçam às autoridades, todos vocês. Pois nenhuma autoridade existe sem a permissão de Deus, e as que existem foram colocadas nos seus lugares por ele. Assim quem se revolta contra as autoridades está se revoltando contra o que Deus ordenou, e os que agem desse modo serão condenados. Somente os que fazem o mal devem ter medo dos governantes, e não os que fazem o bem. Se você não quiser ter medo das autoridades, então faça o que é bom, e elas o elogiarão. Porque as autoridades estão a serviço de Deus para o bem de você. Mas, se você faz o mal, então tenha medo, pois as autoridades, de fato, têm poder para castigar. Elas estão a serviço de Deus e trazem o castigo dele sobre os que fazem o mal. É por isso que você deve obedecer às autoridades; não somente por causa do castigo de Deus, mas também porque a sua consciência manda que você faça isso. É por isso também que vocês pagam impostos. Pois, quando as autoridades cumprem os seus deveres, elas estão a serviço de Deus. Portanto, paguem ao governo o que é devido. Paguem todos os seus impostos e respeitem e honrem todas as autoridades.


 

Texto Devocional: Ef 1.21


Muito acima de todo principado, e autoridade, e poder, e domínio, e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro;

I. CRISTO O SENHOR DA IGREJA.

A fonte suprema da autoridade cristã é o Senhor Jesus. (Cl 2.9 porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade) Sua soberania emana ou origina-se através de sua condição de Deus, Podendo ser visto em sua:

1° Eternidade, divindade e poder - Rm 1.20 Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis

2° Condição de unigênito Filho do Deus Supremo - 1Jo 4.9 Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por meio dele vivamos.

3° Redenção vicária - Hb 9.12 e não pelo sangue de bodes e novilhos, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez por todas no santo lugar, havendo obtido uma eterna redenção. Rm 3.24 sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus,

4° Ressurreição vitoriosa - Rm 1.4 e que com poder foi declarado Filho de Deus segundo o espírito de santidade, pela ressurreição dentre os mortos, Jesus Cristo nosso Senhor,

Sua autoridade é a expressão de amor justo, sabedoria infinita e santidade divina, e se aplica a totalidade da vida. Desta vida procede a integridade do propósito cristão, o poder da dedicação cristã. Ela exige a obediência aos mandamentos de Cristo, dedicação a seu serviço, fidelidade ao seu reino e a máxima devoção a Sua Pessoa, como Senhor vivo. 1Pe 3.22 que está à destra de Deus, tendo subido ao céu; havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as


 

II. AS ESCRITURAS, A AUTORIDADE DA PALAVRA DE DEUS.

Hb 4.12 Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.

A Bíblia fala com autoridade porque é a Palavra de Deus. É a suprema regra de fé e prática porque é testemunha fidedigna e inspirada dos atos maravilhosos de Deus através da revelação de Si mesmo e da redenção, sendo patenteado na vida, nos ensinamentos e na obra Salvadora de Jesus Cristo. As Escrituras revelam a mente de Cristo e ensinam o significado de Seu domínio. Na sua singular e una revelação da vontade divina para a humanidade, a Bíblia é a autoridade final que atrai as pessoas a Cristo e as guia em todas as questões de fé cristã e dever moral. O indivíduo tem que aceitar a responsabilidade de estudar a Bíblia, com mente aberta e com atitude reverente, procurando o significado de sua mensagem através de pesquisa e oração, orientando a vida debaixo de sua disciplina e instrução


 

III. O ESPÍRITO SANTO, A VOZ DA AUTORIDADE DIVINA.

1Jo 4.2 Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;

O Espírito Santo é a presença ativa de Deus no mundo e, particularmente, na experiência humana. É Deus revelando Sua Pessoa e vontade ao homem. O Espírito, portanto, é a voz da autoridade divina. É o Espírito de Cristo e Sua autoridade é a vontade de Cristo. Visto que as Escrituras são produtos de homens que, inspirados pelo Espírito Santo, falaram por Deus, a verdade da Bíblia expressa a vontade do Espírito, compreendida pela iluminação do Mesmo. Ele convence os homens do pecado, da justiça e do juízo, tornando, assim, efetiva a salvação individual, através da obra salvadora de Cristo. Ele habita no coração do crente, como advogado perante Deus e intérprete para o homem. Ele atrai o fiel para a fé e a obediência e, assim, produz na sua vida os frutos da santidade e do amor. O Espírito Santo procura alcançar a vontade e propósitos divinos entre os homens. Ele dá aos cristãos poder e autoridade para o trabalho do reino e santifica e preserva os redimidos, para o louvor de Cristo; exige submissão livre e dinâmica à autoridade de Cristo, e uma obediência criativa e fiel a Palavra de Deus


 


 


 


 

Bibliografia:

Manual Básico dos Batistas Nacionais

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

CLAMOR, UM GRITO DE SOCORRO!


Ap 21:4 - E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. 

CLAMOR: Grito de queixa, súplica, protesto, brado

Pedido de Socorro:

  • 1Sm 7:8 ...Não cesses de CLAMAR ao SENHOR nosso Deus por nós, para que nos livre da mão dos filisteus.
  • Mc 10:47 E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a CLAMAR, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.
Choro de uma pessoa aflita:

  • Sl 28:2 Ouve a voz das minhas súplicas, quando a ti CLAMAR, quando levantar as minhas mãos para o teu santo oráculo.
Desabafo do impaciente:

  • Sl 69:3 Estou cansado de CLAMAR; a minha garganta se secou; os meus olhos desfalecem esperando o meu Deus.
  • Sl 102:2 Não escondas de mim o teu rosto no dia da minha angústia, inclina para mim os teus ouvidos; no dia em que eu CLAMAR, ouve-me depressa.

QUANDO SOMOS CONDUZIDOS AO CLAMOR



1. QUANDO NOS VEMOS EM SERVIDÃO.

Escravidão\ dependência - Rm 8:15 Porque não recebestes o espírito de ESCRAVIDÃO, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.
  • Estamos sujeitos a alguém\coisa. Êx - Ex 2.23 - ...os filhos de Israel suspiraram por causa da servidão, e clamaram; e o seu clamor subiu a Deus por causa de sua servidão; 2Sm 22:7 - Estando em angústia, invoquei ao SENHOR, e a meu Deus clamei; do seu templo ouviu ele a minha voz...
  • Vida Difícil. Êx 1:14 - Assim que lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o seu serviço, em que os obrigavam com dureza. 
  • Espírito Angustiado. Ê x 6:9 ...mas eles não ouviram a Moisés, por causa da angústia de espírito e da dura servidão. 
2. QUANDO PERDEMOS ALGO\ ALGUEM QUE AMAMOS.

Fp 3:8 E, na verdade, tenho também por PERDA todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a PERDA de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo,
Jz 6:6 - Assim Israel empobreceu muito pela presença dos midianitas; então os filhos de Israel clamaram ao SENHOR.
  • Perdemos o controle. Êx -12.30 - E Faraó levantou-se de noite, ele e todos os seus servos, e todos os egípcios; e havia grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto.
  • Perdemos a pose. 1Sm 30:4 - Então Davi e o povo que se achava com ele alçaram a sua voz, e choraram, até que neles não houve mais FORÇAS para chorar.
  • Perdemos as forças. Sl 88:4 Estou contado com aqueles que descem ao abismo; estou como homem sem FORÇAS, 
3. QUANDO SENTIMOS DORES.

Sensação de sofrimento decorrente de lesões no corpo ou n alma \ mágoa, pesar Jó 14:22 Mas a sua carne nele tem DORES; e a sua alma nele lamenta; Jó 33:19 Também na sua cama é castigado com DORES; e com incessante contenda nos seus ossos; 
  • Amargura - 1Sm 1:10 Ela, pois, com amargura de ALMA, orou ao SENHOR, e chorou abundantemente.
  • Angustia - Jó 7:11 Por isso não reprimirei a minha boca; falarei na angústia do meu espírito; queixar-me-ei na amargura da minha ALMA.
"REFRIGÉRIO" 

  • Sl 23:3 Refrigera a minha ALMA; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. 
  • Êx 3:7 - E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores. 
  • 1Sm 5.12 - E os homens que não morriam eram tão atacados com hemorróidas que o CLAMOR da cidade subia até o céu. 

4. QUANDO SENTIMOS MEDO.

Sentimento de viva inquietação ante a noção do perigo real ou imaginário/ pavor, temor Ex 14.10 - E aproximando Faraó, os filhos de Israel levantaram seus olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então os filhos de Israel clamaram ao SENHOR. 
  • Receio da enfermidade. Jó 9:28 RECEIO todas as minhas dores, porque bem sei que não me terás por inocente.
  • Receio da decepção. Gl 4:11 RECEIO de vós, que não haja trabalhado em vão para convosco.
  • Receio das situações. Jó 9:34 Tire ele a sua vara de cima de mim, e não me amedronte o seu TERROR.  
CONCLUSÃO:

O RESULTADO DO MEU CLAMOR

Sl 56:3 Em qualquer tempo em que eu TEMER, confiarei em ti.
Sl 27:1 O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; a quem TEMEREI? O SENHOR é a força da minha vida; de quem me recearei?


Mensagem pregada na Missão Batista em Olavo Bilac (Duque de Caxias)

Dia 24/01/2011 (Campanha: SEIS DIAS DE CLAMOR POR SEIS MESES DE VITÓRIA)


 

SALA DE ESTUDOS - HERMENÊUTICA

Sala de Estudos Introdução:  Hoje é nosso primeiro dia Sala de Estudo. Iniciamos agora uma nova reunião onde teremos o privilégio de ...