quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

UM REINO, UM REI


1Pe 2:9 Mas vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz.

"Vocês são..." A grandeza do texto de Pedro fica por conta da maneira como o Apóstolo consegue fazer uma "arrumação" especial colocando os súditos num lugar de destaque no Reino. Olhando por esta visão panorâmica, descobrimos que o Reino de Deus não se forma por pessoas como simples "coadjuvantes" como num filme, participante de um papel secundário. Não, neste reino, somos as pessoas de maior importância. Um Reino que se forma por uma imensidão do que a Bíblia chama de reis e sacerdotes...

Hoje, especialmente falamos para três ministérios distintos que exercem funções diferentes, e executam trabalhos importantes.

·         Ministério de Teatro. Com sua arte de representar sempre focando assuntos importantes em matéria de religião e fé, este  é um ministério que consegue arrancar boas gargalhadas do público espectador com as suas apresentações e ao mesmo tempo consegue fazer rolar lágrimas dos olhos atentos dos que assistem suas dramatizações. Não é um ministério novo, mas o reconhecimento a nível ministerial vem de uma data bem recente.

·         Ministério de Dança. Talvez dos três, este seja o ministério que enfrentou maior resistência por parte dos mais conservadores. Vi muitos líderes, dirigentes de congregações que levantarem-se em oposição ao ministério de dança no culto público. Li o prefácio nas páginas iniciais de um livro... Com a descrição onde se fazia uma alusão a uma apresentação musical em uma igreja nos seguintes termos:  Em visita recente a uma igreja evangélica observamos o seguinte: não havia órgão, nem piano, mas um conjunto de rock (guitarra elétrica, violão elétrico, teclados eletrônicos, bateria e instrumento de percussão), que acompanhava o canto de um rapaz e uma moça, cada qual empunhando o seu microfone, ampliado por um potente equipamento de som; ninguém possuía hinário, porque as letras dos "corinhos" eram projetadas na parede atrás do púlpito... ao final do canto do corinho, a congregação (ou plateia?) batia palmas. A moça comportava-se como uma "charrete" e o rapaz parecia cantor de rock. O livro é bom, mas o nível de preconceito no prefácio é perceptível de alguém cuja identificação com Ministérios de dança e louvor e nenhuma. A data deste livro consta do ano de 1986, talvez por isso todo este susto na declaração, de lá pra cá muita coisa mudou, hoje o ministério de dança alcançou o seu lugar na igreja e é visto com respeito e admiração tanto por líderes quanto pelos participantes do culto.

·         Ministério de Louvor. O ministério talvez com maior representação seja o de Louvor, porém não menos valorizado e desrespeitado por muitos líderes de igrejas. Também já li muitas matérias relacionadas a este ministério, e existe muita coisa boa escrita em relação ao mesmo, como também, dentre as muitas coisa que li não foram poucas as vezes em que vi alguns autores baixando a lenha nos músicos da igreja. Alguns destes "escritores" baixaram mesmo o nível  chamando os músicos de descompromissados, preguiçosos e até mesmo de porcos.

É bom demais sermos ministrados por músicas bem interpretadas na igreja. Chega daqueles cultos em que os dirigentes sem nenhuma queda musical arrastam desentoados e sem nenhuma harmonia as estrofes mal interpretadas dos belos hinos da harpa/cantor cristão. Cantores acompanhados por instrumentos bem tocados, com ritmo e tonalidade capazes de nos fazer viajar ao som de belas melodias fazem muita diferença em nosso culto, e não venham com aquela velha desculpa que "é para o senhor" porque isso não cola mais.

Tudo isso tem um preço que nós que estamos de fora, às vezes não somos capazes de enxergar. Para nós tudo parece tudo tão fácil... Não enxergamos o muito tempo de dedicação com ensaios, preparações, escolhas, arranjos... ufa! Cansei só de pensar! Ec 9:10 Tudo o que você tiver de fazer faça o melhor que puder, pois no mundo dos mortos não se faz nada, e ali não existe pensamento, nem conhecimento, nem sabedoria. E é para lá que você vai.

Pedro parece que estava visualizando um a um estes três ministérios em pleno desenvolvimento num Reino cujos trabalhos e designações partem do próprio Rei e cujas atividades a serem realizadas são extremamente importantes. Ef 4:11-12 Foi ele quem “deu dons às pessoas”. Ele escolheu alguns para serem apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e ainda outros para pastores e mestres da Igreja. Ele fez isso para preparar o povo de Deus para o serviço cristão, a fim de construir o corpo de Cristo. No entanto, vivemos em um Reino, e na vida em reino nenhum ministério torna o ministrante mais importante que seu próprio ofício, pelo contrário,  aquele que ministra neste reino, deve ser humilde a ponto de considerar-se em grau inferior. Fp 2:3 Não façam nada por interesse pessoal ou por desejos tolos de receber elogios; mas sejam humildes e considerem os outros superiores a vocês mesmos. Aqui não tem maior nem menor. Pode até parecer meio contraditório tendo em vista a nossa condição neste reino... 1Pe 2:10 Antes, vocês não eram o povo de Deus, mas agora são o seu povo; antes, não conheciam a misericórdia de Deus, mas agora já receberam a sua  misericórdia. ...Mais é exatamente isto o que foi dito pelo Mestre. Lc 9:48 ...Pois aquele que é o mais humilde entre vocês, esse é que é o mais importante. A nossa condição é de povo de Deus, que recebeu os benefícios das misericórdias divinas, tornando-nos participantes de um Reino que nunca será abalado. Ser súdito deste reino é um privilégio de valor inestimável e isto implica em fazer algumas escolhas as quais deverão nos deixar aptos a ser "serviçal" neste reino. Escolhas que tem a ver com abandonos, com buscas, com aproximação e com entregas. Se não tivermos dispostos a realizar tais escolhas, talvez seja porque não estejamos prontos a participar ativamente neste Reino.

1. O ABANDONO DA NATUREZA PECAMINOSA.
1Pe2:1 Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas

A primeira e grande condição para participação ativa no Reino de Deus é a necessidade do abandono da velha natureza pecaminosa. Ef 4:22 Portanto, abandonem a velha natureza de vocês, que fazia com que vocês vivessem uma vida de pecados e que estava sendo destruída pelos seus desejos enganosos. Abandonar e um verbo transitivo cujo significado mais próximo daquilo que o texto deseja declarar é: RENUNCIAR/ DESISTIR. O que torna o texto de Pedro um convite ao repúdio. Ef 2:3 De fato, todos nós éramos como eles e vivíamos de acordo com a nossa natureza humana, fazendo o que o nosso corpo e a nossa mente queriam... O "repúdio" de que fala Pedro, é apenas parte do um processo gradual de mudança que experimentamos em nosso encontro com a Pessoa do Senhor Jesus Cristo. Ef 2:5-6 quando estávamos espiritualmente mortos por causa da nossa desobediência, ele nos trouxe para a vida que temos em união com Cristo... A partir deste encontro, temos oportunidade de escolher: Continuamos vivendo nossa vida simplesmente deixando passar um dia após o outro ou, indo ao culto como mero espectadores, ou experimentamos uma mudança radical na nossa vida mortificando nossa velha natureza humana pelo efeito do sacrifício executado na cruz do Calvário. Cl 3:5 Portanto, matem os desejos deste mundo que agem em vocês, isto é, a imoralidade sexual, a indecência, as paixões más, os maus desejos e a cobiça, porque a cobiça é um tipo de idolatria. O que Pedro quer nos mostrar é que existe uma enorme incompatibilidade entre o fato de pertencermos ao Reino, principalmente como ministrante dele, e o de levarmos uma vida desregrada em pecado e malícia. Cl 3:8 Mas agora livrem-se de tudo isto: da raiva, da paixão e dos sentimentos de ódio. E que não saia da boca de vocês nenhum insulto e nenhuma conversa indecente. São sentimentos e ações que ao longo de muito tempo fizeram parte do nosso dia a dia de forma que acabamos por nos acostumarmos com eles. Cl 3:9 Não mintam uns para os outros, pois vocês já deixaram de lado a natureza velha com os seus costumes Onde encontrarmos força para renunciar atitudes e sentimentos tão antigos e tão entranhados em nossa própria alma? 2Pe 1:3-4 O poder de Deus nos tem dado tudo o que precisamos para viver uma vida que agrada a ele por meio do conhecimento que temos daquele que nos chamou para tomar parte na sua própria glória e bondade. Desse modo ele nos tem dado os maravilhosos e preciosos dons que prometeu. Ele fez isso para que, por meio desses dons, nós escapássemos da imoralidade que os maus desejos trouxeram a este mundo e pudéssemos tomar parte na sua natureza divina. Poder, conhecimento e dons são apenas parte de um verdadeiro arsenal que Deus preparou como meio de capacitação para vencermos a luta contra o pecado e a carne. Cl 3:12 Vocês são o povo de Deus. Ele os amou e os escolheu para serem dele. Portanto, vistam-se de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza e de paciência.

2. O DESEJO SEMPRE CRESCENTE PELA PALAVRA
1Pe 2:2 Sejam como criancinhas recém-nascidas, desejando sempre o puro leite espiritual, para que, bebendo dele, vocês possam crescer e ser salvos.

A segunda nescessidade enfatizada por Pedro fala de crescimento. "Sejam como criancinhas..." Crescimento é um processo natural no desenvolvimento progressivo humano. Quando não há crescimento é sinal que alguma coisa não vai bem neste processo. Falta saúde em algum órgão responsável ou alguma coisa "estranha" está impedindo o desenvolver que deveria transcorrer naturalmente. O processo de crescimento no Reino de Deus não é diferente,  quando tudo vai bem e existe saúde espiritual na igreja, então há crescimento. Ministérios se desenvolvem, dons e capacitações ministeriais acontecem naturalmente, o culto atinge o seu climax espiritual de forma envolvente e eficaz 1Co14:26 Portanto, meus irmãos, o que é que deve ser feito? Quando vocês se reúnem na igreja, um irmão tem um hino para cantar; outro, alguma coisa para ensinar; outro, uma revelação de Deus; outro, uma mensagem em línguas estranhas; e ainda outro, a interpretação dessa mensagem. Que tudo seja feito para o crescimento espiritual da igreja. Não é este o papel dos Ministérios na igreja conduzir o povo de Deus a um ambiente espiritual seguro de adoração e louvor e acima de tudo de crescimento? Ef 5:19-20 Animem uns aos outros com salmos, hinos e canções espirituais. Cantem, de todo o coração, hinos e salmos ao Senhor. Em nome do nosso Senhor Jesus Cristo, agradeçam sempre todas as coisas a Deus, o Pai. Este papeis serão plenamente desenvolvidos se houver pleno conhecimento da vontade de Deus Cl 1:10 Desse modo, vocês poderão viver como o Senhor quer e fazer sempre o que agrada a ele... O fato de conhecermos "o que agrada" ao senhor é fundamental no processo de crescimento ministerial. Os 6.3 Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra. O pleno conhecimento da vontade de Deus é a base estrutural para o pleno desenvolvimento dos ministros e dos ministérios na igreja. Ministérios que não buscam conhecer a vontade de Deus são ministérios que tendem ficar infrutíferos e doentes Assim, seja qual for a área de atuação ministerial (música, dança, dramatização ou palavra) a Bíblia deve sempre ser o livro base para todas as ações ministeriais. Nada se faz em um Reino sem antes consultar o seu Rei, sem que antes se busque um conselho bíblico abalizado. O livro que transmite o conhecimento da vontade do Rei deve ser um amigo inseparável do súdito. O súdito precisa dormir com este livro, amanhecer com este livro, acordar pela madrugada ao lado deste livro. O súdito carrega este livro a todos os lugares, para o trabalho, para a escola, para a faculdade, livro inseparável deve ser a Bíblia nos acompanhando a onde quer que formos. Para passar o dia de forma agradável e alegre, lemos este livro. Ele está ao nosso lado sempre com mensagens que nos fortalece o ânimo, em qualquer momento que dele precisarmos, ei-lo aqui. Seja em a noite em que a chuva cai de forma brusca e intensa, seja nos dias quentes em que o sol brilhe em toda sua intensidade, sempre temos a mão a nossa Bíblia, o livro de Deus. Neste livro como súditos encontramos alento, neste livro encontramos paz para sua alma, neste livro encontramos todas as informações necessárias para nosso crescimento no Reino.

3. UMA APROXIMAÇÃO EM NÍVEL DE INTIMIDADE COM O MESTRE.
1Pe 2:4 
Cheguem perto dele, a pedra viva que os seres humanos rejeitaram como inútil, mas que Deus escolheu como de grande valor.

"Cheguem perto dele" Eis o convite de Pedro! Pedro se apresenta no verso 4 como alguém que após ter experimentado a amizade do Mestre, resolve dividir com outras pessoas o gozo recebido desta amizade. "Cheguem perto dele" é um convite quase que soando em nível de um apelo emocionado e carregado de intenções bondosas Pedro parece com alguém de confiança da casa intercedendo ao filho de maneira suave e amorosa que se aproxime do seu pai... 2Co 6:18 Eu serei o pai de vocês, e vocês serão meus filhos e minhas filhas.” É este tipo de aproximação de que nos fala Pedro. Um filho que corre ao encontro do Pai, e uma vez nos seus braços, dali ele não quer mais sair.

1. UMA APROXIMAÇÃO A NÍVEL DE CARINHO. Is 63:16 pois tu és o nosso Pai. Os nossos antepassados Abraão e Jacó não se importam conosco, não fazem caso de nós. Mas tu, ó Senhor Deus, és o nosso Pai, e desde o princípio nós te chamamos de “O nosso Salvador”.

Talvez recebamos deste pai, mais  do que mãos bondosas acariciando nossa cabeça, mais do que braços fortes que nos apertam contra o seu próprio peito. Talvez o convite também seja para:

2. UMA APROXIMAÇÃO A NIVEL DE SEGURANÇA. Mt 6:26 Vejam os passarinhos que voam pelo céu: eles não semeiam, não colhem, nem guardam comida em depósitos. No entanto, o Pai de vocês, que está no céu, dá de comer a eles. Será que vocês não valem muito mais do que os passarinhos?

O convite para "chegar perto" gera em nós um sentimento de confiança tão grande que muitas vezes somos incapazes de pedir. Sabemos que o nosso Pai nos ama com um amor tão grande que nunca será capaz de mos deixar em falta.

3. UMA APROXIMAÇÃO A NIVEL DE CONFIANÇA. Mt 7:11 Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai de vocês, que está no céu, dará coisas boas aos que lhe pedirem!

Por fim:

4. UMA ENTREGA TOTAL AO SERVIÇO DO REINO
1Pe 2:5 Vocês, também, como pedras vivas deixem que Deus os use na construção de um templo espiritual onde vocês servirão como sacerdotes dedicados a Deus. E isso para que, por meio de Jesus Cristo, ofereçam sacrifícios que Deus aceite.

Por derradeiro, chegamos ao ápice, ao ponto mais alto na apresentação de Pedro. Ele agora nos chama de "Pedras vivas" em comparação ao Mestre e em reconhecimento ao nosso trabalho e importância dele para o Reino de Deus. Desta vez o convite é para a entrega. Ele nos diz: "Deixem que Deus use vocês". O convite agora é para descermos do palco!

·         Não seremos mais nós que cantaremos...

·         Não seremos nós que dançaremos...

·         Não seremos nós que interpretaremos...

O show não é nosso... Não temos direito em usufruir dos louros da nossa apresentação... A glória não é nossa! 1Co 10:31 Portanto, quando vocês comem, ou bebem, ou fazem qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus. Se cantarmos, a glória não é nossa, Se fizermos a melhor apresentação de dança ou  coreografia, a glória não será nossa,  Se apresentarmos a melhor dramatização e conseguirmos fazer com que as pessoas sejam tocadas, e de joelhos chorem copiosamente aos pés do Senhor, nem assim a glória será nossa!

1Tm 1:17 Ao Rei eterno, imortal e invisível, o único Deus — a ele sejam dadas a honra e a glória, para todo o sempre! Amém!

Mensagem pregada no Acampamento do Ministério de Louvor, Dança e Teatro. Dia 28/12/2013 - Sítio Nova Esperança, Sardoal - Paraíba do Sul - RJ

 

A TRADIÇÃO QUE RECEBEMOS.

Mandamo s -vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segu...