segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Transformando-se em importantes diante de situações que querem nos fazer os menos importantes.


Texto: 1Cr 4.9,10 -  Houve um homem chamado Jabes, que foi a pessoa mais respeitada da sua família. A sua mãe pôs nele o nome de Jabes porque ela havia sofrido muito durante o parto.  Mas Jabes orou assim ao Deus de Israel: Ó Deus, abençoa-me e dá-me muitas terras. Fica comigo e livra-me de qualquer coisa que possa me causar dor.E Deus atendeu a sua oração.

Introdução: Jabez: Com dores o dei a luz. Jabez é o nome do principal personagem de um pequeno texto do livro de Crônicas.  Embora seja um nome carregado extremo mau gosto, isto para não dizer um nome feio, Jabez mostrou, pelo relato dos acontecimentos, não que não precisamos ter a menor preocupação de que realidades de fatos sobre da nossa vida possa ser direcionado por outra pessoa que não seja nós mesmos. Jabez mostrou também que não precisamos viver aquilo que outras pessoas querem ou pensem sobre o nosso futuro. Não precisamos ser o que os outros querem ou dizem que seremos. Ml 3.18 Então vereis a diferença entre o que serve a Deus, e o que não o serve. 

Podemos sim fazer valer este texto. Só depende de colocarmos em prática atitudes que a Bíblia nos ensina, e que devem ser levadas em consideração. Por certo enfrentaremos situações bastante adversas, mas tais situações não acontecem porque um dia, uma pessoa que não gostava de nós nos amaldiçoou ou disse qualquer palavra nos espraguejando. Rm 8.1 PORTANTO, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.

É fácil entender o real aspecto de vida que temos de viver. Basta simplesmente olharmos em duas direções. Para Deus, nosso supremo Senhor que nunca deixou de dispensar a nós os seus sentimentos. E para nós mesmos que conquistamos com nossa atitude receber o Senhor Jesus como Salvador pessoal, passamos a gozar de direitos de filhos de Deus.  

I. FICAMOS AFLITOS, MAS NÃO DERROTADOS.
É muito NATURAL, e disso sabemos que em algum momento da vida deverão aparecer as famigeradas aflições. Em virtude desta "descoberta" quando nos casamos somos levados a prometermos fidelidade na riqueza ou na pobreza, na saúde ou na doença "até que a morte nos separe". Então não é de se esperar que a vida a dois seja sempre um "mar de rosas" como dizem alguns cantores e poetas, na vida "também tem espinhos"

EM razão destes muitos embates o que vemos é que muitas famílias não suportam os desafios a dois, tristemente acabam buscado soluções para seus problemas em ambientes errados. Um termo judicial chamado separação consensual em alguns casos tornou-se a solução para muitos casais. Em outros casos, Quando entre os dois não há acordo passam a uma separação litigiosa. Aí aumentam as brigas e os desentendimentos. E os filhos...

Só para termos uma ideia, segundo o jornal O Globo, os dados do Anuário Estatístico do Rio indicam que, entre 2006 e 2012, o número de divórcios no estado cresceu num ritmo mais forte que os casamentos. Enquanto a união em cartório teve acréscimo de 21% no período, as separações atingiram 41%. Quase o dobro.

Estão o que precisamos entender é que o "bendito" dia mal chegará para todos, e será exatamente por causa dele que precisaremos nos mostrar diferentes das pessoas que não tem Deus. O casal crente em Jesus não poder ser comparado a uma tropa vencida em fuga ou desordem. Aflições sim, derrotas nunca! Será assim que teremos que aprender viver. É nada diferente disto poderá mudar o que a vida tem que ser para nós. Ou será que em algum tempo alguém tenha nos dito coisas do tipo:
    Você nunca será ninguém...
    Você é um perdedor...
    Seus projetos nunca irão prosperar...
    Sua vida está acabada...
    Sua família nunca vai ser feliz...

Precisamos Entender uma coisa... Isto é tudo mentira!

O texto de Crônicas, em dois versículos, conta para nós a história de Jabez. Jabez deve ter ouvido tudo isso, e ainda mais um pouquinho! O que a Bíblia nos apresenta, é um homem que mesmo recebendo um nome tão negativo "aquele que causa dor" vive com este nome sua uma vida inteira, mesmo assim, não aceitou a imposição que seu nome lhe conferia. Mostrou ser possível conviver com as contradições e com as circunstâncias, e, no entanto ser a própria contradição das circunstâncias. Observem o que diz o texto? Jabes, que foi a pessoa mais respeitada da sua família.

O convite do texto é para aprendermos a não procurar ajuda nos lugares ou com as pessoas erradas.
    Pessoas sem nenhuma expectativa. Jó 30.16-19 "Não tenho vontade de viver..."
    Pessoas Amarguradas. Jó 30.27-31 “... só tenho vivido a afliçâo..."
    Pessoas sem fé. Jó 30.20 Ó Deus, eu clamo pedindo a tua ajuda, e não me respondes...

1. TEMPOS DIFÍCEIS.
Sl 27.5 Em tempos difíceis, ele me esconderá no seu abrigo. Ele me guardará no seu Templo e me colocará em segurança no alto de uma rocha.
Tempos difíceis. Qual a melhor definição?
    O tempo do Desemprego? - Sl 70. 5 Eu sou pobre e necessitado; vem depressa em meu auxílio...
    O tempo das Dívidas - Sl 88.13 Ó Senhor Deus, eu te chamo pedindo ajuda; todas as manhãs eu oro a ti.
    O tempo das Enfermidades. Jó 36.15 Mas Deus nos ensina por meio do sofrimento...
    O tempo dos Filhos rebeldes. Sl 25.12 Aqueles que temem o Senhor aprenderão com ele o caminho que devem seguir.  Eles sempre terão sucesso, e a Terra Prometida será dos seus filhos.

Talvez Jabez tenha tido de enfrentar muitas circunstâncias como estas, mas o escritor das Crônicas deixou registrado: Mas Jabes orou assim ao Deus de Israel: Ó Deus, abençoa-me...  A lição deixada aqui é incontestável... Revela atitudes que devemos tomar, ou melhor, que devemos assumir ao longo da nossa vida.

    Vida de Oração. 1Ts 5.17,18 orem sempre e sejam agradecidos a Deus em todas as ocasiões...
    Vida de Apego incondicional a Palavra - Sl 119.92,143 Se a tua lei não tivesse sido o motivo da minha alegria, eu já teria morrido de tanto sofrer...
    A vida de Confiança irrestrita na Pessoa de Deus -  Hc 3.17,18 -  Ainda que as figueiras não produzam frutas, e as parreiras não deem uvas; ainda que não haja azeitonas para apanhar nem trigo para colher; ainda que não haja mais ovelhas nos campos nem gado nos currais,  mesmo assim eu darei graças ao Senhor e louvarei a Deus, o meu Salvador.

II. FICAMOS EM DÚVIDA, MAS NUNCA DESESPERADOS.
Aprendemos em nossa caminhada que durante nossa vida o Senhor sempre nos socorre nas horas das maiores aflições. Mas derrepente, quando os problemas chegam rapidamente esquecemos-nos de tudo aquilo que aprendemos a respeito da fé, e nesta hora bate uma dúvida, um misto de hesitação e medo do que o futuro possa nos estar reservando. Esta incerteza tem nome, chama-se Dúvida. 

Nas palavras de Paulo a dúvida acontece geralmente acompanhada por sensações bem estranhas. O temor vem movido por circunstâncias que em algum momento fogem do nosso controle. São coisas como Incerteza, hesitação, suspeita. Quando Paulo diz que às vezes "ficamos em dúvida", é que em determinadas situações não conseguimos evitar estes momentos de incertezas, mas o que não podemos é permitir que estes medos nos leva a condições desesperadoras. O Desespero ou a Falta ou perda da esperança nos impede de "esperar" pela resposta de Deus. Agimos como o escritor de Eclesiastes... "Ficamos Desesperados". Ec 2.20 Então eu me arrependi de ter trabalhado tanto e fiquei desesperado por causa disso.

Jabez provou que andar com Deus é sempre a melhor escolha nestas horas, É bem possível que Jabez tenha experimentado todas estas sensações. Ele deve ter sentido medo, deve ter ficado com muitas dúvidas... mas, sua história nos ensina o que podemos fazer. Ó Deus, abençoa-me e dá-me muitas terras. Fica comigo e livra-me de qualquer coisa que possa me causar dor.E Deus atendeu a sua oração.

Já que somos levados a duvidar, talvez possamos começar "escolhendo" as nossas dúvidas. Como é isso?

    Podemos duvidar, mas não se Ele pode, mas se é a Sua vontade. Mt 8.2 - ...um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo.
    Podemos duvidar não do seu poder, mas da nossa incapacidade de crer em Seu poder. Lm 3.18 - ...Já pereceu a minha força, como também a minha esperança no SENHOR.
    Podemos duvidar não da nossa Oração, mas da nossa impaciência de esperar a resposta. Rm 12.12 - ...sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;
    Podemos duvidar não da Esperança da vitória, mas do tempo da vitória.  - Lm 3.26 - Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do SENHOR.
    Podemos duvidar não de Suas ações, mas da nossa pouca vontade de ser tocado por elas.  - Jó 14.7 Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos.

Feito estas correções em nossas duvidas, agora a nossa caminhada precisa passar por algumas mudanças. Em razão da dúvida ou do medo, é natural que tenhamos "parado". Mesmo que só um pouquinho, mas, paramos...
Agora, para vencermos de vez este estado de desespero e medo, precisamos retomar a caminhada. Só que agora de forma diferente, com mais entusiasmos, com mais vontade, com mais confiança. Estas atitudes de confronto aos problemas são atitudes capazes de gerar em nós a capacidade de tomada de posição. Como conseguimos isso:

1. Confiando completamente no Senhor Jesus Cristo, independente de estarmos visualizando qualquer solução para o problema que estamos vivendo. Fp 1.20 Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.

2.  Entregando ao Senhor Jesus nossa vida de tal maneira que toda expectativa de vida ou morte, vitória ou derrota, dia ou noite, quente ou frio. Tudo exatamente tudo, fica na escolha dele. Fp 1:21 Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.

3. Deixarmos o Senhor Jesus decidir por nós diante de qualquer escolha que tivermos de fazer. Fp 1:22 Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher.

4. Se for preciso passar pelos problemas, pelo menos vamos passar com a expectativa de que o problema vai nos ensinar alguma coisa que, para nós, poderá ser muito útil mais tarde. Rm 5.2-5 Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

III. TEMOS MUITOS INIMIGOS, MAS NUNCA NOS FALTAM AMIGOS.
Rm 1218 Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens.
A vida cristã também pode ser cercada de surpresas. Aprendemos na Igreja que temos de viver bem com todas as pessoas. A igreja é um lugar de estarmos rodeados de amigos, isto nos induz uma confiança de que se em algum momento as coisas derem erradas e precisarmos de alguma ajuda, por certo eles estarão ali. E isto é uma verdade, os amigos sempre se fazem presentes mesmos. São elas as pessoas que podemos confiar...
Pv 25.19 Num momento de dificuldade, depender de uma pessoa que não merece confiança é como mastigar com um dente estragado, andar com um pé aleijado. (NTLH)

Como saberemos se Jabez estava cercado de amigos? E se os eles não estiverem por perto quando estivermos precisando deles? Como podemos identificar ou saber quem são verdadeiramente os amigos? Os dois versos de Crônicas não nos trazem informações suficientes sobre a vida de Jabez, mas em um momento da sua vida o testemunho era o seguinte: "Deus atendeu a sua oração."

    Os amigos são aqueles que procuram estar juntos de nós mesmo que, num momento de dificuldades nada possam fazer para mudar o quadro. Jó 2:11 Ouvindo, pois, três amigos de Jó todo este mal que tinha vindo sobre ele, vieram cada um do seu lugar: Elifaz o temanita, e Bildade o suíta, e Zofar o naamatita; e combinaram condoer-se dele, para o consolarem.
    O amigo é aquele que na hora que mais precisamos dele, ele se transforma em irmão Pv 17.17 - Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão.
    O amigo é o melhor vizinho que podemos ter Pv 27.10 ...melhor é o vizinho perto do que o irmão longe.

Porém se existem amigos, infelizmente existem também os Inimigos. Aqueles que, às vezes, nem mesmo sabemos a razão, desejam o nosso mal. Vibram quando as coisas não estão dando certo para nós e chega festejar algum momento de derrota. Eles são:

    São Zombadores, se passam por amigos só para verem de perto os nossos momentos de dor.  Jó 16.20 Os meus amigos são os que zombam de mim; os meus olhos se desfazem em lágrimas diante de Deus.
    São Insensíveis, não se importam com nosso sofrimento e ainda nos difamam com palavras astuciosas.
Sl 38.11,12 Os meus amigos e os meus companheiros estão ao longe da minha chaga; e os meus parentes se põem à distância. Também os que buscam a minha vida me armam laços e os que procuram o meu mal falam coisas que danificam, e imaginam astúcias todo o dia.
    São Traidores, capazes de mudar de atitudes de um momento para o outro. Sl 41.9 - Até o meu próprio amigo íntimo, em quem eu tanto confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar.

Quando temos aquela sensação de que estamos cercados de inimigos, precisamos nos lembrar, imediatamente, que estamos cercados de amigos. E se mesmo assim se nos sentirmos cercados por nossos problemas podemos ter a certeza: Nossos problemas não podem nos separar do nosso senhor... Rm 8.35 Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?

IV. GRAVEMENE FERIDOS, MAS NUNCA DESTRUÍDOS.
Finalmente diante de tantas situações adversas, vamos imaginar uma situação de guerra! Em algum momento, entre tiros e bombardeios fomos feridos a ponto de não conseguirmos forças para prosseguir só nos resta esperar...
  1. Esperamos que algum soldado que não foi atingido nos ajude a sair do campo de batalha...
  2. Esperamos que alguma "tropa" amiga passe pelo local onde estamos e nos socorra...
  3. Esperamos que o comandante da nossa tropa não nos abandone e volte para nos socorrer...
  4. Esperamos a morte....

A sensação de que chegamos ao final de nossa caminhada é um sentimento ruim, e a consequência disto será o desânimo e a vontade de desistir de tudo. Esta situação causar em nós:

    Abatimento/ perda do apetite - Sl 102.4 - O meu coração está ferido e seco como a erva por isso me esqueço de comer o meu pão.
      Tristeza/ baixo alta-estima -  Sl 109.22 - Pois estou aflito e necessitado, e o meu coração está ferido dentro de mim.

O que podemos aprender com Jabez?
    Houve um homem chamado Jabes... Esta não é sua uma história. Isto é um relato bíblico, por isso, um fato que aconteceu de verdade!
    foi a pessoa mais respeitada da sua família... Não temos como saber como era a família de Jabez. Não sabemos quem foi seu pai, sua mãe, sua tribo, seus irmãos. Não há absolutamente nada, nenhuma informação da sua família. A única coisa que sabemos é que ele tinha uma família, e na sua família, ele era a pessoa mais importante!
    A sua mãe pôs nele o nome de Jabes porque ela havia sofrido muito durante o parto.  A mãe de Jabez, em razão de uma gravidez difícil e um parto doloroso, coloca no filho um nome que, na sua época, era no mínimo uma "maldição". Ela o chamou por aquilo que ela sofreu sem que ele tivesse qualquer culpa por seu sofrimento!
    Mas Jabes orou assim ao Deus de Israel: Ó Deus, abençoa-me e dá-me muitas terras. Fica comigo e livra-me de qualquer coisa que possa me causar dor. Não sabemos por quanto tempo Jabez tenha sofrido por causa de seu nome, e por causa do desprezo que tenha enfrentando em razão da maldição que carregou consigo tanto tempo. Até que, conheceu finalmente a Pessoa de Deus, e Orou...

CONCLUSÃO:
...E Deus atendeu a sua oração.
O Deus que estamos aqui cultuando hoje, é exatamente o mesmo Deus que ouviu a oração de Jabez...
Assim como Ele ouviu Jabez,Ele está pronto a nos ouvir também...
Podemos estar aflitos, com dúvidas, cercados por inimigos por todos os lados, e as vezes, gravemente feridos... Não importa! Deus quer ouvir nossa oração.

Nesta hora precisamos aprender com Jó, que no momento de maior dificuldade recebeu uma palavra desencorajadora de sua mulher, Mas responde de uma resposta encorajadora!
Jó 2.9 - Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre.
Jó 19.25 - Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra.






SALA DE ESTUDOS - HERMENÊUTICA

Sala de Estudos Introdução:  Hoje é nosso primeiro dia Sala de Estudo. Iniciamos agora uma nova reunião onde teremos o privilégio de ...