sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Carta aos Romanos III

ESCOLA BÍBLICA
IGREJA BATISTA NACIONAL VALE DAS BENÇÃOS
EM BACAXÁ/ SAQUAREMA
CARTA AOS ROMANOS
LIÇÃO III
HOMOSSEXUALISMO, PECADO CONTRA A PESSOA DE DEUS.

Texto Básico: Romanos 1.26-32
26. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. 27 E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. 28 E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm; 29 Estando cheios de toda a iniquidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; 30 Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; 31 Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; 32 Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.

Introdução. Na lição passada discorremos no texto até o verso 26 onde o Apóstolo Paulo adverte a igreja em Roma de uma prática pecaminosa que possivelmente estaria acontecendo dentro da comunidade cristã. Paulo discorre no texto e faz a seguinte alusão: “... Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.”. Destacamos no texto certa conjunção coordenativa no termo "suas" de maneira a entender que se tratava de mulheres que pertenciam à igreja. É possível perceber que o apóstolo trata de desvios das práticas consideradas naturais entre as mulheres. "mudaram o uso natural, no contrário à natureza".  E substituem o natural por práticas reconhecidamente imorais, e totalmente inversas aquilo que Deus planejou e instituiu como correto. A partir do verso 27, “Semelhantemente os homens,”. O Apóstolo muda o foco, ou melhor, o gênero do foco. Aqui temos o termo "Semelhantemente...” que não só modifica o gênero, mas, que define o versículo anterior. O termo "semelhantemente” aparece com o sentido de unir os dois versículos (26,27), no mesmo tema, indicando duas formas em que um mesmo pecado se apresenta. Algumas palavras vão esclarecendo a exposição do Apóstolo em relação ao assunto que deseja expor. "Semelhantemente os homens, deixando o uso natural da mulher...”.

I. O PECADO DO HOMOSSEXUALISMO MASCULINO.
A clareza do texto nos impede de ignorar o assunto e o rumo da carta. O Apóstolo passa a tratar do mesmo pecado, porém agora numa exposição direta ao sexo masculino. "E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens..."  O texto é específico que não permite qualquer margem de erro quanto a sua interpretação. Aliás, o texto por sua clareza dispensa qualquer esforço no sentido de interpretá-lo. Na observação paulina, os homens estavam "deixando" de se relacionar com mulheres, e passaram a se relacionarem entre si, em uma sensualidade completamente fora dos propósitos divinos.

1. "SE INFLAMARAM..." EXEKAUQHSAN (AORISTO PASSIVO DO VERBO EKKAIOS).
1.27 E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros...
O termo "inflamar" utilizado por Paulo, segundo os estudiosos da língua original, é um "Aoristo", isto é, um tempo verbal da língua grega antiga que expressava uma ação passada. (este tempo verbal não é mais usado). O sentido usado aqui aponta para o entendimento de que os homens citados substituíram a parceria feminina em seus relacionamentos sexuais e “atearam fogo” em si mesmo ao escolherem como parceiros pessoas do mesmo sexo. Paulo quer demonstrar o mecanismo de um sentimento libertino completamente desprovido de senso moral e diferente daquilo que desde o inicio Deus instituiu, chamado casamento. A formula divina para o casamento é imutável, Um homem e uma mulher, Qualquer coisa diferente disto é biblicamente considerado um desvio. Mesmo que muitas pessoas não concordem, o texto tem uma visão bem simples, o suficiente para não deixar qualquer tipo de dúvida quanto ao assunto. “... se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens...”.

Semelhantemente os homens... Primeiro temos o gênero do qual ele passa a descrever.
...mutuamente se inflamaram... Em seguida o texto indica que tal prática pecaminosa envolve duas ou mais pessoas reciprocamente com objetivo de praticar ações consideradas pecaminosas.
...cometendo torpezas... Aqui é apresentada nominalmente a prática do pecado. Paulo chama de Torpeza cujo significado fala de procedimentos vergonhosos e indignos. Indica literalmente ações indecentes, nojentas e infames. (Dic. Informal).
...homens com homens... Para não ficar qualquer dúvida, Paulo ao indicar a prática vergonhosa, também indica as pessoas que fazem uso da prática denominada por "torpeza". Práticas completamente diferentes daquelas que Deus idealizou para o homem.
...e recebendo em si mesmos a merecida punição de seus erros. Por fim, o Apóstolo descreve o resultado final pela escolha de tais pessoas fizeram.

2. DEUS OS ENTREGOU...
Rm 1.28 E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
A descrição prossegue e passa a focalizar as consequências da prática do pecado. O texto caminha para o entendimento de que pecado é fruto de uma escolha inconsequente, e que em nenhum momento esta escolha receba algum tipo de permissão ou tolerância Divina. A permissão se dá somente no fato dos homens sofrem em seus próprios corpos as consequências de seus delitos. Deus não tolera o pecado! Todavia, por amar o pecador, entregou Seu Filho para salvação de todos quantos queiram. Jo 3.16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

O Dr Rick Fitzgibbons no texto "A política sobrepondo à ciência" falando em relação à pressão para as uniões homossexuais no Canadá, quando perguntado sobre as doenças médicas associadas com a homossexualidade, respondeu o seguinte:
⏩ A lista de doenças médicas encontradas com extraordinária frequência entre homens homossexuais praticantes como um resultado de comportamento homossexual anormal é alarmante: Câncer anal, chlamydia, trachomatis, cryptosporidium, giárdia lamblia, herpes, HIV, vírus papiloma humano, HPV ou ferida genital, isospora, belli, microsporída, gonorreia, hepatite viral tipos B e C, sífilis. A transmissão de algumas dessas desordens é tão rara na população heterossexual chegando a ser desconhecida. Outras, quando encontradas entre heterossexuais e homossexuais praticantes são claramente predominantes por aqueles envolvidos em atividade homossexual... (explanada.org.br – blog do Ivan – 255-c)

3. CHEIOS DE TODA INJUSTIÇA...
1.28 E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
Esta frase abre a discussão em relação ao estado emocional das pessoas que escolhem estas praticas como habituais. São praticas, e é bom que entendamos, que não se trata apenas de práticas homossexuais, embora seja este o contexto da abordagem do Apóstolo. Rm 1.29 Estando cheios de toda a iniquidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade. Precisamos obsevar livres de qualquer preconceito ou mesmo de ideias pré-concebidas que, seguido ao termo "iniquidade" vem termos como prostituição e malícia, que indicam as práticas sexuais tidas como depravação do corpo. Mas em sequência, Paulo abre mais seus argumentos e insere termos como: avareza, maldade, inveja, homicídio, contenda, engano etc. Pecados que não estão necessariamente ligadas à prática homossexual. São práticas pecaminosas sim, mas independem de sexo ou das escolhas sexuais consideradas erradas. Qualquer pessoa seja homem ou mulher podem ser atraídos e praticarem qualquer um destes erros. Mas, se Paulo os cita em conexão com o tema "homossexualismo", ele o faz numa abordagem mais dinâmica dos aspectos negativos da prática. É certo que Paulo, por exemplo, não quer dizer que os homossexuais são "homicidas", mas ele apenas indica que a prática do pecado pode, em razão de problemas de relacionamentos conduzirem a ações tais que culminem na prática ou até mesmo vitimando o pecador. Paulo não escreveu com o objetivo puro e simples de denunciar e excluir tais pessoas do rol de membro da Igreja, até porque isto parece bem fácil. Mas o objetivo do apóstolo foi o de auxiliar tais pessoas a continuarem a ser recebidas na fé cristã. Ele não aprovou em nenhum momento tais práticas, mas deixou claro que seu objetivo ajudar e cuidar delas. Ao longo dos textos bíblicos, estas mesmas práticas são apresentadas sem nenhuma conexão com o tema, mas podemos tentar entender um pouco de seus significados.

Iniquidade. Pv 6.12 O homem... Iníquo tem a boca pervertida. A iniquidade visa trabalhar no sentido de tornar normal o que é pecado. Ela, uma vez no coração, não permite a produção do sentimento de culpa por pecados cometidos. Ser iníquo é, no sentido da palavra, ser alguém que realiza atos reprováveis de transgressão da lei ou os bons costumes e já não sente nenhum tipo de peso em sua alma.

Prostituição. ICo 5:9 Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem. Indica a prática de usar o corpo como mercadoria, isto é, mediante certa remuneração. A prostituição é a troca consciente de favor sexual por dinheiro ou algum outro benefício. São práticas sexuais fora dos padrões, isto é, reconhecidamente entendidas como promíscuas, isto é, sem regras determinadas.

Malícia. É a tendência perniciosa de inclinação para o mal. É uma atuação ou ação maligna que faz com que o indivíduo pense ou deseje apenas o pior em relação aos seus semelhantes. Uma espécie de má vontade que desperta atitudes de sagacidade.

Percebam que todas estas colocações acima, se encaixam muito bem ao tema transcorrido até aqui. A prática sexual entre pessoas do mesmo sexo transgridem as leis dos bons costumes, são práticas promíscuas e maliciosas. Abaixo, porém, temos outros termos utilizados por Paulo no seguimento de seus comentários que podemos também buscar algumas definições para entendê-los.

Avareza. Apego doentio e exagerado ao dinheiro. Falta de generosidade, mesquinhez. Desejo ganancioso para possuir bens materiais. Ambição cobiçosa desmedida para com as riquezas.
Maldade. Representa o espírito de perversidade, crueldade e malvadeza contra o próximo.
Inveja. Paulo usa o termo “cheios” indicando assim uma completa imersão da mente humana num sentimento de cobiça a vista da felicidade ou da superioridade de outrem. 
Homicídio. Ou “assassinato” , que é o ato de tirar a vida do semelhante. Resultado de uma atitude de desprezo para com a vida humana.
Contenda. Questões pessoais que produzem discussões e que geralmente resultam em agressão física e até mesmo a morte.
Dolo.  Revela o espírito enganador. Um sentido totalmente negativo que expressa um sentimento malicioso. Pode ser entendido também por ato consciente com que se iduz, mantém ou confirma outrem num erro.
Malignidade. O termo aparece uma única vez neste versículo e trata de um sentimento pernicioso, sendo uma perversão do espírito e da alma do homem, pelo maligno. É Satanás que leva o ser humano a deleitar-se na maldade.

II. DISPOSIÇÃO MENTAL REPROVÁVEL...
Rm 1.30 Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.
Mais algumas expressões aparecem aqui. A lista parece interminável. Mas, o escritor bílico, declara que são sintomas de uma doença chamada pecado, e se não houver cura, a sentença é uma só: ...São dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.

1. PECADOS CONTRA PESSOAS.
O termo apresentado por Paulo fala da mente que, segundo ele, não passou no teste. É certo que existiam pessoas que não praticavam os pecados relacionados pelo Apóstolo, mas entre estes, havia aqueles que mesmo sem praticar, consentiam tas práticas pecaminosas na Igreja. A Igreja não pode permitir que aqueles que se uniram a ela abraçando a fé cristã, permaneçam em práticas condenadas pela Bíblia. A fé cristã é evidenciada exatamente pelo abandono de tais práticas.

Os Murmuradores ou injuriadores. São Pessoas que reclamam constantemente e com palavras e gestos conseguem agridir ao próximo ofendendo moralmente e de maneira negativa. Expressa certa atitude mentirosa de conspiraçõa contra alguém com intenções negativas causando difamação e calúnia.

Os Insolentes. Este termo mistura crueldade com orgulho. Representa o desprezo por outras pessoas, e revela-se na crueldade sádica de contentamento diante do sofrimento alheio.

Soberbos. Pessoas que se conduzem com arrogância e orgulho, insultando e humilhando pessoas consideradas menos capazes ou indefesas.

Os Presunçosos. Atitude de vanglória, egoísmo, jactância; o termo originou da palavra “alazão” aplicado a determinada raça de cavalo em referência a seu porte garboso, altivo, orgulhoso.

Inventores de males. Este termo revela o espírito do homem que mesmo sendo intelectual utiliza de sua experteza para abater a sensibilidade moral e espiritual de alguém. São pessoas que agem com tal infidelidade quebrando pactos e alianças que são consideradas pessoas mentirosas.

Desobedientes aos pais e às mães. Muitos erros, para não dizer a maioria deles, acontecem exatamente em virtude deste mal. Paulo declara Ef 6.1-4 que os Filhos devem obediência aos pais, e é aqui que muitos erram. Preferem viver suas vidas de maneira a não precisar dar satisfação a ninguém, inclusive aos pais. Em seguida o Apóstolo procura estabelecer uma conexão quando diz: Honra a teu pai e a tua mãe... para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra. Neste caso, há uma sentença de Deus para os que escolhem viver tais praticas abomináveis. A resposta é muito clara: a morte eterna! “Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem”

Pérfidos. Indivíduos que se dão a enganar a boa fé do próximo, ou seja, pessoas que agem com falsidade e espírito de engano, traindo a confiança alheia.

Observem que todas estas caracteristicas indicam desrespeito ou falta de afindadade para com o semelhante. Todas estas práticas são pecaminosas e por isso todas elas são reprovadas por Deus.

2. PECADOS CONTRA DEUS E CONTRA A FÉ.
1.31 Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;
Apenas a nivel de facilitação no estudo procuramos fazer esta divisão no texto paulino. Este tipo de divisão não consta no texto. Paulo discorre sobre todos eles seguidamente, sem interrupções ou divagações.

Aborrecidos de Deus. Este termo utilizado somente aqui neste versículo, representa a face diabólica de pessoas que odiadores de Deus. A princípio não temos como entender que pessoas possuidoras de características assim, possam fazer parte da igreja. É mais fácil entender que este tipo de mal atingiu estas pessoas que por alguma razão tenha se afastado da Igreja e da fé cristã.

Impiedade. Aqui, impiedade deve ser entendida como Fracasso religioso. Na verdade, o termo deriva da falta de fé ou mesmo falta de zelo para com as coisas de Deus. Aqui podemos perceber que as pessoas estavam se distanciando da fé em razão do não abandono da prática do pecado.

Perversão. Enquanto a impedade fala do Fracasso religioso, a perversão apresenta o fracasso moral e a injustiça. Do ponto de vista psicológico, perversão define um quadro ou síndrome patológica, na qual o indivíduo busca encontrar prazer enquanto uma outra pessoa sofre, ou seja, o sofrimento e a dor do seu semelhante lhe causa prazer, isto geralmente ligado a sexualidade.

Infiéis nos contratos. Um contrato é um documento redigido por intermédio do qual as partes convencionam prazo, preço, condições e obrigações mútuas para a consecução de determinado fim lícito. Desta forma uma pessoa rotulada como "infiel no contrato" indica alguém que assinou determinado documento e descumpriu as normas estabelecidas. Pessoas assim, segundo conceito bíblico paulino, não se encontram em conformidade com a vontade de Deus. Contratos são redigidos e assinados com o fim de serem cumpridos, exceto haja erros ou descumprimento de outra parte.

Sem afeição natural. Aqueles que não se importam com o bem-estar do semelhante. Falam da desumanidade que impera na raça humana, mas não movem um mínimo de esforço no sentido de cooperar para exterminação destes mal.  Nos dias de Paulo esse quadro era bem vivo e real, pois se via com freqüência todo tipo de atrocidades sendo cometidas contra pessoas inocentes e indefesas.

Irreconciliáveis. Pessoas com esta característica se mostram incapazes de voltar a uma amizade desfeita. Neste caso, esta incapacidade pode acontecer inclusive se a parte humana por alguma razão se afastou de Deus e se fechou a qualquer possibilidade de reconciliação.

Sem misericórdia. A palavra misericórdia significa “ter compaixão de” ; representa o sentimento que se derrama em amor para com aqueles que necessitam de ajuda. Uma pessoa “sem misericórdia” é aquela que se encontra longe do caminho de praticar tais bondades. 

Glossário.
Transcender. Passar além de; ultrapassar. Exceder, elevar-se acima de.
Imanente. Aquilo que não pode ser encontrado do lado de fora, faz parte do ser, diferente do que transcende.
Asseidade. Do latim "por si". Atributo divino essencial e fundamental, que consiste precisamente em derivar Sua existência de Si mesmo.
Imensidade. Característica de imenso. Que tem uma extensão ilimitada, infinita.
Desmitificar. Desfazer um mito, tirar o caráter de mito.

A TRADIÇÃO QUE RECEBEMOS.

Mandamo s -vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segu...