segunda-feira, 11 de julho de 2016

UM MISTÉRIO REVELADO

CARTA AOS EFÉSIOS. 
Lição 6 - UM MISTERIO REVELADO
“pois nós somos membros do corpo de Cristo”. Ef 5:30

Texto Básico: Ef 3.1-12 Por essa razão eu oro a Deus, eu, Paulo, que estou preso por causa de Cristo Jesus para o bem de vocês, os não-judeus. Com certeza vocês já sabem que Deus, por causa da sua graça, me deu esse trabalho para o bem de vocês. Deus me revelou o seu plano secreto e fez com que eu o conhecesse. (Eu escrevi isso em poucas palavras, e, se vocês lerem o que escrevi, poderão saber como entendo o segredo de Cristo.) No passado esse segredo não foi contado aos seres humanos, mas agora, por meio do seu Espírito, Deus o revelou aos seus santos apóstolos e profetas. O segredo é este: por meio do evangelho os não-judeus participam com os judeus das bênçãos divinas. Eles são membros do mesmo corpo e participam da promessa que Deus fez por meio de Cristo Jesus. Graças ao dom que Deus, na sua bondade, me deu, e, pela ação do seu poder, eu fui colocado como servo do evangelho. Eu sou menos do que o menor de todos os que pertencem a Deus, mas mesmo assim ele me deu este privilégio de anunciar aos não-judeus a boa notícia das imensas riquezas de Cristo. E também me deu o privilégio de fazer com que todos vejam como se realiza o plano secreto de Deus. Deus, que criou tudo, escondeu esse segredo durante os tempos passados. E isso aconteceu a fim de que agora, por meio da Igreja, as autoridades e os poderes angélicos do mundo celestial conheçam a sabedoria de Deus em todas as suas diferentes formas. Deus fez isso de acordo com o seu propósito eterno, que ele realizou por meio de Cristo Jesus, o nosso Senhor. Por estarmos unidos com Cristo, por meio da nossa fé nele, nós temos a coragem de nos apresentarmos na presença de Deus com toda a confiança. 

Introdução: O que nos chama a atenção nesta carta é o fato de ser esta uma das epístolas escrita pelo Apostolo Paulo enquanto ele está preso. O pior é que a razão de sua prisão não foi porque ele havia cometido nenhum crime passível de julgamento ou condenação. Paulo estava preso porque os seus irmãos, os judeus, se opunham ao trabalho que ele vinha realizando em obediência ao chamado divino, e o acusavam de estar “introduzindo” os gentios que estavam crendo, no templo (At 21.27-33). Esta obra que Paulo estava realizando, ele chama, em sua carta aos efésios de “A revelação de um mistério” (3:3). É fácil percebermos o desenvolvimento do processo desta revelação de que fala o Apóstolo:


  • Deus planejou “algo” que ficou oculto em Cristo, desde antes da fundação do mundo (Ef 1:3-6). 
  • O mistério foi revelado a Paulo e a outros apóstolos e profetas por intermédio do próprio Senhor Jesus Cristo, e através do Espírito Santo. (Ef 3:5; Jo 14:25-26; 16:12-13). 
  • Os apóstolos e profetas, ao receberem tal revelação, o escreveram, estando debaixo da inspiração divina. (3:3-4). 
  • Nós, ao lermos com atenção e coração aberto, somos capazes de entendemos o que está revelado pela Palavra (3:4). 
O mistério de Cristo uma vez revelado é para ser entendido. Toda revelação de uma verdade acontece exatamente por esta razão. Ela é para que ao nos defrontarmos com ela, sejamos capazes de entender o que estamos lendo. Não são sentimentos nem visões ou mesmo supostas revelações tidas como sobrenaturais, mas pela Bíblia, a Palavra de Deus, e pela dedicação ao estudo e a leitura, nos é revelado todos os mistérios de Cristo que Deus decidiu que de tais devíamos tomar conhecimento.

I. O MISTÉRIO REVELADO (3:1-7).
O segredo é este: por meio do evangelho os não-judeus participam com os judeus das bênçãos divinas. Eles são membros do mesmo corpo e participam da promessa que Deus fez por meio de Cristo Jesus. (3:6)

Prestemos atenção no verso 6. Paulo agora preso, fala do desenvolvimento de um trabalho que Deus o havia comissionado para que por intermédio da revelação de Sua Palavra, pudesse alcançar os gentios. Podemos entender como melhor clareza o que Paulo chama de “revelação” se atentarmos para pelo menos três definições simples do termo. Assim podemos dizer que REVELAÇÃO pode ser entendida como:


  • O ato pelo qual Deus torna conhecido um propósito ou uma verdade. Louvemos a Deus! Pois ele pode conservar vocês firmes na fé, de acordo com o evangelho que eu anuncio, isto é, a mensagem a respeito de Jesus Cristo. E de acordo também com a verdade secreta que nunca foi revelada no passado. (Rm 16:25) 
  • O ato pelo qual Deus faz com que alguma coisa seja claramente entendida. Mas o seu coração é duro e teimoso. Por isso você está aumentando ainda mais o castigo que vai sofrer no dia em que forem revelados a ira e os julgamentos justos de Deus. Rm 2:5 
  • A Explicação ou apresentação de verdades divinas. Portanto, meus irmãos, o que é que deve ser feito? Quando vocês se reúnem na igreja, um irmão tem um hino para cantar; outro, alguma coisa para ensinar; outro, uma revelação de Deus; outro, uma mensagem em línguas estranhas; e ainda outro, a interpretação dessa mensagem. Que tudo seja feito para o crescimento espiritual da igreja. 1Co 14:26 
Estas definições, embora simples, nos dão clareza do assunto que o Apostolo está desenvolvendo na Epístola aos Efésios. O mistério de Cristo refere-se à união entre judeus e gentios num só, o corpo de Cristo, que a igreja “Deus colocou todas as coisas debaixo da autoridade de Cristo e deu Cristo à Igreja como o único Senhor de tudo.” (1:22). Igreja, numa visão geral, fala de um grupo de pessoas que se reúnem para aprender sobre Deus e adorá-Lo. No tempo do NT era um termo novo, que começa a aparecer em versículo como Evangelho de Mateus 16.18. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do hades não prevalecerão ontra ela. Lucas usou bastante termo em Atos dos Apóstolos, tornando-o mais comum. No entanto ninguém, mas do que Paulo escreveu tanto sobre a igreja. Falou dela incansavelmente em suas epístolas. João também falou sobre a Igreja no Apocalipse.

No VT Israel era simplesmente "a congregação". A palavra foi também usada pelos primeiros cristãos. Com frequência os cristãos se referiam a si próprios como a igreja ou a congregação. De fato, este é o real significado da palavra igreja, “congregar”, que se aplica tanto aos fiéis no mundo inteiro como para qualquer grupo local. O termo, apontava para a presença total de Deus num determinado local.

O NT frequentemente usa o singular "igreja" mesmo quando muitos grupos de fiéis se reúnem (At 9:31; 2Co 1;1). O termo "igrejas" é raramente encontrado (At 15:41; 16:5). Cada grupo era o lugar onde Deus estava presente. Deus comprou a “congregação” com o sangue de seu Filho, O Senhor Jesus Cristo. At 20:28 Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele adquiriu com seu próprio sangue.

II. A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS (3:8-13).
E isso aconteceu a fim de que agora, por meio da Igreja, as autoridades e os poderes angélicos do mundo celestial conheçam a sabedoria de Deus em todas as suas diferentes formas.” (3.10) Paulo testifica da pregação do evangelho que ele considerava o grande legado da graça de Deus, que lhe permitia manifestar as riquezas espirituais que estiveram ocultas, por tanto tempo, desde o começo dos tempos, e que agora, era manifestado aos homens do mundo inteiro. Ef 3.8-9 A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar aos gentios as riquezas inescrutáveis de Cristo, e demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou. Paulo consegue demonstrar o que representa a pregação legítima do Evangelho de Deus na forma da Bíblia. Ele escreve sobre a sabedoria de Deus que é revelada na Pessoa do Seu Filho, o Senhor Jesus Cristo, que por Seu sacrifício no Calvário, foi capaz deu reunir todas as pessoas salvas, no mundo inteiro, sejam judeus ou gentios, em um só corpo, exatamente como ele planejou desde o começo dos tempos Ef 3.11segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor.

Os pregadores precisam assumir a responsabilidade de pregarem, não a sua própria vontade, mas a vontade de Deus, caso contrário, não acontece salvação, e as pessoas não são unidas em um só corpo. O resultado do evangelho corrompido pregado por falsos anunciadores da Palavra são pessoas confusas, perdidas e divididas em denominações das mais diversas. Somente pregando a Cristo, vidas são salvas, curas acontecem e acima de tudo, o povo entende o seu lugar no corpo. O segredo é este: por meio do evangelho os não-judeus participam com os judeus das bênçãos divinas. Eles “são membros do mesmo corpo e participam da promessa que Deus fez por meio de Cristo Jesus.” (3:6). Não há divisão no corpo de Cristo, este é o segredo. Não há lugar para competições, todos em Cristo são um só. Portanto, vocês, os não-judeus, não são mais estrangeiros nem visitantes. Agora vocês são cidadãos que pertencem ao povo de Deus e são membros da família dele. 2:19

II. INFINITAMENTE MAIS (3:14-21).
Sim, embora seja impossível conhecê-lo perfeitamente, peço que vocês venham a conhecê-lo, para que assim Deus encha completamente o ser de vocês com a sua natureza. Ef 3:19
A oração de Paulo, de forma diligente tem uma razão de ser. Paulo entrega-se ao ministério da intercessão em favor dos irmãos de Éfeso, e seu pedido é em favor do crescimento espiritual dos irmãos na Pessoa do Senhor Jesus Cristo. Podemos notar nas palavras de Paulo, suas razões para tal dedicação tão intensa. Paulo tinha suas preocupações e não desejava de forma alguma ver os salvos naufragarem e serem enganados em sua fé. Desta forma podemos perceber algumas riquezas nas suas orações:


  • Ele ora, não apenas pelos efésios especificamente, Paulo intercede ao Pai por todas as famílias da terra. Todos os salvos, em todo o mundo, são seus filhos, numa família espiritual, e isto incluía todos os crentes, inclusive nós fomos inseridos nesta oração. “de quem todas as famílias no céu e na terra recebem o seu verdadeiro nome.” 3:15. 
  • Ele ora pedindo a Deus que nos conceda forças, assim como Deus é forte e Glorioso. Ele ora pedindo que em Cristo, nós possamos receber o poder de Deus, que nos ajudará nas nossas fraquezas nos dando condições de vencermos às tentações. E peço a Deus que, da riqueza da sua glória, ele, por meio do seu Espírito, dê a vocês poder para que sejam espiritualmente fortes. 3:16 . 
  • Paulo ora ainda, pedindo a Cristo que permaneça em nossos corações (3:17). Geralmente, ele sempre ora para que nós estejamos "em Cristo", desta vez, sua oração parece gozar de um teor diferente, Paulo intercede para que Cristo esteja em nós e nos faça crescer no amor. Peço também que, por meio da fé, Cristo viva no coração de vocês. E oro para que vocês tenham raízes e alicerces no amor, 3:17 . 
  • Paulo ora clamando a Deus por pleno entendimento do amor de Cristo, fato fundamental para que sejamos cheios da plenitude e da força necessária para nossa vida cristã."para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus" (3:18-19). 
Somente quando crescemos no amor de Cristo receberemos a plenitude de Deus!


CONCLUSÃO.
A oração de Paulo em sua Epístola aos Efésios fala da confiança que ele deposita na Pessoa do Deus Todo Poderoso, que tem poder para atender às nossas orações de modo infinitamente mais completo do que podemos pedir ou sequer imaginar (3:20-21). Precisamos de confiança como a de Paulo quando nos dirigirmos a Deus em oração, aprendendo a orar de acordo com a vontade de Deus! Assim também o Espírito de Deus vem nos ajudar na nossa fraqueza. Pois não sabemos como devemos orar, mas o Espírito de Deus, com gemidos que não podem ser explicados por palavras, pede a Deus em nosso favor. Rm 8:26

PREPARANDO-SE PARA O SERMÃO

SALA DE ESTUDO Antes de começarmos a desvendar todos os mistérios concernente o preparo do sermão propriamente dito, será de ...