quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

FUNDAMENTOS DA FÉ CRISTÃ

"NOSSA CREDENDA E NOSSA AGENDA"

Introdução: Credenda fala de nossa "Expressão de fé", enquanto que "Agenda", fala de nossa "Expressão prática de fé". Na primeira definimos a vivacidade de nosso pensamento com respeito a fé cristã, enquanto que na segunda definimos nossa manifestação prática concernente a estes mesmos pensamentos. Como igreja evangélica que somos, temos a Bíblia Sagrada como nossa única regra de fé e prática, portanto, é de se esperar que tanto nossa credenda quanto nossa agenda esteja baseada pura e unicamente nos conceitos bíblicos sagrados. Nestas condições procuraremos abordar os aspectos imprescindíveis quanto a natureza fundamental do que cremos, isto levando em conta as unidades, a estabilidade e o desenvolvimento harmônicos das demais igrejas evangélicas no Brasil, que assim como nós, tem a Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus como sua regra e expressão de fé e prática, cuja consciência e responsabilidade já há muitos justificam a oficialização e divulgação de seus fundamentos.


 

A AUTORIDA CRISTÃ

Texto Básico: Rm 13.1-7

Obedeçam às autoridades, todos vocês. Pois nenhuma autoridade existe sem a permissão de Deus, e as que existem foram colocadas nos seus lugares por ele. Assim quem se revolta contra as autoridades está se revoltando contra o que Deus ordenou, e os que agem desse modo serão condenados. Somente os que fazem o mal devem ter medo dos governantes, e não os que fazem o bem. Se você não quiser ter medo das autoridades, então faça o que é bom, e elas o elogiarão. Porque as autoridades estão a serviço de Deus para o bem de você. Mas, se você faz o mal, então tenha medo, pois as autoridades, de fato, têm poder para castigar. Elas estão a serviço de Deus e trazem o castigo dele sobre os que fazem o mal. É por isso que você deve obedecer às autoridades; não somente por causa do castigo de Deus, mas também porque a sua consciência manda que você faça isso. É por isso também que vocês pagam impostos. Pois, quando as autoridades cumprem os seus deveres, elas estão a serviço de Deus. Portanto, paguem ao governo o que é devido. Paguem todos os seus impostos e respeitem e honrem todas as autoridades.


 

Texto Devocional: Ef 1.21


Muito acima de todo principado, e autoridade, e poder, e domínio, e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro;

I. CRISTO O SENHOR DA IGREJA.

A fonte suprema da autoridade cristã é o Senhor Jesus. (Cl 2.9 porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade) Sua soberania emana ou origina-se através de sua condição de Deus, Podendo ser visto em sua:

1° Eternidade, divindade e poder - Rm 1.20 Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis

2° Condição de unigênito Filho do Deus Supremo - 1Jo 4.9 Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por meio dele vivamos.

3° Redenção vicária - Hb 9.12 e não pelo sangue de bodes e novilhos, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez por todas no santo lugar, havendo obtido uma eterna redenção. Rm 3.24 sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus,

4° Ressurreição vitoriosa - Rm 1.4 e que com poder foi declarado Filho de Deus segundo o espírito de santidade, pela ressurreição dentre os mortos, Jesus Cristo nosso Senhor,

Sua autoridade é a expressão de amor justo, sabedoria infinita e santidade divina, e se aplica a totalidade da vida. Desta vida procede a integridade do propósito cristão, o poder da dedicação cristã. Ela exige a obediência aos mandamentos de Cristo, dedicação a seu serviço, fidelidade ao seu reino e a máxima devoção a Sua Pessoa, como Senhor vivo. 1Pe 3.22 que está à destra de Deus, tendo subido ao céu; havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as


 

II. AS ESCRITURAS, A AUTORIDADE DA PALAVRA DE DEUS.

Hb 4.12 Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.

A Bíblia fala com autoridade porque é a Palavra de Deus. É a suprema regra de fé e prática porque é testemunha fidedigna e inspirada dos atos maravilhosos de Deus através da revelação de Si mesmo e da redenção, sendo patenteado na vida, nos ensinamentos e na obra Salvadora de Jesus Cristo. As Escrituras revelam a mente de Cristo e ensinam o significado de Seu domínio. Na sua singular e una revelação da vontade divina para a humanidade, a Bíblia é a autoridade final que atrai as pessoas a Cristo e as guia em todas as questões de fé cristã e dever moral. O indivíduo tem que aceitar a responsabilidade de estudar a Bíblia, com mente aberta e com atitude reverente, procurando o significado de sua mensagem através de pesquisa e oração, orientando a vida debaixo de sua disciplina e instrução


 

III. O ESPÍRITO SANTO, A VOZ DA AUTORIDADE DIVINA.

1Jo 4.2 Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;

O Espírito Santo é a presença ativa de Deus no mundo e, particularmente, na experiência humana. É Deus revelando Sua Pessoa e vontade ao homem. O Espírito, portanto, é a voz da autoridade divina. É o Espírito de Cristo e Sua autoridade é a vontade de Cristo. Visto que as Escrituras são produtos de homens que, inspirados pelo Espírito Santo, falaram por Deus, a verdade da Bíblia expressa a vontade do Espírito, compreendida pela iluminação do Mesmo. Ele convence os homens do pecado, da justiça e do juízo, tornando, assim, efetiva a salvação individual, através da obra salvadora de Cristo. Ele habita no coração do crente, como advogado perante Deus e intérprete para o homem. Ele atrai o fiel para a fé e a obediência e, assim, produz na sua vida os frutos da santidade e do amor. O Espírito Santo procura alcançar a vontade e propósitos divinos entre os homens. Ele dá aos cristãos poder e autoridade para o trabalho do reino e santifica e preserva os redimidos, para o louvor de Cristo; exige submissão livre e dinâmica à autoridade de Cristo, e uma obediência criativa e fiel a Palavra de Deus


 


 


 


 

Bibliografia:

Manual Básico dos Batistas Nacionais

PREPARANDO-SE PARA O SERMÃO

SALA DE ESTUDO Antes de começarmos a desvendar todos os mistérios concernente o preparo do sermão propriamente dito, será de ...