domingo, 25 de setembro de 2011

OPERAÇÃO, SANTIDADE AO SENHOR

Josué disse ao povo: Purifiquem-se porque amanhã o SENHOR fará grandes coisas entre vocês.” (Js 3:5)

Introdução: o que vem a ser santidade? E o que isto tem a ver com “purificação”? Estamos com um grande problema! Como vamos conseguir explicar para, juniores, alguma coisa que nem mesmo nós os adultos conseguimos entender direito? Precisamos desenvolver uma definição que seja a mais próxima possível, e a nossa próxima tarefa, será exatamente a de tentar desenvolver uma.

·         Em relação a Deus, santidade é um atributo ou propriedade, isto é aquilo que é próprio do ser Deus e pela qual Ele é moralmente puro e perfeito, separado acima de tudo o que é mau e imperfeito Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu nome, adorai o SENHOR na beleza da santidade.  (Sl 29:2 RA)

·         Em relação a nós, o povo de Deus, santidade é uma qualidade ou condição que nos leva a se separar do mundo, a não seguir os seus maus costumes, e a pertencer somente a Deus, sendo completamente fiel a ele. Desse modo Deus dará força ao coração de vocês, e vocês serão completamente dedicados a ele e estarão sem culpa na presença do nosso Deus e Pai, quando o nosso Senhor Jesus vier com todos os que são dele. Amém! (1 Ts 3:13)

Na Bíblia, santidade vai sempre falar de separação de coisas ou pessoas para Deus e para o culto a Ele.

E “operação”? Como podemos entender este termo?

·         É a realização de algo como resultado de um trabalho ou esforço próprio.

·         É produção de algum efeito

·         É fazer funcionar, atuando, agindo.

·         É entrar em função ou atividade.

O que estou dizendo quando digo que “apoio” a “operação santidade”?
Apoiar significa aprovar. Assim, quando digo que “apoio” a operação, estou querendo dizer que eu “aprovo” e reconheço a boa validade do resultado desta operação. O apoio, é o entendimento e a aprovação do resultado que esta operação pode trazer para minha vida. Resultados que são para mim, benefícios. Não só para mim, mais para todos aqueles que me são próximos.

I. AS “ENGRENAGENS”
Sendo SANTIDADE uma condição que eu aprovo, então eu preciso fazer “funcionar” em mim esta “condição”. Em outras palavras, preciso “condicionar” minha vida a um estado de santidade. Como eu posso fazer isso? Para que isso aconteça, preciso fazer funcionar em mim, algumas “engrenagens” que produzirão este efeito. A santidade precisa entrar em “atividade” na minha vida. Eu preciso me “tornar” uma pessoa “santa”. E isto não acontece de uma hora para outra ou num abrir e fechar de olhos. Santidade além de uma “condição”, também é um processo. Isto é, uma sucessão de estados e de mudanças. E isto requer de nós algum esforço. Dediquem-se completamente a mim e sejam santos, pois eu sou o SENHOR, o Deus de vocês. (Lv 20:7) ...sejam santos em tudo o que fizerem, assim como Deus, que os chamou, é santo. (1Pe 1:15). Podemos resumir estas “engrenagens” em quatro palavras: Separação, mudança, entrega e fidelidade. Estas são as engrenagens que farão funcionar em nós a operação santidade.

 1. SEPARAÇÃO DO MUNDO.
Falo com palavras bem simples porque vocês ainda são fracos. No passado vocês se entregaram inteiramente como escravos da imoralidade e da maldade para servir o mal. Entreguem-se agora inteiramente como escravos daquilo que é direito para viver uma vida dedicada a Deus. (Rm 6:19)
Separar significa, afastar-se. Isto não significa dizer que vamos ter que “sair” do mundo, pois isto nos seria impossível. Eu não quis dizer que neste mundo vocês devem ficar separados dos pagãos que são imorais, avarentos, ladrões ou que adoram ídolos. Pois, para evitar essas pessoas, vocês teriam de sair deste mundo. (1Co 5:10). Mas tem a ver com um rompimento com ele e com um estabelecimento de discórdia com aquilo que ele sinaliza como modo e prática de vida comum. Porque vivem como se fossem pessoas deste mundo. Quando existem ciumeiras e brigas entre vocês, será que isso não prova que vocês são pessoas deste mundo e fazem o que todos fazem? (1Co 3:3) . Separar-se do mundo é praticar uma nova maneira de viver. É experimentar uma mudança em nossas atitudes em relação a tudo o que diz respeito a este mundo. É disto que temos orgulho: a nossa consciência nos afirma que a nossa maneira de viver no mundo, e especialmente em relação a vocês, tem sido dirigida pela franqueza e sinceridade que Deus nos dá e também pelo poder da sua graça e não pela sabedoria humana. (2Co 1:12). É o entendimento daquilo que foi feito por nós na cruz de Cristo, e daquilo que temos que fazer em relação a esta mesma cruz. Em obediência à vontade do nosso Deus e Pai, Cristo se entregou para ser morto a fim de tirar os nossos pecados e assim nos livrar deste mundo mau. (Gl 1:4). É orgulhar-se em ser salvo e viver a vida neste mundo como se para ele, verdadeiramente, nós estivéssemos mortos. Mas eu me orgulharei somente da cruz do nosso Senhor Jesus Cristo. Pois, por meio da cruz, o mundo está morto para mim, e eu estou morto para o mundo. (Gl 6:14)

 2. MUDANÇA DE COSTUMES.
Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12:2)
Mudar os costumes tem a ver com alterar ou modificar os hábitos ou as práticas. É a confirmação de que abandonamos o mundo, pois quando mudamos os nossos costumes e as nossas práticas ou os nossos hábitos, estamos mostrando a todos o nosso rompimento com ele. Naquele tempo vocês estavam separados de Cristo; eram estrangeiros e não pertenciam ao povo escolhido de Deus. Não tinham parte nas suas alianças, que eram baseadas nas promessas de Deus para o seu povo. E neste mundo viviam sem esperança e sem Deus. (Ef 2:12). Mais uma vez somo levados a usar todo o nosso desejo de agradar a Deus para vencer os impulsos que tendem nos impedir de experimentar toda e qualquer mudança interior. Portanto, matem os desejos deste mundo que agem em vocês, isto é, a imoralidade sexual, a indecência, as paixões más, os maus desejos e a cobiça, porque a cobiça é um tipo de idolatria.” (Cl 3:5). Somos conduzidos por Deus a uma mudança de vida, mudança esta que está baseada no abandono das práticas de tudo aquilo que desagrada a Deus e na escolha de viver uma vida de fé e dedicação a Ele. Essa graça nos ensina a abandonarmos a descrença e as paixões mundanas e a vivermos neste mundo uma vida prudente, correta e dedicada a Deus, (Tt 2:12)

3. ENTREGA TOTAL E IRRESTRITA A DEUS.
E também não entreguem nenhuma parte do corpo de vocês ao pecado, para que ele a use a fim de fazer o que é mau. Pelo contrário, como pessoas que foram trazidas da morte para a vida, entreguem-se completamente a Deus, para que ele use vocês a fim de fazerem o que é direito.  (Rm 6:13
Entregar-se a Deus fala em passar as suas mãos a posse da nossa vida. É deixar que ele cuide de nós confiando em seus cuidados. E ser fiel a Ele em qualquer condição. Nós éramos inimigos de Deus, mas ele nos tornou seus amigos por meio da morte do seu Filho. E, agora que somos amigos de Deus, é mais certo ainda que seremos salvos pela vida de Cristo. (Rm 5:10). Entregar-se a Deus é o climax de tudo aquilo que escolhemos como opção de vida. É viver um cristianismo não só de palavras mas de atitudes  e de mudanças. Assim, quando fomos batizados, fomos sepultados com ele por termos morrido junto com ele. E isso para que, assim como Cristo foi ressuscitado pelo poder glorioso do Pai, assim também nós vivamos uma vida nova. (Rm 6:4). É a definitiva escolha de dominar aquele que por toda a nossa existência lutou e continuará lutando contra nós e contra tudo o que agrada a Deus, o pecado, E isso aconteceu a fim de que, assim como o pecado dominou e trouxe a morte, assim também a graça de Deus, que o leva a aceitar as pessoas, dominasse e trouxesse a vida eterna. Essa vida é nossa por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. (Rm 5:21). É o grito de liberdade que estava preso em nós e a libertação definitiva do pecado que por muito tempo nos impedia de uma aproximação de Deus. Mas agora vocês foram libertados do pecado e são escravos de Deus. Com isso vocês ganham uma vida completamente dedicada a ele, e o resultado é que vocês terão a vida eterna.” (Rm 6:22)

CONCLUSÃO:
Apoiar a santidade e viver a vida de Deus com a certeza de que por causa desta nossa escolha nós fomos aceitos por Ele e que passamos a pertencer somente a ele não só para esta vida mas para toda a eternidade. Mas, se Cristo vive em vocês, então, embora o corpo de vocês vá morrer por causa do pecado, o Espírito de Deus é vida para vocês porque vocês foram aceitos por Deus.” (Rm 8:10)


Mensagem pregada  no Congresso de Juniores
24/09/2011 - Tema: "Operação Santidade, eu apoio"
Batista Nacional Vale das Bençãos

A TRADIÇÃO QUE RECEBEMOS.

Mandamo s -vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segu...