sábado, 20 de dezembro de 2014

UM CONVITE NADA CONVENCIONAL

2Tm 2.3-6 Sofre comigo como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E também se um atleta lutar nos jogos públicos, não será coroado se não lutar legitimamente. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos.

Int. O texto de Paulo a Timóteo é um convite. Não um convite do tipo que gostaríamos de receber, como aqueles que recebemos constantemente..., mas, em todo o caso, é um convite! Sempre que um convite é feito, deverá haver uma disposição ou uma indisposição no sentido de atendê-lo ou não. Quando o convite é agradável, certamente, haverá a tendência natural em que ele seja aceito com prazer, podendo mesmo haver um grau de ansiedade no sentido que o dia marcado chegue rapidamente. O contrário disto é que, quando o convite não nos agrada, procuramos logo uma "desculpa" por meio da qual consigamos um jeito de evitar o pior... Porém no caso do texto em questão, o convite não é uma questão de gosto, pois a forma e as palavras utilizadas pelo Apóstolo são no mínimo desanimadoras. Ninguém em sã consciência desejará ou gostará de se unir ou experimentar o sofrimento. E neste caso, as palavras de Paulo são muito claras, elas não deixa dúvidas. Sofre comigo como...

Embora o convite não idealize uma questão de gosto, todavia ele também não deve ser enxergado como um coisa detestável a ponto de nos causar ojeriza e provocar desconforto. Não, o convite de Paulo pode em todos os sentidos causar a mudança mais radical que possamos imaginar. Nossas vidas, uma vez aceitado o convite, nunca mais serão as mesmas. Uma vez aceito o desafio, somos encorajados a mudar conceitos, atitudes, entendimentos, e repaginar com isso toda a história da nossa vida cristã. O convite nos conclama a assumirmos uma identidade real e verdadeira ao lado do nosso Senhor e Mestre. Embora até não pareça ser um convite aceitável a qualquer pessoa,  todos somos convidados basta apresentarmos-nos com um mínimo de disposição e disponibilidade, e pronto, o resto fica por conta do nosso Senhor.

I. O CONVITE.
Como podemos então entender o convite de Paulo? A resposta encontramos no próprio texto. O segredo que cada figura esconde, insere uma verdade relativa, que uma vez observada culminam com um final próspero e vitorioso por parte daqueles que decidem aceitar o desafio. E quais são estas figuras?
  • UM SOLDADO QUE NÃO DEVE SE EMBARAÇAR COM NEGÓCIOS DESTA VIDA,
  • UM ATLETA QUE DEVE LUTAR LEGITIMAMENTE NOS JOGOS PÚBLICOS,
  • UM LAVRADOR QUE DEVE TRABALHAR E SER O PRIMEIRO A GOZAR DO RESULTADO DO SEU TRABALHO.


II. O SOLDADO.
2Tm 2:3-4 Como fiel soldado de Cristo Jesus, tome parte no meu sofrimento. Pois o soldado, quando está servindo, quer agradar o seu comandante e por isso não se envolve em negócios da vida civil.

No sentido genérico da palavra, o soldado é uma pessoa que trabalha, voluntariamente ou em consequência de serviço militar obrigatório, nas forças armadas ou forças militarizadas de um país soberano, recebendo treino e equipamento necessário para defender o referido país e os seus interesses. O termo "soldado" deriva do italiano: "soldado" (particípio do verbo soldare) – alguém a quem se pagou o "soldo" para servir. "Soldo" deriva do latim "solidum nummum" e designava uma moeda de ouro da Roma imperial. Pois bem, na figura de Paulo o "soldado" possui um caracteristica muito especial, que o desvincula da grande maioria da tropa em que ele serve: "ELE NÃO SE EMBARAÇA COM NEGÓCIOS DESTA VIDA". Isso o faz ser diferente. Este é o primeiro segredo para os que querem viver esta vida vitoriosa ao lado do Senhor Jesus é:

1. CONSEGUIR SE MANTER DIFERENTE MESMO VIVENDO NO MEIO DE UMA SOCIEDADE ONDE NO CONCEITO ENTRE O CERTO E O ERRADO, NÃO EXISTE DIFERENÇA. 2Tm 2:19 Mas o firme alicerce que Deus colocou não pode ser abalado, e sobre esse alicerce estão escritas estas palavras: “O Senhor conhece as pessoas que são dele.” E também: “Toda pessoa que diz que pertence ao Senhor precisa abandonar o pecado.”

Já vi alguns técnicos de futebol dizerem que não é difícil alcançar o primeiro lugar em um torneio, o difícil é se manter em primeiro. A manutenção é sempre mais complicada. Por isso, não dá para negociar com o pecado, ou  nos desvincilhamos dele de uma vez, ou corremos o risco de mais cedo ou mais tarde sermos vencidos por ele. Se não temos maturidade suficiente para lidar com o pecado, o melhor a fazer, é fugir dele. Hb 5:13-14 E quem precisa de leite ainda é criança e não tem nenhuma experiência para saber o que está certo ou errado. Porém a comida dos adultos é sólida, pois eles pela prática sabem a diferença entre o que é bom e o que é mau. 
É em razão disso que o convite do Apóstolo Paulo não é para os que gostam, é para os que querem, e estão dispostos a prosseguirem. Atentem para 2Tm 4:3-5 Pois vai chegar o tempo em que as pessoas não vão dar atenção ao verdadeiro ensinamento, mas seguirão os seus próprios desejos. 
São as coisas que gostamos que se tornam fruto dos nossos desejos, e francamente, nunca desejamos o que não gostamos. Desejamos é quereremos as coisas que nos dão prazer, por isso que as vezes, desejamos coisas más. E para satisfação carnal, "inventamos" meios de "pecar" sem "ferir" a nossa fé. Quanta ilusão. E arranjarão para si mesmas uma porção de mestres, que vão dizer a elas o que elas querem ouvir. Essas pessoas deixarão de ouvir a verdade para dar atenção às lendas. 
É isso que Paulo está dizendo em Gl 6:7-8: Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. Se plantar no terreno da sua natureza humana, desse terreno colherá a morte. Porém, se plantar no terreno do Espírito de Deus, desse terreno colherá a vida eterna
Não dá para vincular fé e pecado, eles são aversos um do outro. Não conseguem caminhar juntos pois um apaga o brilho do outro. Ou a fé apaga o pecado ou somos, de uma vez tragados por ele. Não se embaraçar, na visão do Reino de Deus é viver uma vida de santidade, é um estilo de vida, não é religiosidade. Mas você, seja moderado em todas as situações. Suporte o sofrimento, faça o trabalho de um pregador do evangelho e cumpra bem o seu dever de servo de Deus. 
O soldado que Paulo menciona tem um objetivo: agradar àquele que o alistou para a guerra. Exatamente por isso, é que não se embaraça com os "negócios" desta vida. O soldado não pode se embaraçar. Ele foi "morto" Gl 2:19-20 ...Eu fui morto com Cristo na cruz. Assim já não sou eu quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim.

REFORÇO DO ARGUMENTO: Fp 2:15 para que vocês não tenham nenhuma falha ou mancha. Sejam filhos de Deus, vivendo sem nenhuma culpa no meio de pessoas más, que não querem saber de Deus. No meio delas vocês devem brilhar como as estrelas no céu,

III. O ATLETA.
também se um atleta lutar nos jogos públicos, não será coroado se não lutar legitimamente.

Atleta é o profissional dos desportos e das atividades físicas. O termo iniciou-se com os que praticavam atletismo. Depois estendeu-se aos praticantes de luta (em jogos solenes) na Grécia e na Roma Antiga. Segundo Krieger, (2007) o atleta, é qualquer pessoa que pratique qualquer manifestação de desporto, seja educacional, de participação ou rendimento, podendo ser classificado quanto à forma de sua prática, em amador, não-profissional e profissional. Mesmo os que apenas correm pelas ruas da cidade a fim de melhorar a forma física e a saúde não o deixam de ser, no sentido mais amplo da palavra, um atleta.
  • O amador é o praticante eventual, que o faz apenas por prazer, saúde ou vaidade, é o corredor ou o ciclista de fim-de-semana ou fim de tarde aquele que corre para manter a forma, ou até o que participa de maratonas ou outros torneios, sem o intuito de lucrar, mas pode ter o espírito desportivo de pura competição. Amador é aquele que leva a sério o ideal de Pierre de Coubertin, onde o “importante não é vencer, é participar”.
  • O não-profissional é o que pratica algum desporto sem receber remuneração, podendo, porém, receber incentivos materiais ou patrocínios.
  • O profissional é aquele que faz do esporte seu meio de sustento, auferindo além dos louros da glória esportiva lucro financeiro através de sua atividade. Nas modalidades mais populares perfazem grandes cifras em dinheiro e acabam por tornarem-se personalidades públicas.

Nas palavras de Paulo, o atleta tem todas estas especificações, mais é o profissional que mais se aproxima da descrição pois é este que se preparar, treina duro, tem no sangue o desjo de competir, competir e buscar a vitória. Este atleta procura se manter puro, pois qualquer substância duvidosa pode comprometer sua participação e um eventual desligamento. atleta lutar nos jogos públicos, não será coroado se não lutar legitimamente. O atleta deve ser um conhecedor das regras competitivas que norteiam sua modalidade esportiva e deve evitar a qualquer custo quebrar qualquer uma destas regras, com perigo de ser desclassificado e perder todo esforço do seu trabalho. Vendo assim o perfil do atleta, concluimos que o segundo segredo para uma vida vitoriosa ao lado do Senhor Jesus, segue-se de que nos façamos:

2. UM FIEL OBSERVADOR DA PALAVRA DE DEUS, CUMPRIDOR DE TODA A VERDADE QUE NELA SE PODE ATESTAR COMO REGRA DE FÉ E PRÁTICA. Tg 1:25 O evangelho é a lei perfeita que dá liberdade às pessoas. Se alguém examina bem essa lei e não a esquece, mas a põe em prática, Deus vai abençoar tudo o que essa pessoa fizer.

Foi por isso que Deus deixou registrado na Bíblia, tudo o que diz respeito a nossa fé e a nossa crença. Tiágo chama estas regras de "lei perfeita da liberdade". Por isso, viver em paz com Deus é viver em paz com a Bíblia. O Senhor Jesus consegue descrever este conceito de forma concisa em Mt 7:24-25 Quem ouve esses meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rochaPercebemos? Não existe quedas, não existe tombos, não há surpresas que o interfiram seguir o objetivo. É exatamente como na figura do atleta que se prepara. A Bíblia é o suprimento que mantêm este "atleta" sempre disposto. Sua dieta é nunca fazer as coisas que a Bíblia condena: Tg 1. 21. Pelo que, despojando-vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas. O segredo é não ser um simples leitor da Palavra. Estou falando de algo como tornar-se "completamente" dependente dela. Algo como não suportar viver longe das Escrituras. É respirar a Bíblia como o ar que respiramos. Não conhecer a Bíblia, é algo muito maior do que isto. Estamos falando em viver a Bíblia e seus ensinos de forma diária. vv 22,23 E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Pois se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante a um homem que contempla no espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo e vai-se, e logo se esquece de como era.

  • A conclusão do argumento de Tiágo: v 25. Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer.

IV. O AGRICULTOR.
O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos.
Agricultura é o conjunto de técnicas utilizadas para cultivar plantas com o objetivo de obter alimentos, fibras, energia, matéria-prima para roupas, construções, medicações, ferramentas, ou apenas para contemplação estética. A pessoa trabalha na agricultura chamamos de agricultor. O termo fazendeiro (português brasileiro) ou lavrador (português europeu) se aplica ao proprietário de terras rurais onde, normalmente, é praticada a agricultura, a pecuária ou ambos. A ciência que estuda as características das plantas e dos solos para melhorar as técnicas agrícolas é a agronomia. 

Paulo utiliza a figura do agricultor para ilustrar a importância de um trabalho realizado pela divulgação do Evangelho. Percebemos que o agricultor, não é o dono das terras, ele é o trabalhador braçal, aquele que deve colocar literalmente as mãos na massa. No Evangelho, para ser mais exato em Mt 13. 38, o Senhor Jesus apresenta uma explicação sobre a parábola do joio e do trigo, onde o campo representa o mundo, e a boa semente representa os filhos do reino. Na figura do agricultor, ele é o responsável por semear, porém, nas palavras do Senhor Jesus ele é também identificado como sendo a própria semente que foi semeada no campo pelo Senhor Jesus. A boa semente é a semente que caiu em boa terra, e porque caiu em boa terra, esta semente germinou. Lc 8.5-8 Saiu o semeador a semear a sua semente. E quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho; e foi pisada, e as aves do céu a comeram. Outra caiu sobre pedra; e, nascida, secou-se porque não havia umidade. E outra caiu no meio dos espinhos; e crescendo com ela os espinhos, sufocaram-na. Mas outra caiu em boa terra; e, nascida, produziu fruto, cem por um... A terceira e última verdade que extraímos do texto base-a-se neste conceito.

3. UM SEMEADOR EFICIENTE QUE SEMEIA A VERDADE QUE VIVE E QUE VIVE EM TODA INTENSIDADE A VERDADE POR ELE SEMEADA. Fp 1. 20,21 segundo a minha ardente expectativa e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a ousadia, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro. 



A TRADIÇÃO QUE RECEBEMOS.

Mandamo s -vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segu...