sábado, 15 de janeiro de 2011

SOTERIOLOGIA, A DOUTRINA DA SALVAÇÃO


INTRODUÇÃO: Soteriologia é a união entre dois termos gregos "Soteria" que significa "Salvação" e "logia" que significa "Estudo ou tratado". Portanto, Soteriologia é o "Estudo ou Tratado" a respeito da Salvação. O termo salvação incluiu: O perdão do pecado passado, a libertação do poder do pecado presente e a preservação contra inovações do pecado futuro. A salvação tem aspecto tríplice pois diz respeito ao espírito na regeneração, a alma na santificação e ao corpo na glorificação.

I. CONDIÇÃO DO HOMEM
Não poderemos compreender a Doutrina da Salvação sem conhecermos a condição do homem que dela necessita. Vejamos, pois então a condição do homem sem salvação.
1. ESCRAVO DO PECADO. Jo 8.34 – O termo escravo significa estar cativo debaixo de poder absoluto, por compra, herança ou guerra. O termo pecado significa "Transgressão a Lei Divina. As Escrituras mostram que o pecado pode ser dividido em duas classes, a saber:
  • Pecado por Comissão. É um ato que não atende uma condição imposta.
  • Pecado por Omissão. Deixar de fazer ou omitir.
2. MORTO ESPÍRITUAL. Rm 5.12 – A morte espiritual é um tanto análoga a morte física que é a separação entre o corpo e o espírito. Quando o espírito abandona o corpo, ele morre. Da mesma forma, quando o espírito se separa de Deus, ele morre.
3. SEPARADO DE DEUS. A conseqüência da queda de Adão foi a exclusão da presença de Deus. Is 59.2; Gn 3.8
II. DOIS PASSOS PARA SALVAÇÃO.
Cristo chegara ao mundo, vindo do seio do Pai. Podia descrever as glórias do céu para comover os homens, mas sua mensagem era a mesma: Arrependimento e conversão. Mt 4.17; 18.3
1. ARREPENDIMENTO – O verdadeiro arrependimento envolve a pessoa num todo, não apenas numa mudança de pensamento, mas em toda sua personalidade. Jo 3.3 – Arrependimento, portanto envolve:
  • INTELECTO – Uma mudança na maneira de pensarmos em Deus, em nossos pecados e nas coisas espirituais e eternas.
  • SENSIBILIDADE – O prazer, alegria deixam de fixar-se nas coisas terrenas para fixar-se nas espirituais. Sl 51
  • VOLIÇÃO – Através do arrependimento o homem passa a quere fazer a vontade de Deus e ser dirigido por Ele. Esta mudança na vontade do homem é, de fato, o elemento mais importante no arrependimento.
2. CONVERSÃO – Conversão é uma palavra usada para exprimir o ato de o pecador abandonar o pecado para seguir a Jesus.
III. OS TRÊS ELEMENTOS BÁSICOS PARA A SALVAÇÃO. Rm 3.24
Os elementos básicos estabelecidos para a salvação, conforme os escritos de Paulo aos Romanos são:
  1. GRAÇA. Tt 2.11 – Graça significa primeiramente, favor ou a disposição bondosa da parte de Deus. A Graça de Deus revela-se no fato de que Ele mesmo pela expiação de Cristo pagou toda apena do pecado, por conseguinte, Ele pode justamente perdoar o pecado sem levar em conta os merecimentos ou não merecimentos. Por se revelar independente das obras dos homens, a graça é conhecida como "fonte da Salvação"
  2. SANGUE. 1Jo 1.7 – Em virtude si sacrifício de Cristo na cruz do Calvário, o crente é separado para Deus, seus pecados perdoados e sua alma purificada. O sangue é conhecido como a "Base da Salvação"
  3. FÉ. Ef 2.8 – Pela fé reconhece o homem a necessidade de salvação, e pela mesma fé, ele é levado a crer em Cristo Jesus. A fé conduz o homem ao Salvador colocando a verdade na mente e Cristo no coração. A fé e, portanto, a ponte que dá passagem ao mundo espiritual, sendo ela "O meio para a Salvação."
IV. OS QUATRO ASPECTOS DA SALVAÇÃO.
1. JUSTIFICAÇÃO – Justificar é um termo judicial que significa absolver, declarar justo. Esta doutrina assim se define: Justificação é um ato da livre vontade de Deus pelo qual Ele perdoa todos os pecados e aceita como justo aos seus olhos somente por imputar a justiça de Cristo a quem o recebe pela fé. Rm 3.24,30. a justificação nos é atribuída por:
  • IMPUTAÇÃO – Imputar é atribuir a alguém a responsabilidade pelos atos de outrem. Jesus assumiu nossos pecados e Deus permitiu que Ele pagasse nosso débito. Rm 4.6
  • SUBSTITUIÇÃO – Como nosso substituto, Cristo ganhou esta justiça para nós, morrendo em nosso lugar. Gl 3.13
  • JUSTIÇA DE CRISTO – Esta justiça foi adquirida pela morte expiatória de Cristo, um ato perfeito que satisfez a lei de Deus. 1Co 1.30
2. REGENERAÇÃO – Regenerar significa restaurar o que estava destruído. Trata-se de uma mudança radical operado pelo Espírito Santo na alma do homem atingindo todas as suas faculdades como intelecto, vontade e sensibilidade. 2Co 5.17. A Bíblia descreve a regeneração como:
  • NASCIMENTO. Jo 3.3 – Uma pessoa para pertencer a aliança feita a Israel e gozar de todos os seus direitos, precisava somente nascer de pais judaicos. Para pertencer ao reino do Messias, contudo, uma pessoa precisa nascer de novo. Ez 36.26
  • VIVIFICAÇÃO. Jo 10.10 – A essência da regeneração é uma nova vida concedida por Deus, mediante Jesus e pela operação do Espírito Santo. Viver é estar com vida, vivificar é dar vida, portanto, vivificar é o ato ou ação de viver, usufruir a vida espiritual que Deus concedeu.
  • PURIFICAÇÃO. Tt 3.5 – A alma foi lavada completamente das imundícies de outrora
3. SANTIFICAÇÃO – Santificar é tornar sagrado, separar, consagrar, fazer santo. Portanto santificação representa estar separado de tudo quanto seja terreno e humano (1Pe 3.11), estar dedicado a Deus no sentido de ser sua propriedade (Rm 12.1). Santificação, pois é um processo, o crente precisa progredir em santificação (2Co 7.1). Os meios da santificação são:
  • O SANGUE DE CRISTO. 1Jo 1.7
  • O ESPÍRITO SANTO. Fm 1.6
  • A PALAVRA DE DEUS. Jo 17.17
4. GLORIFICAÇÃO – Glorificação é o futuro recebimento de absoluta e definitiva perfeição por todos os crentes. É a adoção completada do crente, a sua salvação final. Acontecerá somente no Arrebatamento da Igreja, ocasião em que nossos corpos serão transformados em corpo glorioso (Fp 3.21; 1Ts 4.13-18; 1Co 15.49).
V. SEGURANÇA DA SALVAÇÃO (PREDESTINAÇÃO)
É possível alguém que aceitou a Jesus, cair da graça? Os que seguem a doutrina calvinista dizem que não, já os arminianos dizem que sim. Para inicio de conversa precisamos entender o termo "Predestinação" como sendo: O aspecto da pré-ordenação de Deus, através do qual a salvação do crente é considerada efetuada de acordo com a vontade de Deus, que o chamou e o elegeu em Cristo, para a vida eterna, sendo a sua aceitação VOLUNTÁRIA, da pessoa e do sacrifício de Cristo, uma CONSEQUÊNCIA desta eleição e do trabalho do Espírito Santo, que efetiva esta eleição, tocando em seu coração e abrindo-lhe os olhos para as coisas espirituais. A fonte é a Soberana Vontade de Deus. Jo 6.37,44, 65; Ef 1.4, 5 e 11; Rm 9.11, 16). Sua causa, a misericórdia infinita e a manifestação de sua glória. Rm 9.23; 11.33; Ef 1.6 e Jo 3.16). Os Objetos da Predestinação são as pessoas pecadoras. Jo 1.12,13; 5.21; 6.65; 10.26 e 27; 12.37-41; 15.16; 17.6-8

1. CALVINISMO – João Calvino construiu uma teologia que tem por base a soberania de Deus, e olha a eleição sempre do ponto de vista de Deus, descartando a possibilidade da escolha humana. A doutrina calvinista pode ser definida em três palavras: Absoluta, já que não está condicionada a nenhuma contingência finita. Particular, pertence a indivíduos, não a grupos. Dupla, Deus para o louvor da sua misericórdia elegeu uns para a vida eterna, e para o louvor da sua justiça, outros para a perdição eterna. Portanto para o calvinismo a segurança da salvação depende do decreto eterno de Deus. O presbiterianismo aprovou os cinco pontos calvinistas:
  • Depravação Total. Todos os seres humanos nascem totalmente depravados incapazes de se salvar ou de escolher o bem em questões espirituais
  • Eleição Incondicional. Deus escolheu dentre todos os seres humanos decaídos um grande número de pecadores por graça pura, sem levar em conta qualquer mérito, fé ou obra prevista neles
  • Expiação Limitada. Jesus Cristo morreu na cruz para para o preço de resgate somente para os eleitos.
  • Graça Irresistível. A Graça de Deus é irresistível para os eleitos. O Espírito Santo acaba convencendo e infundindo a fé salvadora neles.
  • Perseverança dos Santos. Todos os eleitos vão perseverar na fé até o fim e chegar ao céu, nenhum perderá a salvação.
2. ARMINIANISMO – Jacó Armínio defendia parte de uma perspectiva diferente de João Calvino, entre as quais podemos citar:
  • Capacidade humana e liberdade de escolha. Todos os homens ainda que pecadores são livres para aceitar ou recusar a salvação que Deus oferece.
  • Eleição Condicional. Deus elegeu os homens que previu que teriam fé em Cristo.
  • Expiação Ilimitada. Cristo morreu por todos...
  • Graça Resistível. Os homens podem resistir a graça para não serem salvos
  • Decair da Graça. Os salvos podem perder a salvação caso não perseverem até o fim.
CONCLUSÃO:
  • Todos nós estamos afastados de Deus por causa do pecado.
    Is 59.1-5; Rm 3.9-20; 5.12-21; 7.14-25; Ec 7.20
  • Deus sempre buscou relacionamento mais próximo com o homem.
    Ex 19.3-8; Jr 31.31-34; Is 54. 1-10; 1Pe 1.1-10; 1Jo 3.1-10
  • Deus pessoalmente fez contato com homem ao enviar seu Filho Jesus.
    Cl 1.15-23; Rm 5.1-11; 1Pe 2.9-25; Jo 3.1-21; 2Tm 1.3-14; Ef 2.1-10
  • O perdão de Deus, através de seu Filho Jesus está ao alcance de todos.
    Sl 51.1-17; 1Jo 1.5-10; Sl 32; Rm 20.20-28; 8.31-39; 10.5-15
  • Vivemos uma nova vida em Cristo quando vivemos como Ele viveu.
    Rm 6.1-4; 12.1-21; Mt 20.20-28; Ef 4.17-32; Gl 5.16-26; 1Jo 4.7-21
Bibiografia: (não anotada)

SALA DE ESTUDOS - HERMENÊUTICA

Sala de Estudos Introdução:  Hoje é nosso primeiro dia Sala de Estudo. Iniciamos agora uma nova reunião onde teremos o privilégio de ...